Intel iniciará produção de chips ARM para tecnologia móvel.

Não se pode negar que a grande Intel veio perdendo uma grande parcela no mercado de tecnologia móvel. A companhia, que possui praticamente um domínio absoluto no segmento de computadores pessoais, não teve força suficiente para manter a hegemonia assim que os vetores principais da indústria tecnológica se tornaram os tablets e smartphones. A ARM foi quem ficou com a liderança com a arquitetura que bateu a plataforma x86.

Dessa forma, a Intel acertou um acordo com a ARM, como uma tentativa de se sustentar de uma outra maneira no mercado. A companhia poderá produzir chips utilizando arquitetura da sua antiga rival e atual parceira, abrindo assim uma grande gama de possibilidades para a parceria.

Antes de qualquer coisa, é necessário explicar que a organização não irá produzir chips usando a arquitetura ARM, porém poderá fabricar para outras empresas fazendo uso de suas linhas de montagem, pelo fato de dominar os processos em 10 nanômetros.

Isso quer dizer que um nova porta será aberta no segmento de tecnologia móvel, a qual não estava quando se trabalhava com os chips de arquitetura x86, tanto é que foi descontinuada a linha de processadores Atom utilizados em celulares. A Intel poderia também fechar acordo com empresas como a gigante Apple para que montasse o processador de um próximo iPhone, ou então com a Qualcomm, para dar um apoio na produção dos chips Snapdragon, os quais estão presente na maior parte dos smartphones Android presentes no mercado mundial.

A novidade se dá pelo fato da Intel admitir uma certa derrota, mas nada tão surpreendente. Já que faz tempo que havia uma especulação sobre a Apple fechar um acordo com a fabricante de chips para fornecer elementos para o celular iPhone. Entretanto, para que o caso se concretizasse, primeiramente era necessário que o smartphone fosse adaptado à uma arquitetura ARM, o que foi confirmado agora.

A parceria principal já está fechada. Será a LG Eletronics, que sempre fez uso dos chips Qualcomm em seus dispositivos. A empresa da Coreia pretende crescer para fabricar seus chips ARM próprios fazendo uso das instalações da Intel.

FILIPE R SILVA


A empresa ASUS anunciou recentemente três modelos denominados ZenFones com sistema operacional Android. Os novos dispositivos móveis terão três opções de tela: 4, 5 e 6 polegadas. A grande novidade é que eles são smartphones desenvolvidos pela Intel. As versões 5 e 6 terão um processador Atom Z2580 de 2GHz. Já a versão 4 terá um Z2520 de 1.2GHz.

Segundo a empresa, os chips da Intel irão oferecer poder extra para os novos modelos, reforçando o caminho que esta segue em direção ao sistema Android. A ideia da Intel é aliar, de uma forma eficiente, seus processadores ao Android, tornando o sistema muito mais rápido e eficiente.

Todos irão ganhar o skin “Zen UI” desenvolvido para Android. Este acompanha uma versão do Google Now também chamada de “What’s Next”, um cliente de mensagens abertos. O acabamento é bem moderno, com diferentes cores que chamam a atenção. O designer segue um padrão para todos, somente a cor muda dependendo da versão, podendo ser azul, amarelo, vermelho, branco e preto.

A empresa não pretende encerrar o modelo já lançado, o PadFone. Ela anunciou recentemente que vai lançar o PadFone Mini com especificações reduzidas. Um smartphone de apenas 4 polegadas que se assemelha ao tablet de 7 polegadas. Este poderá ser vendido nos EUA pelo preço de US$ 250, mas sem contrato com quaisquer operadoras de telefonia.

Já os ZenFones, nas versões de 4, 5 e 6 polegadas, serão vendidos nos EUA pelos preços de US$ 100, US$ 150 e US$ 200 respectivamente. É provável que a Intel subsidie uma parte do preço da ASUS para propagar sua grande influência nas CPUs de sistemas Android. Porém, não há nada confirmado. Executivos esperam saber se o Android desenvolvido pela ASUS irá superar o presente em outros aparelhos como o Moto G, que é de baixo custo.

Por Danilo Gonçalves

Foto: divulgação


A Samsung fez uma parceria com a Intel, e o resultado foi um novo sistema operacional apresentado na última MWC. A plataforma, batizada de Tizen, e, assim como no sistema Android da Google, ele é baseado no Linux, e será usado apenas em smartphones mais básicos, com a intenção de atingir os mercados emergentes.

A companhia sul-coreana ainda prometeu que o primeiro modelo com o novo sistema operacional sairá ainda em 2013.

A interface do novo sistema é bem semelhante a do Android, porém com ícones um pouco mais arredondados para identificar os apps, e conta com a colaboração da Orange, a operadora telefônica europeia, e com a NTT DoCoMo. Ambas as empresas apoiam a ideia de aumentar as opções dos consumidores, que, atualmente, possuem apenas o Android e o iOS.

Chamada de Magnolia, a versão 2.0 do sistema deverá aparecer no mercado na metade do ano e, de acordo com alguns representantes da Samsung, ajudará a empresa a conseguir aumentar seu portfólio de smartphones, que hoje conta com Android, da Google, com Windows Phone, da Microsoft, e com o Bada, criado pela própria Samsung, mas que agora possui um futuro incerto.

Por Felipe Santos Bonfim


Mais uma negociação importante está perto de acontecer no mercado dos eletrônicos, pois a Intel pode estar no processo de compra da NVidia.

A informação foi publicada pelo Slash Gear, segundo o qual as duas empresas estão em discussão para consolidar as suas equipes.

Com isso, além do domínio financeiro, o presidente da Intel seria substituído pelo líder da NVidia e a Intel passaria a ter a propriedade do setor de processamento gráfico e móvel da outra empresa.

Este possível acordo pode colocar fim a uma série de disputas comerciais e jurídicas pelo uso de tecnologias entre as duas empresas fazendo, assim, a união de suas forças e o avanço no alcance de novos mercados.

Por Ana Camila Neves Morais


Enquanto a Intel não lança sua linha de processadores que trazem a arquitetura 14nm, que estão com previsão para chegar ao mercado apenas em 2014, ela aproveitou para divulgar que irá trazer lançar dois novos processadores exclusivos, com o nome de Merrifield e 6331, para celulares inteligentes.

De acordo com o site SemiAccurate, os dois chips, que terão arquitetura de 22 nm, não possuirão somente mais potência que seus modelos atuais, mas também uma excelente economia de energia, pelo fato de consumirem muito menos.

Apesar de ainda não se saber quais serão as configurações técnicas do aparelho oficialmente, a única informação que a Intel confirmou foi que o Merrifield irá substituir o processador Z2580, que possui tecnologia dual-core  e arquitetura 32 nm, além de ser o sucessor do Z2000.

Infelizmente a fabricante não divulgou nenhuma informação sobre a data de lançamento e nem sobre o valor dos novos processadores, mas tendo em vista que os modelos com arquitetura 14 nm só chegarão ao mercado em 2014, a estimativa é que o Merrifield e o 6331 estejam disponíveis nas lojas em pouco tempo.

Por Guilherme Marcon





CONTINUE NAVEGANDO: