Anatel lança portal do consumidor



  

A Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel), lançou no dia 31 de janeiro de 2013 um novo sistema em seu site para ajudar consumidores a resolverem seus problemas com empresas do ramo de telecomunicações.

A página é de fácil navegação e conta ainda com dicas e rankings comparativos entre as empresas do ramo, assim o consumidor terá informações mais detalhadas sobre a empresa e terá conhecimento sobre as reclamações de outros clientes.

Será possível também a visualização das metas de investimento e melhoras na qualidade, impostas por cada empresa, assim, o cliente poderá acompanhar e cobrar as melhorias. “A nossa intenção é de dar ao consumidor as ferramentas que ele precisa para comparar empresas e resolver problemas", disse a superintende de relações com os consumidores, Elisa Leonel.

A nova página tem como intenção facilitar e diminuir o tempo para a resolução de problemas no setor, descongestionando também as linhas telefônicas da agência. Dados fornecidos pela Anatel, mostram que só no ano de 2013, cerca de 3,1 milhões de pessoas recorreram a central de ajuda para registrar queixas.





As principais reclamações dos clientes, seriam quanto a erros nas faturas, problemas durante as ligações entre celulares e a falta de pós atendimento das empresas. Mas agora, com o portal, o consumidor poderá se cadastrar e fazer a reclamação online em poucos minutos. A Anatel também está disposta a oferecer nos próximos meses o atendimento através de chat.

Elisa Leonel, superintendente de relações com os consumidores, disse ainda que o portal será melhorado, oferecerá em breve uma tela mais amigável e que, possivelmente em um futuro próximo, as reclamações serão feitas somente através do site.

O portal pode ser acessado através desse endereço http://www.anatel.gov.br/consumidor/. Esse é com certeza mais um passo a favor dos consumidores na guerra entre empresas de telecomunicação e clientes, até porque as reclamações por um portal são extremamente mais viáveis, sendo que a página pode ser acessada por computadores, tablets e celulare

Por Marcos Milani



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *