Empresa aumentará a segurança para dificultar a entrada de possíveis vírus e malwares na Play Store.

O Android vem sofrendo nos últimos tempos com um número cada vez maior de vírus, ainda mais poderosos e que atingem usuários em massa, chegando até mesmo a ''sequestrar'' o dispositivo do usuário, o obrigando a pagar uma quantia em dinheiro para poder voltar a usar o dispositivo novamente. Agora, a Google tenta reverter esse quadro investindo em uma nova tendência para a segurança de sua loja de aplicativos do Android.

Para falarmos da nova tecnologia de segurança que será utilizada na Play Store, precisamos falar antes de como funciona o sistema de segurança da Play Store atualmente. Hoje, os aplicativos que querem entrar na rede de aplicativos do Android, passam pelo chamado ''Google Play Security Improvement Program'', que é basicamente a revisão de segurança que a Google faz em cada app antes do mesmo entrar na Play Store, analisando todo o código do aplicativo em busca de possíveis vírus e malwares. É por meio desse processo, que quando você vai instalar um app em seu smartphone, recebe uma janela com as permissões pedidas pelo app para poder funcionar em seu dispositivo.

Quando um aplicativo acaba por ser detectando como um portador de um possível vírus ou é contatado com uma brecha de segurança, o desenvolvedor do app é notificado e deve resolver o problema para enviar seu app de volta a Play Store, fazendo com que todos os apps, se necessário, passem por novas verificações de segurança.

Entretanto, o sistema de segurança não vinha sendo forte o suficiente para evitar que malwares estivessem presentes na Play Store. Com um número de apps infectados com alguma brecha de segurança cada vez maior, a Google resolveu aumentar o esquema de segurança na sua loja de aplicativos.

A partir de agora, uma ferramenta de sandbox será totalmente incorporada na API de segurança da Play Store, isolando o aplicativo totalmente, fazendo com que o mesmo não seja capaz de interferir no sistema do dispositivo, não conseguindo permissões além das requeridas ou até mesmo indo além.

A Google também enviou um relatório de como prevenir possíveis brechas de segurança aos desenvolvedores, na tentativa de reduzir o número de aplicativos infectados com malwares na Play Store.

Maria Luiza Mazzo


Aplicativo passou a criptografar as mensagens de seus usuários. Saiba aqui o motivo e como funciona esta criptografia.

O debate sobre privacidade nas redes começou com a ação movida contra a Apple pelo FBI, que desejava ter acesso a mensagens e informações de usuários. Na verdade, isso é um problema extremamente importante para nosso tempo, onde tudo é realizado tecnologicamente. Pensando nisso, o Whatsapp criptografou todas suas mensagens de maneira que só quem as mandou possam acessa-las.

Como Funciona:

Para garantir que somente os donos das mensagens possam vê-las, o Whatsapp agora possui uma função que “blinda” todas as mensagens enviadas. Dessa maneira só o receptor dela poderá decifra-la, impedindo que terceiros consigam dar uma espiadinha ou vazar informações.

A mensagem já sai criptografada do celular que a enviou, nem os terminais do próprio Whatsapp podem decifra-la. Isso traz uma segurança extra para os usuários que tem informações privadas protegidas, nem o governo ou hackers terão acesso a elas.

Chamadas telefônicas também estão protegidas com a nova atualização. Então não é preciso ter medo que alguém ouça a conversa, tudo é completamente seguro e privado.

Motivos:

Várias empresas começaram a adotar atitudes semelhantes percebendo a tendência dos usuários de utilizarem aplicativos de terceiros para melhorar sua segurança, como o TextSecure, que criptografa mensagens de texto.

Para Jan Koum, o co-fundador da empresa comprada pelo Facebook, isso é uma questão de garantir a privacidade e liberdade de expressão de seus usuários. Crescendo durante o governo socialista na União Soviética, o empresário diz que conhece muito bem o que é ter medo de que outros possam ouvir suas conversas.

Não é só o Whatsapp que resolveu adotar novas medidas de segurança. O Google e o Facebook (dono do Whats) estão tentando melhorar sua segurança para que intrusos sejam incapazes de verificar informações dos usuários. Isso é extremamente importante considerando o tamanho que as redes sociais atualmente possuem, se todos seus usuários tivessem informações vazadas seria um desastre.

O servidor de e-mails Gmail, do Google, já utiliza criptografia em todos os e-mails enviados e recebidos para que os usuários tenham privacidade. O desafio atual da empresa é aplicar esse tipo de criptografia em outros serviços seus.

Já o Snapchat é mais um que busca maneiras de tornar os usuários mais seguros, considerando que muitas vezes fotos extremamente pessoais e até constrangedoras são trocadas.

Por Gizele Gavazzi





CONTINUE NAVEGANDO: