Confira aqui o que há de novo nos novos smartphones da Apple.

Quem nunca ouviu falar da Apple?

Fundada no dia 01/01/1976, em Cupertino, no famoso Vale do Silício, da ensolarada Califórnia, nos EUA, por Steve Wozniak, Ronald Wayne e pela lenda Steve Jobs, essa é uma empresa que ao longo dos anos se tornou sinônimo nos quesitos de inovação e design no âmbito de celulares e tablets, tanto que a cada lançamento de um dos seus aparelhos acontecem revoluções no mercado tecnológico mundial.

Depois de tentar provar que o iPhone X era um aparelho que valia a pena ser adquirido, temos o lançamento 1 ano depois de 3 aparelhos, que são:

• O iPhone XR é o mais simples, com uma tela de 6,1 polegadas e com estrutura bem parecida com o já conhecido iPhone 7 e com cores estilo ao iPhone 5C ( lembra o modelo mais colorido da empresa), ou seja, é um modelo que vai poder ser adquirido nas cores branco, azul, vermelho, preto, amarelo e coral (esse é entendido como se fosse uma mistura entre o delicado rosa e a cor quente laranja). Começa a ser comercializado como é de praxe nos EUA, na data de 26/10/2018, pelo valor de US$ 749 (algo em torno de mais ou menos R$ 3.116, com a conversão do dólar para o real) e com bateria com duração de 1 hora e 30 minutos a mais do que o modelo iPhone Plus 8 e com uma proteção classificada como IP67;

• O iPhone XS é digamos que bem mais uma ampliação do modelo do ano passado e agora conta com uma tela do tipo Oled de exatamente 5,8 polegadas, com câmera frontal (a famosa selfie) de 7 MP e a câmera traseira é descrita com 12 MP wide e também teleobjetiva. Para essas câmeras a Apple desenvolveu um sensor com uma rapidez duas vezes superior aos modelos anteriores, ou seja, com a função “smart HDR", onde diferentes fotos que foram capturadas em determinado momento são utilizadas para a imagem no modo perfeito. Em outras palavras, a Apple quer trazer para o mercado uma nova forma de proporcionar o prazer ao fotografar, idêntico ao que sente os clientes da Samsung, com os seus Galaxys, por exemplo. Sua bateria só dura apenas 30 minutos a mais em relação ao modelo iPhone X e vai ser lançado em 21/09/2018 nos EUA, nas cores prateado, dourado e cinza – escuro, no valor de US$ 999 ( algo em torno de R$ 4.156);

• Já o iPhone XS Max é o top dessa família, ou seja, com uma tela de 6,5 polegadas (superior as 6,4 polegadas do Galaxy Note 9 da Samsung) e estilo do iPhone 8 Plus. A sua câmera apresenta uma configuração idêntica ao iPhone XS, uma bateria com duração de 1 hora e meia a mais em comparação ao modelo iPhone X e ainda conta com o mais alto grau dentro da Automação Industrial, ou seja, a proteção IP68, que visa combater problemas com relação à água e à poeira. O seu armazenamento é de 512 GB (o Galaxy Note 9 da Samsung conta com 512 Gb de capacidade mais cartão de memória de 512 Gb) e lançamento também para o dia 21/09/2018, no valor de US$ 1.099 (em torno de R$ 4.572).

Os 3 aparelhos tem o modo retrato, onde é possível mudar a profundidade com relação o desfoque de determinada imagem, fora os efeitos de luz de estúdio, mais luz de palco e é claro o preto e branco, além da opção Face ID, ou seja, o reconhecimento facial.

Novidade agora nos celulares da Apple, existe a opção de utilizar 2 chips no mesmo aparelho, mas isso só vai ser liberado para os aparelhos que forem comercializados na China. Para os demais países temos a opção conhecida como eSim, que é exatamente um chip virtual integrado diretamente no aparelho, ou seja, o cliente faz a configuração do número.

Qual a previsão de lançamento no Brasil? Quais os valores de comercialização?

Os lançamentos passados como o iPhone 8 foram comercializados à partir de R$ 3.999, o iPhone 8 Plus no valor de R$ 4.599 e é claro o iPhone X em R$ 6.999, portanto, fique preparado para quando os modelos do iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max chegarem no Brasil, algo que a Apple ainda não tem uma previsão.

Por Fernanda de Godoi


Características e especificações do novo modelo iPhone 8 da Apple.

A Apple tem inovado no design dos seus celulares, e isto não é novidade para ninguém. Seguindo essa informação, a Apple nos presenteou com o novo iPhone 8, em um evento de lançamentos que aconteceu no Estados Unidos, com a tela menor do que a do iPhone 8 Plus, e com sua ficha técnica inferior a do iPhone X. Com essas características, pretende atrair olhares e compradores de todos os cantos do mundo. Quer ficar por dentro do que mudou e ver todas as novidades do sistema? Então venha conferir o nosso artigo.

Novidades:

O nível de qualidade e resistência foi aumentado. O novo iPhone 8 tem o vidro mais resistente (tanto na frente, quanto atrás) já usado em um smartphone.

A moldura é da mesma cor, feita totalmente de alumínio aeroespacial. Novos acabamentos em cinza espacial, prateado e dourado.

Resistência à água: O novo iPphone é altamente desenvolvido com precisão, contra água e respingos, ou qualquer tipo de poeira que possa danificar o seu aparelho.

Câmera:

A Câmera traseira é de 12 MP, com lentes grande-angular e teleobjetiva.

Câmera frontal de 7MP.

Zoom digital e óptico até 10x.

Iluminação de Retrato.

Modo retrato.

Flash Quad- LED

Resolução de vídeo de 2160P (4K)

Bateria:

Bateria de Li-Ion (Que não poderá ser removida)

Carregamento sem fio.

Duração de até 14hrs em 3G.

(O carregador sem fio é vendido separadamente)

Cores:

O iPhone está disponível em três lindas cores: Cinza espacial, dourado e prata.

O iPhone 8 é levemente maior e mais pesado do que o lançado anteriormente pela Apple (iPhone 7) com dimensões de 138,4 x 67,3m x 7,3m e peso de 148 gramas. Ou seja, não é muito grande e nem muito pequeno, e leve. Mas para os fãs mais antigos da Apple, podem ficar tranquilos: Diferente do iPhone X, o iPhone 8 mantém o botão home abaixo da tela.

Desempenho:

O iPhone 8 contém o processador A11 Bionic. Segundo o fabricante do celular, o smartphone é até 70% mais rápido que o iPhone 7, que tem o seu processador de A10. Ou seja, o deslizamento nas mãos do usuário será presente, e será praticamente livre de travamentos. É uma boa escolha para os amantes de jogos.

Armazenamento:

Neste, o comprador terá só duas opções de armazenamento: 64GB ou 256 GB. Segundo a Apple, aqueles aplicativos que já vêm introduzidos no iPhone foram compactados, para que ocupassem menos espaço no dispositivo, e usarão menos de 200MB do total de Gigas.

Com essa atualidade, o usuário não terá problemas ao baixar apps, tirar e armazenar fotos e vídeos, salvar e comprar músicas, principalmente se atualizar serviços de nuvem adicionais.

IOS

O sistema operacional do iPhone será o IOS 11. Com esta atualização no seu iPhone 8 ou em qualquer outro iPhone que receba as atualizações, o comprador poderá disfrutar de artifícios como gravador de tela, Siri mais rápida e que permite edição de fala quando ela entender alguma coisa errada, facilitação do uso do celular em ambientes escuros, além da alteração do teclado, que facilitará a digitação com uma só mão, se caso for necessário.

A loja da App Store também será repaginada, com novo visual e estrutura.

Preço

O preço estimado será de US$699 dólares para a versão de 64GB (por volta de 2.200 reais, sem impostos) e US$849 dólares para a versão de 256GB (por volta de 2.660 reais). Com adição de imposto deve elevar o valor e deixá-lo ainda mais salgado. É importante lembrar que o iPhone 7 chegou ao Brasil custando 4.299 reais, com 256GB.

Para mais informações e notícias sobre o iPhone 8 e todos os produtos da Apple acesse https://www.apple.com e confira.

Por Gabriel Pierini

iPhone 8


Saiba aqui como gravar a tela de seu iPhone.

O iPhone disponibilizou recentemente um novo recurso, isto é, a partir de agora é possível que o usuário grave a tela do seu celular enquanto mexe. Desse modo, ao que parece, o mecanismo pode ser considerado ainda mais eficiente que o print.

Se o leitor possui um iPhone e ficou interessado em como colocar o dispositivo para gravar a tela, não deixe de conferir as informações abaixo, pois podem ser de grande auxílio.

Se antes para conseguir dar instruções ou mostrar algum conteúdo midiático era necessário fazer inúmeros prints da tela, a partir de agora, para quem possui o aparelho celular iPhone, isso virou passado. Isso porque foi desenvolvido um modo bem mais prático para realizar esse tipo de tarefa, isto é, o aparelho celular possui um mecanismo que permite gravar de forma automática tudo aquilo que o usuário está fazendo no display.

Sabe-se que essa ferramenta começou a aparecer inicialmente no final do ano passado, em um smartphone da Apple, juntamente com a atualização do iOS de 2017. A partir disso, obviamente, o mecanismo tornou-se bastante popular entre os usuários, uma vez que passou a ser muito mais fácil utilizar esse recurso, com o intuito de promover tutoriais ou, até mesmo, mostrar a alguém o que está acontecendo em seu display.

Geralmente, quando se anuncia novidades tecnologicas envolvendo especialmente smartphones, é bastante comum que as pessoas desenvolvam dois tipos de sentimentos: a vontade de começar logo a se beneficiar da tecnologia, assim como o medo de encontrar dificuldades na hora de realizar o seu uso. No entanto, não é esse o caso do iPhone, já que a Apple prometeu que seria muito simples para os usuários conseguirem pegar o jeito e para mostrar que eles não estavam mentindo, resolvemos dar algumas dicas e o passo a passo de como usar a nova ferramenta.

Para começar, primeiramente o usuário do smartphone precisa adicionar o recurso que permite gravar a tela. Para isso, é necessário ir na central de controle do iPhone. Para quem não sabe, estamos falando daquela janela que se abre quando passamos o dedo nas bordas do celular, no sentido de baixo para cima e, dessa forma, é possível identificar inúmeros outros recursos como modo-avião, wi-fi e brilho.

Em seguida, assim que for aberto os ajustes do aparelho e for acionada a área de Central de Controles, o usuário precisa se direcionar para a parte de personalizar controles. A seguir, é preciso acionar o recurso denominado ''gravação de tela'' e, logo depois, clicar no símbolo de adição ''+'' que o ocupa o lado esquerdo da tela.

Depois que esses recursos forem acionados, a ferramenta está pronta para ser utilizada. Como foi ressaltado anteriormente, é um processo que apresenta poucas dificuldades. Vale salientar ainda que para se certificar do funcionamento do aplicativo, basta apenas que apareça um ícone, representado por uma bolinha, bem ao meio da parte central de controle.

Então, a partir disso, para poder fazer o uso dessa nova ferramenta, é preciso apenas abrir a central de controle do celular e dar um clique no ícone redondo, que representa o sinal de gravação de tela. Sendo, contado três segundos, tudo que for realizado no iPhone passará a ser gravado.

Assim quem desejar parar a gravação, basta fazer o mesmo procedimento, isto é, voltar na Central de Controle do celular e clicar mais uma vez no ícone redondo. Dessa forma, o vídeo salvo fica na Galeria de Fotos, onde pode ser editado e posteriormente compartilhado, assim como é feito com vários outros vídeos e até mesmo fotos.

Ana Paula Oliveira Coimbra


O modelo está previsto para ser lançado no Brasil no dia 1º de dezembro e as vendas iniciam em 8 de dezembro.

O iPhone X é um dos lançamentos mais esperados neste final de ano, pois o novo smartphone da Apple é apontado como o melhor já produzido pela empresa e mesmo quem não vai comprar um, fica ansioso para saber quais são as novidades que a empresa trará desta vez.

De acordo com o portal MacMagazine, a data de lançamento no Brasil será no dia 1º de dezembro, mas as vendas começariam apenas no dia 8 do mesmo mês. E não é por acaso que esta data foi escolhida, pois a intenção é aproveitar as boas vendas no final do ano, pois mesmo com o país em crise e os muitos desempregados, dezembro é sempre o melhor mês para o comércio e ter o iPhone X nas lojas no próximo mês, é uma forma da Apple garantir boas vendas.

O portal MacMagazine é famoso por sempre antecipar os lançamentos da Apple, por isso a informação tem recebido crédito e os consumidores que pretendem garantir o seu já podem ir preparando o bolso, porque não será um modelo barato. A Apple já revelou os preços de duas versões do seu novo smartphone e o valor assuntou muita gente, pois a versão com 64GB de espaço para armazenamento internet custará R$ 6.999,00 enquanto a outra versão, com 256GB de armazenamento sairá por R$ 7.799,00. Quem optar por pagar à vista, ganha um desconto de 10%, porém, como o país vive um momento difícil e 2018 promete não ser nada fácil, a maioria dos compradores deverá optar mesmo é pelo parcelamento.

A previsão é que outros 14 países comecem a receber o iPhone X no mês de dezembro, porém, será mais para o final do mês. A Apple lançou o modelo no mês de setembro, juntamente com os iPhones 8 e 8 Plux, porém é o 'X' que mais chama a atenção, por causa de sua configuração avançada. Cinco países já vendem o novo smartphone da Apple, sendo que nos Estados Unidos é possível adquiri-lo por US$ 1 mil, o preço mais alto já cobrado por um iPhone no país. Apesar da excelente configuração do aparelho, a venda no Brasil deverá ficar abaixo do esperado, devido à crise que o país atravessa e o alto preço cobrado.

Gastando muito menos, é possível comprar hoje, um smartphone top de linha, com ótimo espaço para armazenamento, câmera de excelente qualidade e configuração capaz de rodar com agilidade até os aplicativos mais pesados. A concorrência nunca atrapalhou tanto os negócios da Apple no Brasil, como vem acontecendo agora.

Mas aqueles que se dispuserem a pagar pelo iPhone X, poderão contar com uma série de novidades, por exemplo, a tela ocupa toda a parte frontal do smartphone, deixando o aparelho com um aspecto futurístico. A tecnologia de tela OLED deixa o preto mais profundo, garantindo mais brilho e melhor qualidade de imagem. Tem ainda o desbloqueio por reconhecimento facial, que é possível graças ao conjunto de câmeras e sensores.

Ter um iPhone em mãos é poder contar com o que há de mais moderno no mundo dos smartphones, mas certamente o consumidor irá pesar o custo x benefício, para saber até quando vale a pena pagar um valor alto, principalmente se comparado com os outros modelos que estão sendo comercializados por aqui. A Samsung, por exemplo, tem smartphones excelentes, com uma configuração de ponta, com preço muito mais em conta.

Só que o iPhone X já chega forte ao mercado, o marketing utilizado em seu lançamento fez questão de mostrar seus diferenciais e colocar o aparelho à frente de tudo que existe hoje e isto certamente atrai o comprador que busca o que tem de melhor no momento.

Por Russel

iPhone X


A Apple lançou seu novo smartphone comemorativo. Confira os detalhes e a ficha técnica.

No último dia 12 de Setembro a Apple lançou sua nova linha de iPhones, a principal novidade sem dúvida é o iPhone X, lançando justamente para comemorar o décimo ano de vida de um dos produtos que revolucionaram o modo e a forma que pensamos em telefonia hoje.

Comemorando em seu melhor estilo

Mesmo apresentando recursos já existentes por outras grandes marcas, o grande mérito do iPhone X é propor melhorias nas tecnologias já existentes, até ao ponto de reinventá-las, fazendo dele e da marca da maçã novamente referências no mercado de tecnologia.

Os diferenciais do iPhone X

Listamos abaixo os principais diferencias anunciados:

1. Realidade aumentada

A Apple aposta no conceito de realidade aumentada, com tela sem botões físicos, associado ao conceito de tela infinita, sem falar no fato de ter todos estes recursos interagindo em um único aparelho à disposição do usuário.

2. 5,8 polegadas

O iPhone X conta com uma tela grande de 5,8 polegadas, e isto não foi proposto à toa, com a tecnologia Super Retina Oled e uma ótima ergonomia na empunhadura, o iPhone X não aparenta ser um ‘’trambolhão’’.

3. Preço alto

Preço também é um diferencial, mesmo que seja negativo para alguns e positivos para outros, a Apple lançou seu produto por US$ 999,00, o preço mais alto da história de seus smartphones já lançados, para o Brasil o preço também será bem salgado.

4. Carregamento sem fio

Mobilidade e praticidade para carregar seu smartphone, é isto que promete a Apple com a tecnologia de carregamento sem fio, já presente nos modelos iPhone 8 e iPhone 8 Plus, o usuário também contará com novos acessórios para carregamento como o Air Power, um tapete que pode carregar diversos aparelhos Apple no mesmo lugar.

5. Reconhecimento de Rosto

Para desbloquear o aparelho bastar olhar para ele, graças a um aplicativo Face ID, desenvolvido pela Apple.

6. Animojis

O conceito divertido de emojis foi muito bem tratado no iPhone X, graças à tecnologia de reconhecimento facial, você pode gravar e interagir com as pessoas em sua volta com os ‘’animojs’’, usando imagens e sons.

Principais características técnicas:

– Equipamento levíssimo pesando apenas 174 gramas.

– Suas dimensões são 7,7 milímetros por 70,9 milímetros por 143,6 milímetros respectivamente.

– Versões com armazenamento de 64Gb e 256Gb.

– Disponíveis nas cores prata e cinza espacial.

– IOS versão 11, como sistema operacional.

– Tela Super Retina HD OLED de 5,8 polegadas com recursos de 3D Touch, além de 2436 por 1125 pixels como resolução.

– O iPhone X conta com duas câmeras, uma traseira de 12 megapixels e outra dianteira de 7 megapixels, flash em Quad-LED, além de novos recursos de estabilização de imagem, autofoco, detecção de corpo e rosto e abertura de lentes de +f/22.

– Gravação de vídeos em 4k, Full HD e modo slow motion em 240 fps, suporte a tecnologia HDR, Dolby Vision e HDR10.

– Processador de nova geração Apple Bionic A11com 64-bits.

– Wirelles WiFi 802.11 e Bluetooth, além de GPS.

Preços para Lançamento

A estimativa é que chegue ao mercado norte-americano a partir de 3 de Novembro próximo, custando em sua versão de entrada de 64 Gb, US$ 999, caso o consumidor faça questão de mais espaço, ele pode optar pela versão de 256 Gb, por US$ 1.149.

E no Brasil?

Sem previsões no momento, a Apple não relacionou o país no lançamento do produto para receber o iPhone comemorativo, porém com base em uma simples conversão da moeda norte-americana para as cotações atuais, é fácil supor a venda dele aqui acima dos R$ 5.000,00, pelo menos.

Por Carlos B.

iPhone X

iPhone X

Fotos: Divulgação


Confira as características e preços do novo iPad da Apple.

Para quem estava ansioso com as últimas tendências de tecnologia em iPad da Apple vem aí uma novidade. A empresa Apple divulgou recentemente o lançamento do “iPad” 2017, sendo que o aparelho possui tela retina com 9,7 polegadas e brilho maior que o seu antecessor. Ele vem com chip A9 de 64 bits, além de bateria econômica, câmera traseira e frontal com tecnologia HD, e sensor de toque, Touch ID.

O iPad versão 2017 chegou às lojas no dia 24 de março de 2017, nos Estados Unidos e em outros países da Ásia e da Europa. Todavia, o iPad 2017 só chegará ao Brasil a partir do mês de maio de 2017.

Em relação às cores, o modelo é ofertado em cor prata, dourada e cor cinza. Os preços serão atrativos, cerca de US$ 329 pelo modelo com Wi-Fi de 32 Giga Bytes e US$ 459 pela versão com Wi-Fi e celular de 32 Giga Bytes também. A novidade é que será lançado um modelo do iPad com 128 Giga Bytes, acrescido de apenas mais US$ 100. A Apple também comercializará capas em várias cores, de poliuretano para o iPad por apenas US$ 39, nos Estados Unidos.

Enquanto isso no Brasil, os preços do produto já foram anunciados: custará cerca de R$ 2.499 pela versão 2017 do iPad com sistema de Internet Wi-Fi com 32 Giga Bytes, e R$ 3.199 pela versão com Wi-Fi e celular também de 32 Giga Bytes. Os iPads de 128 Giga Bytes custarão R$ 500 a mais. No nosso país os preços são mais salgados.

Já em relação ao processador, a Apple realizou um upgrade no modelo 2017 do iPad. O aparelho vem com o chip A9 de 64 bits, igual ao dos smatphones tipo iPhones, modelos 6S e SE. Ademais, a bateria durará cerca de dez horas de uso ininterrupto.

Corra para adquirir o seu!

Por Anneliese Gobbes Faria

iPad 2017


Aprenda aqui como tirar print da tela no iPhone.

Seja para guardar uma conversa ou uma página que se deseja visitar mais tarde, a função “captura de tela” ou "tirar o print”, como é conhecida, é muito funcional.

A imagem da página será guardada como uma foto e salva como um arquivo de imagem. Com esse formato poderá ser compartilhada por meio de outros aplicativos e até mesmo ser impressa. Esse recurso existe nos smartphones da Apple desde sua versão 4S e a funcionalidade não foi mais retirada dos aparelhos.

O screenshot pode ser obtido em qualquer versão do iPhone seguindo o mesmo procedimento padrão, o que facilitou muito a disseminação da informação e da prática entre os usuários. O recurso não é utilizado somente para compartilhamentos, mas também para o arquivamento de informações importantes como comprovantes de pagamento, contratos e informações comerciais.

A impressão do arquivo da captura de tela segue a mesma regra da impressão de fotos e a qualidade da imagem será semelhante a obtida usualmente com as imagens.

Para que a captura de tela seja efetuada, o procedimento é bastante simples. A tela desejada deve estar como imagem principal (se estiver aberta em uma janela secundária a ação não será completada) e os botões “Home” e “ligar/desligar” devem ser acionados ao mesmo tempo.

O botão “Home” é o botão principal da parte inferior do aparelho. Já o “ligar/ desligar” fica na lateral direita da maioria dos modelos. O movimento, apesar de aparentemente complicado, pode ser conseguido facilmente.

Basta segurar o celular com a mão direita e, com o polegar acionar o botão do meio (Home) e com o dedo indicador, acionar o “ligar/desligar”.

Caso a captura de tela tenha sido realizada com sucesso, um pequeno clique será ouvido e uma mensagem será exibida na tela. O som é o mesmo de quando uma foto normal é tirada.

A partir daí, o novo documento estará disponível na parte inicial do “Rolo da câmera”, na mesma pasta onde as fotos que são tiradas pela câmera do celular estão arquivadas.

Esse documento poderá ser compartilhado da mesma maneira que uma fotografia comum, por meio de aplicativos e redes sociais.

ANA CAROLINA HADDAD


Rumores sobre as características do Samsung Galaxy Note 7 alfinetam a Apple.

“Sabe com o que mais o Galaxy Note 7 vem? Com uma entrada para áudio. Só falando”. Essas são as palavras que o vice-presidente de marketing da Samsung, Justin Denison, pronunciou em um evento promovido pela gigante Sul Coreana o Galaxy Unpacked 2016, que vieram acompanhadas de risos da plateia.

Rumores a respeito do próximo smartphone da gigante de Cupertino circulam desde o lançamento do iPhone 6s, como o de que o novo smartphone será dual sim, de que terá duas câmeras traseiras, etc…. Mas o que mais gerou polêmica foi que a Apple abandonara as entradas de áudio para fones de ouvido em seus tão aguardados smartphones, este rumor causou algumas reclamações de simpatizantes da empresa.

Claro que uma empresa como a Samsung não deixaria de aproveitar a oportunidade para poder dar aquele cutucão em sua concorrente, com este tipo de piadinhas, mas a Apple é referência há muito tempo em abandonar este tipo de tecnologia que com o passar dos anos vão ficando obsoletas.

Mas é bom frisar que a poderosa Samsung vem sendo acusada a um bom tempo de copiar os produtos e até mesmo as lojas da Apple. Em 2014 a Samsung foi condenada a pagar uma indenização de US$119,6 milhões de dólares por ter copiado duas patentes de hardware da Apple.

Não se pode negar que nos últimos tempos principalmente o designer dos novos smartphones da Samsung lembram os da Apple, principalmente as marcações de antenas já conhecidas nos iPhones há um bom tempo, os furinhos na parte de baixo que são para saída de som dos alto-falantes, também evidentes que foram copiados, o designer arredondado dos aparelhos, enfim um monte de coisas.

Bom também frisar que quando o iPhone foi lançado alguns representantes de empresas disseram que o mesmo não iria vingar, pois ninguém trocaria o teclado físico, por um digital, entretanto, o iPhone foi um sucesso, e até os dias de hoje é cobiçado por pessoas de várias partes do mundo, e não é à toa que as mesmas empresas adotaram tecnologias similares as do iPhone em seus smartphones, um bom exemplo é a citada empresa Samsung que até um leitor de digitais colocou no Galaxy S5. Agora fica a pergunta: “Até onde vai esta batalha das empresas?”, isso é algo que veremos futuramente com os lançamentos dos aparelhos.

Por Denisson Soares

Galaxy Note 7


Negociações estariam sendo realizadas para que a Apple adquira o Tidal, serviço de streaming de músicas.

Quando o tema é celular e inovação os mais interessados e entendidos no assunto logo pensam em Apple, uma das maiores multinacionais norte-americanas do ramo de eletrônicos e softwares de computador, e a cada lançamento as expectativas de que algo revolucionário virá ao mercado são sempre grandes.

A Apple para conseguir mais usuários e se manter firme diante da concorrência estaria fazendo negociações com os responsáveis da Tidal, um serviço de Streaming de música lançado em 2014 pela companhia sueca e propriedade do rapper e empresário Jay Z, Aspiro. A ideia é que seu serviço seja integrado a Apple Music, mas em que exatamente implicaria tal compra?

Se a gente pensar bem, existe um sentido para que essa parceria seja almejada pela empresa da maçã, já que seria um fortalecimento para continuar competindo com seu maior rival, Spotify. A Apple Music tem como estratégia ajudar os artistas a criar conteúdo em troca de sua exclusividade, segundo Lary Jackson, responsável pelo conteúdo original da própria. A mesma bandeira é levantada pelo Tidal, que sempre destacou a questão do conteúdo exclusivo.

Todos sabemos que artistas consagrados atualmente como Drake tenham aceitado o apoio da Apple Music para criar conteúdos, muitos deles estão começando a ver o serviço da empresa como uma ferramenta que os ajuda a fazer coisas que de outra maneira não poderiam fazer.
A relação que a Apple Music está estabelecendo com os artistas é a ponte que precisava para crescer ainda mais com a aquisição do Tidal.

É interessante destacar aqui que o Tidal se diferencia pelo seu serviço de áudio digital em alta definição a 44 kHz, 16 bits e bit rate de 1411 kbps (FLAC eALAC em dispositivos iOS) enquanto outros serviços oferecem qualidade mais baixa, no máximo 320kbps.

A prioridade da empresa da maçã no momento é se fazer cada dia mais relevante em todos os seus âmbitos, e a integração com o Tidal também garantiria maior estimativa de inscritos (hoje o Tidal tem em média 4 milhões de inscritos enquanto o Spotify conta com cerca de 100 milhões), uma aposta inteligente para as duas partes.

Veremos como terminam as supostas negociações!

Por Ana Luiza Suficiel

Tidal


Norte-americano abre processo contra a Apple acusando a empresa de ter copiado design de seu aparelho.

Um homem que reside atualmente no Estado da Flórida, na região sudeste dos Estados Unidos, moveu uma ação judicial contra a Apple alegando que a empresa infringiu direitos autorais ao “roubar” uma invenção realizada por ele no longínquo ano de 1992.

Thomas S. Ross, responsável pelo processo contra a multinacional, afirma que a organização teria furtado a sua ideia e invenção que leva o nome, na tradução para a língua portuguesa, como Dispositivo Eletrônico de Leitura (com sigla americana de ERB). Este, basicamente, consistia em um leitor de mídia que aparentava semelhanças físicas com o que hoje conhecemos como smartphones, com uma tela grande na frente e botões pequenos na parte inferior, cabendo na palma de uma mão.

Levando isso em conta, conforme Thomas, o mesmo projeto teria sido utilizado pela Apple na criação dos iPhones e, posteriormente, nos iPods e iPads, com design igual ao projetado para o ERB. Em relação a esta história e segundo dados do site The Telegraph, por este motivo o criador estaria pedindo uma indenização no valor de US$ 10 bilhões, o que equivale a R$ 33 bilhões, além de royalties de 1,5% sobre as vendas futuras do aparelho, o que geraria lucros de US$ 3,5 bilhões por ano.

Apesar das semelhanças da invenção com os celulares atuais, foi divulgado, entretanto, que Ross não teve suas patentes aprovadas após o descumprimento da lei ao não pagar as taxas necessárias para a sua admissão, acarretando em abandono de pedido três anos após a sua projeção, em 1995.

Este fato, porém, atrapalha a comprovação de que a Apple realmente teria utilizado ideias que eram dele, uma vez que isto não pode ser legalmente comprovado. Tais fatos, por outro lado, não frearam Thomas de continuar com a ação judicial, com pedido de julgamento por júri após ter adicionado os desenhos originais ao processo para provar a sua versão.

Ainda não se sabe aonde a história vai dar, mas é difícil acreditar que o homem vença o duelo, uma vez que nenhuma de suas invenções chegou a ser criada, ficando somente no papel. Resta aguardar os próximos capítulos.

Kellen Kunz


Nova versão do Serviço de Suporte ao Consumidor da Apple é lançado no Brasil.

Os norte-americanos que compram um iPhone acabam por ganhar uma série de vantagens que acaba por trazer uma enorme tranquilidade aos usuários, visto que a Apple dá todo o suporte possível aos usuários. Entre os destaques, temos o Programa de Upgrade de iPhones, que permite ao usuário trocar seu iPhone antigo por um modelo mais novo, ainda fazendo parte do Apple Care+, que garante um ''seguro'' ao aparelho em caso de queda, danos por água e outros inconvenientes. Agora, este último serviço está chegando ao Brasil.

Resumidamente o AppleCare+ é um serviço oferecido pela Apple, uma garantia estendida que pode ser comprada pelo usuário em no máximo 2 meses, ou 60 dias. Após a compra do dispositivo móvel, garantindo 2 anos de garantia convencional e também fazendo parte do seguro contra acidentes envolvendo o aparelho, podendo trocá-lo até duas vezes. A troca ocorre sem nenhum tipo de cobrança por parte da Apple.

Entretanto, este interessante e útil serviço não estava disponível em solo nacional, entretanto, ao que parece segundo informações do site MacMagazine, a Apple Brasil está realizando a troca de aparelhos que possuem suporte ao AppleCare+ sem nenhum tipo de problema aparentemente.

Em outras palavras, o serviço está disponível no Brasil, porém, existe um ''mas'' nisso tudo. O AppleCare+ não é vendido no Brasil, o que quer dizer que caso você possua um iPhone e tenha interesse em comprar a garantia estendida com seguro, será necessário importar o serviço.

Vale salientar que você somente pode comprar o AppleCare+, caso seu iPhone tem menos de 60 dias de uso, ou 2 meses, fazendo com que apenas consumidores que tenham acabado de adquirir o dispositivo possam comprar o serviço, diferente do que acontece com outros produtos da Apple, onde a garantia pode ser comprada em até 12 meses após a data de compra.

Embora a garantia ainda não esteja à venda no Brasil, sendo necessário importá-la, o fato da Apple Brasil estar aceitando trocar aparelhos de usuários que possuem o serviço, porém, localizado em outro país, indica que em breve de fato a empresa da Maçã deve trazer o serviço para o Brasil.

Nos Estados Unidos, o AppleCare+, é vendido por US$ 99 para o iPhone SE e por US$ 129 para iPhone 6s e 6s Plus ou superior.

Maria Luiza Mazzo


Modelo apresenta tela de 4 polegadas.

A grande e renomada fabricante de smartphones, tablets, notebooks e aparelhos eletroeletrônicos Apple realizou um evento nesta última segunda-feira, dia 21 de março de 2016. A finalidade do evento realizado foi fazer a apresentação oficial do mais novo smartphone da marca, o qual foi batizado com o nome de iPhone SE.

O iPhone SE retornou às origens , uma vez que foi desenvolvido com uma tela de apenas 4 polegadas, tamanho este que vai de encontro com o tamanho de tela apresentado pelos principais lançamentos da atualidade.

A chegada desse novo smartphone, além de atender a um público que sempre quis um aparelho com tela menor, também irá aposentar o iPhone 5C, modelo que infelizmente não fez tanto sucesso quanto era esperado pela companhia.

Este novo aparelho teve a sua estrutura confeccionada em alumínio e possui bordas retas, diferentemente do que ocorre com os outros aparelhos recém lançados da marca, o iPhone 6 / 6 Plus e o iPhone 6S / 6S Plus.

Mesmo tendo um tamanho reduzido, o iPhone SE é tão poderoso quanto como o iPhone 6S, uma vez que o smartphone vem equipado com o novo processador Apple A9 de 64 bits, bem como com o co-processador M9, fatores estes que fazem com que este novo dispositivo obtenha a mesma performance do iPhone 6S e um desempenho dobrado em relação ao iPhone 5S.

Segundo as informações divulgadas pela fabricante neste evento, o iPhone SE também foi contemplado com o aprimoramento de sua bateria em comparação com a bateria que foi utilizada no iPhone 5S, o que fez com que o aparelho consiga ter uma maior autonomia na duração das ligações, na exibição de vídeos, navegações conectado ao WiFi, navegações conectadas ao 4G e 3G, bem como melhorias em outros aspectos gerais.

A câmera trazida por este novo iPhone é de 12 megapixels e possui a presença de um novo sensor chamado iSight, o qual, segundo a Apple, irá permitir com que os consumidores tirem fotografias nítidas e com detalhes realmente incríveis.

A pré-venda do iPhone SE terá início a partir do próximo dia 24 de março, contudo o lançamento oficial do dispositivo ficou marcado para ocorrer no dia 31 de março, sendo que neste primeiro momento o smartphone só será disponibilizado para os consumidores dos seguintes países: Canadá, China, Austrália, França, Alemanha, Hong Kong, Nova Zelândia, Japão, Cingapura, Porto Rico, Reino unido e Estados Unidos, todavia a fabricante garante que irá se esforçar para inserir este novo aparelho para outras localidades devendo chegar a até 110 país já no final do mês maio.

Por Adriano Oliveira

iPhone SE

Foto: Divulgação


Apple disponibilizou uma atualização que corrige o erro 53 dos iPhones. Este erro inutilizava os iPhones 6, 6S, 6 Plus e 6S Plus quando estes eram consertados em assistência técnica terceirizada.

Nas últimas semanas, dois erros graves no iOS chamaram a atenção da mídia e incomodaram os usuários. O erro no calendário no iPhone, que faz com que, quando a data é alterada para 1º de Janeiro de 1970, o smartphone simplesmente trave e o ''erro 53'', que inutiliza os iPhones 6, 6S, 6 Plus e 6S Plus, após os usuários levarem os modelos em questão para um conserto de terceiros.

Agora, finalmente, a empresa da Maçã disponibilizou uma atualização para corrigir este último erro, que, segundo anteriormente a empresa, era para proteger os iPhones de falsificações e fraudes no Touch ID do dispositivo, porém, agora a empresa voltou atrás e ao site TechCrunch afirmou que o ''erro 53'' nada mais se trata do que um erro da própria empresa, já que tal erro seria voltado apenas para smartphones que estão prestes a sair de fábrica.

O erro aparecia aos usuários após levar seu dispositivo para a assistência técnica não certificada pela Apple, e, ao trocar o botão ''Home'', atualizando para uma versão mais recente do iOS, o aparelho simplesmente travava ou até mesmo não funcionava mais.

Com a atualização, agora é possível restaurar os seus dados usando o iTunes no MAC ou no PC convencional. A empresa também aproveitou para pedir desculpas aos usuários, já que tal falha não poderia de forma alguma, ter atingido os usuários. Ainda ao site TechCrunch, a Apple afirmou que caso algum usuário tenha recorrido a assistência técnica de terceiros, novamente, para tentar ''salvar'' seu smartphone, o mesmo deve contatar a empresa para que haja um reembolso do valor gasto com o ''erro 53''.

A falha gerou revolta na WEB nas últimas semanas, embora alguns usuários ainda tenham se postado a favor da empresa, por acreditar, na época, que tal erro seria uma forma de proteger os usuários de terceiros que se utilizam de peças remodeladas ou falsas como se fossem novas e originais para consertar o seu iPhone, porém, a grande parte dos usuários se mostrou contrária ao possível fato da empresa querer ''proteger'' seus usuários, já que acaba por tirar a liberdade dos mesmos de alguma forma.

Por Isis Genari

iPhone 6

Foto: Divulgação


iPhones 64 bits podem se tornar inutilizáveis caso o usuário mude a data do calendário para o dia 1º de janeiro de 1970.

Recentemente, uma modificação feita pela Apple no iPhone, torna os dispositivos daqueles que levarem o smartphone ao conserto por meio de terceiros, inutilizável, o que gerou revolta entre muitos usuários e pode inclusive, gerar um processo a empresa. Agora, outro problema no iPhone vem causando repercussão na WEB, um erro, no mínimo, curioso.

Os modelos do iPhone 64 bits, podem simplesmente se tornar inutilizáveis caso o usuário mude a data do calendário para o dia 1º de janeiro de 1970, há mais de 46 anos atrás, ou seja, se você possui o aparelho da Apple com 64 bits e mudar a data de seu dispositivo para essa, simplesmente não poderá mais usar seu iPhone, um erro simplesmente inexplicável.

O erro no sistema foi descoberto por um usuário do Reddit, que descobriu o problema e decidiu divulgar. Vale lembrar que os iPhones com 64 bits ou processador Apple A7 ou superior, são o iPhone 5s ou superior. O erro acontece quando o dispositivo é reiniciado, gerando uma falha fatal para o iOS, que simplesmente se torna inutilizável, não saindo de uma tela de inicialização, jogando todo o alto investimento feito pelo usuário no aparelho, no lixo.

Ainda não há qualquer tipo de solução para o problema, embora é até provável que a Apple acabe por solucioná-lo. A boa notícia é que, provavelmente, poucas pessoas acabaram por modificar a data atual de seu iPhone por essa, ou seja, é provável que alguns usuários tenham sido atingidos pelo erro após a curiosidade em mudar a data do seu aparelho logo para esse dia, mas certamente, é um grupo pequeno de usuários.

O grande problema, porém, é a possibilidade de hackers se utilizarem das falhas paras simplesmente prejudicar os usuários, por pura diversão, visto que ao ser conectado com uma rede Wi-Fi, o sistema verifica a hora e a data atual do local onde o usuário se encontra, porém, tal verificação é feita através de um servidor NTP e que caso seja invadido e tenha suas informações alteradas, pode acabar por prejudicar todos os usuários conectados a rede, visto que uma fraude poderia fazer com que o servidor modificasse a data atual para 1º de janeiro de 1970.

Existe a possibilidade da Apple corrigir o problema já no iOS 9.3, que será lançado em breve, porém, não há nenhuma informação oficial a respeito.

Por Isis Genari

Erro calendário iPhone

Foto: Divulgação


Consertos realizados por terceiros apresentam o Erro 53, que apaga todos os arquivos dos smartphones dos usuários.

Diversos usuários que levaram recentemente o seu iPhone 6 e 6 Plus ao conserto realizado por terceiros aparentemente acabaram por perder seus aparelhos, isso graças a um ''erro 53'', que apaga todos os arquivos do smartphone do usuário.

As reclamações são referentes a consertos realizados no Touch ID ou no cabo flat, desde que não realizados pela Apple, recebendo uma mensagem de erro após instalarem o iOS 9 em seus dispositivos. Após a atualização, os usuários perdem desde fotos, vídeo e jogos, a até os contatos de seu smartphone, que tem absolutamente todos seus dados apagados, aparentemente, pelo sistema da Apple.

Segundo relatos, o iOS 9 procura por componentes e peças que não sejam originais no corpo do dispositivo e quando o sistema os encontra, acaba por apagar e inutilizar o aparelho, o que deve causar uma enorme dor de cabeça nesses usuários, visto o grande valor cobrado para se adquirir um dos produtos da Apple, no caso do iPhone 6 e 6 Plus.

A situação, aliás, vem causando enorme revolta entre esses usuários, graças ao fato da empresa não ter notificado usuários ou terceiros que trabalham com o reparo de dispositivos da empresa, de que a partir de agora tais mudanças nos componentes não seriam mais possíveis.

O que se imagina, é que a empresa tomou uma medida sem avisar seus usuários, para forçá-los a optar pela empresa na hora de levar seu smartphone para o conserto, inibindo que terceiros possam ter acesso aos componentes do dispositivo.

Por outro lado, a mudança não é completamente repreendida pelos usuários, visto que muitos alegam que já tiveram problemas ao levar seu iPhone ao conserto de terceiros, que, por vezes, acabam por utilizar peças usadas nos smartphones para realizar o conserto, peças retiradas de iPhones com defeito e vendidas na Internet, sem consciência do consumidor, que acreditava ter recebido uma nova peça em seu iPhone.

A Apple já se pronunciou sobre o caso, respondendo o ''The Guardian'', que divulgou a notícia e disse que o motivo é exatamente o conserto feito por terceiros, e que os usuários que se deparem com esse erro, deve entrar em contato com a empresa. Ainda não se sabe, porém, se outras versões do iPhone ou outros dispositivos da Apple, estejam passando pelos mesmos problemas após o conserto de terceiros.

Por Isis Genari

iPhone 6

Foto: Divulgação


A Apple deixou de assinar a versão iOS 9.2 para todos os seus dispositivos móveis. Com isso, os usuários não poderão mais fazer o downgrade e retornar à versão anterior do sistema.

No dia 4 de fevereiro, a Apple deixou de assinar a versão anterior do iOS 9.2.1, o iOS 9.2, para todos seus dispositivos móveis, iPhone, iPad e iPod Touch. Tal mudança faz com que os usuários dos aparelhos da Maçã não possam mais fazer o downgrade e retornar à versão anterior do sistema, o que poderia ser feito pelo iTunes até então.

A notícia já era esperada, visto que a Apple faz um grande esforço para manter todos seus usuários com a versão mais recente do sistema, não somente por questões de segurança, já que cada atualização conta com correções de bugs e erros no sistema, mas também pelas atualizações no sistema acabarem por dar um pequeno ''upgrade'' nos dispositivos, tornando-os muitas vezes, mais rápidos e otimizados do que nas versões anteriores do sistema. Além, é claro, do fato de cada atualização contar com novos recursos para os usuários, além de facilitar a vida dos desenvolvedores de apps.

A mudança deve ter um impacto um pouco maior, entre aqueles que utilizam o jailbreak em seu dispositivo, uma espécie de desbloqueio do sistema da Apple que garante aos usuários poder instalar aplicações provenientes de terceiros em seu aparelho.

Porém, como existem diferenças mínimas entre ambas as versões do sistema, a mudança acaba por não ser tão impactante assim, mesmo para esses usuários, já que a última versão do iOS conta muito mais apenas com correções de erros e pequena otimização no desempenho do sistema da Apple, do que novas funções ou grandes mudanças no SO.

Outro fato que faz com que a impossibilidade do downgrade não seja preocupante para os usuários é que a última versão do iOS não apresentou grandes problemas ou erros após seu lançamento, e, inclusive, o fato da Apple não assinar mais a versão anterior do sistema, mostra que, provavelmente, na visão da empresa, o sistema atual é estável o suficiente para manter os usuários na última versão do iOS.

A Apple atualmente está trabalhando na próxima versão do iPhone, que chega a sua sétima geração e esse sim, deve contar com grandes e importantes novidades para os usuários, e informações a respeito do dispositivo devem ser liberadas em breve.

Por Isis Genari

iOS 9.2

Foto: Divulgação


A Apple pretende lançar aplicativos para o Android e um forte candidato a chegar no sistema operacional são os serviços disponibilizados pelo iCloud.

As disputas pelo domínio do mercado Mobile são cada vez maiores, visto que é um mercado que simplesmente não para de se expandir e de receber hardwares cada vez mais potentes. Os atuais smartphones estão tomando cada vez mais o espaço que antes era dos computadores de mesa, e cada vez mais marcas investem no ramo.

Porém, mesmo com tanta concorrência e sistemas rivais no mercado, é importante saber fazer negócios, e saber fazer negócios é saber como expandir suas receitas ao mesmo tempo que oferece bons produtos com custo-benefício bom para seus consumidores, e também se manter firme e forte na luta por seu espaço no mercado Mobile.

É isso que empresas como a Microsoft e a Samsung estão fazendo. Recentemente, ambas lançaram apps para o iOS, da rival Apple, com o objetivo de não ficarem presas apenas ao sistema operacional que usam em seus smartphones, mas também de aumentar suas receitas, já que acabam por alcançar um público maior.

Agora, parece ser a vez da Maçã, Apple, investir em um sistema operacional rival no mercado de Mobiles, o Android. Ao menos é o que deu a entender o CEO da empresa de Cupertino, Tim Cook, que disse que o app recentemente lançado na Play Store, o Apple Music, vem servindo como forma de testar se vale ou não a pena investir no sistema do robozinho verde, sendo que a marca pode expandir seus serviços no sistema da Google.

O Apple Music foi lançado em 2015 para o Android.

A tendência é que a empresa venha a disponibilizar mais apps hoje, exclusivos do iOS, para Android, em breve. Um forte candidato a chegar no Android são os serviços disponibilizados pelo iCloud. A Maçã tem como objetivo aumentar suas receitas além de se utilizar do SO rival, para atingir mais usuários e competir com os maiores apps do mercado atualmente.

Um forte indício de que a Apple pode passar a investir no Android, é o Apple Play que, como mencionado, foi lançado para o SO e recebeu recentemente uma atualização que permite aos usuários salvarem suas músicas no cartão microSD, função inexistente no iOS, até mesmo pelo fato dos dispositivos da Apple não contarem com microSD.

A iniciativa, sem sombra de dúvidas, é positiva para a empresa, mas resta saber se a Apple entenderá que o público do Android é inverso ao do iOS, se tratando de um público mais generalizado, diferente dos usuários do iOS, que comumente possuem maior poder econômico. A empresa se adaptará a esse fato?

A conferência dos desenvolvedores da Apple ocorre dentro de 4 meses e esse deve ser um dos temas a serem discutidos. As informações são do site 9to5Mac.

Por Isis Genari

Android e Apple


Apple prevê queda nas vendas do iPhone no segundo trimestre deste ano.

Mesmo com as recentes boas notícias de que o iPhone teria quebrado seu recorde de vendas, recentemente, pela primeira vez na história, as vendas do iPhone devem sofrer uma queda, segundo o próprio CEO Tim Cook, no segundo trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Isso deverá se confirmar, caso, nos próximos 3 meses, a Apple não consiga vender mais de 61,2 milhões, o que deve realmente acontecer, após um período de boa alta no mercado.

Um dos possíveis causadores dessa queda de vendas, seria a alta do dólar americano, que vem se fortalecendo nos últimos tempos, visto que cerca de 66% das vendas de iPhones ocorrem fora do mercado norte-americano.

No Brasil, por exemplo, onde o preço dos iPhones já era alto, com a valorização do dólar, junto do desprestígio do Real, da alta inflação e da crise que o país enfrenta, os produtos da Maçã vêm chegando com preços cada vez mais elevados. Hoje, é possível encontrar Macbooks por mais de 20 mil reais. O cenário se repete também em outros países, visto que mesmo para os padrões americanos, os produtos da Apple têm preços considerados altos.

A previsão para o segundo trimestre de 2016, é que a empresa consiga um valor entre 50 e 53 bilhões de lucro com as vendas de iPhone, menor do que os 58 bilhões do primeiro trimestre. A queda representa uma ruptura na alta que a empresa vinha há 13 anos, desde 2003.

A queda, porém, já era prevista por analistas, até mesmo porque o crescimento no primeiro trimestre fiscal do ano de 2016, já foi o mais lento desde o ano de 2007.

Além do iPhone, o crescimento da Apple como um todo, vem desacelerando, inclusive, a tendência é que em breve, o Google tome o lugar de empresa mais valiosa do mundo da Maçã.

Por Isis Genari

iPhone

Foto: Divulgação


Vendas de smartphones iPhone com iOS registraram queda no último trimestre de 2015 no Brasil.

A empresa de pesquisas Kantar Worldpanel divulgou alguns dados na última quarta (27) que demonstram um declínio de venda dos smartphones iPhone com o sistema operacional iOS no mercado brasileiro. No último trimestre de 2014 as vendas representavam 5,5%, contra 2,8% no último trimestre de 2015.

Por outro lado, a venda de dispositivos com Android subiu de 89% para 91,8%. Smartphones com Windows Phone, sistema operacional da Microsoft, tiveram alta nas vendas de 4% para 5,1% no mesmo período de comparação. A outra parte se divide em outros sistemas operacionais como BlackBerry, por exemplo. Apesar do desempenho no mercado nacional, o Windows Phone registrou forte queda de vendas pelo mundo e padece lentamente na concorrência do mercado de smartphones.

Os resultados obtidos no Brasil refletem o que já vem ocorrendo em outros mercados de outros países. Nos Estados Unidos também houve queda, o iOS foi de 47,7% para 39,1% no mesmo período citado pela pesquisa. No Japão, os índices também registraram queda: 60,2% para 54,1%.

Os resultados demonstram que o iOS ocupa apenas a sexta posição no ranking de sistema operacional mais utilizado no país. Entretanto, ressalta-se que existe apenas um aparelho com o sistema operacional iOS, o iPhone, enquanto que os outros sistemas operacionais estão presentes em vários modelos de smartphones.

O sistema operacional do Google (Android) reina soberano no topo do ranking de sistemas operacionais mais utilizados no Brasil, com 56,7% de todos os aparelhos utilizados.

O ranking, segundo a pesquisa, ficou da seguinte forma: Android com 56,7%, Symbian (31,5%), Windows Phone (4%), RIM (2,7%), Bada (0,7%), iOS (0,4%) e 3,9% para os demais sistemas.

Apesar da perca de espaço do sistema operacional, a Apple afirma que a marca em si ainda é líder de vendas em vários mercados, como Estados Unidos e China, principais referências.

A empresa afirma que o Android ganhou o gosto popular pela grande variação de preço disponível, o que não ocorre com os produtos da Apple e seu iPhone.

Por André César

iPhones

Foto: Divulgação


Pesquisa revelou que usuários do Android estão migrando para aparelhos com iOS.

Ao que tudo indica, a Apple deve estar extremamente contente com os resultados alcançados recentemente com o iOS, por meio do seu novo Smartphone, o iPhone 6s. Por que? Uma pesquisa divulgada nesta semana pelo Consumer Intelligence Research Partners (CIRP) mostrou que nunca tantos usuários do sistema operacional Android optaram por comprar um smartphone com sistema operacional iOS instalado.

Segundo a pesquisa do instituo norte-americano, um dos motivadores dos donos de Android comprarem um iOS, é a versão Plus dos celulares da Apple, que possuem uma tela maior. Por outro lado, a versão Plus sai mais cara, o que é ótimo para Apple, que acaba por conseguir um lucro maior. Estima-se que no ano anterior, a versão Plus foi escolhida por 25% dos consumidores, enquanto neste ano, a escolha pela versão com tela maior, foi de 37% dos consumidores, uma alta de 12%.

A pesquisa mostra que 26% daqueles consumidores que compraram o iPhone 6s no mês de seu lançamento, já possuem um dispositivo Android, número superior ao de versões anteriores, como no lançamento do iPhone 6, onde 12% eram usuários Android (14% de aumento) e no caso do iPhone 5s, onde 23% possuíam um aparelho Android em casa (aumento de 3%).

Segundo Mike Levin, que é um dos fundadores da Consumer Intelligence Research Partners, essa pesquisa mostra uma tendência, que é a opção dos consumidores por aparelhos com o iOS, num período de longo prazo, em detrimento dos aparelhos Android.

A dúvida que fica é como esses dados seriam, ou são, no Brasil, onde os preços dos produtos da Apple são altíssimo e limitados a poucas pessoas com reais condições de comprar, e alguns que arriscam tudo para ter um aparelho da marca.

Por outro lado, o fato da maior parte dos consumidores do iPhone estar nos Estados Unidos e Europa, comprar um iOS tendo um Android, não pode ser classificado logo de cara como uma troca, visto que nesses países, é comum encontrar pessoas com smartphones dos dois sistemas operacionais que dominam o mercado atualmente.

Por Gabriel Mazzo

Android e iOS


Competição visa premiar os desenvolvedores dos melhores aplicativos do ramo empresarial e de negócios para a plataforma do iOS 9.

A FileMaker, empresa subsidiária da Apple, está com inscrições abertas para uma competição muito interessante que visa premiar os desenvolvedores dos melhores aplicativos do ramo empresarial e de negócios para a plataforma do iOS 9.

Como funciona?

É necessário que os participantes tenham desenvolvido um app que seja compatível com o sistema iOS 9 e também capaz de aproveitar o design da tela do novo iPad Pro. Os jurados levarão diversos quesitos em consideração como, por exemplo: real aproveitamento no mundo empresarial, design, estética, aproveitamento das funcionalidades do iOS 9, mobilidade, criatividade, facilidade de uso, entre outros.

Um dos critérios de avaliação que apesar de não ser obrigatório, será levado em consideração pela comissão julgadora é a ideia de sustentabilidade. “O aplicativo é capaz de causar algum impacto positivo no meio ambiente?”.

É válido lembrar também que a empresa aceita participantes de todo o mundo, desde que tenham idade mínima de 18 anos de idade.

Qual a premiação?

A empresa  File Maker escolherá 02 ganhadores e estes levarão para casa um iPad Pro e terão ainda seus nomes e história publicados nas mídias sociais e blog da empresa. Caso o vencedor seja uma empresa, os prêmios serão entregues a equipe responsável pelo desenvolvimento do app.

O cadastro inclui a concordância com os termos e condições, informações pessoais e de contato ou a respeito da empresa, resumo do aplicativo e funcionalidades e screenshots por meio de URLs.

Os termos, condições e maiores detalhes a respeito da competição estão disponíveis no site da empresa.

A FileMaker oferece softwares para o desenvolvimento e criação de apps de bancos de dados exclusivos para Windows, Apple, Mac e outros. A plataforma da empresa já conta com mais de 20 milhões de usuários espalhados ao redor do mundo.

Quem quiser se arriscar na disputa possui até o dia 30 de novembro para realizar a inscrição por meio do site www.filemaker.com/r/contest. Em caso de dúvidas, envie um e-mail para socialmedia@filemaker.com.

Por Beatriz 

FileMaker

Foto: Divulgação


Novo sistema operacional foi lançado oficialmente e está disponível para iPhone, iPad e iPod Touch.

Quarta-feira, dia 21 de outubro, foi um dia marcante para os clientes da Apple. O que marcou esta quarta-feira foi justamente o lançamento da versão pública e oficial do iOS 9.1. O novo sistema operacional vem acompanhado de novidades e está disponível para clientes do iPhone, iPad e iPod Touch.

Confira mais detalhes na continuação desta matéria.

Vale destacar que a nova versão começou a ser enviada para os usuários na manhã do dia 21 de outubro. A versão oficial foi lançada após passar por nada menos que cinco versões betas. Tais versões betas foram testadas por desenvolvedores e usuários que se cadastraram para testar as versões.

Dentre as novidades menos alarmantes estão os papéis de parede. A Apple atualizou os clássicos papéis de parede de Júpiter, Marte e Netuno. Além disso, a marca também incluiu uma paisagem do deserto entre os papéis de parede.

Umas das principais novidades estão nos famosos emojis, haja vista o iOS 9.1 ter investido pesado nesta categoria. Portanto, temos uma grande quantidade de novos emojis que vão desde aos novos tipos de comidas até mesmo os tradicionais.

E para aqueles que utilizam bastante o Live Photos, saibam que a Apple atualizou o software. As devidas correções foram feitas após alguns relatos de problemas com o uso do software em questão por parte de usuários considerados tradicionais. Juntamente com as melhorias tivemos a chegada de um recurso que sabe identificar quando o usuário movimenta sua câmera para cima ou para baixo visando finalizar uma gravação.

Além disso, outra grande novidade é a Apple TV que será lançada em 26 de outubro. Trata-se da Apple TV de quarta geração que possui compatibilidade com o iOS 9.1.

Outro detalhe bastante interessante é que a Apple trouxe mais estabilidades para o uso do CarPlay, Fotos, Safari, Músicas e nas buscas. A interface multitarefa, por exemplo, passou por melhorias e agora dispõe de uma performance ainda mais superior.

Por Bruno Henrique

iOS 9.1

Foto: Divulgação


Recurso chamado ?app slicing? permite que somente partes de aplicativos sejam baixadas, gerando assim uma economia considerável de memória para o aparelho. Memória esta que poderá ser melhor utilizada para as reais necessidades do usuário.

Com tantas funcionalidades  e aplicativos disponíveis, é natural que a memória do aparelho celular fique sobrecarregada com o tempo.  Para isso, a Apple finalmente liberou o recurso “ app slicing”, que estará disponível para a atualização do iOS 9.0.2 que foi recentemente lançada pela Apple.

A inovação permite que somente partes de aplicativos sejam baixadas, gerando assim uma economia considerável de memória para o aparelho. A ideia é que sejam baixadas para os dispositivos, apenas o código específico para que o aplicativo consiga rodar em determinado aparelho. Um exemplo de arquivos baixados desnecessariamente são as adaptações para telas de 3,5; 4; 4,7; 5,5; 7,9 e 9,7 polegadas, tamanhos disponíveis de iPhones e iPads no mercado, além de também oferecerem versões para 32 e 64 bits. Ao baixar um aplicativo, o usuário acaba levando todas essas informações desnecessárias para seu aparelho, gastando memória que poderá ser melhor aproveitada para outros fins. A ideia do app slicing é fundamental para o ideal do App Thinning.

Com o uso do app slicing, o usuário baixaria apenas a versão indicada para o seu aparelho, economizando espaço e ganhando maior liberdade para o uso de sua memória.

O aplicativo deveria ter sido lançado juntamente com o iOS 9, mas a Apple teve que adiar seu lançamento, pois houve um bug no iCloud.

O App Thinning é um conceito maior que o slicing. Este se encaixa dentro de seus ideais, juntamente com outras ferramentas, como o uso de recursos sob demanda, ou seja, os recursos somente são baixados quando necessários.

A novação do app slicing pode ser a revolução que os usuários de smartphones tanto esperam para que a eterna escolha por qual app baixar acabe. Atualmente, mesmo memórias internas maiores, como as de 8GB ou 16GB não são suficientes para suportar todas as funcionalidades que os usuários desejam.  O lançamento do app slicing promete terminar com esse dilema.

Por Rodrigo Silva

iOS 9

Foto: Divulgação


Já surgem rumores sobre a nova versão do iPhone que será lançada em 2016.

Em meio as expectativas de lançamento do iPhone 6S e do iPhone 6S Plus que irão acontecer dia 9 de setembro já surgem rumores sobre a geração do iPhone 7 que será lançada em 2016.

Ming-Chi Kuo, analista que pertence à KGI Securities, enviou uma carta para alguns investidores da Apple, afirmando que o iPhone 7 será provavelmente o smartphone mais fino já desenvolvido pela Apple,  vale lembrar que Ming-Chi Kuo possui credibilidade no meio, pois já acertou diversas previsões do aparelho em versões anteriores.

A especulação gira em torno da espessura do iPhone 7, que deve possuir entre 6,0 e 6,5 milímetros e que provavelmente serão acompanhadas de algumas diferenças no design do novo aparelho, é bom ressaltar que o iPhone 6, tem 6,9 milímetros e a versão Plus tem 7,1 milímetros.

Historicamente a Apple, fundada por Steve Jobs, redesenha os seus iPhones a cada 2 anos, introduzindo um “S” nos intervalos entre os aparelhos, que significa um upgrade na aparência e em alguns detalhes técnicos dos aparelhos, uma espécie de correção e aprimoramento.

Dentre as melhorias esperadas para o iPhone 6 há destaque para um processador mais rápido "A9", de 2 gigabytes de memória RAM, mudanças na bateria e no que diz respeito à aparência os rumores apostam no Rose Gold, uma versão na cor rosa. Quem duvida que o lançamento da nova cor será um sucesso de vendas?

Por enquanto, nos resta aguardar o lançamento e conferir as novidades do 6S e do 6S Plus que prometem superar as expectativas do público e acabar com a ansiedade que está girando em torno da revelação.

Vale lembrar que apesar da alta taxa de acerto nas previsões do analista, não há nada confirmado e que, portanto, a informação a respeito do iPhone 7, apesar de ser bastante animadora, ainda é um rumor.

Por Beatriz Duarte

iPhone 7

Foto: Divulgação


Rumores indicam que a Apple irá lançar seus novos modelos de iPhone no dia 9 de setembro, em São Francisco.

A previsão é que o novo iPhone 6S da Apple seja lançado em 9 de setembro no auditório Bill Grahan Civic, em São Francisco. Já estão sendo enviados convites de um determinado evento especial para a imprensa, por isso, a suspeita do lançamento do novo smartphone da marca, que é um dos mais aguardados pelos fãs do iPhone.

Com capacidade para acomodar até 7 mil pessoas, os rumores permanecem de que no espaço serão apresentados os dois smartphones: o iPhone 6S e o iPhone 6S Plus. O diferencial destes dois aparelhos da Apple deve ser a presença da nova tecnologia Force Touch. Entre outras expectativas é a melhora em relação à qualidade da câmera, que poderá ter até 12MP.

Além disso, outra novidade é que a câmera poderá ter um jogo de lentes com 5 elementos e que o novo sensor deve ter a capacidade de absorver uma quantidade de luz maior no ambiente, em comparação ao iPhone 6S, já lançado no mercado.

O iPhone 6S e o iPhone 6S Plus também aumentarão a sua capacidade de desempenho, como, por exemplo, a capacidade de memória RAM, que será de 2 GB, além da presença do processador de 64 Bits A9,que conta com mais eficiência em relação a processamento e capacidade de energia.

Entre outras expectativas, também há rumores da previsão de um novo modem com a tecnologia 4G, que será desenvolvido pela Qualcomm, e o usuário pode fazer download de até 300 MB/s.

A tecnologia Force Touch, que tende a estar presente nos novos aparelhos, tem a capacidade de ativar funções distintas, devido a diferentes níveis de pressões, que podem ser exercidas sobre a tela do aparelho. Por exemplo, no relógio inteligente um toque com mais força pelo usuário pode fazer com menu como opções sejam abertos, e, assim, ocupam toda a tela do aparelho.

Será que o lançamento dos novos aparelhos da Apple vai ser dia 9 de setembro?

O que você espera dos novos modelos da Apple?  

Por Babi

iPhone 6S

iPhone 6S Plus

Fotos: Divulgação


Novo modelo conta com novas cores, melhoria na câmera e novo hardware.

A Apple anunciou seu novo iPod Touch que agora, além de estar disponível em novas cores, também traz uma câmera bem melhor, para atender ao mercado que tem valorizado cada vez mais as boas imagens.

O novo hardware do novo iPod Touch é um dos destaques, além da câmera que está melhor, as cores que atendem os clientes da marca, mas também vai custar mais caro, como já era de se esperar.

A cor amarela não vai estar nesta nova geração do iPod Touch, no lugar dela entrou a cor dourada que já vem fazendo parte de todos os lançamentos da Apple.

O preço mais alto já vinha sendo apontado, porque há quase dois anos a Apple não trazia nenhuma melhora praticamente para o aparelho que agora conta com um processador A8 de 64 bits, igual ao que é utilizado nos novos iPhone e também nos iPads. Claro que esta melhora tem um custo e ele está sendo repassado.
O chip contextual M8 é a nova tendência dos aparelhos da Apple e a principal função é ficar monitorando os passos, as subidas e descidas, entre vários outros movimentos, sendo muito utilizado nos aplicativos fitness que é uma tendência nos dias atuais, pois as pessoas estão contando com vários aplicativos para ajudá-las a perder peso e a manter a boa forma.

E a câmera que antes oferecia 5MP, agora vem com 8MP, oferecendo uma aberta de f/2,4, porém, a tela retina ainda é a mesma dos modelos já lançados, mantendo-se com 4".

Com a nova geração do iPod Touch vai ser possível gravar vídeos em 1080p a 30 quadros por segundo, garantindo uma qualidade muito superior e ainda vai ser possível contar com a "estabilização cinemática do vídeo", sendo este um ótimo recurso que consegue impedir que a gravação fique tremida. E se o usuário quiser, ainda pode gravar em câmera lenta, a 120 fps, para criar vídeos com um recurso que vem sendo muito procurado atualmente.

O iPod Touch vai sair da loja como o sistema operacional iOS 8.4, já estando prontinho para o Apple Music.

Por Russel

iPod Touch

Foto: Dviulgação


Rumores indicam que novo modelo da Apple terá acabamento em alumínio e será capaz de gravar vídeos em 4K.

No início deste mês de julho, mas precisamente no dia 1º, quarta-feira, o mundo foi surpreendido por supostas imagens do iPhone 6S que é o próximo smartphone da Apple, mesmo a empresa ainda não tendo confirmado o nome, mas todos já se referem ao próximo lançamento como sendo o 6S.

As fotos que vazaram na internet trazem detalhes do aparelho, mas o que mais chamou a atenção foi o fato do novo iPhone 6S ser capaz de gravar vídeos em 4K.

O último modelo lançado pela Apple traz uma câmera com 8 megapixels, capaz de gravar em 1080p, mas este novo iPhone poderá ter uma câmera traseira com 12 megapixels, garantindo uma qualidade muito superior das imagens.

E de acordo com o documento que trouxe as supostas fotos do iPhone 6S, que foi divulgado na rede social chinesa, a Weibo, o novo iPhone estará disponível no mercado a partir do mês de setembro, chegando para os chineses no dia 25 do mesmo mês.

A pessoa responsável pela divulgação das fotos também informou que o novo iPhone será chamado, a princípio, de "New iPhone", como já foi feito em relação à linha de iPads.

A informação de que o novo iPhone irá gravar vídeos em 4K, veio a confirmar o que já havia sido sugerido por um programador que no mês passado descobriu um código no iOS 9 beta, que é para desenvolvedores, que já dava a entender esta possibilidade.

Outra novidade do novo iPhone, que certamente vai agradar aos consumidores, é o seu novo acabamento em alumínio. Especialistas indicam que o motivo da Apple estar investindo tanto em detalhes externos é porque o aparelho terá somente um pequeno upgrade em relação ao hardware.

A nova geração do iPhone já está sendo produzida pela Foxconn e também pela Pegatron, de acordo com o DigiTimes e a produção estaria acelerada, para não haver nenhum atraso, já que a Apple considera o final do mês de setembro, como uma data estratégica para garantir boas vendas do novo iPhone.

Apesar da pouca melhoria feita em relação ao hardware, o aparelho deverá contar com um novo processador e seguir o Force Touch, um recurso desenvolvido pela própria Apple.

Por Russel

iPhone 6S

Foto: Divulgação


Apple pretende lançar iPhone 6C com corpo de metal e outro modelo com maior capacidade de armazenamento.

Com a concorrência entre os smartphones cada vez maior, investir na qualidade é fundamental e a Apple, conhecida por oferecer produtos de ótima qualidade aos seus clientes, teve sua credibilidade em jogo, depois que alguns se seus iPhones apresentaram problemas e os últimos lançamentos vêm sendo bastante questionados quanto a este quesito: a baixa qualidade dos aparelhos.

E para conseguir novos mercados, a Apple propositalmente investiu em aparelhos mais “baratinhos” e, claro, aparelhos estes que ofereciam acabamento em plástico. Mas para o próximo iPhone a ser lançado, a empresa pretende voltar o foco para a qualidade e os aparelhos poderão ter corpo de metal, já a partir do próximo ano, com a chegada do iPhone 6C.

E o corpo em metal deverá ser uma das poucas novidades do iPhone 6C, até mesmo para não ser preciso encarecer ainda mais o aparelho, já que a concorrência está dificultando os projetos da Apple.
O iPhone 6C contará com a mesma tela de 4" e cores variadas, mas com um chassi de metal.

A Apple inclusive já teria encomendado para a Foxconn a estrutura em metal, para não haver atrasos no lançamento.
Outra novidade que os novos iPhones deverão ter, já no iPhone 6S e o iPhone 6S Plus, que serão disponibilizados no mercado ainda este ano, é um aumento na capacidade de armazenamento, já que as marcas concorrentes têm oferecido mais espaço para seus clientes.

O perfil do usuário vem mudando bastante e ter um bom armazenamento no smartphone tem sido um dos principais requisitos na hora de se comprar um smartphone novo.

E de acordo com as informações do jornal Korean Times, a Apple tem intenção de lançar uma super novidade no mercado, que são os aparelhos com capacidade acima dos 128GB que atualmente é o limite máximo dos iPhones, pois a empresa sabe que os usuários estão precisando cada vez mais de espaços.

Acontece hoje com os smartphones algo bem semelhante ao que aconteceu com os computadores no passado, quando no início os HD's suportavam pouquíssimo espaço para armazenamento mas rapidamente foram sendo lançados computadores com HD's que ofereciam mais e mais espaço, à medida que os computadores se popularizavam e passavam a fazer parte do dia a dia de pessoas e empresas.
Hoje está acontecendo isso com os smartphones e a Apple que sempre esteve à frente do seu tempo, está atenta a tudo isso.

Um iPhone 6C com corpo de metal e maior resistência e um outro modelo que ofereça mais espaço para armazenamento são alguns dos principais projetos desenvolvidos hoje pela Apple.

Por Russel

iPhone 6C

Fotos: Divulgação


Novo serviço da Apple tem suporte para as plataformas iOS, Android, OS X e Windows.

Os rumores em torno do serviço de streaming de músicas da Apple estavam certos. A empresa americana anunciou nesta segunda-feira (09), o Apple Music. A ideia do serviço é reunir músicas, videoclipes e diversas outras novidades em apenas um único local. Será integrado ao atual aplicativo Música, nos dispositivos da Apple, e fará algumas sugestões de novas canções, além de contar com uma estação da Apple que tocará música 24 horas por dia.   

O serviço anunciado se tornará um forte concorrente do Spotify, serviço de streaming de música de maior sucesso no mundo. Durante apresentação na WWDC, conferência para desenvolvedores da Apple, o CEO da empresa, Tim Cook, ressaltou que a empresa sempre obteve uma relação bastante íntima com a empresa. Afinal de contas, um dos produtos que revolucionou o mercado fonográfico foi o iPod.  

O Apple Music contará com uma aba For You, onde haverá recomendações de álbuns e playlists baseadas em seu gosto musical. Também haverá uma aba chamada de Connect, onde os artistas poderão publicar algumas mensagens para seus fãs, como fotos de bastidores, letras das canções e até últimas músicas lançadas. Com isso, a Apple tem o objetivo de centralizar as interações dos artistas como o público.   

O ponto forte do Apple Music será seu catálogo de músicas. Milhões de músicas que estão disponíveis no iTunes estarão presentes no serviço de streaming, além dos videoclipes em alta definição. Assim como ocorre no Spotify, será possível que os usuários compartilhem playlists e escutem músicas offiline.

Como anunciado na página brasileira do serviço (www.apple.com/br/music/membership), para utilizar o Apple Music de maneira completa, será cobrada uma taxa mensal.   

A Apple inseriu um preço bastante competitivo para o mercado atual, o que certamente fará com que o Spotify e outras empresas do ramo alterem seus planos. O Apple Music custará 9,99 dólares por mês. Haverá um plano família onde até seis pessoas podem utilizar o serviço, por apenas 14,99 dólares.

No dia 30 de junho, ele será lançado para mais de 100 países, com um período de três meses gratuitos.  

Haverá suporte para as principais plataformas do mercado, como iOS (a partir da versão 8.4), Android, OS X e Windows.

O preço atraente, o maior catálogo disponível para serviços de streaming de música e o suporte as principais plataformas, certamente ajudará muito a impulsionar o serviço ao redor do mundo.

Por William Nascimento

Apple Music

Foto: Divulgação


Empresas estão empatadas no 2º lugar como as mais valiosas do mundo em 2015. Apple lidera o ranking, valendo US$ 760 bilhões.

Duas das empresas gigantes da internet, Google e Microsoft ocupam o segundo lugar como as duas companhias mais valiosas do mundo em 2015, segundo reportagem da “Forbes”. A Apple está na primeira colocação da lista. A empresa Google cresceu cerca de 3,56% nos primeiros meses de 2015 e atualmente vale cerca de US$ 385,59 bilhões. No mercado, a Microsoft obteve um crescimento maior (9,4%), sendo avaliada em US$ 389,24 bilhões.

Vale ressaltar que ambas as empresas não chegam sequer a ameaçar a liderança da Apple entre as companhias mais valiosas. Inclusive, a empresa fundada por Steve Jobs vale mais de US$ 760 bilhões. Os resultados, de maneira geral, mostram a completa hegemonia das empresas de tecnologia no contexto de hoje.

Essas empresas já são mais rentáveis que companhias do mercado de energia e petróleo. Segundo os especialistas e consultores do mercado financeiro e de tecnologia, as companhias tendem a crescer cada vez mais e dominar por muito tempo o cenário global.

Ações na Bolsa de Valores:

Atualmente é possível investir em ações da Apple ou Google na Bovespa, segundo reportagem da “Revista Exame”. Essa medida é válida desde 2010 e não obriga o investidor a fazer remessas para o exterior, nem mesmo abrir quaisquer contas em bancos fora do país. 

Na prática, ocorre um tipo de investimento chamado “Brazilian Depositary Receipt”, segundo informações da BM&FBovespa. Os certificados de depósito são relacionados a valores emitidos no Brasil, os quais representam valores emitidos por empresas abertas do exterior. Lembrando que a emissão deve ser feita por empresas autorizadas a funcionar pelo Banco Central e habilitadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a emitir BDRs.

Dentre as vantagens do investimento estão a oportunidade de investir em grandes companhias estrangeiras, como Apple, Google ou Microsoft, por exemplo, sem a necessidade de pagar custos relacionados a remessas para o exterior e manutenção dos demais controles nas operações. Os certificados também são simples para serem negociados, de maneira geral.  Além das empresas citadas, o investidor pode optar por companhias como Intel, Pfizer, Coca-Cola, Hershey, Walmart, dentre outras opções.

Por Letícia Veloso

Microsoft e Google

Foto: Divulgação


Além do novo recurso, está previsto a disponibilidade de um iPhone rosa

A divulgação do novo MacBook da Apple foi muito atrativa para os consumidores. Um dos fatores principais é a implementação do Force Touch ao trackpad do aparelho, uma funcionalidade que era especulada para iniciar somente no Apple Watch.

A tecnologia possibilitou que a empresa deixasse de usar botões em seu trackpad, com a função do controle do mouse do aparelho, devido ele ter a possibilidade de responder conforme a pressão fornecida pelo usuário, tendo conhecimento desta forma caso será usado um clique padrão ou caso serão abertas novas alternativas, como seria realizado com o clique feito no botão direito.

Contudo, o recurso também poderá estar disponível nos próximos iPhones disponibilizados pela Apple. Esta funcionalidade irá possibilitar que o dispositivo tenha a sensação das pressões de várias intensidades sobre o visor e tenha reações conforme a força colocada na tela.

A previsão também informa à respeito da possibilidade dos smartphones terem a resposta háptica que é anunciada para os notebooks e relógios inteligentes da empresa.

Somado à implementação do Force Touch aos próximos iPhone, está sendo previsto a possibilidade de implementação de uma nova cor à linha de dispositivos da companhia. O cor-de-rosa poderá ser uma das opções fornecidas, somada às três comuns alternativas: Gold, Silver e o Space Gray, tendo uma nova alternativa de cor para o público feminino.

Com a divulgação dos novos MacBooks no esquema de cor idêntico do iPhone, há a oportunidade de que os notebooks também tenham o fator novo. Entretanto, ainda é muito cedo para iniciar a formação de perspectivas, sendo necessário esperar uma previsão para garantir esta possibilidade.

De acordo com postagem do The Wall Street Journal, os novos iPhones também possuirão esta atrativa funcionalidade em sua tela sensível ao toque, tendo a possibilidade de identificarem o contato realizado pelo usuário para fazerem algumas funcionalidades, que irá possibilitar um nível completamente novo na dinâmica de utilização do sistema.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


O Apple Watch é uma das grandes novidades de 2015 e sua chegada vem sendo esperada ansiosamente pelo público e empresas concorrentes. O lançamento mundial será no dia 24 de abril e além de todos estarem querendo saber quais as novidades o relógio inteligente da Apple trará para o mercado, outra grande curiosidade é quanto ao preço.

O relógio é capaz de medir as atividades físicas do usuário, seus sinais vitais, batimentos cardíacos, mas também é capaz de receber ligações. O aparelho foi apresentado pela Apple nesta segunda-feira (09).
Apesar do lançamento estar previsto para o dia 24 de abril, a empresa garantiu que no dia 10 do mesmo mês começará a pré-venda e o Apple Watch custará cerca de US$ 349 nos Estados Unidos.
Foi citada também uma versão, de luxo, que custará mais de US$ 10 mil.

Para receber as ligações pelo Apple Watch é preciso ter um microfone embutido. Para o atendimento das ligações basta deslizar a mão sobre o relógio, assim uma ferramenta de nome "Glances" estará fazendo todo o serviço.

Outro recurso interessante é o de desenhar no relógio e estes desenhos serão mostrados no aparelho de uma outra pessoa, exatamente como você os desenhou. Ao fazer a demonstração do Apple Watch, Tim Cook que é o presidente-executivo da Apple brincou dizendo que espera receber um destes de presente.

O Apple Watch estará monitorando o usuário durante todo o tempo, inclusive lembrando-o quando constatar que já faz um bom tempo que a pessoa está sentada. Semanalmente, será emitido um relatório baseado no movimento ou não do usuário, será feita uma proposta com uma meta para o usuário "andar" na semana seguinte.

O valor de US$ 349 será um valor inicial, sendo que haverá outras versões que poderão chegar a US$ 399 de acordo inclusive com o tamanho do aparelho que roda o sistema operacional iOS 8.2 que inclusive já está disponível para todos os usuários.

O Apple Watch também receberá notificações das redes sociais, além de notícias variadas. Também será possível efetuar pagamento através do aparelho, utilizando o Apple Pay, porém, para esta função é preciso ter um iPhone onde o recurso já esteja disponível, podendo ser qualquer modelo a partir do iPhone 5.

Por Russel

Apple Watch

Apple Watch

Fotos: Divulgação


A Apple já está atrasada para anunciar o seu novo iPad, visto que o mercado já apresentou uma série de novidades e a empresa até agora está devendo uma nova informação ao mercado. Mas não é à toa que a Apple está demorando em fazer o anúncio, pois a empresa está concluindo uma novidade para o aparelho que poderá trazer uma entrada USB! A notícia já foi até confirmada pelo Wall Street Journal.

O novo iPad da Apple vai contar com uma série de novas funcionalidades, para conquistar o posto de "melhor tablet do mercado" e, claro, tornar-se um dos mais vendidos também. Além da entrada USB 3.0, o novo iPad de 12,9" poderá contar ainda com conexão de teclado e também mouse, pois estes acessórios têm sido cada vez mais procurados pelos usuários de tablets.

Os iPads já lançados no mercado disponibilizam apenas uma entrada para fone de ouvido e outra para o cabo de energia. Com estas novas opções, que são antigas reivindicações dos usuários, o iPad ganha novo fôlego para continuar sendo um dos modelos mais procurados, neste tão concorrido mercado de tablets.

O Galaxy Note Pro, que é um dos principais concorrentes do iPad, conta com uma tela de 12". Já o da Microsoft, o Surface Pro 3, já tem a entrada USB 3.0. A intenção da Apple é bater estes seus dois principais concorrentes, lançando o iPad com tela de 12,9" e entrada USB 3.0. Além das conexões para teclado e mouse.

E tem mais um motivo para a Apple estar demorando em divulgar seu novo iPad, é que a empresa está implementando uma tecnologia que vai permitir que o dispositivo tenha sua bateria recarregada em um curto espaço de tempo, o que também seria mais um ponto a favor para a empresa que assim, estaria colocando no mercado, um tablet que realmente traz diferenciais e que atrairiam novos consumidores.

Com todas estas novidades, a previsão é que o novo iPad chegue ao mercado somente no segundo semestre deste ano.

Por Russel

iPad com USB

Foto: Divulgação


A Apple comercializou o maior número de celulares inteligentes mundialmente no quarto trimestre, superando a Samsung Electronics pela ocasião pioneira desde 2011, de acordo com a companhia de pesquisa de mercado Gartner. A Apple comercializou 74.832 smartphones para consumidores finais em todo o mundo, superando os 73.032 aparelhos comercializados pela Samsung, segundo o relatório da Gartner.

O sucesso do iPhone 6 e 6 Plus incentivaram as comercializações da Apple em seu primeiro trimestre terminado em 27 de dezembro. A empresa possui lucro de 18 bilhões de dólares no período, sendo o mais elevado já informado por uma empresa aberta. As comercializações de smartphones da Apple cresceram cerca de 49% no quarto trimestre, de acordo com a Gartner. A Samsung, que tinha domínio do mercado desde 2011, teve uma diminuição de quase 12%.

Em janeiro, a empresa registrou o quinto trimestre seguido de diminuição no lucro da divisão de aparelhos móveis. Somado a ter perdas no mercado para os iPhones, a Samsung está disputando companhias chinesas com preço menor como a Xiaomi e Huawei.

O fato de ter vencido a ideia de que a Apple fatura mais e a Samsung realiza mais vendas, contudo, não foi uma vitória somente da Apple. A companhia teve auxílio das outras rivais que tem concorrido bastante o mercado da Samsung. A Apple disputa nos aparelhos de elite, enquanto a Huawei compete no ramo de nível médio e a Xiaomi no de entrada, o que relata a importância do mercado da Ásia. A Samsung verificou sua existência no mercado ter a queda de 30% no final de 2013 para 20% no final do último ano. De acordo com informações da Strategy Analytics, a Lenovo, após ter absorvido a Motorola, permanece tranquila na terceira posição, fugindo da grande disputa pela primeira. Em dados globais, foram comercializados no total 380 milhões de aparelhos no último trimestre.

Por Felipe Couto de Oliveira

Samsung e Apple

Foto: Divulgação


A Apple tentou inovar e lançou novos emojis com temas variados, buscando justamente mostrar que há uma grande variedade de "visuais" para os usuários escolherem, mas a empresa acabou sendo acusada de racismo.

Os novos emojis estão sendo adicionados ao iPhone, ao iPad e também ao Mac para representarem pessoas das mais variadas etnias, por exemplo, negros, asiáticos, entre outros. Essa era para ser uma atitude louvável, mas o problema é que tem muita gente enxergando tal atitude como um ato de racismo.

Os asiáticos são os que mais estão fazendo críticas à novidade da Apple, mas pessoas do mundo inteiro já começam a se mobilizar contra os novos emojis da empresa que traz seis novas opções para tons de pele. 

Por exemplo, a tonalidade amarelada é indicada para representar os orientais, mas muitos usuários estão achando que o tom é amarelo demais. Pelas redes sociais, encontramos pessoas reclamando que o tom amarelo ficou muito forte, indicando que isto está mais para racismo do que para uma diversidade racial.

Até os orientais estão reclamando, dizendo que não escolhem um determinado emoji por ser de um amarelo muito intenso.

A Apple garantiu que os ícones estão seguindo as recomendações do "Consórcio Unicode", respeitando os padrões das letras, números, símbolos e demais caracteres. Essa documentação do Unicode informa que as cores representam as pessoas de acordo com a tonalidade da pele e foi criada em 1975.

A cor amarela sempre foi utilizada para o smilley, que já é tão conhecido do público e que vem sendo utilizado há anos. Alegando que não há racismo, a Apple já pensa em mudar as cores, por causa da forte pressão que vem sofrendo.

Ao todo, são 300 novos emojis disponibilizados pela Apple, contendo também bandeiras e vários outros símbolos. Para ver as opções do tom de pele, basta manter o dedo sobre o emoji de seu interesse.

Quem tem um iPhone ou um iPad e ainda não encontrou estes novos emojis, basta ativar o recurso, abrindo o aplicativo e indo na opção "Geral", depois em "Teclados" e "Adicionar novo teclado", onde então poderá selecionar a opção de Emoji.

Por Russel

Foto: divulgação


Quem pensa que a Apple não tem mais o que inventar, engana-se, pois a empresa acaba de conseguir uma patente para fazer com que o iPhone seja transformado em uma poderosa máquina de realidade virtual e, assim, o usuário terá bem na palma de suas mãos um aparelho portátil que poderá abrir na frente dos olhos do usuário uma tela virtual.

Com esta patente, a Apple agora trabalha ainda mais em seu novo gadget, que vai utilizar o iPhone para gerar uma tela com conteúdo diversificado e, assim, teremos um aparelho que produz realidade virtual!

O gadget terá o formato de um óculos, mas não há nenhuma previsão para o lançamento do mesmo, porém, só esta notícia já serviu para aquecer ainda mais este mercado, pois, a partir do momento que a Apple está trabalhando neste projeto, já é motivo de preocupação para as demais empresas do setor, que terão que inventar algo melhor ou pelo menos semelhante.

A Apple apenas informou que seu novo aparelho será comandado através de um controle remoto e a moldura é que vai abrigar a tela à frente dos olhos do usuário.

Mas, neste mercado tão concorrido, onde a especulação é uma poderosa arma contra a concorrência, nem tudo é o que parece ser. A Apple pode estar usando deste artifício apenas para confundir o mercado e, principalmente, as empresas concorrentes.

Para se ter uma ideia, em 2014 a Samsung chegou a anunciar um projeto bem semelhante a este, o "Gear VR". A mesma informou na época que iria desenvolver um projeto juntamente com a Oculus VR e que seu gadget seria compatível  com o Galaxy Note 4, que vem com tela de 5,7".

Outras empresas que já desenvolvem projetos neste sentido são o Google e o Facebook, ou seja, a "novidade" da Apple não é tão nova assim, pelo contrário, a empresa já estava ficando defasada, já que as principais concorrentes já estavam trabalhando nesta área e parecia que só a Apple ainda não tinha um projeto para realidade virtual.

Este anúncio foi mais uma forma da empresa da maçã dizer que está viva e trabalhando em pesquisas para trazer novidades ao mercado.

Por Russel

Foto: divulgação


A Apple, empresa de tecnologia sediada nos Estados Unidos, fechou o ano bem com os consumidores, ocupando 50% das vendas de smartphone no mercado norte-americano no último trimestre. Para 2015, as expectativas são muito grandes, já que incluem o novo relógio inteligente da marca, além de um possível novo iPhone.

Programado ainda para o primeiro semestre do ano, o Apple Watch é uma aposta da marca como seu primeiro relógio inteligente. O dispositivo funcionará integrado ao iPhone, permitindo um rápido acesso às notificações do smartphone, além de informações de diversos sensores e todos os recursos que um relógio pode oferecer.

O tablet da marca, iPad, também pode ganhar uma nova versão este ano. Contando com o modelo mais convencional de 9,7 polegadas e o Mini de 7,9 polegadas, é possível que uma versão maior chegue para os consumidores, com tela de 12,9 polegadas. Especula-se os nomes iPad Air Plus ou iPad Pro para o produto e ainda que uma caneta Stylus acompanhe o tablet, assim como a Samsung faz com sua linha Note.

O notebook da Apple, o MacBook Air, pode ter uma nova versão em 2015 com tela de retina. Por ser o único aparelho da marca que ainda não possui essa tecnologia na tela, especula-se que não passará desse ano essa modificação. Outra grande novidade que pode chegar é uma maior disponibilidade de cores para o produto, fugindo do tradicional cinza que é atualmente vendido.

A central de multimídia da marca, o Apple TV, pode ganhar novos recursos este ano ou então pelo menos terá uma versão atualizada chegando ao mercado, já que o aparelho é o mesmo desde quando foi distribuído em 2013.

Seguindo a numeração da Apple até então, é possível que o sistema operacional que chegue com os novos dispositivos móveis neste ano seja o iOS 9. Vale lembrar que o iPhone 6 introduziu a versão 8.

Não podendo ficar para trás, a grande atração da marca, seu smartphone iPhone, também terá uma nova versão esse ano. Especula-se que seja um iPhone 6C, 6S, 6S Plus ou até mesmo o 7.

Por Rannier Ferreira Mendes

Apple Watch

iPhones

Fotos: Divulgação


Mesmo com a grande disponibilidade de marcas e modelos de smartphones no mercado, a Apple conseguiu a façanha de manter-se isolada no topo do mercado dos Estados Unidos, batendo o recorde no último ano e alcançando 50% do total de vendas de smartphones com o iPhone no último trimestre.

A pesquisa que trouxe esses resultados foi realizada pela Consumer Intelligence Research Partners e demonstrou que o iPhone sozinho representou cerca de metade do número de smartphones que foram ativados nos últimos três meses de 2014.

No mesmo período, porém no ano de 2013, as vendas do iPhone compuseram cerca de 48% do total de smartphones registrados, demonstrando que para 2014 houve um acréscimo de 2% no número de vendas em comparação às outras empresas.

Em segundo lugar, com uma diferença gritante da Apple, está a Samsung, empresa da Coreia do Sul, que compôs 26% do total de vendas nos meses analisados. Porém, diferentemente da Apple, houve uma redução de cerca de 5% da participação da Samsung no mercado.

Em terceiro lugar, a LG, que também distribui smartphones com Android, assim como a Samsung, teve 11% de participação nas vendas.

As demais empresas que vendem em solo estadunidense não passaram de 5% na participação do mercado. Dentre elas está a Motorola, a HTC, a BlackBerry, a Amazon e a Nokia.

Curiosamente, a Nokia, que agora pertence à Microsoft, rival histórica da Apple no mercado, possui apenas 2% de participação no mercado de venda de smartphone, mesmo com a gama de modelos da família Lumia disponíveis no mercado. Porém, com o anúncio recente do Windows 10 pela Microsoft, possivelmente essa porcentagem da empresa subirá um pouco no ano de 2015.

A empresa criada por Steve Jobs foi desacreditada depois de sua morte, porém ela mostrou que a fidelidade de seus clientes se manteve e continuou a inovar e manter a qualidade de seus produtos durante os últimos anos. O resultado pode ser confirmado com pesquisas e opiniões de usuários.

Por Rannier Ferreira Mendes

iPhone

Foto: Divulgação


Conhecida por ter os dispositivos mais seguros disponíveis no mercado, a Apple virou notícia nos últimos dias por ter uma brecha em seu sistema que era aproveitada pelo governo britânico para espionar usuários de iPhone.

Edward Snowden, que é conhecido por revelar detalhes dos programas de vigilância do governo dos Estados Unidos, tornou pública a prática que a agência de espionagem britânica GCHQ usava para rastrear os smartphones da Apple através de um selo da empresa chamado UDID.

Esse selo, que em tradução literal significa identificador de dispositivo único, é um recurso que permite que os iPhones tenham apenas um computador por padrão para sincronizar os dados. Ao sincronizar o iPhone com o computador, esse código único do UDID relaciona diretamente o proprietário do smartphone com o próprio aparelho.

Através dessa identificação, é possível ter informações do iPhone juntamente com o usuário e seu computador. Essa triangulação de informações permitia que a GCHQ localizasse em tempo real qualquer usuário de iPhone. De acordo com Snowden, o app que tinha falha e permitia essa localização do aparelho era justamente o navegador Safari, que já vem por padrão em todos os iPhones.

Com a notícia espalhada, a Apple já tomou as providências para que esse fato não continuasse acontecendo e os usuários do smartphone da Apple podem ficar despreocupados quanto a essa forma de localizar indivíduos.

Porém, diversos outros smartphones estão disponíveis no mercado, com outros sistemas operacionais, então nunca se sabe o que essas agências de espionagem conseguem.

Mesmo com toda essa fama de blindagem das informações dos usuários, diversas celebridades de Hollywood tiveram suas contas do iCloud hackeadas, que é o serviço de armazenamento de nuvem da Apple.

Dentre os arquivos vazados, estiveram fotos íntimas de diversas atrizes, como a Jennifer Lawrance, conhecida por protagonizar a série de filmes Jogos Vorazes.

Com diversos exemplos públicos de vazamento de informações de usuários, cabe a cada um refletir a quantidade de informações pessoais que é segura de manter em dispositivos móveis e mesmo em contas online.

Por Rannier Ferreira Mendes

Apple


Por mais que muita gente diga que a Apple vem perdendo espaço no mercado de smartphones e tablets, principalmente para os aparelhos que executam os sistemas operacionais Android e Windows Phone, os números divulgados pela empresa dizem o contrário.

Isso mesmo, a Apple está muito bem com seus consumidores, já que dentre os primeiros sete dias do ano, dois recordes de vendas na App Store, loja de aplicativos para o sistema operacional iOS, foram batidos.

O primeiro foi logo no dia 1º de janeiro, no dia de Ano Novo, quando a empresa bateu o recorde de maior número de aplicativos vendidos em um só dia, com uma receita que assemelha ao ganho anual de uma empresa de porte médio, por exemplo.

O outro recorde batido foi a maior arrecadação na história da loja de aplicativos em uma única semana, com uma receita de 500 milhões de dólares vendidos em apps em apenas sete dias.

Analistas acreditavam que com a morte de Steve Jobs, que era a grande personalidade da empresa, os rumos da Apple poderiam mudar para pior. Porém, os dados revelam que nada disso é verdade, pois a empresa continua crescendo a cada dia, sendo que, no ano passado, ela chegou a custar 700 bilhões de dólares, uma valorização nunca antes obtida.

O atual CEO da Apple é Tim Cook, que continuou de forma satisfatória os trabalhos de Jobs, inclusive com grandes novidades, como a disponibilidade de modelos diferentes de iPhones, que são os smartphones da marca mais famosos do mundo. A introdução do iPhone 5C no mercado, por exemplo, abriu o mercado para consumidores que não comprariam os modelos 5 e 5S devido ao preço, mas mesmo assim não deixou de lado a qualidade do produto.

Outro exemplo de maior oportunidade de escolha para o consumidor foi o mais recente iPhone 6, que está sendo vendido em uma opção com tela de 4,7 polegadas e outra com 5,5 polegadas, ou seja, o consumidor não fica preso a um único aparelho como era antes.

Por Rannier Ferreira Mendes

App Store

Foto: Divulgação


O tão aguardado iPhone 6 e o iPhone 6 Plus chegaram ao Brasil, mas o alto preço fez com que muitos deixassem de adquirir os novos aparelhos. Uma opção, seguida por muitas pessoas, foi comprar os aparelhos no exterior, mas será que vale a pena?

Realmente, analisando pelo lado financeiro é um ótimo negócio comprar o iPhone no exterior, mas é preciso analisar todas as questões, principalmente a da compatibilidade, já que isto pode se tornar uma grande dor de cabeça para o consumidor.

Outra questão que precisa ser muito bem analisada é quanto a garantia do aparelho.

O fato de seu iPhone, comprado no exterior, vir com garantia, não significa que aqui no Brasil ele poderá gozar desta garantia, já que a Apple não oferece garantia global, ou seja, se você comprar um iPhone 6 diferente do que é vendido aqui no Brasil, ele não terá garantia.

Mas, uma decisão judicial está obrigando a Apple a dar garantia a todos os aparelhos, sejam eles comprados aqui no Brasil ou no exterior, por isto, caso seu aparelho dê algum problema ele até poderá contar com a garantia, mas será bem mais complicado do que se o aparelho tivesse sido comprado aqui.

Cuidado também com os aparelhos bloqueados, pois, se você comprar no exterior um iPhone bloqueado, isto será um grande transtorno. Então, sempre compre aparelhos que estejam desbloqueados e que não tenham nenhum vínculo com as empresas de telefonia e outros países.

Tanto o iPhone 6 quanto o iPhone 6 Plus são compatíveis com a rede 4G de banda 7 – 2600Mhz, sendo assim, independente do país onde você comprar seu aparelho, ele será compatível com a internet de alta velocidade aqui no Brasil, se utilizarem a tecnologia GSM.

Nos Estados Unidos, as operadoras utilizam tanto a GSM como também a CDMA, mas, aqui no Brasil, desde 2012, que somente a tecnologia GSM é utilizada para os aparelhos, então cuidado para não comprar um aparelho fora deste padrão.

As operadoras Sprint e Verizon, nos Estados Unidos, utilizam somente o padrão CDMA, ou seja, jamais compre um iPhone destas operadoras, pois certamente ele não vai funcionar aqui no Brasil.

E se for comprar seu iPhone na Europa, vale a mesma dica, compre somente se o iPhone for compatível com GSM, ou seja, o aparelho deverá utilizar o chip SIM para ser ativado.

Por Russel

Foto: divulgação


Desde que surgiram os smartphones, o termo iPhone sempre foi comentado. Isso porque esses aparelhos são os mais famosos mundialmente por sua qualidade. A Apple, fabricante destes smartphones, recentemente lançou a sexta versão o aparelho, porém algo que sempre incomodou os usuários continua presente: o preço!

Em uma declaração para a revista Time, o CEO e um dos fundadores do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que a Apple não se preocupa com seus usuários, já que cobra muito caro pelos seus produtos.

A declaração de Zuckerberg provavelmente está baseada nos preços dos produtos dentro dos Estados Unidos, que são muito inferiores quando comparados com os valores no Brasil.

Como um exemplo, o iPhone 4S, que é o modelo mais antigo que ainda é vendido no Brasil, sai das lojas ainda por pouco menos de R$ 1.000, que é o preço de celulares novos e bons de suas concorrentes, como a Microsoft, a Samsung e a Sony.

Um claro exemplo de como os preços realmente são exorbitantes, a versão “simples e econômica” fabricada pela Apple e lançada em 2013, o iPhone 5C, custa a partir de R$ 1.350, enquanto que o Lumia 930, aparelho top de linha da Microsoft, sai a partir de R$ 1.000.

Se formos levar em consideração os dois últimos lançamentos da marca, o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus, eles custam a partir de R$ 2.569 e R$ 2.959, respectivamente.

Com esses valores, fica claro que o grupo de consumidores procurado pela Apple não é aquele que se preocupa com preço, mas apenas com a qualidade e o status de seus aparelhos.

Outra crítica que Zuckerberg fez à empresa foi a respeito de sua política de privacidade, referindo-se às recentes fotos íntimas vazadas na internet de vários famosos que usavam o sistema de armazenamento em nuvem iCloud. Segundo ele, o sistema de segurança é falho e expõe os usuários a situações desagradáveis.

Por Rannier Ferreira Mendes

iPhone 6 e iPhone 6 Plus

Foto: Divulgação


A Apple, empresa gigante de tecnologia dos Estados Unidos, está promovendo, em associação com a RED, uma campanha para uma associação que ajuda os portadores de AIDS na África. Para tal, a empresa dedicará parte de seu lucro bruto adquirido em vendas em dias específicos para a campanha.

Como o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS é comemorado no dia 1º de dezembro, a empresa doará parte do valor pago por cada produto, acessório ou cartão de presente para o Fundo Global de combate à AIDS. As vendas que serão consideradas para a doação serão tanto das lojas físicas da marca, assim como da loja virtual, a Apple Online Store.

Além disso, alguns aplicativos específicos que participam do (PRODUCT)RED terão sua receita de compras tanto do app quanto de compras dentro dele destinada para a fundação. O período em que valerão as doações será desde o dia 24 de novembro, segunda-feira, até o domingo, dia 7 de dezembro deste ano de 2014.

Dentre os apps que participam da campanha, estão: Angry Birds, Bubble Witch 2 Saga, Clash of Clans, Clear – Tarefas e Lista de Afazeres, CSR Racing, Cut the Rope 2, Meu Malvado Favorito: Minion Rush, djay 2 for iPhone, FarmVille 2 Aventuras no Campo, FIFA 15 Ultimate Team by EA SPORTS, Fronzen Free Fall, GarageBand, Heads Up!, Kim Kardashian: Hollywood, Receitas Kitchen Stories, Monument Valley, Over, Rayman Fiesta Run, Star Walk 2 – Guide to the Sky Day and Night, o Corpo, The Sims JogueGrátis,Threes! e Toca Town.

Já há algum tempo, uma linha de produtos da Apple já tem seu lucro destinado para o Fundo Global, os chamados (PRODUCT)RED.

Dentre os aparelhos e acessórios disponíveis, estão o iPod shuffle, o iPod nano, o iPod touch, a Smart Cover para iPad mini, a Smart Case para iPad mini, a Smart Cover para iPad Air, a Smart Case para iPad Air, o iPhone 6 Case e o iPhone 6 Plus Case, sendo todos esses produtos da cor vermelha.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


O iPhone 6, um dos produtos mais cobiçados no Brasil e no mundo, teve seus preços revelados no início deste mês. Entretanto, viajar para comprar o aparelho nos Estados Unidos pode sair mais barato do que adquirí-lo no Brasil.

O modelo mais em conta do iPhone 6 no Brasil custa R$ 3.199 e o modelo mais caro custa R$ 3.999. Nos Estados Unidos, o iPhone 6 em sua versão desbloqueada sai por US$ 649, aproximadamente R$ 1.676, ao mesmo tempo, a mais cara sai por US$ 849, ou seja, em torno de R$ 2.193.

No Brasil, o iPhone 6 Plus (smartphone da Apple anunciado em setembro de 2014 rodando o sistema operacional iOS 8) será vendido no intervalo de preço de R$ 3.599 e R$ 4.399, enquanto nos EUA sai entre US$ 749 e US$ 949, ou R$ 1.934 a R$ 2.451.

Em razão dos preços mais elevados, uma viagem para os Estados Unidos passa a valer a pena, mas apenas se você tiver a intenção de fazer algo por lá.

Atualmente, a viagem de ida e volta mais barata para os Estados Unidos pode ser adquirida por R$ 1.760, com destino a Miami, na Flórida, saindo de Guarulhos, principal aeroporto brasileiro. Embora algumas outras passagens possam ser compradas por  R$ 1.770,  mas não foge muito deste valor.

Contudo, se você decidir realizar a compra do iPhone 6 Plus por aqui, vai gastar a mesma quantia de qualquer maneira. Optando pela viagem, você “ganha" o valor da passagem de graça e ainda pode desfrutar um pouco da viagem para os país por apenas um pouco a mais do que já gastaria ao comprar o aparelho no Brasil

Entretanto, você precisará pagar 50% sobre o valor que exceder a cota de importação, que é de US$ 500. 

E agora, já decidiu onde irá comprar o seu iPhone 6?

Por Raquel Alice

Foto: divulgação


Se você é um bom amante de automobilismo já deve ter testado alguns jogos em seu iPad ou iPhone. No entanto, pode ter ficado perdido devido ao enorme catálogo de opções de games desta categoria. Há diversos jogos de desenvolvedoras bastante competentes para você passar o tempo se divertindo em seu dispositivo móvel.  

Atualmente os amantes de games de corrida podem ter quase uma experiência de simulador diretamente de seu aparelho móvel. Pensando em selecionar as melhores dicas relacionadas a jogos de corrida para dispositivos da Apple, elaboramos uma lista com três jogos incríveis. Confira abaixo:  

– Asphalt 8: Airborne:

Esse jogo também está disponível para aparelhos Android e Windows Phone, além dos dispositivos da Maçã. A série do Asphalt é uma das mais reverenciadas entre os games de corrida. Sua oitava edição traz algumas modificações referente as demais. A melhoria nos gráficos é algo que deixou o game ainda mais impressionante e apaixonante para os jogadores. Certamente você se sentirá impressionado ao rodá-lo em seu aparelho móvel.  

No Asphalt 8: Airborne há diversos carros para você escolher. Os 47 carros disponíveis estão divididos em classes, onde poderá acelerá-los em diversos circuitos, entre eles Brasil, França, Islândia, Japão e outros. Apenas no modo carreira existem 180 eventos e oito temporadas.

É possível jogar com outros adversários reais com o sistema multiplayer. Neste modo as corridas estão divididas em "Eliminação", "Clássico" e "Infecção". O Asphalt 8: Airborne ainda possibilita os jogadores gravarem suas melhores performances no modo carreira. Desta forma é possível utilizar os dados gravados com outros adversários.  

Asphalt 8: Airborne

– GT Racing 2: The Real Car Experience:

Assim como o Asphalt 8: Airborne, este game está disponível para as outras duas principais plataformas (Android e Windows Phone) além do iOS. Ele segue o gênero de simulador de corrida com gráficos incríveis e muito realismo. O jogo conta com uma variedade bastante ampla de carros – 67 no total – que são elaborados de uma maneira bastante realista. Marcas como Ferrari, Nissan, Ford, Audi, entre outras famosas estão presentes.

O GT Racing 2: The Real Car Experience é desenvolvido pela consagrada desenvolvedora Gameloft. Assim os jogadores do game poderão esperar uma boa experiência ao executarem o título em seus aparelhos móveis. O jogo disponibiliza ao jogador um número expressivo de eventos, 1.300 no total. Além disso, atualizações regulares possibilitam novos eventos exclusivos.  

Seu grande diferencial está relacionado a quantidade de carros, pistas e eventos disponíveis. O aspecto gráfico, assim como no Asphalt 8, é impressionante. Há quatro tipos de câmera que possibilitarão ao usuário uma experiência mais ampla da franquia. Ajustes para ajudar os iniciantes a controlar os carros também estão presentes. É possível disputar corridas com amigos e conhecidos por meio do modo multiplayer.   

GT Racing 2: The Real Car Experience

– Real Racing 3:

Este é o principal concorrente do GT Racing 2. Ele apresenta gráficos interessantes que proporcionarão ao jogador um realismo bastante expressivo. No game estão presentes 45 carros com detalhes bastante realistas e diversas pistas. Em relação à versão anterior do game, o Real Racing 3 apresenta muitas novidades. Além de um realismo maior devido à melhoria gráfica, o game conta agora com um sistema de danos persistentes nos carros. Assim, se o jogador não reparar os defeitos oriundos de uma corrida, eles estarão presentes no próximo evento. É possível mudar o ângulo da câmera em várias direções, assim como acontece em outros títulos da categoria. Mas a principal novidade desta versão do game é o TSM (Time Shifted Multiplayer). Ao se divertir neste modo o jogador pode montar uma inteligência artificial capaz de simular como seria um jogador real.

O ponto que pesa contra o Real Racing 3 é sua exigência. Nem todos os dispositivos são capazes de suportá-lo, visto que seus recursos gráficos são bastante acentuados. Além disso, ele ocupa cerca de 2 GB do armazenamento interno de seu device.

Real Racing 3

Fotos: Divulgação

Por William Nascimento


A Apple, famosa fabricante norte-americana de eletros, em breve lançará um dos seus mais esperados produtos, o iPhone 6. O aparelho já está disponível na pré-venda do site da Apple em store.apple.com. O celular chega ao mercado brasileiro com um preço a partir de R$ 3.199,00.

Entre as principais inovações estão presentes duas opções do aparelho: O iPhone 6, com tela de 4,7’’ e o iPhone 6 Plus, com tela de 5,5’’. O valor do aparelho com tela mais extensa é de R$ 3.599,00.

As especificações técnicas podem ser encontradas no site, porém, a fim de auxiliar os futuros compradores, descrevemos aqui os principais destaques:

Em relação às cores, nos dois modelos, encontram-se as cores prateado, dourado e cinza espacial.

A capacidade de armazenamento varia entre 16 GB e 128 GB, sendo que quanto mais espaço de armazenamento possui o aparelho, maior será o seu valor para aquisição. Para se ter uma ideia, o aparelho de 16 GB custa a partir de R$ 3.199,00 e  o aparelho de 128 GB custa a partir de R$ 4.399,00.

O aparelho com 4,7’’ de tela pesa, em média, 129 gramas e o aparelho com 5,5’’ de tela pesa 172 gramas.

É importante destacar-se o fato de o iPhone estar mais fino. Alguns críticos já até geraram comentários do tipo que, se o aparelho for colocado no bolso da calça pode até entortar.

Entre as demais especificações destacam-se: Tela Retina HD, Tela widescreen Multi-Touch de 4,7 polegadas (diagonal) com tecnologia IPS e retroiluminada por LED, resolução máxima de 1920X1080 pixels, 401 ppi, revestimento frontal resistente à impressão digital, suporte simultâneo a vários idiomas e caracteres, alcançabilidade e zoom de tela.

As fotos, agora, terão mais vida. A câmera é de 8 megapixels com pixels de 1,5 µ com lente de cinco elementos com estabilização automática de imagens.

A nosso ver, o aparelho é sensacional, porém chega ao mercado com um preço elevadíssimo. Será peça rara nas ruas do Brasil.

Por Daniel Alves

iPhone 6

iPhone 6

Fotos: Divulgação


Oficialmente divulgado há poucos instantes, a Apple atualizou a versão brasileira do seu site incluindo os preços do iPhone 6 e do iPhone 6 Plus no Brasil. Os aparelhos entraramm em pré-venda na última sexta-feira (7). As entregas, bem como a disponibilidade nas lojas físicas, terão início na próxima sexta-feira (14).

A versão mais simples do smartphone, o iPhone 6 com 16 GB de armazenamento, custará R$ 3.199. A versão mais cara de todas, o iPhone 6 Plus com 128 GB de armazenamento, chegará às mãos do consumidor por R$ 4.399.

No site da Apple é possível parcelar os valores em até 12 vezes sem juros ou em 24 vezes, com juros que variam de 0,9% a 3,9%. Para pagamento à vista há desconto de 10%.

Confira os preços oficiais dos novos iPhones no Brasil:

iPhone 6 com 16 GB – R$ 3.199

iPhone 6 com 64 GB – R$ 3.599

iPhone 6 com 128 GB – R$ 3.999

iPhone 6 Plus com 16 GB – R$ 3.599

iPhone 6 Plus com 64 GB – R$ 3.999

iPhone 6 Plus com 128 GB – R$ 4.399

Segundo o site da Apple, estarão disponíveis aqui versões nas cores prateada, dourada e cinza espacial. Os aparelhos comercializados por esse valor são desbloqueados e compatíveis com conexão 4G de qualquer uma das operadoras brasileiras.

Diante dos valores abusivos do novos aparelhos no Brasil, resta saber quais as prioridades dos brasileiros diante da crise que nos assola, e que foi "mascarada" pelos interesses do atual governo no período eleitoral.

A inflação descarada massacrando os brasileiros desde abril, o aumento da gasolina, da taxa de energia elétrica e dos juros e queda nas ações da Petrobrás. 

É possível que o mercado brasileiro não atenda às expectativas da Apple. Pois o ajuste financeiro está bem abaixo da expectativa de mercado, desfavorecendo às empresas brasileiras. Ao mesmo tempo, a Presidente Dilma Rousseff anunciou que há necessidade de redução de gastos, neste momento.

Por Isabelle da Rocha Camara

Foto: divulgação


O governo da China está sendo acusado de tentar “grampear” os clientes da Apple no país. Uma empresa sem fins lucrativos que monitora a censura na internet naquele país afirmou que as autoridades chinesas realizaram um “ataque malicioso” para obter informações de login de usuários do iCloud, no intuito de ter acesso às iMessages, fotos, contatos e demais dados armazenados na nuvem da Apple.

A empresa, que há algum tempo atrás divulgou ataque parecido ao Google, relatou que alguns navegadores disparam avisos de segurança antes de carregar a página do iCloud, mas outros – inclusive o popular e supostamente seguro “Qihoo 360”, não. Os usuários que ignorarem o aviso de segurança e acessarem a página terão que mudar para a autenticação em duas etapas para garantir a segurança de suas contas.

Ainda não está claro o porquê do ataque, bem como ainda não se tem como confirmar que o governo chinês é responsável por ele, mas provavelmente está ligado aos recentes protestos à política no país que têm ocorrido em Hong Kong, coincidentemente com o lançamento do iPhone 6 na China, que aconteceu na última semana, e ao recente bloqueio do Instagram no país, dessa vez sim, pelo governo chinês, visando prevenir que imagens dos protestos se espalhassem, o que gerou o rumor sobre a origem do ataque ao iCloud.

No início desse mês, em Hong Kong, já tinham sido identificadas evidências de softwares mal intencionados extremamente sofisticados voltados para iPhones desbloqueados, enquanto vários sites pró-democráticos foram hackeados na semana passada.

A Apple já tomou providências para proteger o iCloud e seus usuários, e começou a criptografar seus dados em solo chinês pela primeira vez, e toda a situação sugere que haja algum tipo de conflito entre o governo chinês e a Apple sobre algumas das características do novo aparelho da fabricante e suas funcionalidades.

iCloud

Foto: Divulgação


O iPhone 6 vai ser lançado no Brasil no dia 14 de novembro, mas tem muita gente que não aguentou esperar e quis logo experimentar o novo modelo da Apple e por isso importou o aparelho. Mas quem importou o iPhone 6 Plus de 128GB, pode se preparar para ter muita dor de cabeça ou no mínimo um grande transtorno.

E os usuários do iPhone 6 Plus de 128GB já podem estar enfrentando sérios problemas técnicos com seu aparelho, já que em vários países há reclamações de que o iPhone 6 Plus de 128GB está travando a todo instante e até mesmo reiniciando sozinho. Os usuários que reclamam do problema relatam que o aparelho reinicia sozinho, causando um grande aborrecimento e muito transtorno!

Mas uma observação foi feita, o que chamou a atenção tanto da Apple quanto dos usuários do aparelho, é que geralmente, o problema acontece nos aparelhos que contam com um grande número de arquivos armazenados. Por isso, quem tem o iPhone 6 Plus de 128GB está evitando armazenar grande quantidade de dados no aparelho, até que a Apple defina uma solução definitiva.

A Apple, que até o momento não tinha se pronunciado sobre o problema descrito, está se vendo cada vez mais pressionada a tomar uma providência, já que o problema continua acontecendo e as reclamações estão só aumentando. Pelo visto, a Apple será obrigada a providenciar um recall deste modelo, mas ainda não há nenhuma data definida.

Pesquisadores independentes anunciaram uma importante descoberta sobre o problema e garantiram que isso está ocorrendo devido a uma falha no módulo de memória NAND que é utilizada pelo novo aparelho da Apple. Estas memórias conseguem armazenar um número maior de informações, mas estão mais suscetíveis a erros, como estes que estão sendo relatados.

Mas esta memória é mais barata e foi o motivo pelo qual foi escolhida pela Apple, para evitar que os aparelhos tenham um custo ainda mais elevado. Mas não adiantou a Apple querer economizar, pois ela poderá gastar muito mais tendo que fazer o recall destes aparelhos.

Por Russel

iPhone 6 Plus

Foto: Divulgação


A nova atualização do iOS (8.1) já está disponível, e traz com ela algumas novas possibilidades impressionantes. Antes de mais nada, teremos a introdução do “Apple Pay”, a nova forma de pagamento via celular embutida nos últimos modelos do iPhone (6 e 6 Plus) e iPad (Air 2 e Mini 3). Mas o novo sistema operacional também oferece a capacidade de enviar e receber mensagens de texto e ligações do seu telefone direto no seu Mac, o retorno do “rolo da câmera” e a versão beta da biblioteca pública do iCloud. E muito mais.

A primeira grande atualização do iOS 8 é uma mistura de características que não vingaram na versão original juntamente com mudanças que a fabricante adicionou baseada nos feedbacks de usuários, como o retorno do rolo da câmera. A possibilidade de fazer e receber chamadas através do Mac, bem como utilizar o serviço de SMS no PC, foram anunciadas na Feira Internacional de Desenvolvedores da Apple (WWDC, sigla em inglês), porém a falta de compatibilidade do novo iOS para os celulares com o antigo OS para PC fez com que fosse necessário aguardar uma atualização deste último, o que explica o porquê da funcionalidade não ter sido disponibilizada na primeira versão do 8. Essa característica de compartilhamento dos meios de comunicação é uma grande melhoria, visto a capacidade de receber e enviar, mensagens ou chamadas, a contatos que não utilizam “iDevices”, mudando a visão de que os dispositivos da marca só funcionam entre si em algumas funcionalidades.

O retorno do rolo da câmera elimina certo desconforto no gerenciamento de mídias que acontecia na versão anterior. Quanto ao novo sistema de pagamento da Apple, a princípio será restrito às redes comerciais que aderirem à opção, sem contar que, assim como a maioria das novidades tecnológicas, ainda não estará disponível no Brasil.

O iOS 8.1 estará disponível na opção Software, dentro de “Geral”, no app de Ajustes, caso tenha uma conexão boa, ou se preferir também é possível realizar a atualização via cabo, conectando o dispositivo a um computador que tenha o iTunes instalado. Para utilizar as novas ferramentas de comunicação compartilhadas com seu Mac, terá de instalar neste a versão X 10.10, grátis na Mac App Store online.

Por Felipe Foureaux Freitas

iOS 8.1

Foto: Divulgação


A Apple lançou as novas versões do iPad Air e Mini, que já estão disponíveis para pré-compra no site da fabricante (por enquanto apenas para residentes nos EUA). Porém, uma das inovações mais interessantes da marca da maçã não teve muita propaganda: o novo Apple SIM.

O novo chip permite que mais de uma operadora esteja habilitada nele. Isso mesmo, a Apple está desenvolvendo um SIM card que permite que o celular seja “dual”, “trial” ou até mesmo “poli”, com apenas um chip. Por enquanto os testes estão rodando nos Estados Unidos (como de costume), com a participação de 3 das maiores operadoras do país: AT&T, T-Mobile e Sprint, até agora as únicas que se interessaram, mas a esperança da fabricante é que todas as operadoras participem, visto que ela já vê nos usuários vestígios de satisfação com a ideia de utilizar mais de uma operadora em seus “iGadgets”.

O chip funciona permitindo que você escolha um plano de serviço de uma das operadoras participantes sem a necessidade de ir a uma loja e fazer cadastro, bastando para isso que a localidade onde se encontra tenha cobertura da operadora. A novidade é tão empolgante, pois faz da escolha de operadora celular uma tarefa tão simples quanto pegar um café naquelas máquinas automáticas com uma moedinha de R$1,00. Sem ter que desligar o celular, tirar a bateria e trocar o chip.

A Apple fez questão de deixar claro para as operadoras daquele país que não há nenhum tipo de empecilho para que participem da novidade, e acredita que boa parte da resistência de algumas operadoras seja por receio de entregar nas mãos da fabricante um controle tão grande sobre a escolha dos usuários, num mercado onde estão cada vez mais no controle, visto a facilidade de compra e troca de planos que os pré-pagos disponibilizam.

O novo chip só está sendo enviado juntamente com os novos iPads que contam com a tecnologia 3G (ou 4G), mas já foi anunciado que estará disponível para venda em lojas físicas em breve, por US$5, o que significa que aqueles com aparelhos antigos da Apple também conseguirão usufruir da novidade – o que pode fazer com que todas as operadoras apressem o passo para fazerem parte da novidade.

O SIM card da “maçã” não parece oferecer ameaça ao modelo atual de vendas de smartphones, visto que os subsídios em contrato para “facilitar” a compra destes são muito atraentes quando se compara o valor dos aparelhos “desbloqueados”, mas ele é o pontapé inicial para os planos da Apple de substituir os chips físicos por aplicativos em seus aparelhos que fariam o papel de escolher, conectar e configurar o dispositivo para a rede da operadora selecionada, facilitando, mais uma vez, o poder de controle e escolha dos usuários, e disponibilizando aparelhos ainda mais finos, já que não seriam necessárias as bandejas para inserção do chip.

Por Felipe Foureaux Freitas

Apple SIM

Foto: Divulgação


A cada dia que passa a chegada do iPhone 6 ao mercado se torna mais próxima. Mas não é bom que o brasileiro fique muito feliz com isso, ao menos por enquanto. Claro que o motivo é devido ao fato de que a fabricante não divulgou nenhuma data provável de sua chegada por aqui.

De qualquer forma no último dia 13 a Apple decidiu divulgar uma lista na qual informa quais serão os primeiros países a receberem o dispositivo. De acordo com as informações divulgadas na tal lista serão inicialmente 36 países. Os celulares deverão chegar neles até o final de outubro.

O mais interessante é que o México consta na lista. Ou seja, um país da América Latina e o Brasil ficou de fora. Uma pena para os fãs da marca.

De acordo com as informações divulgadas pela fabricante os novos lançamentos deverão acontecer no período situado entre os dias 17 e 31 outubro de 2014. Alguns dos países que irão receber os novos aparelhos são Grécia, África do Sul, Bahrain, Polônia, Índia, Romênia e Tailândia.

Um ponto interessante de se observar é o fato de que a fabricante tem focado bastante, digamos, “nessa parte do mundo”. Isso até que tem uma lógica quando é percebido que cada vez mais países como a China e Oriente Médio têm tido uma ânsia crescente em relação a esses aparelhos. De uma maneira geral celulares tanto de pequeno quanto de médio porte atingem bons números em vendas por lá.

Tudo isso coloca a região no mapa das fabricantes topo de linha que veem um mercado importante com pessoas dispostas a consumir determinada faixa de produtos que em alguns países não se sairiam tão bem.

A Apple, por sua vez em um comunicado oficial fez questão de destacar que mantém o compromisso de comercializar o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus em 115 territórios até o final deste ano.

Esse objetivo acabou por se tornar o lançamento em escala global mais rápido já feito pela Apple. De qualquer forma resta a expectativa de que o Brasil ainda entre na lista dos dispositivos a serem lançados ainda em 2014.

Por Denisson Soares

iPhone 6

iPhone 6

Fotos: Divulgação


Talvez, de todos os modelos de Iphone Apple lançados, esse seja o mais polêmico, já que alguns usuários do aparelho relatam que, após um tempo com o celular no bolso, o aparelho sofre uma leve deformação (dobra).

O fato ganhou destaque com vídeos lançados por pessoas que fazem testes com aparelhos telefônicos. Nos vídeos, os usuários mostram claramente como é fácil entortar o aparelho sem muito esforço e, com esses vídeos, muitas explicações para o ocorrido têm aparecido.

Mas os relatos são limitados, já que usuários comuns não relataram ter esse tipo de problema. Já surgiram algumas teorias, como: "a calça é apertada demais" ou "o usuário tem a mão muito pesada".

Muitos especialistas disseram que a deformação se dá por conta do corpo ser constituído por alumínio e outros disseram, como dito acima, ter sido pela força exercida pelos usuários sobre o aparelho, mas a explicação mais coerente até o momento é a que foi sugerida por um usuário do aparelho, que utiliza o nome de alleras4 (username).

Alleras4 explica que a deformação é causada por um reforço que há dentro do aparelho, preso por um parafuso, que fica situado atrás do botão de volume do smartphone. Esse parafuso marca o fim desse reforço, o que deixa o resto do corpo propenso à deformação quando uma pequena força for exercida na área sem proteção.

Alleras4 deixa claro que essa teoria é baseada na estrutura básica do smartphone e que podem surgir explicações diferentes para o ocorrido. O usuário também compara o problema com outros smartphones, já que outros modelos não sofreram a deformação, e diz que o fato se dá pela estrutura metálica que deveria ter a função de reforçar e não girar e que se fosse mais além a estrutura, o aparelho seria mais resistente.

Em outras palavras, o smartphone sofre a deformação em um ponto específico, na viga que fica sensível por não ter uma continuação da estrutura de reforço.

Por Ingrid Oliveira

Foto: Unbox Therap 


Agora que o iOS 8 foi lançado, os usuários dos aparelhos da Apple têm recebido versões extremamente melhoradas de seus aplicativos favoritos, projetados para aproveitarem ao máximo os novos recursos do novo sistema operacional – como a opção de criar “widgets” customizados na Central de Notificações.

Ontem, o serviço de compartilhamento de arquivos Dropbox disponibilizou a atualização do seu aplicativo para o iOS 8, com um widget próprio que oferece uma visualização rápida dos arquivos e mudanças recentes, como edições e arquivos renomeados, na Central de Notificações, recurso até então indisponível, nas três opções de abas: All, Personal e Business (Todos os Arquivos, Pessoais e Negócios).

Outros recursos da atualização facilitam o gerenciamento das pastas, a conexão ao Dropbox através de outros aplicativos, sem a necessidade de procurá-lo nas telas iniciais, e permissões para usuários do serviço, sendo possível a autorização do tipo “apenas leitura” para usuários “Business” ou “Pro”.

As pastas compartilhadas também passam a ter a opção de serem criadas e gerenciadas a partir de iPhones e iPads, atualização que não é somente devido ao lançamento do novo iOS, mas uma demanda antiga dos usuários do Dropbox, assim como a opção de liberar arquivos somente para leitura em pastas compartilhadas.

O link da pasta pode ser compartilhado no menu de ação do app ou podem ser enviados convites aos usuários para acessarem uma pasta e gerenciarem o nível de acesso dos mesmos.

Como o iOS 8 suporta extensões de aplicativos, agora passa a ser possível também importar e exportar arquivos para outros aplicativos que suportam as extensões do provedor de armazenamento da Apple, sendo necessário apenas tocar no ícone “(…)” no topo da lista de arquivos e ativar o Dropbox como uma opção de Provedores de Gerenciamento de Arquivos (ou algo do tipo “Manage Storage Providers”).

Em resumo, as atualizações de aplicativos provenientes da necessidade de se adequar às novas funcionalidades do iOS 8 estão ultrapassando as expectativas com relação às funcionalidades, visto que os desenvolvedores parecem estar aproveitando a oportunidade para atenderem solicitações antigas dos usuários do sistema operacional da Apple.

Por Felipe Foureaux Freitas

Foto: divulgação


O Apple Watch é a grande sensação do momento, apresentado pela empresa no último dia 9 o relógio inteligente da Apple é totalmente integrado ao iOS e por isto garante maior interatividade e usabilidade para os usuários. Mas o Apple Watch não é o único relógio inteligente do mercado, o Google já está tentando dominar esta área com o Android Wear, assim como a sul coreana Samsung que já comercializa o Samsung Gear e até a LG está disputando este mercado com o LG G Watch!

Mas os smartwatches são novidades no mercado e muita gente ainda não sabe exatamente para que eles servem, quais as funções oferece e principalmente, qual a vantagem de se ter um relógio inteligente.

Primeiramente o usuário deverá entender que, a grande vantagem de um relógio inteligente é que ele funciona como uma extensão do seu smartphone, sendo assim, podemos dizer que é quase uma obrigatoriedade ter um smartphone em mãos, quando estiver usando seu relógio inteligente.
Não que seja obrigatório, mas claro, vai ser muito mais interessante.

Esta integração entre o relógio inteligente e o smartphone se dá via Bluetooth, para que o usuário possa conferir seus e-mails, torpedos, etc. Tanto o relógio inteligente do Google quanto o da Apple, contam hoje com vários aplicativos que  disponibilizam para os usuários informações variadas, como o trânsito, localização, entre muitas outras. Também é possível ter acesso e controle a músicas, acionar comandos com a voz, consultar o calendário, verificar a previsão do tempo, entre muitas outras possibilidades.

O grande desafio das empresas é que estes relógios inteligentes possam ser cada vez mais independentes dos smartphones e finalmente conquistem sua liberdade, por exemplo, o Apple Watch já permite que o usuário possa atender uma chamada telefônica sem precisar pegar o iPhone, podendo mantê-lo no bolso ou na bolsa, enquanto atende a ligação. Já o Gear S da Samsung permite a realização de chamadas telefônicas.

O Moto 360 já deverá estar disponível no mercado nacional ainda este ano e será um importante passo para o crescimento deste mercado que é muito interessante, repleto de novas tecnologias e promessas, mas ainda não despertou o interesse dos consumidores.

Por Russel

Apple Watch

Apple Watch

Android Wear

Android Wear

Samsung Gear

Samsung Gear

LG G Watch

LG G Watch

Fotos: Divulgação


Além dos novos iPhones a Apple também está apostando no iOS 8, o novo sistema operacional da empresa para plataforma móvel, rodando tanto no iPhone quanto no iPad.

O visual do iOS 8 é praticamente o mesmo de seu antecessor, a Apple não quis mudar muito para não dificultar para os usuários que estão cada vez mais habituados com o iOS. Mas nem por isso o novo iOS deixou de trazer novidades e elas são muitas!

Uma melhoria que vai agradar é quanto ao dicionário que sempre tentou ajudar aos usuários, mas muitas vezes acabou atrapalhando com sugestões de palavras erradas. Mas no iOS 8 as sugestões serão mostradas no topo do teclado e para que esta sugestão seja aceita, será preciso que o usuário toque na palavra. Antes, a inclusão da sugestão era feita quando se pressionava a tecla de espaço e por isso havia muitos erros, pois o usuário acabava inserindo sugestões erradas sem saber.

O Aplicativo de Notas também ganhou uma importante melhoria, principalmente para quem desejar inserir uma imagem em suas anotações, assim o aplicativo ficou mais completo e funcional.

O Aplicativo de Mensagem também passou por melhorias e ficou muito parecido com o WhatsApp, pois permite conversas em grupo, além de gravação de vídeo, capturar foto e até compartilhar a localização do usuário. Se quiser gravar, será preciso que você pressione o ícone do microfone e fique pressionando por alguns instantes.

Mas um dos recursos que mais vai chamar a atenção é o Time-lapse e Timer na câmera, que deixará o aparelho tirando fotos, mas seguindo um intervalo de tempo e no final será gravado um vídeo onde as fotos serão mostradas em sequência e o efeito é muito interessante. Antes, os usuários precisavam baixar algum aplicativo que oferecesse esta opção, mas agora não será mais preciso. O problema foi que a Apple disponibilizou o tempo de 3 ou 10 segundos para tempo de espera, não deixando a cargo do usuário escolher este intervalo de tempo.

O iOS 8 é na verdade, uma atualização do iOS 7, mas trouxe muitas novidades e os usuários certamente vão aprovar.

Por Russel

iOS 8

Foto: Divulgação


Depois de meses de rumores sobre a nova geração de smartphones da Apple, a empresa americana anunciou na tarde desta terça-feira (09) em Cupertino, na Califórnia, o mais novo iPhone. Aliás, a companhia anunciou dois modelos de aparelhos, com os nomes de iPhone 6 e iPhone 6 Plus.  

Em seu evento a Apple foi direta ao anunciar os novos produtos. Tim Cook, CEO da empresa, logo revelou os primeiros detalhes do iPhone de sexta geração e de seu modelo de tela maior. Ficou claro que os principais rumores envolvendo o aparelho eram verdadeiros.  

O iPhone 6 possui uma tela LED de 4,7 polegadas com resolução de 1704×960 pixels e 416 ppi, além de estar equipado com a tecnologia IPS. O smartphone virá de fábrica com o novo sistema operacional móvel da Apple, o iOS 8. As especificações ainda indicam um processador Apple A8 dual-core de 2 GHz, co-processador M8, 1 GB de RAM e bateria de 1.810 mAh. Haverá quatro opções de armazenamento interno: 16 GB, 32 GB, 64 GB e 128 GB. A câmera traseira virá com autofoco, dual LED e 8 megapixels.

Duas novidades são a tela de cristal de safira que deve ser bastante resistente e a tecnologia NFC que deverá ser muito útil ao serviço Apple Pay anunciado pela empresa. O já conhecido TouchID, sensor de impressão digital, também está presente no dispositivo.  

Já o iPhone 6 Plus é um pouco mais potente com 2 GB de memória RAM. O aparelho é maior que seu irmão, com uma tela de 5,5 polegadas. O restante das especificações são parecidas.  

De acordo com a Apple, a pré-venda dos novos aparelhos começa nesta sexta-feira (12), e os envios estão programados para a próxima sexta-feira, dia 19 de setembro.

O valor do iPhone 6 de tela com 4,7 polegadas será a partir de US$ 199 para a versão de 16 GB de capacidade interna, US$ 299 para a de 64 GB e US$ 399 para o modelo de 128 GB. Já o iPhone 6 Plus custará US$ 100 a mais para cada versão: US$ 299 (16 GB), US$ 399 (64 GB) e US$ 499 (128 GB). No entanto, estes valores estão vinculados a um contrato de dois anos com as operadoras americanas, Verizon, Sprint e AT&T.  

Além dos novos iPhones, a Apple anunciou o seu relógio inteligente, o Apple Watch

Por William Nascimento

iPhone 6 e iPhone 6 Plus

iPhone 6 e iPhone 6 Plus

iPhone 6 e iPhone 6 Plus

Fotos: Divulgação


A Apple lançou o novo iPhone 6 e mais uma vez, a empresa conseguiu surpreender o mundo. O iPhone 6 é  um dos assuntos mais comentados do Twitter durante toda terça-feira (09) e já é objeto de desejo de milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil não é diferente e já tem muita gente planejando trocar o seu smartphone por um iPhone 6, o problema é o valor do aparelho que é alto, principalmente aqui, em terras tupiniquins.

Uma ótima dica para quem está pensando em comprar um novo iPhone 6 é vender o aparelho antigo. Por isso é tão importante conservar ao máximo o smartphone, porque quanto mais conservado estiver o seu aparelho, maior será o valor obtido nele e consequentemente, maior será o valor arrecadado para comprar o seu novo smartphone.

E o iPhone 6 já está sendo considerado como um dos melhores aparelhos já produzidos pela Apple, pela sua tecnologia avançadíssima e a quantidade de novidades que o aparelho disponibiliza. E com tantos atrativos, o iPhone 6 chamou a atenção do mundo inteiro e são muitas as pessoas desejando ter um aparelho deste.

Uma das novidades do novo iPhone é o seu tamanho, sendo que há uma versão menor e uma maior e isso é para competir com a forte concorrência da Samsung que está investindo pesado nesse mercado.

E a dica é vender o seu aparelho o quanto antes, principalmente se for um iPhone. Pois com o novo lançamento do iPhone 6, os iPhones mais antigos terão o valor reduzido daqui para frente, ou seja, quanto mais você demorar a vender o seu aparelho, menor será o valor obtido.

Lembre-se de limpar bem o seu celular antigo e retire todas as informações pessoais dele. Você pode também instalar alguns aplicativos interessantes, para ajudar a valorizar o aparelho, mas dê preferência para os aplicativos mais leves, para que rodem sem problema quando o possível comprador for fazer um teste.

Se você for comprar seu iPhone 6 à vista, então será interessante se você conseguir vender o seu antigo celular também à vista, mas lembre-se que pela lei da oferta e da procura, quem compra à vista sempre pede um bom desconto. E talvez até seja interessante você dar este desconto para ficar livre de seu antigo celular o mais rápido possível, evitando que ele desvalorize e assim possa comprar logo o seu novo iPhone 6.

Por Russel

iPhone 6

iPhone 6

iPhone 6

Fotos: Divulgação


Quem nunca ouviu falar do famoso iPhone? Um dos smartphones mais vendidos e desejados do mundo. Criado pela Apple, uma das empresas tecnológicas mais respeitadas mundialmente, a primeira geração de iPhone foi lançada em 29 de junho de 2007. O crescimento de sua popularidade não parou de progredir desde então, dando ao mesmo a consideração de principal aparelho lançando pela empresa nos últimos anos. Com um smartphone a vida ganha mais dinamismo seja em nível pessoal ou profissional, uma vez que os apps nesses aparelhos dão ainda mais atrativos a esses produtos que são campeões em vendas.

A cada lançamento (2G, 3G, 3GS, 4, 4S, 5, 5C, 5S) o número de fãs por este smartphone só aumenta. Nem mesmo os preços intimidam seus admiradores, que anseiam pelo “celular com a marca da maçã”, que varia acima de R$ 1.000,00 a mais de R$ 3.000,00.

Mas para quem pensou que eles iriam parar por aí, o iPhone 6 (próximo smartphone) poderá ser considerado como o maior lançamento da história da Apple.

Não existe nenhuma data definida ainda para o lançamento, há apenas estimativas da imprensa internacional de que sua apresentação ocorrerá no dia 9 de setembro, por ser um dia que a empresa tem agendado um encontro com a comunicação social, o que gera ainda mais expectativa no público.

Mas essa expectativa não vem à toa, há várias especulações sobre como será esse novo “fenômeno” tecnológico. Uso de apenas uma película BEF (tecnologia utilizada nas telas de dispositivos eletrônicos que garante mais brilho e luminosidade) em vez de duas garantindo assim redução da espessura do iPhone e tornando-o um dos aparelhos mais finos do mercado, tela de 4,7 polegadas, com uma outra versão display de 5,5 polegadas, opção do aparelho com 128GB, são exemplos de deduções que andam circulando pela internet antes da apresentação oficial do iPhone 6.

Além das várias hipóteses levantadas, várias imagens e vídeos circulam pelas redes sociais, nada oficial, nem confirmado pela Apple até hoje. O suspense imposto pela empresa só provoca ainda mais ansiedade pela chegada do smartphone. O que se pode garantir é que será um verdadeiro sucesso como tem sido desde 2007 e, com certeza, seguirá como um campeão em vendas no ramo de eletro/eletrônicos.

Por Michelle de Oliveira

iPhone 6

Foto: Divulgação


Os preços praticados pelo iPhone, carro chefe da empresa Apple, estão cada vez mais caros aqui no Brasil. E não é só pelo custo de importação, o fator “ostentação” ainda é um ponto que encarece o produto e os modelos vendidos aqui estão muito acima da média mundial, fazendo com que muitos consumidores optem por outras marcas. Para mudar o quadro a Apple estaria negociando com as principais operadoras atuantes aqui para diminuir a diferença e vender os aparelhos a um preço mais competitivo, o que trará mais consumidores. 

Essas ações já ocorrem em outros países, como os Estados Unidos em que a companhia estaria conversando ao menos com duas operadoras sobre um modelo de subsídio para tornar o preço mais baixo. Por lá, a legislação permite que o cliente assine contratos de fidelidade mais longos, amortecendo o valor cobrado pelo iPhone e outros produtos da Apple. Em tese, a prática é proibida no Brasil, mas muitas operadoras oferecem até mesmo celulares gratuitos aos clientes que assinarem determinados planos.

A ideia da Apple é de apostar em planos mínimos e descontos válidos quando o cliente firma um contrato com a operadora, contudo ainda não há informações de quando começará a prática pela Apple, mas é certo que já está nos planos da companhia. É certo que saia antes do lançamento do iPhone 6 no Brasil. Nos Estados Unidos ele está previsto para sair em setembro, mas por aqui ainda não se sabe quando o modelo irá desembarcar.

Atualmente, o modelo mais recente da Apple é o iPhone 5S, lançado em novembro do ano passado aqui com valores entre R$ 2,8 mil e R$ 3,6 mil. Preços muito acima dos praticados nos EUA, em que o modelo é vendido por US$ 400, algo em torno de R$ 880 (sem impostos). O principal fator que encarece o valor são os impostos referentes à importação e demais encargos. 

Por Robson Quirino de Moraes

iPhone 6

Foto: Divulgação


A Apple ainda não lançou o badalado iPhone 6, mas a imprensa internacional já destaca informações sobre as possíveis novas ferramentas disponíveis no modelo, as quais causarão “frisson” aos usuários da marca. Um dos itens de destaque é uma espécie de sensor com capacidade para medir a tempetarura, a pressão atmosférica e também a latidude, segundo reportagem do “Business Insider”.

Um dos objetos mais cobiçados de 2014 no mundo da tecnologia pode ter um tipo de barômetro, que ajudará no monitoramento da pressão do meio ambiente. A partir do barômetro será possível mensurar a pressão do ar e determinar sobre a possibilidade de haver uma dia ensolarado ou até chuvoso, por exemplo.

A Apple aderiu aos barômetros tardiamente, quando comparado a marcas concorrentes que utilizam o sistema Android, como o modelo Samsung Galaxy Nexus

A aplicação do novo sensor do iPhone 6 potencializaria de forma eficaz a obtenção de dados como mapeamento, localização e informações meteorológicas, de acordo com informações do “Business Insider”. É provável que o barômetro seja acoplado em um coprocessador para que a execução das tarefas seja bem-sucedida.

De certa forma, com a nova ferramenta, para obter informações sobre o meio ambiente – desde temperatura e outras dados climáticos -, o usuário da Apple não precisaria estar conectado à internet ou acessar aplicativos sobre o tema. A Apple ambiciona fornecer dados “precisos e confiáveis”, de acordo com informações do site norte-americano. Os novos iPads provalmente também contarão com a novidade.

Além da ferramenta, o iPhone 6 terá imagem signicativamente mais nítida, se comparado às edições anteriores da marca norte-americana. Com vidro de safira, o aparelho contará com forma mais fina e design moderno. Há especulações sobre o tamanho da tela do modelo, que será maior do que o habitual.

Segundo sites e blogs norte-americanos, a empresa com sede no estado da Califórnia pretende lançar dois modelos com cerca de 4,7 e 5,5 polegadas. As últimas versões da Apple, os iPhones 5S e 5C possuem telas com 4 polegadas.

Por Letícia Veloso

Foto: divulgação


A Apple foi a grande pioneira ao lançar no mercado o aparelho considerado como o primeiro smartphone realmente inteligente e capaz de realizar tarefas que nenhum outro aparelho era capaz de fazer.

Ao desenvolver o seu primeiro iOS, a companhia então liderada por Steve Jobs marcava um dos maiores momentos da história, com um dispositivo realmente inteligente que era capaz de fazer diversas tarefas até impossíveis para os aparelhos celulares da época.

Com o primeiro iPhone, não foi somente a experiência do usuário que mudou, a sua forma de interagir com o mundo também foi alterada, graças aos diversos sensores que o aparelho incorporava, além de uma câmera de qualidade muito superior aos outros concorrentes.

Com o avanço da plataforma, surgiram novas tecnologias que consolidaram ainda mais o iPhone como um aparelho top de linha, como, por exemplo, o seu leitor de impressões digitais, que facilita muito a vida do usuário. Agora, com o novíssimo iOS 8 a Apple pretende ir ainda mais longe para facilitar a vida de quem faz compras com o cartão de crédito.

O sistema de utilização de impressões digitais para pagamentos já é uma realidade e realmente garante a segurança do usuário. Agora, a Apple vai ainda mais longe nesse ramo com a capacidade de fazer pagamentos apenas utilizando-se a câmera do smartphone e um cartão de crédito.

Segundo o site especializado 9to5Mac, o novo sistema operacional anunciado recentemente pela Apple possui uma funcionalidade em seu navegador Safari que permite utilizar a câmera do iPhone para escanear os dados do cartão de crédito.

Isso pode ser usado em sites que exijam que o usuário entre manualmente com as informações de cartões de crédito, como o Amazon.com. Ao invés de inserir cada detalhe do cartão, será possível apenas fotografá-lo para que as informações sejam inseridas automaticamente no formulário.

O iOS 8 ainda está em fase beta e só é usado por desenvolvedores atualmente e deve ser liberado apenas em meados de outubro. 

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


Se você é um daqueles aficionados por novos lançamentos e anda todos os dias dando uma conferida no que rola na rede sobre as novidades fique sabendo que enquanto a maior parte dos meros mortais aguarda ansiosa o anúncio do lançamento oficial do iPhone 6 já tem celebridade que botou as mãos no dispositivo. Nesse caso estamos falamos de uma cara que a maior parte de nós nem conhece ou ouviu falar, mas que é famoso em Taiwan, o sujeito se chama Jimmy Lin, o rapaz faz um pouco de tudo: é ator, cantor e até piloto de corrida. Ou seja, um ótimo garoto propaganda que apareceu recentemente em fotos com o iPhone 6.

Apesar de muita gente duvidar do fato as imagens até aparentam ser bastante reais. Isso se levarmos em consideração o histórico do dito famoso que em tempos passados  foi a “cara” responsável pela exibição antes do tempo do iPhone 5C. Lin parece continuar gostando já que agora reaparece com novos detalhes (em relação ao design) do aparelho.

Mesmo não havendo sido divulgadas informações sobre configurações concernentes ao aparelho é possível perceber algumas alterações. Um exemplo é o caso do botão de bloqueio que foi movido para a lateral do dispositivo com o objetivo de evitar o que o tamanho do mesmo aumentasse. Outro detalhe são as margens que agora são menores em torno do display.

Um ponto interessante é que o flash dual-LED ao que parece foi aposentado pela empresa. O aparelho em si com relação a suas características externas é bem parecido com o iPhone 5S.

Vale lembrar que a Foxconn, empresa que é parceira da Apple na fabricação do novo iPhone, já havia confirmado anteriormente versões do aparelho contando com 7,7 polegadas e com 5,5 polegadas. Mesmo assim, até o momento a Apple ainda não disse nada sobre o assunto.

De qualquer maneira a expectativa é de que o aparelho seja lançado a partir de setembro.

Por Denisson Soares

Jimmy Lin com iPhone 6

Foto: Divulgação


O principal executivo da gigante empresa Apple, Tim Cook, destacou durante o tradicional WWDC (WorldWide Developers Conference), realizado na cidade de São Francisco – na Califórnia -, nos Estados Unidos, que houve aumento significativo de novos clientes para a empresa vindos do principal concorrente do grupo norte-americano, o sistema Android, do Google.

Cook alfinetou os oponentes ao dizer que o novo público está bastante satisfeito com a nova escolha e passou a experimentar “uma experiência bem melhor” com a Apple. Em 2013, a empresa fundada por Steve Jobs obteve mais de 130 milhões de novos clientes no mundo.

A declaração evidenciou mais uma disputa acirrada entre os gigantes da tecnologia pelo domínio do mercado mundial. “Para a Apple, de fato, o que mais importa no mundo é a competição com o Android”, afirma Jay Yarow, do site norte-americano “Business Insider”.

Yarow também destaca que muitos usuários ainda preferem o sistema Android, devido ao preço mais acessível e tecnologia atraente. Yarow afirma em seu texto que os usuários esperam um hardware de baixo custo. “Possivelmente a Apple tende a lançar um iPhone mais barato nos meses seguintes”, diz.

Tim Cook, o atual CEO da Apple, anunciou na segunda-feira (2) que o iPhone, produto mais popular da marca, atingiu mais de 500 milhões de vendas no mundo. O iPad chegou a mais de 200 milhões de vendas no planeta. Já o iPod registou mais de 100 milhões de produtos vendidos.

Os resultados oficiais foram divulgados durante a edição 2014 do WWDC, evento que sempre divulga novidades da Apple. Na ocasião, a companhia lançou também iOS 8 para iPhone.

Ainda de acordo com Jay Yarow, em matéria publicado no “Business Insider”, é praticamente redundante afirmar que o iPhone “é de longe o produto mais bem-sucedido e mais importante da Apple”, apesar do iMac e iPad serem “produtos maravilhosos”.

Por Letícia Veloso

Foto: divulgação


Durante evento realizado em São Fracisco, nesta segunda-feira 2 de junho, a Apple apresentou o novo sistema operacional para os iPhones e iPads que provavelmente chegarão ao mercado ainda este ano. O Worldwide Developers Conference (WWDC) da Apple, a marca conhecida pelo icone da maçã, é, atualmente, um dos eventos do universo da tecnologia mais aguardado.

Segundo o site G1, dentre as inovações apresentadas pelo novo sistema, encontra-se um recurso denominado "HealthKit", que concentra dados de aplicativos da área da saúde, e um serviço chamado "HomeKit", para possibilitar aos equipamentos da marca controlarem dispositivos da casa como fechaduras inteligentes, termostatos e até a iluminação.

Em relação às imagens, segundo informações do site americano da Apple, o novo sistema tornará mais simples o manuseio para você encontrar suas fotos favoritas, além de ferramentas excelentes e potentes de edição.

Ainda segundo informações site oficial da marca, O iMessage ganhou melhorias que o aproximam do WhatsApp, sendo possível mandar e receber mensagens de áudio e de vídeo, sem necessariamente abrir o aplicativo.

Certamente, a grande inovação desta nova versão do sistema é a aba de notificações que permite ao usuário interagir com os conteúdos, sem necessariamente acessar o aplicativo em questão.

No iOS 8 você vai encontrar uma nova maneira conveniente para responder às notificações. Atalhos úteis para as pessoas que você conversa mais e recursos para gerenciar seus e-mails de economia de tempo.

De forma geral, o IOS 8 vem com a característica marcante de facilidade de uso aliada a qualidade dos aparelhos, visando deixar mais acessível o manuseio. O novo sistema operacional será compatível com os seguintes aparelhos da marca: iPhone 4s, iPhone 5, iPhone 5c, iPhone 5s, iPod touch, iPad 2, iPad Air, iPad mini.

Por Thiago José Fernandes

Foto: divulgação


O iPhone 6 é um dos aparelhos mais esperados para o ano de 2014. Se os rumores recentes se confirmarem, teremos um dos dispositivos mais tecnológicos da nova geração.

Como já é de esperar a Apple deve investir pesado nas configurações do aparelho e também no design. Uma das características que deve estar presente é a resistência à água, já que essa tem sido uma tendência entre os novos smartphones da geração. Embora ainda não tenhamos nenhuma notícia oficial é muito provável que o novo smartphone da Apple seja a prova d’água e tenha a tecnologia NFC incorporada, já presente em diversos gadgets da concorrência.

Em relação ao design, o novo smartphone da Apple deve aparecer com curvas suaves e muito mais fino que seu antecessor. Por enquanto, uma das poucas certezas que temos em relação ao iPhone 6 é que ele será cerca de 100 dólares mais caro que a sua versão anterior. Isso porque diversas operadoras americanas vieram a público informar que estavam negociando uma redução desse preço junto à Apple.

Essas informações, apesar de serem apenas rumores têm sido divulgadas largamente por alguns dos mais conceituados sites de tecnologia da Web. Um deles, o BrightWire, relatou que uma fonte confiável passou mais detalhes de como a tecnologia NFC poderia ajudar a vida dos usuários. De acordo com essas informações, seria possível comprar e realizar o pagamento apenas ao aproximar o celular de um terminal de compras. Outro fator que pesa nessa informação é o fato de a Apple possuir patentes relacionadas à tecnologia NFC para esse tipo de uso. No mais, o que se espera é que o aparelho seja muito melhor que a sua versão anterior, que já é uma das melhores do mercado.

Com espessura menor, mais sensores, uma câmera e hardware mais potentes, sem dúvida ele será uma das grandes apostas da companhia para este ano. O aparelho deve ser anunciado oficialmente em agosto. O fato de ser o último grande lançamento, já que Samsung, HTC e LG já lançaram seus melhores aparelhos, fará com que a expectativa seja grande.

De qualquer forma, basta aguardar mais alguns meses até que a Apple faça um discurso oficial sobre o modelo.

Por Ebenezer Carvalho

iPhone 6

Foto: Divulgação


A Apple é conhecida pela qualidade na produção de seus aparelhos eletrônicos. Desde o seu surgimento, na época de ouro do jovem Steve Jobs, a companhia americana não poupa esforços para a criação de produtos que se destacam no meio tecnológico.

Toda essa qualidade e cuidados faz com que os produtos da Apple sejam alguns dos mais caros do mundo. Outro fator que também influencia o preço de seus aparelhos é o fenômeno conhecido como “culto à Apple” em que seus consumidores tem se comportado como verdadeiros fãs, adquirindo os produtos da empresa sem avaliar muito o custo benefício.

No Brasil, os impostos cobrados pelo governo em produtos eletrônicos aumentam ainda mais esse valor e fazem com que os aparelhos da companhia americana estejam entre os mais caros do mundo. Infelizmente, essa é uma tendência que não mostra sinais de redução e tem preocupado cada vez mais os consumidores de tecnologia que buscam um preço justo.

Segundo o site Business Insider, especializado em negócios e tecnologia, os preços da Apple no Brasil são absurdamente altos e assustaram inclusive o correspondente enviado para fazer a matéria. Segundo o portal, seus funcionários visitaram a loja iPlaces no Shopping Bourbon em São Paulo e analisaram os preços dos produtos até serem expulsos do estabelecimento por tirarem fotos dos aparelhos.

Nessa loja,o preço do iPhone 5S de 64GB é de 3.600 reais. O mesmo aparelho nos EUA custa cerca de 1.650 reais sem planos de operadoras. Por causa disso, o Brasil tem o título de país cujo iPhone é o mais caro do mundo.

A reportagem relata também que o problema não ocorre apenas com produtos da Apple, mas sim com praticamente todos os itens de tecnologia, inclusive aqueles produzidos nacionalmente. Dentre os fatores responsáveis pelo preço impraticável, a alta taxa tributária de produtos importados aliada à inflação e uma moeda supervalorizada são os principais.

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


A Técnica de Pomodoro é um método de gestão de tempo desenvolvido na década de 80 por Francesco Cirillo e se baseia na divisão do trabalho em períodos de 25 minutos, com intervalos entre três e cinco minutos de descanso entre elas, evitando assim a fadiga mental e consecutivamente o aumento da produtividade.

Baseado nesta técnica, surge o Focus Keeper, um aplicativo para iPhone que intenta acompanhar e aumentar a sua produtividade, sem que haja esgotamento. O Focus Keeper, entretanto é mais do que um cronômetro simples. Ele permite que os usuários criem metas especificas, além de criar gráficos para medição da produtividade. Um gráfico pode mostrar resultados de produtividade no período que compreende uma semana ou os últimos 30 dias.

O tempo é predefinido, considerando 25 minutos de trabalho, acompanhados de pausas curtas de cinco minutos. Este período pode ser ajustado, através de um botão virtual na tela ou acessando o menu de opções que também permite ao usuário estabelecer o número de atividades a serem desempenhadas para uma meta diária.

Através do menu de opções é possível também desativar o alarme do aplicativo. É possível escolher entre cinco sons diferentes, os esquemas de cores do app também pode ser ajustado de acordo com a escolha do usuário.

O Focus Keeper é um aplicativo para iPhone simples mas considerado bem eficaz  e que funciona bem e não apresenta problemas quando usado como atividade de fundo, quando o iPhone tem a opção de hibernação ativada, ou até mesmo enquanto outros aplicativos são acessados​​.

O Focus Keeper tem custo $ 0,99 e está disponível para aquisição na App Store para dispositivos que atuam com iOS em sua versão iOS 7 ou posterior.

O app pode ser bem usual, especialmente para quem atua com serviços onde o tempo é fator critico ou para quem atua no Home Office e tem dificuldades em organizar suas atividades e mensurar sua produtividade.

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


O grande avanço tecnológico das ultimas décadas foi propiciando o lançamento contínuo de novos produtos que antes sequer eram imaginados. Dois ótimos exemplos são justamente o iPhone, uma espécie de celular extremamente avançado e que dispõe de várias funcionalidades, bem como o iPad que é justamente um tablet, que oferece milhares de funcionalidades e muita praticidade quanto ao seu transporte.

Para aqueles que dispõem de um iPhone ou um iPad, sabem da importância de fazer atualizações, ou seja, baixar novos aplicativos que visam integrar ainda mais aparelho e usuário. É por meio dos milhares de aplicativos que podemos encontrar várias utilidades, alguns servem para edição de fotos, outros lhe integram ainda mais a sua rede social dentre vária outras finalidades.

Em relação aos aplicativos mais procurados podemos destacar justamente os editores de fotos, pois no final de tudo todos querem postar uma excelente imagem no seu Facebook ou Instagram.

No entanto, se você já está enjoado de todos aqueles filtros comuns e repetitivos apresentados pelos aplicativos comuns, então saiba que a sua grande alternativa é o Union. Conheça um pouco mais desse excelente editor de fotos na continuação desta matéria.

Como já foi citado acima, o aplicativo Union, é extremamente indicado para aqueles que desejam novos tipos de edições em suas fotos, ou seja, não querem mais ficar presos aqueles velhos e conhecidos filtros. Com este aplicativo você pode realizar colagens e montagens bem avançadas em sua fotografia.

O mesmo também possui os seus filtros, porém, extremamente diferenciados dos comuns. O melhor de tudo é que para realizar as edições e deixar a sua foto bem interessante e exótica, e você não precisa ter conhecimentos avançados em edição. O software é bastante simples de ser manuseado, rápido e muito eficiente com várias ferramentas de edições.

O aplicativo em questão não é disponibilizado gratuitamente, no entanto, seu preço é extremamente baixo, apenas US$ 1,99. Para adquiri-lo basta acessar o site oficial iTunes. Lembrando que o mesmo necessita da instalação do iOS 7.0 ou posterior e é compatível com: iPhone, iPad e iPod touch.

Por Bruno Henrique


A tecnologia é algo presente no cotidiano de milhões e milhões de pessoas em todo o mundo. Dessa forma, a integração entre pessoas e tecnologia movimenta bastante o mercado tecnológico mundial. Sendo assim, o lançamento de novas tecnologias como, por exemplo, tablets, smartphones entre outros é quase que necessário.

Para o seu iPhone ou iPad estar completo, ou seja, dispor de várias funcionalidades a dica é justamente fazer o download ou adquirir aplicativos. Isso mesmo, os aplicativos se tornam cada vez mais comuns atualmente, pois é através deles que a diversão e a interação entre os usuários estão garantidas. Vale ressaltar que existe um grande número de aplicativos disponíveis, sendo muitos deles gratuitos e outros pagos, porém, ambos são interessantes e possuem ótimas finalidades.

Para aqueles que estão em busca de novos aplicativos para integrá-los em seu iPhone ou iPad, saiba que uma das indicações é justamente o Snapchat. Caso ainda não o conheça saiba que este aplicativo possui uma excelente funcionalidade e irá ajudar ainda mais você e seus amigos na forma de interação. O aplicativo dispõe de uma nova forma de interação do iOS, que é justamente o envio e recebimento de fotos em tempo real, sendo que com um tempo limitado de exibição.

A grande vantagem do aplicativo é justamente quanto ao fato do mesmo não se limitar a apenas mensagens, ou apenas imagens, com ele é possível realizar a comunicação por meio de ambas as ferramentas. Vale ressaltar que os usuários podem controlar por quanto tempo seus amigos poderão ver a sua imagem ou foto. Com os poucos segundo de visualização a brincadeira fica cada vez mais divertida, haja vista a curiosidade dos usuários.

O aplicativo em si pode ser adquirido de forma gratuita basta acessar o Play Store por meio de seu aparelho. Para usufruir desta ferramenta é necessário ter o iTunes instalado para baixar o mesmo para iPhone. O mesmo é compatível com:  iPhone / iPod touch (4ª geração) / iPod touch (5ª geração) / iPad 2 Wi-Fi / iPad 2 Wi Fi + 3G / iPad (3ª geração) / iPad Wi-Fi + 4G / iPad (4ª geração) / iPad Wi-Fi + Celular (4ª geração) / iPad Mini e iPad Mini Wi-Fi + Celular.

Por Bruno Henrique

Snapchat

Foto: Divulgação


A Apple sempre foi muito boa na hora de manter segredo sobre o design de seus novos aparelhos. Entretanto, as fabricantes de peças e acessórios nunca fizeram muita questão de esconder detalhes reveladores sobre as possíveis características de futuros lançamentos.

Os vazamentos de imagens e detalhes sobre as características do futuro iPhone 6 estão começando a surgir com mais intensidade na web nas últimas semanas. No mundo da tecnologia, isso é um indício que algo está por vir, e ainda garante que todas as atenções fiquem voltadas para o próximo lançamento.

Os vazamentos de pequenos detalhes costumam ser dos mais variados tipos e acontecem das formas mais inusitadas, desde funcionários desleixados que “esquecem” seus protótipos em mesas de bar até imagens aleatórias que surgem pela internet. Apesar de serem bastante interessantes e despertarem a nossa imaginação, é importante salientar que os rumores não possuem quaisquer confirmações oficiais por enquanto, mas que muitos deles acabam se confirmando no grande dia da revelação.

Segundo informações do site francês NoWhereElse, um possível fabricante de capas teria vazado na internet fotografias que revelam alguns detalhes sobre a disposição dos botões e como seriam as bordas do novo iPhone 6. Não é possível saber se a informação assim como as fotografias são verdadeiras. Apesar disso, é possível ter um gostinho prévio de como poderiam ser as novas características da sexta versão do iPhone.

As imagens mostram uma capa com design levemente diferente, com as bordas mais arredondadas e um reposicionamento dos botões de power e volume. A capa ainda mostra um furo arredondado na parte superior traseira que serviria supostamente para algum tipo de sensor.

O iPhone 6 deve ser anunciado apenas no último trimestre deste ano e a Apple mantém sigilo absoluto sobre as suas principais características. O que se sabe de fato é que deve custar cerca de 100 dólares mais caro que a versão atual nos EUA. Já que as operadoras americanas revelaram que vêm negociando com a Apple uma redução desse valor.

Por Ebenezer Carvalho

iPhone 6

Foto: Divulgação


É célebre o ditado que diz que “quem não dá assistência abre espaço para a concorrência”. No atual momento da HTC isso é mais do que verdade, olhando pelo lado positivo. Assim como em qualquer outra área comercial as empresas fabricantes de celulares além de objetivarem um alto número nas vendas de seus dispositivos também querem a todo custo conquistar a fidelidade de seus usuários. E é exatamente nesse ponto que a HTC tem se dado bem. A empresa não marca presença entre as que são líderes desse mercado. Mas isso não impediu que seus usuários continuassem fiéis à marca. De acordo com informações divulgadas através do site GSM Arena, no mínimo 46% dos compradores do recém-lançado smartphone HTC One M8 já possuíam um dispositivo da companhia.

De acordo com dados levantados pelo CompareMyMobile, um site especializado no que concerne a troca de aparelhos e que também analisa e divulga dados em relação a receptividade de novos modelos em comparação a opções anteriores, do número apontado acima, cerca de 13% já eram possuidores do dispositivo topo de linha da marca, o HTC One. Essa parcela trocou a versão 2013 pela versão 2014 do aparelho sem pestanejar.

Agora uma informação que realmente preocupa alguns – menos a HTC – diz respeito às análises gerais e aos números que foram apresentados pelas mesmas. Para se ter ideia do que acontece nessa fase boa da companhia basta citar o fato de que os índices de troca de smartphones da Apple e também da Samsung pelo novíssimo HTC One M8 se revelaram bastante altos.

Segundo as informações divulgadas uma parcela total de 23,7% dos novos clientes da marca são oriundos de outras empresas, mas em especial das duas citadas acima. O fato é comprovado quando os detentores dos maiores índices de abandono são o iPhone 5 e o Galaxy S4. No caso do Galaxy o percentual de abandono é de 8% enquanto que para o iPhone é de 7%.

Por Denisson Soares

HTC One M8

Foto: Divulgação


A guerra dos smartphones ocorre desde a criação do iPhone pela Apple. Há mais ou menos 8 anos, os aparelhos mais modernos tinham uma tela de capacidade bastante reduzida, uma quantidade enorme de botões físicos e uma interface simples demais se comparada com os aparelhos atuais.

O primeiro iPhone foi destaque no mundo inteiro exatamente pelo fato de possuir um Sistema Operacional próprio que fazia de tudo. A tela de toque, enorme aliada a um design limpo, sem excesso de botões destacava o aparelho dos demais celulares da época. Além disso, o iPhone era um minicomputador, que permitia a navegação na web, realizar videochamadas, ouvir músicas, assistir a vídeos e diversas outras experiências que até então eram impossíveis com outros aparelhos. Pouco tempo depois, o Google apresentou o seu próprio Sistema Operacional para smartphones, já que o iOS da Apple era exclusivo para os iPhones. Com isso, diversas companhias como a Samsung e a LG começaram a produzir e desenvolver novas tecnologias para a criação de seus modelos de smartphones. A partir daí todos nós conhecemos a história; a batalha entre as empresas e seus sistemas operacionais tomou forma e chegamos ao mercado que temos atualmente.

Ao ver o seu império ser tomado aos poucos pelo Android, a Apple tratou de tomar providências para garantir a sua liderança no mercado. Com isso, teve início uma guerra por patentes que a empresa da Maçã insiste em manter. Em mais um dos recentes julgamentos da Apple contra o Google, o vice-presidente da divisão Android, Hiroshi Lockheimer, afirmou que os engenheiros do Google nunca copiaram nenhum dos recursos do iPhone no Android. Ele afirmou ainda que, na verdade, eles tentaram se diferenciar o máximo possível do iOS da Apple.

Como forma de defesa, o Google afirmou que muitas das funcionalidades existentes no Android foram desenvolvidas antes da Apple. A maioria das testemunhas de defesa do Google são executivos da empresa que trabalharam nos projetos de criação do Sistema Operacional Android.

O fato é que nesse duelo de gigantes, quem sai ganhando é o consumidor, que terá a garantia de produtos inovadores e de qualidade, seja quem for o vencedor.

Por Ebenezer Carvalho

Android e iOS

Foto: Divulgação


De fato, a guerra entre Apple e Samsung está declarada. A rivalidade entre os dois melhores smartphones do mercado é imensa. A Samsung apresentou recentemente uma evolução do Galaxy S5, seu principal smartphone que tem literalmente impressionado o mundo da tecnologia. O que é surpreendente é que o Galaxy S5 faz muitas coisas que a tão espetacular Apple, com o iPhone 5S, não pode fazer.

Veja algumas coisas que o Galaxy S5 faz que o iPhone 5S não faz, comprovando que não tem rival: Em parceria com a PayPal, o smartphone da Samsung pode fazer pagamentos seguros através do uso de impressões digitais.

Além disso, o aparelho possui uma câmera de 16 megapixels (o iPhone 5S conta com câmera de 8 megapixels). Mesmo para imagens de objetos em movimento, o aparelho Samsung é superior.

Não bastasse isso, se o Samsung Galaxy S5 cair na água não vai estragar. Já o iPhone nem precisa comentar.

O Galaxy S5 está equipado com um sensor para controlar o batimento cardíaco do pulso (no iPhone você precisa fazer download de um aplicativo para isso). 

Você pode usar o Galaxy S5 como um controle remoto, graças ao receptor infravermelho na parte superior. 

O Galaxy S5 é o primeiro telefone celular com HDR Live View , que permite que você veja o resultado de uma foto antes de tê-la feito.

O Galaxy S5 pode gravar vídeo em 4K (quatro vezes a resolução HD).

Se você decidir emprestar o seu Galaxy S5 para alguém, você pode mudar de um modo para outro. Por exemplo, a modalidade "easy" simplifica a interface, enquanto a modalidade infantil restringe os recursos do gadget.

O display do Galaxy S5 pode se tornar preto e branco para economizar bateria ao mudar sua tela para o modo monocromático, o que dobra a duração da energia remanescente.

Se a bateria começa a dar-lhe problemas, você pode abrir o telefone, retirar a bateria e substituí-la por uma nova. Já no iPhone isso não é possível.

A câmera frontal do Galaxy S5 é muito melhor que a do iPhone 5S.

O Galaxy S5 tem um chip embutido para imagens que ajusta dinamicamente a cor e o contraste da luz que está ao redor.

A Samsung promete inovar ainda cada vez mais e os clientes que fiquem na tentação e nessa estimada disputa, porém, que escolham o melhor para si.

Por Dianne Siniscalchi


A cada nova atualização do seu sistema operacional iOS, a Apple tem o objetivo de melhorar os seus serviços. Para isso, a próxima atualização da marca deverá usar o próprio serviço de armazenamento de arquivos na nuvem para facilitar a vida dos usuários de Mac, iPhone e iPad. Graças ao iCloud, o iOS 8 poderá ser equipado com novos aplicativos para gerenciamento e edição de conteúdo de arquivos hospedados nos servidores da Apple.

Esta informação veio do famoso site de tecnologia 9To5Mac. De acordo com a notícia, a Apple está em fase inicial de desenvolvimento de dois aplicativos, o Preview e o TextEdit, ambos já disponíveis no Mac OS X e para o iOS. Contudo, para inovar, a Apple não quer que o projeto seja exatamente o mesmo. A mudança será no quesito de visualização, ou seja, para o Mac eles são totalmente funcionais para visualizar PDF, editar arquivos e imagens, no celular, serão como links para o iCloud.

Os futuros programas terão o objetivo de sincronizar e facilitar a visualização de documentos salvos pelo Preview e pelo TextEdit no iCloud, além de instigarem os usuários a gerenciar e editar documentos PDF pelo iBooks e outros arquivos pelo kit de programas iWork. Dessa forma, a marca criou uma incrível lógica de interligar todos esses serviços da empresa.

Segundo ainda o site de tecnologia, ainda não se sabe se os aplicativos estarão prontos para uso dos consumidores da marca até o fim do ano, momento provável do lançamento do iOS 8. Além disso, também não se sabe se toda essa estrutura poderá ser aproveitada no sistema. Contudo, a Apple trabalha insistentemente para que tudo possa ocorrer no tempo previsto. Não bastasse isso, a empresa estaria focada em reestruturar o iCloud, adicionando novas ferramentas e possibilidades.

Caso essa informação esteja realmente correta e divulgando os reais objetivos da Apple, as novas opções do iOS 8 estão no foco da marca. Porém, mesmo trabalhando a todo vapor para a realização disso tudo, a companhia está focada também em outras grandes novidades, como o aplicativo de saúde Healthbook, um novo app Mapas e também um aplicativo exclusivo do iTunes Radio.

Por Carolina Miranda


Além de pensar em como será o próximo lançamento, a gigante Apple, considerada a amante dos tecnomaníacos e apaixonados por tecnologia que consegue reunir milhares de pessoas nas portas de suas lojas a cada novo lançamento de algum produto novo, pode estar pensando em trazer novidades mais promissoras para seus ávidos e fiéis usuários. Isso porque a companhia para estar estudando a possibilidade de aumentar a tela de seus iPhones e, além disso, possivelmente trazer uma tela curva e sensores. As informações são da agência Bloomberg.

Seriam grandes mudanças. É o que afirmam as fontes procuradas pela agência, que dizem estar bem atualizadas sobre as intenções da companhia. Isso porque as telas dos novos aparelhos podem chegar em algo em torno de 11,9 cm e 14 cm, ou seja, bem maiores do que os iPhones lançados até hoje.

Já a questão da tela curva e dos sensores, possíveis novidades mais do que esperadas após o lançamento de dois aparelhos das concorrentes LG e Samsung, não foi algo detalhado, mas os rumores dizem que no início do ano que vem já poderemos ter mais notícias sobre o assunto.

A única coisa que se sabe até o momento, é que a Apple está investindo cada vez mais para atender, também, o público que procura aparelhos mais baratos. A marca anunciou que abrirá uma fábrica no Estado norte-americano do Arizona para fazer materiais de safira para seus dispositivos eletrônicos mais populares. O projeto foi anunciado no início da semana passada pelo governador do Estado, Jan Brewer, e pretende fornecer mais de 2 mil vagas de empregos – movimento criado após o exame que detalhou as enormes reservas de dinheiro da empresa e as condições de trabalho nas instalações de fábricas locadas pela Apple na China.

Aos apaixonados resta aguardar tudo que tecnologia Apple vem criando para conquistar seus fãs.

Por Jaime Pargan

iPhone com tela curva

Foto: Divulgação


Segundo informações, a Apple acusa novamente a sua concorrente de violação de propriedade intelectual. Com mais esta ação, chega a 20 o número de processos entre as companhias.  

A companhia de tecnologias, Apple, foi com sua batalha em prol de patentes contra sua concorrente, a Samsung, para o Reino Unido. Entrando com um processo contra a Samsung na corte britânica.  

Segundo o site ZDNet, a Samsung declarou que a ação judicial em questão foi feita em retaliação a um outro processo da empresa (Samsung) contra a Apple ainda neste ano. O novo processo é o 20º trocado entre as duas fabricantes.  

A Apple declarou que a linha de smartphones e tablets "Galaxy" estão violando suas patentes dos aparelhos iPhone e iPad. Porém, as patentes específicas não foram ainda identificadas, com isso, detalhes do processo estão obscuros para um veredicto. Em outubro deste ano, a corte regional de Dusseldorf, na Alemanha, liberou uma ordem temporária para suspender a comercialização do tablet Galaxy Tab 10.1 na Europa depois que a Apple entrou com uma ação semelhante contra a concorrente. “Não é coincidência que os produtos mais novos da Samsung se pareçam muito com o iPhone e o iPad, desde o formato até o hardware, interface de usuário e até mesmo sua embalagem. Esse tipo de cópia descarada é errada, e nós precisamos proteger a propriedade intelectual da Apple quando outras empresas roubam nossas ideias”, declarou a Apple.  

A suspensão das vendas foi, depois, cancelada em todas as nações da União Europeia, exceto Alemanha, depois de uma semana, por conta de que a corte não tinha certeza se ela tinha o poder de proibir a comercialização dos aparelhos em todo o continente Europeu. Logo, na semana passada, esta mesma corte continuou com a decisão temporária, concluindo que a Samsung ainda não tem autorização para comercializar o aparelho na Alemanha.

Por André Barbosa

Apple e Samsung

Foto: Divulgação


Parece que o mundo da moda está entrando cada vez mais no da tecnologia que vem procurando cada vez mais adaptar o design de produtos às necessidades estéticas dos clientes cada vez mais exigentes. E não é nenhum tipo de parceria, mas alguns representantes de grandes grifes estão deixando o glamour para trabalhar no ramo de TI. No início da semana, foi a vez da ex-CEO da britânica Burberry, Angela Ahrendts, a largar a marca e tornar-se a nova vice-presidente sênior de lojas de varejo e online da Apple.

De acordo com o jornal The New York Times, Ms. Ahrendts é a segunda grande aluguer da Apple da indústria da moda. Paul Deneve , o ex- executivo-chefe da Yves Saint Laurent foi contratado em julho para trabalhar em projetos especiais, reportando-se diretamente a Tim Cook, CEO da gigante.

Foto: Leon Neal/AFP/Getty Images

Ahrendts anunciou em um comunicado que está profundamente honrada por participar da Apple. E a gigante parece sentir o mesmo. Em outro comunicado, Cook afirmou estar feliz por Angela se juntar a equipe. "Ela compartilha nossos valores e nosso foco em inovação, e ela coloca a mesma ênfase, como fazemos na experiência do cliente. Ela mostrou ser um líder extraordinário ao longo de sua carreira e tem um histórico comprovado”, disse o presidente.

Por Jaime Pargan


A Apple lançou no início do mês a mais nova versão top de linha do iPhone. No entanto, diferentemente do que vinha fazendo anteriormente, a companhia decidiu inovar e apresentou uma “versão de baixo custo” que no final das contas não era tão barata assim. O iPhone 5C é apenas 100 dólares mais barato e possui um hardware muito inferior ao seu “irmão mais bonito”, além de ter um acabamento em plástico e não ter o famoso leitor de impressões digitais acoplado. Com essas especificações, os usuários acabaram escolhendo o modelo completo 5C e o iPhone 5S foi enviado para escanteio, com quedas constantes nas vendas e diversas promoções em que o aparelho poderia ser adquirido até mesmo US$ 99 em algumas lojas nos EUA.

Com esse panorama, a Apple anunciou recentemente que não irá mais fazer tantos pedidos do 5C para seus fornecedores em Taiwan, de acordo com fontes do The Wall Street Journal. Ainda segundo a publicação, os pedidos foram cortados em cerca de 50%, já que o aparelho teve uma acentuada queda nas vendas pelo mundo todo.

Somente no primeiro final de semana de vendas, a Apple teve 9 milhões de unidades vendidas, tanto nas versões 5S quanto 5C. Apesar das vendas da versão mais barata estarem em queda, a versão top de linha está muito bem e não demonstra ainda muitos sinais de desgaste no mercado. Embora a diferença de preço entre os dois aparelhos seja bem pequena, a versão 5S é bem mais completa e funcional, algo que pode ter levado os consumidores a deixarem de lado a versão 5C.

Ebenézer Carvalho


Rumores novo iPhone Estamos diante da geração dos “tijolões modernos”, onde tamanho é documento para a maioria das empresas de tecnologia.

É possível observar essa tendência na maioria dos aparelhos atuais, como o phablet Galaxy Note 3, que possui 5,7 polegadas e o Xperia Z1, que tem display de 5 polegadas.

É natural que a Apple, como uma das líderes do mercado no segmento de smartphones também procure desenvolver aparelhos cada vez maiores para não fazer feio frente à concorrência. Segundo Brian White, analista da empresa Cantor Fitzgerald, especializada em investimentos, o próximo iPhone deve ser ainda maior, com aproximadamente 5 polegadas, ao invés das 4 polegadas atuais.

Ele faz a afirmação baseado em encontros que teve com fornecedores da Apple e pesquisas de mercado na Ásia há cerca de um ano que revelaram os estágios iniciais da construção de um iPhone maior. Além disso, em um relatório feito a respeito da Apple em setembro ele destaca a fabricação de um iPhone de aproximadamente 5 polegadas que estaria disponível já no ano de 2014.

Por ser analista de uma empresa de investimentos, White precisa ter certeza de que seus palpites estão certos, já que investimentos em tecnologia são como um jogo de poker e quem tiver o maior número de informações sobre lançamentos futuros pode sair na frente. As informações dele são coerentes com análises de outras empresas também especializadas nesse ramo. Outros relatórios, entretanto, sugerem tamanhos até maiores de telas como 5,7 e até mesmo 6 polegadas.

A única forma de saber ao certo o que a empresa da Maçã está preparando é aguardar as feiras e eventos tecnológicos do ano que vem que devem dar pistas mais detalhadas sobre o novo iPhone 6.

Por Ebenézer Carvalho


Há muito tempo circulam na internet rumores de que a Apple pretende lançar um smartwatch no mercado. O relógio inteligente da empresa já pode deixar de ser um rumor para entrar na categoria de certeza, já que a empresa já pediu o registro da marca I WATCH aqui no país.

No entanto, pode ser que a empresa da maçã venha novamente a ter problemas, já que a empresa Abraham Douer solicitou um pedido com o mesmo nome desde abril. Isso pode levar a empresa a ter o mesmo problema quando tentou registrar o nome iPhone.

Na época a gradiente já tinha a marca registrada, o que levou a Apple a entrar numa briga acirrada até que a Justiça decidiu que o nome não devia ser exclusivo da Gradiente. Outra empresa que também possui um nome parecido é a Dell, porém a categoria é outra e não deve causar tantos problemas.

O registro da marca já aconteceu nos EUA e no Japão e são indícios certos de que realmente estamos muito próximos de ver um concorrente para o Galaxy Gear da Samsung e o Google Watch que também não foi lançado ainda. O relógio inteligente da Apple realmente gera muita espectativa devido à aparente decepção do Galaxy Gear.

O smartwatch da coreana Samsung não possui tantas funcionalidades quanto os usuários esperavam além de só funcionar caso esteja pareado com o Galaxy Note 3, por enquanto.

Por Ebenézer Carvalho


O comercial do Galaxy Gear, relógio inteligente da empresa Samsung, foi muito bem elogiado graças ao seu formato nostálgico que associa o aparelho a programas antigos e desenhos clássicos que conquistaram um lugar na memória do público. A empresa lançou duas propagandas, ambas com estilos bem parecidos e que conquistaram fãs da marca no mundo todo.

No entanto, não demorou muito para que alguém descobrisse diversas semelhanças entre os comerciais do Galaxy Gear ( http://youtu.be/B3qeJKax2CU) e um comercial antigo do iPhone, produzido pela Apple em 2007 (http://youtu.be/6Bvfs4ai5XU ).

A estrutura dos dois comerciais é quase idêntica e, embora tratem de temas um pouco diferentes, os dois possuem o mesmo ritmo, numa temática retrô que mostra rápidos clipes de filmes antigos, contrastantes com a atual tecnologia disponível. O final também é quase idêntico e termina com um fundo preto e o logo de cada uma das empresas aparece em “fade in”.

Essa, no entanto, não é a primeira vez que a Samsung copia um anúncio de sua principal rival no mercado de smartphones. Isso já aconteceu no passado, mas a cópia foi totalmente intencional, o que deixou claro ao consumidor que o intuito era ser engraçado e original apesar do plágio. Dessa vez, não está bem claro ainda se foi tudo uma coincidência ou se trata-se de uma cópia descarada.

Por Ebenézer Carvalho


Anand Chandrasekher, o vice-presidente sênior e também diretor de Marketing da Qualcomm, não está de maneira nenhuma convencido da “capacidade” do processador A7 de 64-bit que está presente no iPhone 5S da Apple. De acordo com  a opinião do sujeito, o que a Apple faz muito mais um golpe de marketing do que um relativo aprimoramento técnico do dispositivo.

O executivo da Qualcomm afirmou que está ciente de todo o barulho que foi e ainda está sendo feito em volta do lançamento da Apple, mas que isso não muda em nada o fato – em sua opinião- de que a empresa estaria mais fazendo uma jogada de marketing e que quem seria prejudicado com isso seria o consumidor que teria um benefício “zero”.

Em uma entrevista concedida ao site TechHive Chandrasekher  disse que a vantagem apresentada pelo processador de 64 –bit referente ao aumento do endereçamento de memória não seria de grande importância para os atuais modelos de tablets e smartphones.

Ainda segundo Chandrasekher há um probleminha básico que vem sendo omitido: O iPhone 5S conta apenas com 1 GB de RAM enquanto que seriam necessários mais de 4GB para que fosse possível um aumento potencial da memória.

Chandrasekher até que tem “moral” pra falar sobre o assunto. A Qualcomm é uma das principais fabricantes de chips para o mercado de dispositivos móveis no mundo. São dela os processadores Snapdragon utilizados nos smartphones Android e Windows Phone. A  Qualcomm também está trabalhando em um processador de 64-bit ainda sem data prevista para lançamento.

Por Denisson Soares


iPhone 5SApós o lançamento do iPhone 5S, a questão é: será que ele está melhor do que as versões anteriores? O site MacWorld realizou um teste de desempenho e pelos resultados, ele se saiu muito bem. Ele venceu as avaliações de display, Javascript, bateria e processador.

No teste de reprodução de imagens GFXBench, o iPhone 5S teve a maior taxa de frames por segundo. Foram feitos quatro testes, com o 5S marcando 25, 56, 37 e 53 pontos. O iPhone 5 ficou com 6.8, 30, 14 e 38, enquanto o Galaxy S4 somou 15, 41, 15 e 40. Já na disputa de JavaScript do app SunSpider, no qual menos pontos significam melhor desempenho, outra vitória: 454, contra 707 do iPhone 5 e 1.210 do S4.

A bateria foi testada pelo MacWorld, e os resultados foram: capacidade de reproduzir vídeo por até 11 horas, enquanto o iPhone 5 chega a apenas 9h37. Um detalhe bem interessante, é que nesse teste o iPhone 5C teve melhor desempenho que a versão 5, com 10h19. O Samsung Galaxy S4 teve somente 7h01.

O teste de processadores feito pelo Geekbench, que avalia justamente os processadores, o novo iPhone mostrou vantagem diante dos demais ao alcançar a marca de 2.485 pontos, contra 1.862 do Galaxy S4 e 1.302 do iPhone 5.

A conclusão é que não só o novo iPhone é melhor que seus antecessores, como também seus maiores rivais no mercado internacional.

Por Jaime Pargan


Os fãs da Apple representaram mais de 1,7 mil pessoas no dia do lançamento do iPhone 5s, novo modelo top de linha da fabricante, e do iPhone 5C, novidade mais barata, na sexta-feira, dia 20 de setembro, em Nova York, quando deram início às vendas dos novos produtos. A cidade recebeu a maior multidão de todos os tempos em relação ao lançamento dos aparelhos anteriores. Tanto que o último lançado, o iPhone 5, representou apenas 84% das vendas em relação ao novo.

A estimativa era de que a loja vendesse em torno de 6 milhões de aparelhos já no primeiro fim de semana. O iPhone dourado foi o preferido. A Apple já está fazendo novos pedidos para fornecer a cor que já não está mais disponível nem pela internet. Quem desejar comprar pela loja online deverá esperar 10 dias e não mais sete dias como o previsto. A novidade também pode ser encontrada na versão grafite e prata.

Países como a Austrália, por exemplo, passaram a vender o produto antes do lançamento oficial por conta do fuso horário. O que atraiu fãs brasileiros que viajaram mais de 30 horas apenas para garantir o dispositivo. Além dos EUA, Alemanha, Canadá, China, França e Japão já estão com as lojas abastecidas à espera de novos fãs.

Por Jaime Pargan


Aproveitando o embalo do lançamento da nova versão do seu sistema operacional, o iOS 7, a Apple soltou também a nova versão do aplicativo de transferência de músicas, vídeos e mídias iTunes. A versão 11.1 é necessária em PCs ou Macs de usuários de iPods, iPhones e iPads para que a sincronização dos arquivos possa ser feita com aplicativos com o iOS 7 já instalado.

O programa traz também algumas novidades. Aberta a todos os usuários, o Genius Shuffle é um recurso que cria sozinho uma seleção variada de músicas, a partir de sua biblioteca do iTunes, de acordo com os gostos musicais do usuário esperados e identificados pelo próprio aplicativo. Ele cria playlists de músicas aleatórias a cada vez que o botão na barra de ferramentas é pressionado.

Outra novidade é a melhoria nas opções de podcast: agora é possível fazer a sincronização entre todos os seus aparelhos da Apple, para que fiquem com o mesmo conteúdo. Um recurso relacionado é o My Station, que possibilita a criação de listas de reprodução de podcasts para serem escutadas a qualquer momento.

Por fim, apenas para usuários dos EUA, o iTunes 11.1 traz o iTunes Radio, que faz sua estreia no Mac, que permite a navegação por estações reunidas automaticamente ou pelo usuário, que pode compartilhar a lista com outros aparelhos com iOS 7 e com o computador no qual o iTunes 11.1 está instalado.

Por Jorge Souza


iPhones A Apple continua inovando no quesito tecnologia e na última sexta-feira, dia 30 de agosto, lançou nos Estados Unidos da América um programa que tem o objetivo de levar os proprietários de aparelhos usados e antigos a descartarem estes em suas lojas físicas, recebendo em troca uma espécie de crédito para aquisição de novos modelos.

Segundo a assessoria de comunicação da Apple, o programa funcionará como uma espécie de ajuda aos clientes que desejam adquirir novos modelos iPhones, o que ainda seria uma ajuda ao meio-ambiente. Especula-se que o valor de crédito possa chegar a US$ 280.

Com a reciclagem, a Apple espera diminuir consideravelmente o comércio de iPhones usados em sites de leilões, como o eBay e até mesmo através de redes sociais. Apesar de a cada dia ver os concorrentes lançando inúmeros modelos de smartphones, a Apple continua forte no mercado.

A menina dos olhos da empresa é o iPhone, mas este já fez mais sucesso com os consumidores, que veem em modelos que usam o sistema operacional Android um pouco mais de simplicidade, além de terem um preço mais acessível.

A Samsung continua sendo a "pedra no sapato da Apple".

Por Vinicius Cunha


É comum a Apple adquirir empresas menores para aumentar o leque de atuação ou quando lhe é conveniente. A companhia americana divulgou a compra da Embark, uma empresa que desenvolve aplicativos para transporte público e mapas. É provável que a compra seja interessante para a empresa de Steven Jobs melhorar as ferramentas de mapas que oferece aos usuários dos produtos da marca.

A Embark é uma pequena empresa do Vale do Silício atuante desde 2011. Ela desenvolve aplicativos para dispositivos móveis de diversas plataformas, como iOS, da Apple e Android, do rival Google. Os aplicativos tratam de dados do transporte público cidades americanas, entre elas Boston e Nova York.

Segundo um porta-voz da empresa “a Apple compra companhias de tecnologia menores de tempos em tempos, e nós geralmente discutimos nossos propósitos ou planos”, contudo não foram divulgados mais detalhes da compra, nem mesmo os valores pagos pela Apple.

Somada a Embark, a Apple adquiriu o direito de mais duas empresas que atuam no ramo de mapas e localização: a Locationary e a HopStop, ambas americanas. A Locationary atua no ramo de bancos de dados referentes a mapeamento, enquanto a HopStop fornece informações do trânsito.

Por Robson Quirino de Moraes


A parceira da Apple, a Hon Hai, começará a fazer dispositivos móveis para outra empresa. A parceria deveria ser fechada com a 7-Eleven para quem fabrica atualmente TVs conectadas mediante a President Chain Store que controla as lojas da 7-Eleven em Taiwan.

Está união tem rendido bons frutos às duas empresas verificando que conseguiram vender no período compreendido desde junho, 10 mil televisores aproximadamente. Isso é bom para a 7-Elevem, para a President que está a cargo das lojas e da fabricante que desta forma só tem a aumentar o lucro e a credibilidade com a primeira.

De acordo com a situação atual da Apple, que não tem tido muito aumento na participação de mercado e tem deixado a desejar nas vendas, a Foxconn pretende produzir bem mais além do que fabrica para a renomada companhia fundada por Steve Jobs. O que a taiwanesa fornece para a Apple se traduz na metade do seu faturamento.

Segundo informações ainda não oficiais, a Apple teria insinuado a vontade de investir no mercado de TVs visto a propagação do mercado atual nesse segmento, sendo assim acompanharia os interesses da Hon Hai.

Por Melina Menezes.


iPhone 5C amareloHá semanas que o alvo de comentários nas redes sociais está sendo o novo iPhone 5C.

Segundo um vídeo exibido pelo site SonnyDickson, este novo modelo da famosa empresa criada pelo memorável Steve Jobs, a Apple, viria para o mercado com a carcaça na cor amarela.

No vídeo publicado pelo site, o smartphone está ao lado de vários modelos das linhas mais antigas da empresa. Após mostrar do mais antigo ao iPhone mais novo, aparece um individuo que segura o lançamento e começa a mostrar detalhes das suas partes externas, internas e laterais, onde é possível perceber algumas aberturas para a conexão de fones, botão ligar/ desligar, volume, entre outros.

Como o vídeo pretende fazer um comparativo entre o modelo mais atual e o mais antigo, percebe-se que o que seria o iPhone 5C vem com formato e tamanho diferenciados. As cores predominam, desta forma, o consumidor poderá escolher a que mais lhe agrade.

Aparentemente, e se tudo der certo para a Apple, o novo iPhone da companhia será lançado oficialmente no dia 10 de setembro, em um evento realizado para a imprensa.

Por Melina Menezes


Alguns vazamentos de informações do novo iPhone 5C estão sendo divulgadas através da internet, inclusive as imagens do mais novo aparelho também já aparecem através de fotografias.

Essa é com certeza uma ótima informação para aqueles que se interessam em obter mais notícias sobre a tecnologia de ponta no mundo.

Saiba que o iPhone 5C será o futuro smartphone de baixo custo da Apple. O aparelho deverá ter um formato curvado para fora, o que será o grande diferencial de sua carcaça.

O aparelho tradicional que já conhecemos possui o aspecto côncavo, a nova linha do aparelho apresentará uma tecla saltada para fora do corpo do smartphone.

A alteração foi feita para deixar o aparelho com um design mais moderno, porém, vai ser alterado o material de fabricação e em vez de plástico, o “Home Button” do iPhone 5C será feito de safira, um material mais resistente a danos e riscos.

Existe ainda um rumor de que esse aparelho será lançado no dia 10 de setembro, mas ainda não há nenhum tipo de confirmação por parte da Apple. É preciso aguardar a data do lançamento oficial através do site da empresa.

Por Josiane Fernandes de Jesus


Ao que tudo indica o iPhone 5C será o smartphone mais vendido da categoria no próximo ano.

Com o lançamento previsto para este segundo semestre, o iPhone com menor custo produzido pela Apple é conhecido como 5C.

Segundo o analista Steve Milunovich, está será uma boa oportunidade para esta empresa norte-americana de se firmar com um grupo de consumidores que não tinham condições financeiras de acessar os outros produtos da marca, além de que com este novo foco a Apple não fique refém das movimentações de produção dos celulares inteligentes da concorrência. Sendo assim, a Apple pode desenvolver o seu poder de mercado de uma forma mais ampla e sem tanta pressão.

Entretanto, não há somente críticas construtivas com respeito a esse novo produto que visa o desenvolvimento de mercado da empresa. Existem opiniões que convergem no sentido de achar que a empresa criada por Steve Jobs não tem condições para querer competir com a Samsung que domina o mercado de entrada de celulares, além de acreditarem que um aparelho com baixo custo de produção e consequentemente de venda, não apresentará as características da Apple.

Felizmente e para alegria dos consumidores que acabam ficando com mais opções de compra, o desenvolvimento desse produto será positivo para a empresa. Especula-se que em 2014, metade dos ganhos da empresa acontecerão devido às vendas do 5C.

Por Melina Menezes

Apple Iphone 5C


Um dos atrativos do iPhone, lançado em 2007, é a possibilidade de equipá-lo com diversos aplicativos. Mas quem tem o aparelho conhece bem as barreiras impostas pela gigante Apple para usufruir essas utilidades. A empresa alega que o bloqueio dos artigos é feito para que os usuários não realizem procedimentos que prejudiquem a invenção inovadora de Steve Jobs. Mas a legalização do jailbreak, reivindicado há anos pelos consumidores, vem para dar brechas às restrições da companhia do Vale do Silício.

A partir da medida, os aparelhos são desbloqueados de modo a possibilitar a instalação de aplicativos não oficiais, permitindo a utilização de utilitários que não necessariamente tenham sido comprados na App Store. A permissão foi concedida pelo órgão que administra os direitos autorais nos Estados Unidos (DMCA), por considerar que o consumidor tem direito de modificar o aparelho comprado por ele.

Apesar da decisão judicial, a Apple mantém sua posição contra o jailbreak, afirmando que não se responsabiliza pela garantia de iPhones que recebam instalação de aplicativos obtidos fora da loja oficial. E a Apple tem razão ao não querer se responsabilizar por esses aparelhos, pois a ação os expõe à invasões. Além disso, algumas extensões podem deixar os produtos mais devagar ou provocar um reinício inesperado.  Por isto, não custa se prevenir. Faça backups periódicos no seu aparelho, por meio do próprio iTunes, e evite a perda de seus contatos, anotações e outros dados.

Mas o jailbreak também traz vantagens. A simplificação do desbloqueio de operadora e a instalação de emuladores de jogos famosos como o PlayStation e o Game Boy Advance são algumas delas. A alternativa dispõe ainda de outras funções não oferecidas pelo sistema operacional padrão.

Para quem pesou bem os lados positivo e negativo do jailbreak e decidiu sair um pouco do controle da Apple, segue o passo a passo:

– Restaure e atualize seu aparelho para o IOS 4;

– Acesse o endereço www.jailbreakme.com de seu aparelho;

– Arraste o botão “Slide to jailbreak” para baixar e instalar o novo sistema;

– Um aviso é mostrado assim que a ação é finalizada. Ele informa que o Cydia foi adicionado na tela de início;

– Vá ao menu de aplicativos e procure o Cydia. Ele é o software que permitirá baixar seus aplicativos preferidos quase sem limites;

– Pronto! Você já pode desfrutar da liberdade concedida pela justiça americana.

Por Crislayne Andrade


Segundo a comScore, empresa americana dedicada à consultoria tecnológica, houve um aumento de 6% ao todo na participação da Samsung e Apple no mercado dos Estados Unidos comparado com as suas atividades em fevereiro.

A Samsung está em segundo lugar, porém posiciona-se  próxima à rival americana, inclusive ela aumentou sua participação em 1,7 %  (agora com 23% na fatia de mercado) já a empresa fundada por Steve Jobs cresceu 0,3% (chegando aos 39,2% de hegemonia). 

Mesmo obtendo o segundo posto, ela tem um diferencial que faz muita diferença, ela é a empresa mais subsidiada pelas operadoras, informação divulgada a pouco tempo.

A comScore contabilizou os donos de smartphones com idades igual ou superior à 13 anos. Constatou nessa pesquisa, que 59% da população que participa no mercado de telefonia móvel, traduzindo-se em 141 milhões de pessoas, possuem  celulares inteligentes. 

O sistema operacional da Google, o Androi, foi o sistema mais usado deixando o iOS da Apple em segundo lugar. O Blackberry participa de 4,8%, Microsoft 3% e o Symbian da Samsung em inexpressivos 0,4%.

Certamente, outras fabricantes de smartphones diminuíram suas participações no mercado, foi o caso da HTC, Motorola e LG. 

Por Melina Menezes


A Apple tem apresentado a intenção de estender sua linha de telefones móveis, os iPhones, inserindo entre os seus modelos um com uma tela de 5,7 polegada, bem maior do que a dos iPhones disponíveis no mercado, e um segundo com um valor bem mais em conta, que custaria somente US$99 (algo em torno de R$215).

Segundo a agência internacional Reuters esses novos modelos acompanham o interessa da empresa de inserir no mercado produtos para concorrer com os novos produtos lançados pela concorrente Sansung.

Se esses produtos forem realmente disponibilizados, têm a previsão de lançamento para o ano que vem. No entanto, não foi especificado qual seria o motivo da redução no custo do aparelho.

Para esse ano a Apple tem entre seus projetos o lançamento do iPhone 5S, que provavelmente ocorrerá no final do ano, mas sem grandes mudanças em relação ao aparelho iPhone 5, o último lançado pela marca.

Se, por acaso, essas informações forem confirmadas pela empresa, mostrarão que a Apple voltou atrás em sua decisão de não produzir aparelhos de baixo custo e de não criar aparelhos com a tela maior, uma vez que, segundo o diretor executivo da própria empresa, Tim Cook, isso causaria a diminuição na qualidade da imagem.

Por Joana Junqueira borges


O preço do iPhone, um dos mais famosos e desejados smartphones do mundo, é um impeditivo para a aquisição do mesmo por boa parte da população, que não tem grande poder aquisitivo.

Mas há rumores de que esse problema será resolvido com o lançamento de uma versão mais barata do aparelho.

De acordo com o site japonês Macotakara, os novos aparelhos serão lançados a partir de julho e primeiramente sairão nas cores: laranja, azul e branco com cinza. Já o segundo lote trará os aparelhos nas cores: branco, verde, rosa, amarelo com laranja e azul.

Os testes de venda serão feitos em julho, com o lançamento de 1.000 unidades do novo aparelho.

O novo smartphone será feito em plástico policarbonato e é isso que reduzirá o preço de venda do mesmo, já que com essa matéria prima o custo de produção do aparelho terá uma grande queda.

O eletrônico tem por objetivo atingir países emergentes, onde a população não tem condições de comprar o aparelho original, que tem acabamento mais luxuoso e caro.

O novo aparelho deve custar entre US$ 99,00 e US$ 149.

Por Fernando de Souza


Novo iPhone 5S poderá ter leitor digitalA companhia americana Apple é conhecida por suas criações exclusivas e excêntricas. Responsável pelos aparelhos eletrônicos mais cobiçados do mundo – que vão desde reprodutores de músicas até os celulares, a empresa pretende incrementar novas tecnologias ao novo modelo do seu produto chave, o iPhone.

Todo ano a Apple lança novas versões iPhone. Em setembro de 2012, a gigante da tecnologia apresentou ao mundo o iPhone 5, o sexto modelo de um dos smartphones mais cobiçados do mundo. O aparelho traz novidades no seu design que podem ser identificadas de cara, como o tamanho e espessura do aparelho – que ficou maior na altura e mais fino.

No entanto, já existem rumores sobre o futuro modelo 5S. Recentemente a Apple adquiriu uma empresa especialista em segurança a partir de leitor biométrico para aparelhos móveis, a AuthenTec. Assim, o que se tem falado nos bastidores é que o próximo iPhone poderá chegar ao mercado com um leitor de digitais.

De acordo com Michael Barret, chefe de segurança do site Pay Pal, essa é uma tendência mundial. Segundo ele, várias empresas devem incorporar a tecnologia aos seus produtos e lançá-la ainda este ano – e o iPhone é uma das apostas do chefe de segurança.

Há também a expectativa de uma nova versão do iOS, muito aguardada pelos usuários. Mas, até o momento, não há nada confirmado. O que nos resta é esperar e ver o que a Apple está preparando para os próximos meses.

Por Camilla Quesada Tavares


Os rumores sobre o lançamento do próximo iPhone ficam cada vez mais fortes. Dessa vez, o site Tactus divulgou uma foto e algumas informações sobre o novo iPhone de baixo custo que a Apple vai lançar.

Como pode ser visto na imagem, o gadget é feito de plástico (policarbonato), tem 9 milímetros de espessura e é um pouco mais largo que o iPhone 4S. Além disso, segundo a divulgação do Tactus, este iPhone mais barato terá processador A5 (igual ao do iPad Mini), virá equipado com câmera de 5 MP e terá tela com Retina Display de 3.5 polegadas.

Não bastasse isso, pela primeira vez a Apple vai disponibilizar mais do que duas cores para a carcaça do aparelho, pois o iPhone de baixo custo estará disponível em amarelo, azul, branco, vermelho e preto.

Alguns rumores um pouco mais antigos dão força para a existência de um iPhone mais simples, como por exemplo, a divulgação feita por um banco de investimentos que apontava a intenção da Apple em lançar novos smartphones entre os meses de junho e julho de 2013. Além disso, outros rumores divulgados pelo site Apple Insider indicam que a Maçã irá lançar um iPhone 5S, um iPhone 6 e outro iPhone de baixo custo.

Ainda de acordo com o Tactus, o novo iPhone mais simples deverá custar algo em torno de US$ 300 dólares (cerca de R$ 600) e terá sua venda iniciada em meados de outubro deste ano.

Por Guilherme Marcon


Depois do lançamento do Facebook Home para Android, parece que a maior rede social do mundo está negociando com a Apple a disponibilização do seu launcher para o iPhone.

De acordo com as informações de Adam Mosseri, diretor de produtos do Facebook, a negociação com a Maçã já está evoluindo bastante, porém, até o momento nada foi concluído. Além disso, mesmo sem dar certeza de que o iPhone vai receber o Facebook Home, há grandes interesses da rede social em expandir o serviço também para o Windows Phone.

Apesar de as negociações não estarem concluídas e não haver certeza ainda sobre a disponibilização do novo launcher no iPhone, Mark Zuckerberg se mostrou bastante confiante. Isso porque o Facebook atualmente é integrado ao sistema operacional da Apple, o iOS 6, e por isso há um diálogo mais aberto (e talvez até mais fácil) entre as duas companhias.

Segundo o que foi dito pelo diretor de produtos da rede social, já foram exibidos aos executivos da Apple o que foi construído para o iPhone. Talvez agora os diretores da Maçã queiram analisar e ver se há algo para mudar, tendo em vista que eles são muito críticos quando se trata dos seus gadgets e do seu sistema operacional.

Atualmente o Facebook Home só está disponível para Android e em alguns aparelhos, mas ele pode ser baixado gratuitamente inclusive no Brasil.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o analista Peter Misek, da Jefferies, que visitou recentemente os fornecedores asiáticos da Apple, o iPhone 5S e o suposto iPhone de baixo custo da companhia, poderão chegar atrasados, por problemas na pré-produção. De acordo com ele, o lançamento do iPhone de baixo custo poderia ser adiado para o quarto trimestre deste ano, e um possível iPhone 6, provavelmente não iria sair até 2014.

"iPhone 5S está tendo problemas de pré-produção com a produção em massa do aparelho de pelo menos um mês. Isto combinado com o atraso discutido publicamente do iOS 7 coloca a disponibilidade do aparelho para Julho em risco", disse Misek, de acordo com StreetInsider. "Continuamos acreditando que não há quase nenhuma chance do iPhone 6 ter seu lançamento em 2013, devido à questões de fornecimento."

Além do iOS7 e iPhone 6, o atraso do iPhone 5S deverá afetar a produção de outros produtos da Apple. Misek disse que a atualização do iPad Mini também será adiada. Finalmente ele disse que uma iTV em 2013 é improvável.

Se os cálculos de Misek estiverem corretos, há provavelmente muita discussão em Cupertino, para lançar o novo produto o mais rápido possível.

O adiamento também poderá enfraquecer as vendas de aparelhos no segundo e terceiro trimestre, de acordo com Misek.

Por Atila Felipe





CONTINUE NAVEGANDO: