Apple patenteia solução para iPhone não dobrar



  

Serão colocadas novas duas camadas de materiais diferentes para evitar o problema

Todos já conhecem os problemas que o iPhone 6 Plus, lançado no ano passado, causou. Uma das maiores reclamações dos clientes que adquiriram o produto era que o celular dobrava em seus bolsos. A empresa demorou um certo tempo para comentar sobre os casos, era um problema que ninguém esperava e chegou como uma surpresa para os fabricantes do celular.

Depois de muitas discussões, principalmente na internet, a Apple, desenvolvedora e fabricante do produto, não só apresentou as soluções como também já a patenteou, um novo processo de fabricar de produto com maior resistência dos equipamentos e peças chamado de Encapsulation Of A Stiffener Layer In Aluminum.

O processo consiste na utilização de duas camadas diferentes de material. A primeira, e mais rígida, será colocada na estrutura principal da parte de dentro do celular, feita provavelmente de fibra de carbono. Já a segunda camada, que será de alumínio, será usada como um reforço para a rigidez estrutural do celular, evitando, assim, o problema que afeta diversos usuários.

Uma segunda novidade também é trazida com essa nova patente: uma das camadas contará com o que estão chamando de “estrutura de bolsas”, com formas triangulares ou circulares que diminuirão nitidamente o peso do Iphone 6 Plus.

O curioso caso de dobramento de celular não é um problema só da Apple, smartphones de outras marcas também já apresentaram problemas semelhantes.





Depois do seu lançamento, em setembro do ano passado, o mais recente e inovador smartphone da americana Apple, apresentou o problema de dobramento e muitas reclamações correram pela internet, inclusive casos de queimadura na perna de usuários foram registrados. Diversas notícias foram divulgadas e muitos boatos em torno da verdadeira causa do problema correram nas redes sociais.

Com o problema resolvido, a empresa pode agora concentrar-se no futuro e trazer novos celulares com mais tecnologia sem apresentar defeitos como o de dobramento, por exemplo.

Por Tom Vitor de Freitas

Foto: divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *