App da Netflix é atualizado na Windows Phone Store



  

Conhecida por não dar muito suporte aos usuários ou até mesmo por não contar com os aplicativos mais requisitados, a loja do Windows Phone vem passando por grandes mudanças.

Um grande exemplo foi a disponibilidade recente o jogo Candy Crush Saga, que até então não tinha sua versão para o sistema operacional, mesmo já existindo há 2 anos para Android e iOs e sendo um dos jogos mais populares em smartphones.

Porém, a grande atenção dessa semana foi para o app da Netflix. O serviço é o maior fornecedor de filmes e séries via streaming do mundo e não tinha uma versão decente disponibilizada para os usuários do Windows Phone.

Dentre as maiores queixas, era que a versão antiga não tinha a opção de selecionar qual usuário da conta estava sendo utilizado (para o caso de múltiplos pontos e consequentemente usuários em uma mesma conta). Isso fazia com que o histórico de filmes acessado fosse registrado em contas de outros usuários.

Com a atualização, agora é possível selecionar quem está utilizando o aplicativo no aparelho e ter um melhor controle sobre o histórico de navegação, as preferências, sugestões e listas de reprodução.

Outra grande mudança foi nos blocos dinâmicos (ícones dos aplicativos presentes na tela inicial do sistema operacional, semelhante aos utilizados a partir do Windows 8 para PC), que agora exibem imagens dos últimos filmes ou séries assistidos dentro do aplicativo.





Além das mudanças e renovação no design, que já existiam no Android e no iOS, os usuários do sistema operacional da Microsoft ainda contarão com a possibilidade de integrar o app à assistente virtual Cortana.

Mesmo disponível apenas em inglês no momento, é possível utilizar a assistente no Brasil, caso o idioma do aparelho seja selecionado como Inglês; claro, para isso é necessário que o usuário seja um falante do idioma.

Dentre as funções conectadas entre a Cortana e o app Netflix, é possível dizer à assistente para procurar por um filme específico, por exemplo, tirando a necessidade de abrir o aplicativo e digitar o nome da obra na caixa de pesquisa.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *