Aquisição do WhatApp pelo Facebook não irá interferir no mercado de telecomunicações



  

Com aprovação da União Europeia, a maior rede social em operação no momento, o Facebook, comprou o aplicativo de mensagens entre dispositivos móveis, famoso  WhatsApp pelo valor de US$ 19 bilhões. Um acordo que provoca uma disputa da maior rede social do mundo versus as indústrias de telecomunicações.

A transação pode ser considerada como uma das maiores dos últimos dez anos de história do Facebook, e dessa forma deu a empresa mais presença no mercado além de um rápido crescimento  no segmento das mensagens instantâneas.

A ideia é que o WhatsApp esteja adequado para ser posicionado como um dos maiores e potenciais concorrentes no poderoso e acirrado mercado das companhias como, por exemplo, Deutsche Telekom, Orange e Telecom Itália.  A expectativa é que mais de 450 milhões de novos usuários utilizem o aplicativo WhatsApp para efetuar chamadas de voz gratuitas  e isso irá obrigar as indústrias de telefonia a melhorarem e baratearem, e muito, seus serviços.

Porém, a Comissão Europeia afirma que tudo foi pensado para não prejudicar os segmentos e que o acordo entre o Facebook e o WhatsApp não irá prejudicar a competição, que tende a ser bastante saudável, e garantir ótimos resultados para os consumidores.

De acordo com o comissário responsável por competição da UE, Joaquín Almunia, foi feita uma análise cuidadosa  da aquisição proposta e chegou-se à conclusão de que não irá prejudicar a concorrência no mercado atual, crescente e dinâmico. "Os consumidores continuarão a ter uma ampla escolha de aplicativos de comunicação", afirma Almunia.





Os rivais do WhatsApp, como o KakaoTalk, WeChat e Viber vêm conquistando clientes do mundo inteiro de forma acelerada nos últimos anos, o que tem feito todos os segmentos se mexerem em busca de adequações para garantir a fidelidade dos clientes. E a expectativa é que o crescimento dessas plataformas melhorem o serviço de ambos os lados.

Por Vivian Schetini

WhatsApp e Facebook

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *