O tão aguardado iPhone 6 e o iPhone 6 Plus chegaram ao Brasil, mas o alto preço fez com que muitos deixassem de adquirir os novos aparelhos. Uma opção, seguida por muitas pessoas, foi comprar os aparelhos no exterior, mas será que vale a pena?

Realmente, analisando pelo lado financeiro é um ótimo negócio comprar o iPhone no exterior, mas é preciso analisar todas as questões, principalmente a da compatibilidade, já que isto pode se tornar uma grande dor de cabeça para o consumidor.

Outra questão que precisa ser muito bem analisada é quanto a garantia do aparelho.

O fato de seu iPhone, comprado no exterior, vir com garantia, não significa que aqui no Brasil ele poderá gozar desta garantia, já que a Apple não oferece garantia global, ou seja, se você comprar um iPhone 6 diferente do que é vendido aqui no Brasil, ele não terá garantia.

Mas, uma decisão judicial está obrigando a Apple a dar garantia a todos os aparelhos, sejam eles comprados aqui no Brasil ou no exterior, por isto, caso seu aparelho dê algum problema ele até poderá contar com a garantia, mas será bem mais complicado do que se o aparelho tivesse sido comprado aqui.

Cuidado também com os aparelhos bloqueados, pois, se você comprar no exterior um iPhone bloqueado, isto será um grande transtorno. Então, sempre compre aparelhos que estejam desbloqueados e que não tenham nenhum vínculo com as empresas de telefonia e outros países.

Tanto o iPhone 6 quanto o iPhone 6 Plus são compatíveis com a rede 4G de banda 7 – 2600Mhz, sendo assim, independente do país onde você comprar seu aparelho, ele será compatível com a internet de alta velocidade aqui no Brasil, se utilizarem a tecnologia GSM.

Nos Estados Unidos, as operadoras utilizam tanto a GSM como também a CDMA, mas, aqui no Brasil, desde 2012, que somente a tecnologia GSM é utilizada para os aparelhos, então cuidado para não comprar um aparelho fora deste padrão.

As operadoras Sprint e Verizon, nos Estados Unidos, utilizam somente o padrão CDMA, ou seja, jamais compre um iPhone destas operadoras, pois certamente ele não vai funcionar aqui no Brasil.

E se for comprar seu iPhone na Europa, vale a mesma dica, compre somente se o iPhone for compatível com GSM, ou seja, o aparelho deverá utilizar o chip SIM para ser ativado.

Por Russel

Foto: divulgação


Atualmente, um número muito grande de pessoas estão trocando seus aparelhos celulares mais simples por um smartphone, que conta com inúmeros recursos que os celulares mais antigos não possuem. Dentre tantas opções de aparelhos, o consumidor fica perdido na hora da compra.

Para ajudar na escolha do seu novo celular, apresentamos algumas dicas a seguir:

1 – Sistema operacional

É importante usar plataformas já conhecidas, pois estas contém mais aplicativos e melhor suporte. Os sistemas mais conhecidos e renomados são: iOS (iPhone), BlackBerry, Symbian, Android e Windows Phone.

O Android e o Windows Phone podem ser colocados em aparelhos de diversos fabricantes, sendo que respeitem alguns requisitos. Antes de adquirir o seu smartphone procure informações sobre esses sistemas com outros usuários, no site do fabricante e em fóruns de discussão, por exemplo.

2 – Duração da bateria

Tome cuidado com as informações sobre a duração da bateria, pois muitas vezes o fabricante especifica que a bateria dura várias horas, mas não explicita que isso acontece somente em situações em que o usuário exige pouco do celular.

Por esta razão, é interessante pesquisar na internet e com amigos que já possuam o smartphone, quanto tempo a bateria dura quando redes 3G , Wifi e Bluetooth estão ativadas.

3- Câmera

É importante verificar se o modelo desejado é capaz de gerar imagens com qualidade. Para que isso aconteça, é recomendável o aparelho possuir, no mínimo, 2 megapixels, para obter fotos com resolução razoável. E bom averiguar se o aparelho também grava vídeos.

A maioria dos modelos já vem com o flash integrado, a iluminação é feita por meio de LEDs, e fornece resultados satisfatórios quando o usuário precisa capturar imagens no escuro ou em lugares com pouca iluminação.

4 – Acessórios

Verifique os acessórios que acompanham o seu smartphone e quais  são oferecidos separadamente. Hoje em dia, a maioria dos aparelhos oferecem os seguintes itens: carregador de energia, cartão de memória e fone de ouvido.

Antes de concluir a sua compra, confira se o fabricante disponibiliza acessórios opcionais que podem te interessar, como bateria extra, capas de proteção, teclado externo, entre outros.

Por fim, tenha cuidado com smartphones falsificados e pesquise bem antes de realizar sua compra.

Por Raquel Alice

Foto: divulgação


Muitas pessoas aguardam ansiosamente o 13º salário para irem correndo às compras de final de ano. Outras, preferem pensar antes de gastar. Mas, muitas têm se perguntado se vale a pena adquirir ou trocar o celular agora nesse final de ano.

A dúvida, para muitos, é a velocidade com que novos modelos são lançados no mercado. Alexandre Junior, um consumidor encontrado em um shopping em Goiás, olhava uma vitrine de celulares. Quando questionado que modelo gostou, ele apontou um Moto G, mas disse que não compraria agora, pois havia visto na internet que todas as grandes marcas preparam muitos lançamentos para o ano que vem. "Eu fico com esse aqui mesmo até o carnaval", disse Alexandre Junior – e muitos talvez farão como ele. 

As grandes marcas, como Nokia, Samsung, Motorola e outras, lançam muitas promoções nesse final de ano, mas com poucas inovações, justamente para queimar os estoques existentes, sem falar que final de ano nunca é época de pechincha e sempre acabamos pagando mais caro em qualquer produto, do que em qualquer época do ano.

Estamos no final de novembro e dificilmente alguma grande novidade surgirá a ponto de atacar o ânimo dos consumidores. O que já chegou no mercado e que deve chamar a atenção neste natal é o iPhone 6, da Apple – para quem gosta da marca e tem um bolso cheio, pois encontramos outros melhores e muito mais acessíveis.

O Alpha, um novo modelo da Samsung, é exemplo disso, com um conceito diferente e ainda pouco divulgado, mas que deve ganhar notoriedade nesse final de ano.

A Sony continuará a investir na divulgação do Xperia 3, que não traz grandes novidades. A Motorola conseguiu a proeza de bater todos os seus recordes anteriores de venda com o Moto G. O smartphone vendeu tanto que tornou-se o celular mais popular da companhia.

Foto: divulgação

Seu sucessor deverá ser apresentado no mês que vem com um hardware melhor, entretanto, os rumores também apontam para um preço salgado. Não botem muita fé nessa parte do valor, pois ela tem sido a companhia desse segmento a sempre apresentar o melhor custo/benefício.

Por Luciana Viturino


O iPhone 6, um dos produtos mais cobiçados no Brasil e no mundo, teve seus preços revelados no início deste mês. Entretanto, viajar para comprar o aparelho nos Estados Unidos pode sair mais barato do que adquirí-lo no Brasil.

O modelo mais em conta do iPhone 6 no Brasil custa R$ 3.199 e o modelo mais caro custa R$ 3.999. Nos Estados Unidos, o iPhone 6 em sua versão desbloqueada sai por US$ 649, aproximadamente R$ 1.676, ao mesmo tempo, a mais cara sai por US$ 849, ou seja, em torno de R$ 2.193.

No Brasil, o iPhone 6 Plus (smartphone da Apple anunciado em setembro de 2014 rodando o sistema operacional iOS 8) será vendido no intervalo de preço de R$ 3.599 e R$ 4.399, enquanto nos EUA sai entre US$ 749 e US$ 949, ou R$ 1.934 a R$ 2.451.

Em razão dos preços mais elevados, uma viagem para os Estados Unidos passa a valer a pena, mas apenas se você tiver a intenção de fazer algo por lá.

Atualmente, a viagem de ida e volta mais barata para os Estados Unidos pode ser adquirida por R$ 1.760, com destino a Miami, na Flórida, saindo de Guarulhos, principal aeroporto brasileiro. Embora algumas outras passagens possam ser compradas por  R$ 1.770,  mas não foge muito deste valor.

Contudo, se você decidir realizar a compra do iPhone 6 Plus por aqui, vai gastar a mesma quantia de qualquer maneira. Optando pela viagem, você “ganha" o valor da passagem de graça e ainda pode desfrutar um pouco da viagem para os país por apenas um pouco a mais do que já gastaria ao comprar o aparelho no Brasil

Entretanto, você precisará pagar 50% sobre o valor que exceder a cota de importação, que é de US$ 500. 

E agora, já decidiu onde irá comprar o seu iPhone 6?

Por Raquel Alice

Foto: divulgação


Adquirir um smartphone pode ser uma tarefa bastante simples, porém, também pode se tornar uma tarefa complicada. A complicação pode ser resultado de vários fatores como, por exemplo, aqueles que vão adquirir um smartphone pela primeira vez e não sabe qual poderá atender suas necessidades e etc. Na continuação desta matéria, você encontra algumas dicas que irão lhe ajudar na escolha de seu smartphone.

A primeira dica é justamente refletir, isso mesmo, faça uma reflexão para chegar à conclusão se você realmente necessita adquirir o aparelho. Vale ressaltar que ter um smartphone “está na moda”, dessa forma, várias pessoas acabam comprando o mesmo por alguma influência. É importante ter em mente que este é um aparelho extremamente caro, principalmente quando falamos modelos top de linhas.

A segunda dica fica quanto à marca, são vários como, por exemplo, Apple, LG, Samsung e Nokia que são as que mais se destacam. Procure sempre pelo aparelho que irá satisfazer as suas necessidades e certamente irá encontrá-lo devido à variedade das marcas e as qualidades de seus aparelhos.

A tela pode ser bastante importante de acordo com a finalidade na qual você deseja adquirir o seu smartphone. As telas grandes se tornaram uma tendência, mas leve em conta a finalidade, ou seja, como você irá usar seu gadget.

No caso de trabalhar com digitação, ler livros, jogar, assistir vídeos e etc as telas maiores são altamente recomendadas. Caso deseje apenas acessar email, usar aplicativos básicos e entrar na sua rede social, fuja das telas maiores. Lembre-se que quanto maior for o tamanho e sua respectiva qualidade, maior será o preço.

As configurações como, por exemplo, o processador, bem como quantidade de GB para armazenamento deve ser visto com cuidado. Os processadores mais potentes são os referentes a aparelhos top de linha, ou seja, são destinados a games pesados e aplicativos que exigem muito desempenho do smartphone.

Caso deseje apenas usar aplicativos básicos e salvar músicas e algo do tipo, então, não é recomendável adquirir um smartphone com processador extremamente avançado, isso será perda de dinheiro.

Por fim e não menos importante, temos que destacar justamente o preço. Não compre na primeira loja que você encontrar, pois a pesquisa é sempre recomendável para a compra de todo e qualquer produto.

Através de lojas virtuais você encontra mais praticidade na pesquisa além de uma quantidade de descontos e ofertas maiores que em lojas físicas.

Por Bruno Henrique

Foto: divulgação


A Lenovo anunciou no dia 29 desse mês a compra da Motorola, empresa fabricante de celulares do Google. A notícia foi dada em uma conferência mundial de tecnologia, entre os líderes de dispositivos móveis. A compra foi realizada pelo valor de R$ 2,91 bilhões.

Segundo o CEO do Google, Larry Page, a companhia pretende concentrar seus estudos somente na área de sistemas operacionais para smartphones, o Android, a fim de aperfeiçoá-los adotando novas tecnologias. Este fechou o negócio na sede da empresa, juntamente com o CEO da Lenovo Yang Wuanqing.

Mesmo com a venda, a empresa possui patentes inovadoras, como o óculos inteligentes Google Glass e a senha por pílulas e tatuagens eletrônicas, citadas ainda em maio de 2013 e que já estão sendo estudadas.

Segundo especialistas em negócios, o preço da venda foi assustador, saindo dos padrões adotados no mercado. No ano de 2012, o Google comprou a Motorola por aproximadamente US$ 12,5 bilhões, e a vendeu nesse ano por um preço de US$ 10 bilhões a menos. O motivo da queda de preço é a grande importância das patentes.

A Lenovo comprou a fabricante de celulares, mas não as importantes e inovadoras patentes. Por isso, o buscador continuará investindo no sistema operacional Android, mas não terá como cobaia seus antigos smartphones.

Dois smartphones lançados meses atrás, o Moto X e o Moto G, são modelos de celulares da Motorola unidos ao gigante buscador. Os dois rodam o sistema Android puro, com apenas alguns aplicativos pré-instalados. Não se pode negar que essa importante parceria, com duração de apenas dois anos, rendeu dois ótimos aparelhos com uma assinatura do Google.

Larry Page afirmou que as patentes irão servir para incrementar o sistema operacional. Com a Motorola comandada pela Lenovo, não se pode afirmar onde isso irá chegar. Não se sabe se o Google terá uma nova parceria, a fim de testar seu sistema.

Por Danilo Gonçalves


A China continua com seu processo de crescimento e inovação nas mais diversas áreas e a novidade do momento é o lançamento do sistema Beidou.

Esta novidade está disponível na região da Ásia e Pacífico e consiste no oferecimento de serviços de navegação por satélite.

Para isso, o Beidou (que significa Ursa maior em chinês) criado pelo governo da China usa uma rede composta por 16 satélites de navegação e deve possuir cobertura em todo o globo até o ano de 2020.

Fonte: Superdownloads

De acordo com analistas é muito difícil que o sistema de navegação por satélite da China consiga competir mundialmente com o GPS controlado pelos Estados Unidos, pois este último é gratuito, fácil de ser usado e com testes feitos ao redor do planeta.

Mas o grande motivo do surgimento do Beidou parece ser mesmo a proteção do território chinês contra um possível bloqueio do GPS pelos norte-americanos em virtude de suas políticas com atuações contrárias.

Fonte: France Presse

Por Ana Camila Neves Morais


Mais uma negociação importante está perto de acontecer no mercado dos eletrônicos, pois a Intel pode estar no processo de compra da NVidia.

A informação foi publicada pelo Slash Gear, segundo o qual as duas empresas estão em discussão para consolidar as suas equipes.

Com isso, além do domínio financeiro, o presidente da Intel seria substituído pelo líder da NVidia e a Intel passaria a ter a propriedade do setor de processamento gráfico e móvel da outra empresa.

Este possível acordo pode colocar fim a uma série de disputas comerciais e jurídicas pelo uso de tecnologias entre as duas empresas fazendo, assim, a união de suas forças e o avanço no alcance de novos mercados.

Por Ana Camila Neves Morais


A venda de smartphones tem crescido bastante no Brasil e tem muita gente tem dúvida sobre qual modelo escolher dada a diversidade de opções existentes. Principalmente quem vai comprar seu primeiro smartphone. Afinal, o que levar em conta na hora da escolha? O hardware ou o software?

Independente do sistema operacional, o hardware é importante. Um processador rápido e muita memória são itens fundamentais. Entenda como “rápido” um processador com no mínimo 1 Ghz de clock e “muita memória” como uns 512 MB. Menos que isso não é recomendável.

Quanto ao modelo tudo depende do perfil do usuário. Quem quiser um aparelho confiável, com ótimos recursos e uma grande disponibilidade de aplicativos certamente vai preferir o iPhone 4. Mas é bom saber que o smartphone da Apple não tem suporte ao Flash e só permite a instalação de aplicativos autorizados.

Já quem preza pela liberdade de modificar seu aparelho e instalar aplicativos de qualquer fonte, deve preferir smartphones com o sistema Android. O ponto negativo é a grande variedade de versões do sistema; algumas até, ultrapassadas.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Idg





CONTINUE NAVEGANDO: