A Tonino Lamborghini é uma empresa que constrói produtos de luxo, criada pelo filho do fundador da fabricante de carros Lamborghini. Assim como os carros, os produtos como relógios, fones de ouvido e smartphones possuem traços característicos da marca: altíssima qualidade e estilo, sem se preocupar com preço.

Quem nunca pensou em ter uma Lamborghini? Para os produtos Tonino Lamborghini, o comprador não precisa ser milionário, mas apenas ter bom gosto e condições de investir em um luxo um pouco maior do que está disponível no mercado regular.

Como novidade da marca, o smartphone Tonino Lamborghini 88 Tauri está programado para entrar no mercado em janeiro de 2015. Seu nome é baseado na constelação homônima e suas especificações o fazem uma verdadeira estrela entre as opções de aparelhos disponíveis no mercado.

Como dito por representantes da própria marca, assim como os motores dos carros Lamborghini, os smartphones precisam ter peças muito potentes para satisfazerem todas as necessidades e desejos do consumidor. Quanto à disponibilidade, os aparelhos serão fabricados em uma quantidade limitada.

Quanto às especificações técnicas, ele virá com um processador Snapdragon 801 SoC, de 2.3 GHz quad core (muito semelhante ao processador do Galaxy S5, que é o smartphone de referência da Samsung).

O aparelho também contará com memória RAM de 3 GB e uma bateria de 3400 mAh, que promete mantê-lo por até 1.000 horas em standby. A tela é gigante, com 5 polegadas, Full HD, 10 pontos multi-touch e com proteção contra oleosidade.

A câmera principal do smartphone será de 20 megapixels, que é uma resolução suficiente para tirar belas fotos. A câmera frontal também não fica muito atrás, com 8 MP, uma alta qualidade, já que é destinada para selfies e chamadas de videoconferência.

O sistema operacional disponível será o Android, possivelmente saindo das lojas com a versão 4.4.4 KitKat. Externamente, o design também chama muita atenção, com opções de cores chamativas e curvas atípicas em smartphones.

O preço do aparelho ainda não foi anunciado, porém vale lembrar que a ideia da marca nunca foi colocar um dispositivo no mercado que ganharia consumidores pelo preço, mas pela qualidade e o nome da marca.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


A Apple é conhecida pela qualidade na produção de seus aparelhos eletrônicos. Desde o seu surgimento, na época de ouro do jovem Steve Jobs, a companhia americana não poupa esforços para a criação de produtos que se destacam no meio tecnológico.

Toda essa qualidade e cuidados faz com que os produtos da Apple sejam alguns dos mais caros do mundo. Outro fator que também influencia o preço de seus aparelhos é o fenômeno conhecido como “culto à Apple” em que seus consumidores tem se comportado como verdadeiros fãs, adquirindo os produtos da empresa sem avaliar muito o custo benefício.

No Brasil, os impostos cobrados pelo governo em produtos eletrônicos aumentam ainda mais esse valor e fazem com que os aparelhos da companhia americana estejam entre os mais caros do mundo. Infelizmente, essa é uma tendência que não mostra sinais de redução e tem preocupado cada vez mais os consumidores de tecnologia que buscam um preço justo.

Segundo o site Business Insider, especializado em negócios e tecnologia, os preços da Apple no Brasil são absurdamente altos e assustaram inclusive o correspondente enviado para fazer a matéria. Segundo o portal, seus funcionários visitaram a loja iPlaces no Shopping Bourbon em São Paulo e analisaram os preços dos produtos até serem expulsos do estabelecimento por tirarem fotos dos aparelhos.

Nessa loja,o preço do iPhone 5S de 64GB é de 3.600 reais. O mesmo aparelho nos EUA custa cerca de 1.650 reais sem planos de operadoras. Por causa disso, o Brasil tem o título de país cujo iPhone é o mais caro do mundo.

A reportagem relata também que o problema não ocorre apenas com produtos da Apple, mas sim com praticamente todos os itens de tecnologia, inclusive aqueles produzidos nacionalmente. Dentre os fatores responsáveis pelo preço impraticável, a alta taxa tributária de produtos importados aliada à inflação e uma moeda supervalorizada são os principais.

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


A história de que o Brasil cobra mais caro do que alguns países não vale só para o McDonald’s. Em um pesquisa realizada pelo site Bloomberg, o iPhone brasileiro é 57% mais caro do que o mesmo aparelho vendido nos Estados Unidos. Em um ranking de 20 países pesquisados, o país ganhou de lugares como a Malásia, por exemplo. Os americanos conseguem adquirir por um preço mais barato, em seguida pagando mais barato pelo aparelho vem o Canadá.

Para os que cobram caro, a lista divulga que os italianos chegam atrás do Brasil, seguidos pelos finlandeses. Em dólares, o iPhone brasileiro custa US$ 1.016,74; o italiano US$ 960,17; e o finlandês US$ 929,05. A República Tcheca fica na 20º posição com um aparelho de US$ 817, 80. Sendo que nos EUA sai por US$ 649; US$ 663,69, no Canadá e US$ 669,14 na Malásia. Quase a metade do preço.

O valor foi calculado em cima da tabela das lojas online da Apple em cada país pesquisado. Contanto com um dólar no valor de US$ 2,40 aproximadamente. Ao todo, 34 países foram consultados.

Por Jaime Pargan





CONTINUE NAVEGANDO: