O ChargeKey é um carregador para iPhone projetado para caber em um chaveiro, o que possibilita aos proprietários dos smartphones da Apple terem um carregador por onde passam. O aparelho é um grande companheiro para viajantes e pode ser combinado com uma bateria externa portátil.

O ChargeKey, como o nome indica, é desenvolvido com o mesmo tamanho de uma chave de casa tamanho médio, permitindo que ele se seja carregado facilmente junto ao seu chaveiro. O aparelho possui um plug USB exposto em uma extremidade, e um carregador compatível na outra extremidade.

Ele mede 2,6 x 0,2 x 0,9 cm. O design é apropriado para quem precisa passar muito tempo fora de casa, mas não pode ficar sem bateria em seu aparelho.

O ChargeKey é fabricado em plástico flexível. Os usuários podem dobrar e torcer o carregador conforme a necessidade sem causar qualquer dano ao aparelho.

A entrada USB é compatível com a maioria dos aparelhos iPhone. Embora comercializado como um carregador, o ChargeKey também pode gerenciar as transferências de dados completos para o computador do usuário, assim como acontece em um cabo padrão do iPhone.

Esta é uma característica bastante considerável, visto que nem todos os cabos de carregamento incluem capacidades de sincronização através de USB.

O aparelho apresenta um bom funcionamento quando combinadas com um carregador de bateria portátil. O ChargeKey chega ao mercado em boa hora. Os usuários que intentam investir em um carregador para uso em escritório, ou durante viagens vão adorar o tamanho compacto que ChargeKey apresenta.

No entanto, o pequeno tamanho do ChargeKey pode apresentar ao aparelho algumas limitações em determinadas situações.

O uso do aparelho enquanto o mesmo está conectado a uma fonte USB é mais difícil. Mas a ideia de ter um carregador sempre à mãos ou na bolsa ou chaveiro pode garantir aos usuários do iPhone a paz de espírito que eles buscam para poderem sair tranquilamente com seus  dispositivos moveis.

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


Os smartphones se difundiram de uma maneira muito intensa nos últimos anos. Uma das suas maiores vantagens é a possibilidade de acessar a internet e controlar dados de uma maneira muito mais prática e eficaz. No entanto, isso acaba tendo um preço, já que que os dispositivos móveis da atualidade também estão vulneráveis à pragas virtuais que podem roubar dados e causar prejuízos financeiros aos usuários.

Segundo uma análise da McAfee, empresa especializada em segurança digital, o número de pragas encontradas em smartphones até o meio desse ano já igual ao número de pragas presentes em aparelhos durante todo o ano passado. Isso demonstra a capacidade de disseminação que os vírus possuem em plataformas móveis, como o Android, por exemplo.

Pensando nisso, a Kaprica Security desenvolveu um conceito revolucionário de anti-virus que funciona a partir de um carregador de baterias. Já foi comprovado que um virus pode enganar alguns softwares e se instalar no sistema operacional sem deixar rastros.

Um anti-virus presente diretamente no carregador poderia vasculhar o aparelho independente do sistema, tornando mais frequente as varreduras e conferindo mais proteção aos dados do indivíduo. O carregador/anti-virus chama-se Skorpion e deve começar a ser vendido ainda nesse ano ou no mais tardar, início do ano que vem segundo Doug Britton, co-fundador do projeto.

A ideia é começar com as vendas do aparelho voltadas principalmente para empresas. O valor inicial deve ser de U$ 65 com uma assinatura mensal de 3 ou 4 dólares.

Por Ebenézer Carvalho


As inovações não param no mundo dos smartphones, desta vez a novidade está relacionada com um movimento comum na vida cotidiana: caminhar.

Uma empresa americana, a SolePower,  esta buscando investidores que queiram patrocinar os seus estudos respeito a uma palmilha que recarregaria a bateria do smartphone mediante o impacto do calcanhar no chão quando o usuário caminha.

O investimento necessário para começar a produção em massa deste produto inovador giraria em torno a US$ 50 mil.

Segundo os profissionais que desenvolveram a palmilha, andar quatro quilômetros seria o suficiente para carregar a bateria do iPhone.

O procedimento de obtenção de energia seria este: o usuário coloca uma bateria que possui um velcro no calcanhar ou presa no cadarço do calçado, logo aso caminhar, o calcanhar tocará o chão, nesse momento a energia do impacto causaria o giro de um gerador eletromagnético. A energia produzida no processo ficaria armazenada na bateria presa ao corpo ou sapato do usuário.

Este projeto da empresa SolePower vem conseguindo juntar US$ 35 mil no KickStarter, para cada pessoa que doar mais de US$ 75 até o fim do prazo  (falta duas semanas para este terminar), a empresa está garantindo um carregador de presente.

Por Melina Menezes


Se tudo correr bem, em breve um velho problema dos usuários de celulares pode acabar: a incompatibilidade dos carregadores de bateria. Hoje, cada marca tem um modelo diferente. E o que é pior mesmo a mesma marca possui carregadores diferentes para cada tipo de celular.

Não seria melhor se existisse um carregador que servisse em qualquer aparelho? É claro que sim. E para obrigar os fabricantes a adotarem um modelo universal, está em trâmite na Câmara de deputados um Projeto de Lei com esse propósito.

Por enquanto, o projeto ainda passa por diversas comissões antes de seguir para votação em plenário. Mas se isso acontecer logo, e for aprovado, os fabricantes terão um ano para se adaptar à lei.

A ideia do deputado tem duas vantagens. Com a adoção de um único carregador as empresas podem diminuir custos, o cliente não precisa adquirir um novo carregador ao trocar de aparelho. Como efeito secundário, ainda há diminuição do lixo eletrônico.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: IDG





CONTINUE NAVEGANDO: