Qualcomm irá lançar novos chips Snapdragon 820 com 8 núcleos TS2 e FinFET de 14 nanômetros



  

Qualcomm está conquistando o mercado de processadores de smartphones nos anos recentes e, caso as previsões sobre a lista de objetivos para este ano ocorra, a expectativa é que irá permanecer. Somando ao Snapdragon 810, que poderá ser recebido no mercado no primeiro trimestre no LG G4 e no Samsung Galaxy S6, outros chips mais potentes poderão ser disponibilizados em 2015.

De acordo com a previsão, a companhia poderá disponibilizar na segunda metade deste ano dois novos chips com configurações muito atrativas, sendo o Snapdragon 820, por meio de oito núcleos TS2 de grande desempenho, e o FinFET, de 14 nanômetros fabricado pela Samsung e a GlobalFoundries.

O Snapdragon 820 poderá ser o processador pioneiro de 64 bits personalizado realizado empresa, uma vez que o Snapdragon 810 foi disponibilizado na ausência do núcleo customizado, sendo que estava presente na meta primária e não foi lançado com ele por não estar finalizado ainda.

A passagem do novo processador Snapdragon para a estrutura de 14 nanômetros irá proporcionar otimizações na performance e nos resultados, entretanto não será um único fator novo do chip. Ele também possuirá GPU Adreno 530, suporte para memória LPDDR4 e o modem MDM9X55-LTE-A Categoria 10 da Qualcomm.

Outro chip de grande performance será disponibilizado no segundo semestre deste ano, sendo o Snapdragon 815, tendo também oito núcleos, entretanto, de forma distinta ao modelo 820, que possui oito cores TS2, ele possuirá quatro TS1 e quatro TS2. A GPU será Adreno 450 e ele terá suporte a RAM LPDDR4 e o modem MDM9X55 LTE-A Categoria 10.





A grande distinção do Snapdragon 820 e o 815 é que o último será produzido com estrutura de 20 nanômetros.

As previsões apontam fatores novos no território mid-range. Os chips Snapdragon 625 e 629 teriam grande semelhança: oito núcleos, GPU Adreno 418, RAM LPDDR4, modem MDM9X45 LTE-A Categoria 10 e estrutura de 20 nanômetros HKMG da Samsung e GlobalFoundries. 

Por Felipe Couto de Oliveira

Qualcomm

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *