Qualcomm está conquistando o mercado de processadores de smartphones nos anos recentes e, caso as previsões sobre a lista de objetivos para este ano ocorra, a expectativa é que irá permanecer. Somando ao Snapdragon 810, que poderá ser recebido no mercado no primeiro trimestre no LG G4 e no Samsung Galaxy S6, outros chips mais potentes poderão ser disponibilizados em 2015.

De acordo com a previsão, a companhia poderá disponibilizar na segunda metade deste ano dois novos chips com configurações muito atrativas, sendo o Snapdragon 820, por meio de oito núcleos TS2 de grande desempenho, e o FinFET, de 14 nanômetros fabricado pela Samsung e a GlobalFoundries.

O Snapdragon 820 poderá ser o processador pioneiro de 64 bits personalizado realizado empresa, uma vez que o Snapdragon 810 foi disponibilizado na ausência do núcleo customizado, sendo que estava presente na meta primária e não foi lançado com ele por não estar finalizado ainda.

A passagem do novo processador Snapdragon para a estrutura de 14 nanômetros irá proporcionar otimizações na performance e nos resultados, entretanto não será um único fator novo do chip. Ele também possuirá GPU Adreno 530, suporte para memória LPDDR4 e o modem MDM9X55-LTE-A Categoria 10 da Qualcomm.

Outro chip de grande performance será disponibilizado no segundo semestre deste ano, sendo o Snapdragon 815, tendo também oito núcleos, entretanto, de forma distinta ao modelo 820, que possui oito cores TS2, ele possuirá quatro TS1 e quatro TS2. A GPU será Adreno 450 e ele terá suporte a RAM LPDDR4 e o modem MDM9X55 LTE-A Categoria 10.

A grande distinção do Snapdragon 820 e o 815 é que o último será produzido com estrutura de 20 nanômetros.

As previsões apontam fatores novos no território mid-range. Os chips Snapdragon 625 e 629 teriam grande semelhança: oito núcleos, GPU Adreno 418, RAM LPDDR4, modem MDM9X45 LTE-A Categoria 10 e estrutura de 20 nanômetros HKMG da Samsung e GlobalFoundries. 

Por Felipe Couto de Oliveira

Qualcomm

Foto: Divulgação


Qualcommé famosa recentemente pelos seus chipsest Snapdragon e ressalta a existência em mais de 1 bilhão de aparelhos Android, entretanto, houve um momento em que celulares completos eram fabricados pela empresa, da mesma forma como a Apple e Samsung realizam no momento recente. Obviamente, os aparelhos não eram determinados como smartphones, considerando que foram produzidos há 16 anos. Entretanto, podem ser considerados como dispositivos atrativos.

A companhia foi inaugurada em San Diego, Califórnia, em 1985. Ela iniciou seus trabalhos por meio de serviços de localização por satélite, com direcionamento em corporativas de veículos e entregas, bem como circuitos com integração para comunicação digital de rádio. Contudo, foi disponibilizado no ano de 1998 o Qualcomm pdQ, sendo o primeiro aparelho telemóvel CDMA, sistema de comunicação de acesso múltiplo, a ser vendido. Um bom avanço para a tecnologia móvel no mercado, que foi anterior a expansão da conectividade.

Possuindo um design em flip, houve a integração do teclado físico para a parte externa, onde ao ser dobrado, permitia a disponibilidade para botões de atalho e o rodapé da tela. Tendo uma tela LDC 240 x 160 pixels, o aparelho era considerado como um dos melhores no seu ramo. Ele possuía um processador de 16 MHz e memória RAM de 2 GB, e permitia disponibilidade para contas de e-mail e navegação limitada à internet, que eram possíveis através do software Palm OS.

Somado a estes detalhes, o aparelho usava também bateria de lítio que permitia realizar 150 minutos de ligação. Seu peso era de cerca de 277 gramas. Seu preço era de US$ 800, equivalente a R$ 2.097 na cotação recente e na ausência de impostos.

Entretanto, o ramo da empresa de chipsets não se estendeu por um período grande devido ter sido vendida e integrada à Kyocera. Contudo, isto possibilitou que a fabricação de peças fosse posicionada de forma destacada.

Por Felipe Couto de Oliveira

Qualcomm pdQ

Foto: Divulgação


Quando o assunto é os tais chips para o mercado de tablets e smartphones o Snapdragon é um dos primeiros nomes que surgem na memória. A fabricante, Qualcomm tornou o dispositivo famoso e requisitado por muitas empresas. A popularidade dos processadores Snapdragon se dá principalmente pelo fato de que com eles a empresa fabricante conseguiu fornecer uma experiência de uso de alta qualidade independentemente das marcas responsáveis pela fabricação dos aparelhos.

Uma das principais provas desse fato não está muito longe. A LG e Samsung, conhecidas no mundo inteiro usam os processadores Snapdragon há um bom tempo.

No meio disso tudo tem uma novidade na área e a primeira vista não é nada boa. Recentemente um relatório apontou que a próxima geração de chips que está sendo fabricada pela Qualcomm pode estar afetando os novos modelos de smartphones que serão lançados no mercado. O motivo para a preocupação é o fato de que o Snapdragon 810 já deu sinais de alguns problemas que podem atrapalhar a produção em escala do processador. Em outras palavras isso quer dizer que devido ao problema uma gama de dispositivos de próxima geração, caso do LG G4 eSamsung Galaxy S6 teriam que ser adiadas por um tempo.

De acordo com informações do Business Korea há um problema no processador que é devido ao superaquecimento do mesmo. Consequentemente isso provoca uma queda drástica no desempenho além de acabar prejudicando diversos outros componentes do hardware.

Outro ponto que tem chamado a atenção dos meios de comunicação especializados na área é que há o boato de que o Snapdragon 810 ainda estaria com outro problema que neste caso, estaria relacionado com o controlador de memória RAM e não é só, ainda há prováveis erros no controle da GPU Adreno 430.

De qualquer maneira é bom deixar claro ao consumidor que esses erros de fato podem ser corrigidos. Entretanto, a seriedade dos mesmos parece que está sendo suficiente para fazer com que a produção em massa do chip não comece.

A questão é que se não houver soluções as fabricantes de smartphones e tablets se verão na obrigação de fazerem o uso de outros dispositivos para que os lançamentos previstos para o primeiro semestre do ano que vem não sejam prejudicados.

Por Denisson Soares

Snapdragon 810

Foto: Divulgação


O avanço tecnológico dos smartphones não para de surpreender os amantes da tecnologia, o mais recente protótipo apresentado pela empresa Qualcomm confirmou a necessidade que os usuários possuem por inovação: a tela do novo aparelho pode ser controlada pelos gestos da mão.

O modelo foi apresentado na conferência UpLing 2011, realizada na China. Com esse sistema o usuário poderá navegar por todas as funcionalidades do aparelho ao passar a mão em frente aos quatro alto-falantes colocados na parte frontal do celular.

A tecnologia usada pela empresa foi a do ultrassom. Ao colocar a mão em cima do telefone, o ele reconhece onde o usuário está, e faz com que o controle seja feito apenas por alguns gestos.

O sistema ainda está em fase de teste, então alguns problemas foram encontrados, durante a apresentação o barulho ambiente prejudicou o reconhecimento dos gestos. A previsão é de que o lançamento seja feito em 2012.

O vídeo abaixo foi disponibilizado pela empresa para os usuários terem contato com a novidade. Na ocasião um funcionário da empresa testa o equipamento, explicando passo a passo todo o processo. As fotos podem ser trocadas à medida que a mão se movimenta em frente ao celular.

Por Joyce Silva





CONTINUE NAVEGANDO: