História da Motorola no mundo dos smartphones



  

Ela fez as pessoas carregarem um verdadeiro tijolo na cintura. Olhando de hoje, aquelas pessoas pareciam patéticas com um celular que mais parecia um revolver de grosso calibre na cintura. A Motorola criou uma moda, criou um estilo, todos queriam um. De repente choviam novas marcas de celulares menores e mais potentes. Veio a Nokia criando aparelhos menores e muito mais bonitos. Ganharam muito espaço no mercado, principalmente depois que o modo analógico deixou de existir e passamos a viver na era digital. A era dos Chips, que mudou nossas vidas para sempre. Os aparelhos passaram a ser acessíveis a toda a população. Como hoje, todos queriam os modelos novos, diferentes. Um aparelho de muito sucesso na época foi o LG Baby, devido ao seu tamanho, cabia na palma da mão. Hoje o inverso faz sucesso, quanto maior a tela, melhor.

A Motorola inovou quando criou os celulares com flip, aquelas capinhas que protegiam o teclado e serviam de fone. Virou febre. Todos queriam um modelo black. A Motorola ressurgiu novamente nesse tempo, depois sumiu de novo. Chegou o ponto que muitas empresas gigantes do setor achavam que ela ia desaparecer. Mas eis que ela ressurge novamente, desta vez parece que veio pra ficar. Seus últimos lançamentos, como o Moto G, Moto X, entre outros, têm dado novo gás a companhia. Principalmente depois de sua firme parceria com o gigantesco Google.

Tem fabricado aparelhos de qualidade, com preços acessíveis que nada deixam a desejar a outras marcas. Tem tudo para se firmar dentro do concorrido mercado dos smartphones. E não apenas se firmar. Tem prometido novos lançamentos que vão balançar outras empresas. Promete incomodar pra valer Samsung, Nokia e, pasmem, até a Apple, fabricante do poderoso iPhone.

Muitas empresas têm criado aparelhos que deixam a Apple preocupada, mas nada que abalasse de verdade a empresa. Será que a velha e boa Motorola consegue isso? Apenas o tempo dirá.

Por Luciana Viturino





Motorola com flip

Moto G

Moto X

Fotos: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *