A Play Store tem um sistema de reembolso, que restitui o dinheiro que o usuário gastou com a instalação de um aplicativo que não cumpriu o prometido.

A maioria dos aplicativos mais populares na Play Store, a loja de aplicativos da Google, é gratuita. Mas, também há quem prefira baixar as versões pagas e que oferecem recursos diferenciados e exclusivos. Porém, após a instalação, muitas vezes aparece a surpresa negativa, a ferramenta acaba não cumprindo aquilo que prometeu.

Você está passando por isso? Saiba que você não precisa perder o seu dinheiro, pois é possível pedir o reembolso para compras insatisfatórias na Play Store.

Muitas pessoas ainda não sabem, mas a Play Store tem um sistema de reembolso, que restitui o dinheiro que o usuário gastou com a instalação de um aplicativo que não cumpriu o prometido. O reembolso não está disponível para todos os tipos de aquisição e é necessário atender a alguns requisitos para reaver o seu dinheiro.

Veja abaixo quando e como pedir o seu dinheiro de volta da compra:

Como é feito o reembolso

Segundo a página de suporte da Play Store, o reembolso para compras mal sucedidas funciona de duas maneiras: através do desenvolvedor do aplicativo ou diretamente pela Play Store.

A maioria dos aplicativos disponíveis na loja do Android é elaborada por empresas terceirizadas, e não pela própria Google. Por isso, a empresa ressalta que são os próprios desenvolvedores do app que devem dar suporte e atestar que eles funcionem corretamente. Se o aplicativo não estiver funcionando corretamente, o usuário tem que contatar o desenvolvedor, o que deve ser feito na página da ferramenta, dentro da Play Store, na seção que disponibiliza os dados de contato.

Quando reembolso é realizado pela Play Store, para que o dinheiro seja restituído rapidamente, o pedido de devolução deve ser feito, de preferência, até no máximo 48 horas depois da compra do app, filmes, músicas, livros ou demais conteúdos. Este tipo de solicitação só pode ser feito pelo computador, o recurso não está disponível em smartphones e tablets.

Passo a passo para reembolso em até 48 horas

Passo 1

Abra o seu computador, acesse a página da Play Store, usando os seus dados de login para entrar na sua conta.

Passo 2

Vá até o final da janela e selecione a aba ‘’Histórico de pedido’’, selecione o item do qual você deseja pedir o reembolso. Em seguida, clique no ícone dos três pontinhos, que está localizado no lado direito da tela, e selecione o botão ‘’Informar um problema’’.

Passo 3

Escolha qual é a opção que mais se adequada à sua situação como, por exemplo, ‘’Fiz a compra por acidente’’, ‘’Não desejo mais fazer esta compra’’, entre outras. Caso o produto comprado seja de outro país e esteja em idioma estrangeiro, o formulário será apresentado em inglês ou na língua de origem da ferramenta.

Passo 4

Após selecionar a opção que corresponde ao seu problema, descreva a situação e manifeste a vontade de receber o reembolso pela compra insatisfatória. Depois, pressione ‘’Enviar’’. A partir daí, você vai receber uma mensagem de texto por e-mail, agradecendo o seu contato e informando os passos para o reembolso, quando ele é aprovado.

O tempo da devolução depende da forma como o pagamento foi realizado. Se a compra foi efetuada com ou cartão de crédito, é preciso esperar de 3 a 10 dias úteis para ser reembolsado. Quando o pagamento é feito com o saldo da carteira da Play Store, a compensação será feita em até 1 dia útil.

Como é o reembolso após 48 horas

Quando a compra do aplicativo foi realizada depois de 2 dias, as chances de receber o seu dinheiro de volta são menores. É preciso entrar em contato com o criador da plataforma, procurando os dados de contato, entrando no campo ‘’Informações adicionais’’. O processo de devolução vai depender apenas do desenvolvedor, e os prazos para ser reembolsado são os mesmo citados anteriormente.

Reembolso para mais de uma compra

Se você comprou mais de um item na Play Store e ficou insatisfeito com todos, a Google informa que é recomendado entrar em contato com a empresa através do número 0800 724 8149, que está disponível todos os dias, durante 24 horas.

Por Simone Leal

Play Store


Google lançou nova ferramenta que irá deixar o feed de notícias dos usuários personalizado, de acordo com os assuntos do interesse dos mesmos.

De temporadas em temporadas, o Google sempre faz lançamentos para ajudar e facilitar a vida de seus usuários no dia a dia. Dessa vez, a empresa norte-americana lançou uma nova ferramenta em seu aplicativo. Essa ferramenta vai permitir que no seu feed apareça conteúdos do seu interesse ou assuntos/fatos que estejam acontecendo perto de você. Ou seja, será um conteúdo personalizado.

A novidade chegou e foi anunciada na última quarta-feira, dia 19 de julho de 2017, nos Estados Unidos, e segundo o comunicado oficial do Google essa atualização estará disponível para o restante das pessoas nos próximos dias.

Antigamente essa atualização, permitia que os usuários pudessem acompanhar as atualizações do trânsito e do clima. Mas agora será possível, receber notícias sobre qualquer assunto, como notícias nacionais e internacionais, esportes, entretenimento, tecnologia, saúde, beleza e bem-estar, horóscopo, dentre outros assuntos, isso depende do interesse do usuário. Essa atualização personalizada será feita graças aos dados que o Google coletou e coleta todos os dias sobre os seus usuários.

Além disso, os assuntos serão especificados em cards e os usuários podem seguir estes cards, funcionando assim como uma verdadeira rede social. E cada usuário vai poder personalizar o seu feed a sua maneira. O usuário será livre para seguir ou deixar de seguir o card que quiser e a hora que bem entender. Será possível, por exemplo, pesquisar o nome de uma série da Netflix e começar a segui-lá, assim o usuário terá todas as informações sobre aquela produção, como elenco, datas de lançamento, história de cada episódio, dentre outras informações pertinentes.

O Google lançou essa atualização em seu aplicativo, pois, é no seu buscador que as pessoas mais fazem pesquisas e é a sua parte de maior sucesso entre os internautas. E também, hoje as pessoas consomem notícias, sabem dos fatos através das redes sociais, como o Facebook e o Twitter. Pois, elas seguem os perfis de jornais e esses veículos postam em suas páginas os assuntos cotidianos. Ou seja, a pessoa já faz tudo em um único lugar. Essa atualização promete ser interessante para todas as pessoas. Ela vai estar disponível para celulares que possuem como sistema operacional o IOS e o Android.

Por Isabela Castro

Feed de notícias do Google


Saiba como deletar suas informações que podem estar sendo divulgadas pelo Google.

Você sabia que muitas informações pessoais que você possui podem estar sendo divulgadas pelo Google?

Não sabia? Então faça um teste muito simples, pesquise seu nome no Google e veja o que aparece sobre você.

Muitas pessoas nem imaginam que muitas informações confidenciais podem estar sendo divulgadas, inclusive fotos constrangedoras que nem imaginava que estão em circulação ou até um número de telefone que pode ter sido postado em algum fórum, inclusive até um número de documento.

Você identificou alguma informação que não quer que apareça no Google?

Não sabe o que fazer para deletar estas informações importantes?

Pois bem, continue lendo este artigo e aprenda o que fazer para impedir que o Google continue divulgando seus dados pessoais.

Não é uma tarefa fácil

Se você precisa apagar algumas informações na internet e que estão registradas no Google, já fique sabendo que não é uma tarefa tão fácil e nem muito simples.

Conforme o diretor de comunicação do Google aqui no Brasil, Felix Ximenes, uma das formas mais fáceis para deletar uma informação que está sendo divulgada sem sua permissão é ir até a fonte e buscar entrar em contato com o proprietário do site que está armazenando tal informação.

Guia passo a passo

1. A primeira coisa a fazer é efetuar uma busca pelo seu nome no Google. Conforme for aparecendo os resultados, verifique qual informação deseja apagar e selecione.

2. Uma dica importante é focar no que realmente quer que seja apagado, ou seja, informações confidenciais, por exemplo: documentos, dados de telefone, fotos constrangedoras ou possíveis difamações.

3. Para que sejam removidas dos websites tais informações, entre em contato com os administradores, encaminhe um email para o suporte do site ou contato e solicite a remoção, também é interessante explicar os motivos.

4. Caso tenha alguma foto sua que foi publicada em alguma rede social por algum amigo ou conhecido é mais fácil entrar em contato com ele e fazer o pedido de uma forma mais pessoal.

5. Se neste caso, a foto foi postada sem sua permissão por outra pessoa que não tenha contato, você pode pedir diretamente aos administradores da rede social.

6. Mesmo depois da solicitação das remoções, as informações ainda podem ficar pelo menos ainda mais alguns meses nos resultados dos mecanismos de busca. Isto ocorre porque o Google efetua varreduras de tempos em tempos em alguns sites e o período pode sofrer variações para atualizar seu banco de dados.

Segunda opção

Outra forma prática para apagar os resultados do Google é possível através do endereço www.google.com/webmaster/tools/removals, selecionando a opção novo pedido de remoção, copie a URL do site ou foto que deseja apagar no campo que está disponível, indique o motivo e encaminhe.

Esta solicitação normalmente é analisada e em pouco tempo é eliminada dos registros nos resultados de buscas.

Esta informação foi útil? Compartilhe com seus amigos que podem estar com algumas informações constrangedoras espalhadas nas redes e transmita esta mensagem.

Por Marcio Ferraz

Google


Aplicativos receberam novidades e contam com novos recursos.

Durante o evento “Google for Brasil”, realizado no dia 22/3 em São Paulo, a Google anunciou uma série de novidades específicas para os usuários do país. Entre elas está mudanças para os aplicativos Allo e Duo, que deverão ter novos recursos. As alterações foram apresentadas pelo diretor de aplicativos de mensagens da companhia, Amit Fulay.

Allo: aplicativo ficará mais “brasileiro”

O Allo é um aplicativo voltado para troca de mensagens, funcionando como concorrente do já consolidado WhatsApp. As novidades para o app da Google estão relacionadas ao uso de emojis, figurinhas e trocas de documentos.

Durante o uso do Allo, os usuários contarão com expressões inteligentes, que vão localizar emojis ou stickers, quando for digitada uma palavra-chave específica. Isso será possível graças à tecnologia de machine learning, capaz de fazer identificação de melhores opções, de acordo com o que for escrito, reconhecendo inclusive expressões em português. Por exemplo, caso você escreva a palavra “pizza”, o recurso buscará animações de pizza.

O Allo contará também quatro novos pacotes de stickers, ou adesivos, bem brasileiros. Eles terão gírias e expressões utilizadas no país e serão desenvolvidos com parceiros locais, como o BuzzFeed Brasil, TV Globo, SBT, Studio Sol e Ronaldinho Gaúcho.

Por fim, o app possibilitará para smartphones Android o compartilhamento de arquivos durante conversas. Eles poderão estar nos seguintes formatos: MP3, PDF, Docs, APK e ZIP.

Duo: app terá recursos de chamadas de áudio

O Duo é um aplicativo da Google específico para videochamadas, que terá também chamadas de áudio disponíveis somente no Brasil. A decisão por adicionar o recurso foi devido à qualidade da internet móvel (3G/4G) no país, que é bastante lenta. A novidade deverá reduzir as chances de cortes ou interrupções durante esse tipo de conversa. De acordo com o representante da Google, a mudança tem sido testada por usuários brasileiros nos últimos meses.

Durante o evento, a Google também informou que ampliou investimentos no Brasil, uma vez que os negócios desenvolvidos por aqui têm crescido substancialmente. Vale ressaltar que, em solo nacional, o celular é o principal dispositivo de acesso à internet, cerca de 90%. O país também é o único fora dos Estados Unidos, onde a companhia possui um ecossistema completo: um Google Campus, um Youtube Space, um Partner Flex e um centro de engenharia.

Por Camilla Silva

Allo e Duo


Aplicativo permite fazer uma pesquisa no Google sem precisar sair no WhatsApp, mas somente funciona no iPhone.

Seria uma boa ideia você não ter que sair do WhatsApp para fazer alguma pesquisa no Google e mandar na mensagem. Pois bem, o Google andou pensando um pouco a respeito e resolveu ajudar um os usuários do app, ao menos em parte, criando o Gboard. Bom, aqui o que temos é um aplicativo gratuito desenvolvido para adicionar juntamente ao teclado do smartphone uma opção de busca. Sendo assim, qualquer pesquisa que for feita no buscador da companhia poderá ser feita na mesma tela usada para o bate-papo no aplicativo sem que o usuário tenha que abrir separadamente o navegador.

Inicialmente dissemos que a solução é “em parte”. Isso pelo simples fato de que o novo recurso que vai ajudar a vida dos usuários só estará sendo disponibilizado para o iPhone. Isso nos faz pensar por que a empresa resolveu investir em uma solução para o sistema operacional concorrente e não para o seu próprio, o Android. Bom, sobre isso o Google disse que quer que a solução já seja algo nativo do seu sistema e não um aplicativo que tenha que ser instalado pelo usuário. Já quando é que planeja anunciar ou se está trabalhando nisso no momento ainda não há informações.

Mas voltando ao Gboard dá para fazer pesquisas bem como envios de imagens, emojis, vídeos, notícias, horários de voos e endereços. Os resultados das buscas aparecem para os usuários como cards apresentando em destaque as principais informações. Com apenas um toque o usuário poderá enviar esses cards para o amigo sem parar a conversa para isso.

E tem mais, o recurso funciona em qualquer app de mensagem o que inclui o Messenger e até e-mail. Além disso, a empresa ainda deu um jeito de tornar possível seu uso em qualquer parte do aparelho. Ou seja, tanto faz se o usuário está dando uma checada nos lembretes, usando o bloco de notas ou a agenda ele estará disponível.

O Gboard ainda leva para o iOS um recurso antigo do Android: a chamada digitação por deslizamento. Ela possibilita que os usuários digitem o que desejam apenas apontando as letras no lugar de clicar em cada uma delas.

Para ativar o Gboard é bem simples: Depois de baixar o app será exibido para o usuário o passo a passo para que o recurso seja ativado. No final das explicações o usuário será redirecionado automaticamente para o menu de “Ajustes” de seu aparelho. Lá é só ir em Geral – Teclado – Teclados. Feito isso ele será incluído entre as opções, depois é só ativar para usar.

Por Denisson Soares

Gboard


Companhia investe cada vez mais para propor melhorias aos anunciantes

Na última terça-feira, dia 24, o Google anunciou que estará promovendo novas modificações para seus produtos tais como a famosa ferramenta de busca da empresa e o aplicativo Google Maps. As modificações que serão implementadas tem o claro objetivo de proporcionar mais espaço para a publicidade.

Quando se trata de publicidade, o Google tem buscado ultimamente saídas para a situação. Um claro exemplo são os investimentos feitos relacionados aos seus produtos tais como naqueles voltados para os smartphones.

De acordo com as informações divulgadas pelo grupo em seu site oficial as tão faladas alterações devem acontecer no mais tardar até o final de 2016.

Além disso, o Google tem se empenhado (e muito) na questão de ajudar os anunciantes a chegarem cada vez mais perto dos consumidores que buscam por lojas físicas. Busca esta que é feita geralmente por meio de publicidade local que são veiculadas no Google Maps ou no Google.com.

Essas modificações irão implicar diretamente em aspectos importantes tais como dar uma melhor prioridade a publicidade de negócios que ficam próximos ao local onde o consumidor se encontra.

O Google também afirmou que deverá fazer uma série de experimentações que envolvem novos formatos de publicidade para o Google Maps. Inicialmente a ideia é que elas apareçam como se fossem pequenos marcadores indicando locais como restaurantes, cafés e hotéis no caminho.

E tem mais modificações por vir. A empresa informou que está trabalhando em alterações para o Google Adwords que, por sua vez, é o sistema que gera publicidade ligadas às buscas que os usuários fazem no Google.

Os novos formatos deverão oferecer mais espaço para as propagandas. Isso, claro, com o objetivo de fazer com que as mais variadas informações possam ser passadas aos usuários antes mesmos que eles “cliquem” para não vê-las.

E nesse meio termo temos os números apresentados. Para se ter ideia da “dinheirama” que o Google ganha com publicidade basta ressaltarmos o fato de que foram 18 bilhões de dólares no setor apenas durante o primeiro trimestre de 2015. Basicamente isso marca um crescimento anual na faixa de 16%.

Vale lembrar também que o Google vem inovando na questão da publicidade. Um dos primeiros alvos foi o Youtube que teve o tempo de duração da publicidade reduzida e a não permissão para que o usuário “pulasse a mesma”.

Por Denisson Soares


Empresa aumentará a segurança para dificultar a entrada de possíveis vírus e malwares na Play Store.

O Android vem sofrendo nos últimos tempos com um número cada vez maior de vírus, ainda mais poderosos e que atingem usuários em massa, chegando até mesmo a ''sequestrar'' o dispositivo do usuário, o obrigando a pagar uma quantia em dinheiro para poder voltar a usar o dispositivo novamente. Agora, a Google tenta reverter esse quadro investindo em uma nova tendência para a segurança de sua loja de aplicativos do Android.

Para falarmos da nova tecnologia de segurança que será utilizada na Play Store, precisamos falar antes de como funciona o sistema de segurança da Play Store atualmente. Hoje, os aplicativos que querem entrar na rede de aplicativos do Android, passam pelo chamado ''Google Play Security Improvement Program'', que é basicamente a revisão de segurança que a Google faz em cada app antes do mesmo entrar na Play Store, analisando todo o código do aplicativo em busca de possíveis vírus e malwares. É por meio desse processo, que quando você vai instalar um app em seu smartphone, recebe uma janela com as permissões pedidas pelo app para poder funcionar em seu dispositivo.

Quando um aplicativo acaba por ser detectando como um portador de um possível vírus ou é contatado com uma brecha de segurança, o desenvolvedor do app é notificado e deve resolver o problema para enviar seu app de volta a Play Store, fazendo com que todos os apps, se necessário, passem por novas verificações de segurança.

Entretanto, o sistema de segurança não vinha sendo forte o suficiente para evitar que malwares estivessem presentes na Play Store. Com um número de apps infectados com alguma brecha de segurança cada vez maior, a Google resolveu aumentar o esquema de segurança na sua loja de aplicativos.

A partir de agora, uma ferramenta de sandbox será totalmente incorporada na API de segurança da Play Store, isolando o aplicativo totalmente, fazendo com que o mesmo não seja capaz de interferir no sistema do dispositivo, não conseguindo permissões além das requeridas ou até mesmo indo além.

A Google também enviou um relatório de como prevenir possíveis brechas de segurança aos desenvolvedores, na tentativa de reduzir o número de aplicativos infectados com malwares na Play Store.

Maria Luiza Mazzo


Nova funcionalidade visa facilitar a vida dos usuários.

É cada vez mais comum ver o trabalho se unindo a vida pessoal de cada indivíduo com a integração cada vez maior entre tecnologia e as possibilidades de se levar seu trabalho para casa. Um dos principais pontos é o email corporativo, que muitos funcionário possuem e permitem que possam contatar profissionalmente outras pessoas e empresas, além de criar uma networking entre os empregados da empresa.

Agora, essa integração será ainda maior, visto que a Google anunciou que a partir de agora o Gmail será integrado, no caso dos usuários do Android, aos emails Exchange, permitindo a sincronização do seu email corporativo com o pessoal no Gmail, para receber todas as notificações e mensagens em um só lugar, facilitando e muito a vida dos usuários que não precisarão conferir conta por conta para verificar avisos e mensagens importantes.

Anteriormente, apenas alguns usuários tinham acesso a essa função, que já era exclusiva do Android, porém, agora qualquer usuário irá poder fazer uso da sincronização com o Microsoft Exchange. Porém, é importante que o usuário que tenha interesse em sincronizar a conta com o Gmail, entre em contato com o responsável pelo setor de TI da empresa, visto que a sincronização poderia causar o bloqueio da conta no Exchange.

Outra novidade a partir de agora no Gmail, é que a Google passa a permitir aos usuários que, além de integrar sua conta no email da empresa com o Microsoft Exchange, agora também será possível integrar sua conta do Gmail com outro email pessoal, como uma conta no Yahoo, Outlook e outros serviços de email, mais uma facilidade que deve agradar e muito aos usuários, visto que não é novidade ter de mudar de um email para o outro para verificar sua caixa de mensagens, além de cansativo por vezes era extremamente irritante.

A única polêmica em torno da atualização do Gmail no Android é a possibilidade de indo embora facilitar e muito a vida dos usuários, melhorando os serviços oferecidos pela Google. Por outro lado, de certa forma a medida viola a lei antitruste, já que cria um certo monopólio onde o usuário não necessita instalar os apps dos terceiros para poder utilizar estes serviços.

Murilo Couto


Novos cases para celular serão compatíveis com os modelos Nexus 6, Nexus 6X e Nexus 6P. Venda será realizada apenas pela Google Store.

As famosas "capinhas" são uma verdadeira febre entre o público jovem, principalmente pela variedade gigantesca de opções que encontramos no mercado. É até mesmo possível personalizar hoje a capinha de seu smartphone com uma foto sua, tamanha as possibilidades. Tentando entrar com força nesse mercado, a Google lançou suas Live Cases, tendo como foco a personalização das capinhas pelo próprio usuário.

O lançamento ocorreu na quinta-feira, 14, pela Google, sendo que as capinhas são destinadas aos Nexus 6, 6X e 6P. A grande novidades das chamadas Live Cases é que os usuários poderão realizar a personalização de sua capinha online antes de efetuar a compra.

O modelo lembra o "Moto Maker", da Motorola, que também permite os usuários da linha Moto personalizar suas capinhas a seu gosto, antes de efetuar a compra. No caso das Live Cases, será possível utilizar suas próprias fotos, bem como usar filtros e cores para personalizar ao máximo a seu gosto a capinha.

Outra novidade das Live Cases é um botão presente em todas as capinhas, que permite a capinha se conectar com seu dispositivo móvel por meio de NFC, ativando comandos com um toque para o usuário. Buscando também integrar as Live Cases com outros serviços da empresa, os interessados na compra irão contar com o "Places Live Cases", que permitirão aos usuários selecionar um lugar no mapa por meio do Google Maps para personalizar sua capinha, podendo essas imagens também serem personalizadas pelos usuários, podendo garantir um visual e design completamente novo e inovador.

As capinhas custaram cerca de US$ 35, algo em torno de R$ 120 desconsiderando os impostos, entretanto, como elas serão vendidas apenas pela Google Store, as Live Cases não estarão disponíveis no Brasil.

O nome é uma referência a um Wallpaper animado que é feito através da imagem personalizada que você utilizou em sua capinha no momento da criação, que poderá ser baixado pela Google Play, graças a um link emitido pelo serviço NFC no momento em que a capinha é acoplada ao dispositivo pela primeira vez.

A oferta da Google é interessante, porém, certamente não será nada fácil entrar em um mercado que possui tantas opções disponíveis para os usuários nesse momento.

Laisa Silva


Nova função permite a criação de pequenos gifs animados.

O Google Photos não está entre os apps favoritos dos usuários, embora também não seja um daqueles aplicativos que o número de usuários é tão pequeno que a empresa acaba deixando o app de lado. Agora, o app da Google está recebendo uma nova atualização para os usuários do iOS, que agora poderão fazer uso da função Live Photos no iPhone 6S e 6S Plus.

O aplicativo que permite aos usuários gerenciar suas fotos já lançou a atualização para os usuários, que caso ainda não tenham recebido a atualização em seu iPhone, podem fazê-la manualmente. A função chamada de Live Photos é basicamente uma função que permite aos usuários poderem criar gifs pela câmera do seu dispositivo.

Quando você tira uma foto com o seu smartphone, o Google Photos faz algumas capturas, tanto antes do momento do disparo, como depois, criando um pequeno gif com a junção das duas partes. A boa notícia para os usuários do iPhone, já que o smartphone da Apple não conta com suporte a microSD, é que todas as fotos podem ser salvas na conta que você possui do Google, sendo que o espaço é ilimitado, desde que suas fotos tiradas sejam de no máximo 16 megapixels e no caso de vídeos, resolução máxima de 1080p.

O aplicativo oferece diversas opções interessantes para os usuários. Mesmo não sendo um dos aplicativos mais usados atualmente, ele conta com uma base de 100 milhões de usuários, um número considerável. Com o Google Photos é possível o usuário buscar fotos por meio de sua localização, editar as fotos e ainda há a geração de pequenos gifs com fotos já tiradas e guardadas por meio do app.

O Google Photos certamente encontra uma concorrência bem grande no iOS, já que o sistema possui diversos apps de altíssima qualidade para que o usuário possa tirar e editar suas imagens, até mesmo pela fama que o iPhone possui de ser o melhor smartphone do mercado quando o assunto é a qualidade das fotografias tiradas pelo dispositivo.

A novidade foi anunciada pela própria empresa na sua conta no Twitter, logo após a disponibilização da atualização aos usuários.

Por João Trajano


Empresa pretende lançar um dispositivo de realidade virtual muito mais avançado e com muito mais opções do que o Cardboard.

As empresas ao redor do mundo parecem estar cada vez mais dispostas a investir na realidade virtual, que ainda não tem um grande número de opções de conteúdo e acabam por receber pouca atenção por parte dos usuários, mas com o desejo das grandes empresas em investirem nesse ramo, certamente veremos em breve, mais dispositivos e conteúdos disponíveis, e uma dessas empresas é a gigante Google, que parece estar trabalhando em um novo dispositivo de realidade virtual.

A empresa já havia investido no Cardboard, uma opção bem simples e barata para levar um pouco da experiência da realidade virtual para todos os usuários ao redor do mundo, sendo que os próprios usuários podem fazer o Cardboard em sua casa.

Agora, porém, a empresa parece estar trabalhando em um outro dispositivo de realidade virtual, muito mais avançado e com muito mais opções do que o simples Cardboard, sendo esse, um dispositivo que poderia ser utilizado em diversas plataformas móveis.

As informações são do The Financial Times, que diz que a gigante está trabalhando para lançar o dispositivo já em Setembro deste ano e, pode apresentar a novidade ao público na Google I/O deste ano, que deve acontecer em breve. Segundo o site, o dispositivo se chamaria Nexus VR e maiores informações a respeito do aparelho ainda são completamente desconhecidas.

Ainda segundo o site, o dispositivo poderia chegar junto do Android VR, que seria a plataforma de realidade virtual do Android, embora, a intenção do Nexus VR, não seria ficar apenas vinculado aos smartphones, podendo ser utilizado também em outros dispositivos.

A notícia, porém, embora ainda escassa em informações, já animou os usuários, que acham que a empresa já deveria ter investido há muito tempo fortemente nesse setor, já que o Cardboard, como citado é realmente algo extremamente simples, embora não deixe de ser uma boa experiência para os usuários que querem ter um contato inicial com essa tecnologia mas não possuem investimento para gastar alto nos óculos de realidade virtual já disponíveis no mercado.

O dispositivo também seria uma forma da empresa se recuperar do recente fracasso do Google Glass,  que teve até mesmo todas suas contas em redes sociais excluídas pela empresa.

Por Isis Genari

Google Cardboard

Foto: Divulgação


Empresa pode acessar remotamente cerca de 71,1% de aparelhos com Android.

Cerca de três em cada quatro dispositivos que utilizam Android no planeta podem ser acessados remotamente pela empresa Google. Para quem não sabe, o acesso remoto é a possibilidade de utilizar o dispositivo da mesma forma que o proprietário. É como se o seu aparelho fosse invadido e todas as suas funcionalidades fossem controladas por outra pessoa, desde utilização de aplicativos a transferências de arquivos.

Essa informação vazou em um fórum Reddit na cidade de Nova York, Estados Unidos. Na prática, o documento informa que o Google poderia acessar cerca de 71,1% dos celulares ao redor do mundo. Porém, o acesso só seria realizado mediante ordem judicial e não a critério da empresa.

A inviabilização do acesso só ocorreu com a versão 5.0 (Lollipop) do sistema operacional Android, que passou a utilizar criptografia.

Já se sabia que as versões anteriores do Android (abaixo da versão 4.4) não poderiam usar criptografia, mas o que não se esperava era que o Google utilizaria desse fator para acessar os dados dos Gabgets. O número de aparelhos vulneráveis pode ser ainda maior, uma vez que a criptografia tem que ser ativada manualmente, mesmo nas versões mais recentes do Android.

O documento judiciário americano publicado sobre a notícia informa que mediante a uma ordem judicial o Google poderia utilizar de diversos recursos para acessar os dados dos dispositivos.

Outro fator complicador é que a criptografia é um processo lento e irreversível. Ela inviabiliza o acesso dos arquivos por terceiros, contudo prejudica o desempenho do aparelho, ou seja, não é indicado para aparelhos com configuração modesta.

O mesmo pode ocorrer com a Apple. A empresa pode acessar o conteúdo dos smartphones Apple, porém com maior dificuldade, uma vez que os dispositivos equipados com o iOS 8 já vêm criptografados de fábrica como padrão. Segundo a Apple, apenas 9% dos seus usuários podem ter seus dispositivos acessados de forma remota.

Por André César

Smartphone com Android

Foto: Divulgação


Novo modelo será lançado no final de setembro e contará com ótimas características.

A cada dia surgem novas informações no mercado da tecnologia sobre o surgimento do Nexus 6P, que é um smartphone produzido pelo Google junto com a Huawei.

Esse modelo que é um dos phablets (dispositivo com uma tela que chega a ser superior a 5,5 polegadas, mas que ao mesmo tempo é inferior a 7 polegadas, sendo sensível ao toque, mas com recursos bem semelhantes aos que existem em smartphones e tablets, e com uma integração opcional com relação a uma caneta do tipo stylus), chega ao mercado com as seguintes características:

  • Uma tela menor com 5,7 polegadas para uma resolução de exatamente 1440 X 2560 pixels;
  • Com uma velocidade de 1,9 GHz temos o Chipset Snapdragon 810 octa-core;
  • Memória RAM de 3 GB;
  • Câmera traseira de 11 megapixels;
  • Câmera frontal de 7 megapixels;
  • Versão atualizada do Android;
  • Gravação com uma resolução na casa dos 4K.

No lado da Huawei temos conforme mencionamos acima o Nexus 6P, enquanto que é também aguardado no mercado o modelo Nexus 5X da LG (é conhecido dentro da empresa como Project N3), que apresenta as características de:

  • Uma tela de 5,2 polegadas que apresenta uma resolução Full HD com uma configuração de 1080 X 1920 pixels;
  • Uma velocidade máxima de 1,8 GHz para o chipset Qualcomm Snapdragon 808 hexa-core 64 bits;
  • Memória RAM de 2 GB;
  • Armazenamento interno pode ser de 32 GB ou senão 64 GB;
  • Câmera frontal de 5 megapixels;
  • Câmera traseira de 13 megapixels;
  • Bateria com uma capacidade de 2.700 mAh;
  • Leitor Biométrico;
  • Android 6.0.

O Nexus 6P (sucessor um pouco distante do famoso modelo Nexus 6 da Motorola) e o Nexus 5X (sucessor bem direto do Nexus 5 lançado em 2013 pela LG) têm a previsão de serem lançados na mesma data, ou seja, dia 29 de setembro, mas infelizmente sem a confirmação se serão divulgados para a compra em todos os países.

Por Fernanda de Godoi

Nexus 6P

Foto: Divulgação


Google irá lançar um smartphone mais simples e mais barato, mas com as facilidades da internet, em 6 Países da África.

Um total de 6 Países na África irão receber do Google um modelo de smartphone com preço bem mais em conta. A intenção do gigante de buscas na internet é expandir o seu programa, levando smartphone com valor reduzido para uma população que não tem condição de comprar aparelhos mais caros para se conectarem à internet.

O anúncio de expansão do programa foi feito pelo próprio Google na última terça-feira (18) e os aparelhos serão fabricados pela Infinix, tendo o valor de US$ 87, cerca de R$ 302,00 e será comercializado pelas lojas na Nigéria e também poderão ser adquiridos pela internet no revendedor online Jumia para os seguintes países: Marrocos, Costa do marfim, Egito, Gana e Quênia.

O mercado na África não é tão bom para o setor de smartphones justamente pela condição precária em que muitos se encontram, mas há um grande interesse da população em adquirir os smartphones só que os modelos disponíveis, na maioria das vezes, estão longe da realidade daquele povo. Com a expansão do seu programa de smartphones baratos, o Google espera conseguir fazer com que um número maior de pessoas na África possa se conectar e ter acesso a todas as informações e facilidades que a internet traz para os dias de hoje.

Em 2014, quando o Google levou seu programa para a Índia, lançou por lá o smartphone batizado de Hot2 que também foi uma parceria com a Infinix.

O programa do Google, chamado de "Android One", é a divisão da empresa Google que tenta levar smartphones com preços mais acessíveis às regiões do planeta onde o desenvolvimento ainda é muito baixo e os computadores não fazem parte do dia a dia da grande maioria da população.

O "Android One", ao levar smartphones com valores reduzidos para estes locais, não só possibilita às pessoas adquirirem estes aparelhos como também faz com que as empresas que atuam nestas regiões comecem a baixar os preços dos seus aparelhos.

O smartphone que o Google lançará na África vai rodar o Android Lollipop e receberá a atualização da nova versão, a Marshmallow. São smartphones básicos, que não oferecem tantos recursos quanto os modelos top de linha, mas atendem perfeitamente quando se trata de acesso às funções básicas.

Por Russel

Google na África

Foto: Divulgação


Empresas estão empatadas no 2º lugar como as mais valiosas do mundo em 2015. Apple lidera o ranking, valendo US$ 760 bilhões.

Duas das empresas gigantes da internet, Google e Microsoft ocupam o segundo lugar como as duas companhias mais valiosas do mundo em 2015, segundo reportagem da “Forbes”. A Apple está na primeira colocação da lista. A empresa Google cresceu cerca de 3,56% nos primeiros meses de 2015 e atualmente vale cerca de US$ 385,59 bilhões. No mercado, a Microsoft obteve um crescimento maior (9,4%), sendo avaliada em US$ 389,24 bilhões.

Vale ressaltar que ambas as empresas não chegam sequer a ameaçar a liderança da Apple entre as companhias mais valiosas. Inclusive, a empresa fundada por Steve Jobs vale mais de US$ 760 bilhões. Os resultados, de maneira geral, mostram a completa hegemonia das empresas de tecnologia no contexto de hoje.

Essas empresas já são mais rentáveis que companhias do mercado de energia e petróleo. Segundo os especialistas e consultores do mercado financeiro e de tecnologia, as companhias tendem a crescer cada vez mais e dominar por muito tempo o cenário global.

Ações na Bolsa de Valores:

Atualmente é possível investir em ações da Apple ou Google na Bovespa, segundo reportagem da “Revista Exame”. Essa medida é válida desde 2010 e não obriga o investidor a fazer remessas para o exterior, nem mesmo abrir quaisquer contas em bancos fora do país. 

Na prática, ocorre um tipo de investimento chamado “Brazilian Depositary Receipt”, segundo informações da BM&FBovespa. Os certificados de depósito são relacionados a valores emitidos no Brasil, os quais representam valores emitidos por empresas abertas do exterior. Lembrando que a emissão deve ser feita por empresas autorizadas a funcionar pelo Banco Central e habilitadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a emitir BDRs.

Dentre as vantagens do investimento estão a oportunidade de investir em grandes companhias estrangeiras, como Apple, Google ou Microsoft, por exemplo, sem a necessidade de pagar custos relacionados a remessas para o exterior e manutenção dos demais controles nas operações. Os certificados também são simples para serem negociados, de maneira geral.  Além das empresas citadas, o investidor pode optar por companhias como Intel, Pfizer, Coca-Cola, Hershey, Walmart, dentre outras opções.

Por Letícia Veloso

Microsoft e Google

Foto: Divulgação


Empresa lançou sua primeira loja física para aumentar seu poder de concorrência

A empresa Google lançou mais uma novidade para os consumidores que são apaixonados pela marca e pelos seus produtos, dessa vez ela inaugurou, em Londres, a sua primeira loja física. O Google teve essa iniciativa para tentar aumentar o poder de concorrência da marca frente aos seus principais concorrentes, tais como, a famosa Apple e a Samsung.

Um exemplo bem claro dessa nova tendência do mercado moderno é que a Apple é famosa não só pelos seus produtos, mas entre outras coisas, também pelas suas lojas-conceito, onde toda a logística é feita somente com os produtos da marca como, por exemplo, iPhones, iPads e MacBooks.

O surgimento dessa nova loja do Google é uma espécie de resposta às concorrentes, haja vista que a Google só comercializava os seus produtos, anteriormente, por meio da sua loja virtual. Essa loja que foi aberta em Londres ainda não é um estabelecimento inteiro destinado aos produtos do Google, mas sim um cantinho dentro da famosa loja de eletrônicos chamada Currys PC World, ou seja, a criação desse espaço nessa loja seguiu o tal conceito de “loja dentro de loja”.

A loja Google shop tem à disposição dos consumidores praticamente toda a linha de hadware, tablets Android e celulares, laptops, chomebook, tocadores de mídias digitais chromecast e relógios inteligentes.

Uma parede de doodle confeccionada por latas de sprays digitais podem ser usadas para criar as novas versões do logo do Google e toda essa imaginação feita pela empresa é para que a loja consiga atrair mais clientes. Outra novidade, mas essa já está funcionando na loja, é uma tela gigantesca do Google Earth e um Chromecast que tem a finalidade primordial de exibir para os clientes que estiverem dentro da loja vídeos do YouTube.

O certo é que cada vez mais o gigante das busca vem crescendo nos mais diversos ramos e para que haja este crescimento sem dúvida ela tem que se juntar e seguir pelo  menos os passos de sucesso das marcas mais renomadas. 

Por Adriano Oliveira

Loja fisica do Google

Foto: Divulgação


O assistente de voz do gigante das buscas ganhou novas funcionalidades que o deixaram mais inteligente e interativo. A partir de agora o Google Now passará a atender de maneira eficiente os smartphones e tablets de seus consumidores. A mais recente atualização, disponibilizada para o público na última sexta-feira (30), poderá funcionar com 40 aplicativos de terceiros.

Lançado em 2012, o Google Now oferece ao usuário resultados de buscas personalizados, como informações sobre ações na bolsa, previsão do tempo, voos, atualização do trânsito e até sobre o time de futebol favorito do usuário.

O assistente virtual tem o Siri, da Apple, e o Cortana, da  Microsoft, como seus principais concorrentes. No entanto, a ferramenta do Google conta com a vantagem de estar presente nos smartphones e tablets com o sistema operacional Android, que conta com a maioria esmagadora de dispositivos no mundo todo.  

As informações oferecidas pelo Google Now sempre estão em formatos de cards. Antes, eles funcionavam apenas com aplicativos do próprio Google, como Agenda, Gmail, Contatos, entre outros. Mas agora, empresas como Duolingo, Airbnb, Lyft, Ford, The Economist, Shazam, eBay, Trip Advisor e Hootsuite farão parceria para que seus serviços funcionem com a integração do Google Now.   Para citar um exemplo, o Duolingo poderá avisar o usuário sobre lições de inglês que ele deve fazer. Ou o The Economist listar notícias e artigos de interesse do usuário, previamente configuradas. As notificações devem aparecer apenas para usuários que tiverem os dois aplicativos: o Google Now com a outra funcionalidade.  

É esperado que outros aplicativos sejam adicionados à lista de integração com o assistente virtual do gigante das buscas. Em uma publicação emitida no blog da empresa, o Google não deixou claro se o update do Google Now também será destinado ao aplicativo para iPhone e iPad. É esperar para ver.

Por William Nascimento

Atualiza??o do Google Now

Foto: Divulgação


Não é difícil imaginar as vantagens de possuir um smartphone do Project Ara, do Google. Mas já imaginou se os blocos removíveis do celular também fossem compatíveis em outros gadgets? É isso o que a Phone Blocks pretende com seu smartwatch Blocks.

A companhia de Paul Eremenko, filiada à Intel, anunciou há pouco tempo o seu relógio modular que ainda está em fase de desenvolvimento, mas já conversa com o Google para firmar uma parceria. Esse pode ser um incrível salto de ambas companhias à frente das concorrentes que já surgiram no mercado modular.

O smartwatch terá sensores que possibilitam o usuário escolher quais funcionalidades ele deseja adquirir, bem como a fabricante de cada módulo que desejar. Portanto, o aparelho será totalmente customizável, assim como o Project Ara.

E, caso se confirme compatível com o projeto do Google, o Block também poderá receber peças do smartphone modular. Bastará escolher as funcionalidades do celular que deseja carregar de forma mais portátil e encaixar no relógio.

Isso poderá representar também um grande salto na indústria dos wearables, que, apesar de começar a causar um certo barulho e encher as vitrines com lançamentos, ainda não se popularizou no mercado como os smartphones ou tablets.

Com o smartwatch Block, os usuários dos aparelhos do Ara terão diversas funcionalidades disponíveis, sem precisar desembolsar muito dinheiro a mais. Será muito mais vantajoso ter no braço um relógio que pode compartilhar as funções do celular.

Assim sendo, não é difícil perceber que o acordo entre Ara e BLOCKS será benéfico não só para os usuários, mas também para ambas empresas.

O Block foi exibido ao público no CES 2015, na banca da Intel, já que o projeto recebe apoio financeiro dela, além de também ter como parceira a Samsung.

Os módulos compõe o bracelete do smartwatch, e suas funções variam entre GPS, cartão SIM e baterias adicionais. O Tizem é uma das opções de sistema operacional.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


O Google atualizou o aplicativo Mapas com o novo visual introduzido em suas interfaces, junto com a atualização do Android, o Lollipop 5.0, que eles têm chamado de “Material Design”. O novo sistema operacional e seus aplicativos agora apresentam cabeçalhos realçados, com cores sólidas lisas e animações que lembram folhas de papel deslizando umas sobre as outras. O app também oferece novos recursos, incluindo opção de fazer reservas em restaurantes e previsão de tempo e preço para o serviço de transporte Uber, a “carona remunerada”.

A atualização do aplicativo ainda não foi disponível e a previsão é que dentro dos próximos dias os usuários já consigam localizá-la, tanto na App Store quanto no Google Play. Baseado nas imagens que a empresa forneceu, a revisão gráfica segue a qualidade e o bom trabalho realizados com o Android 5.0, bem como os recursos adicionais se mostram muito úteis, como a facilidade das reservas, já mencionada, evitando a necessidade de se abrir um outro aplicativo ou página da internet para reservar uma mesa após termos utilizado o Google Maps para achar os restaurantes disponíveis mais próximos da nossa localização.

O aprofundamento da parceria com o Uber (onde o serviço está disponível) é particularmente interessante, uma vez que é garantia de ajuda para quem utiliza o serviço de transporte para se locomover, mas significa também a intimidade do Google com uma empresa membro do seu portfolio no ramo de investimentos, o Google Ventures. A disponibilização de tempo e preço do serviço de transporte direto no Mapas dá ao Uber uma considerável vantagem sobre outros meios de transporte privado, incluindo o serviço de taxi comum.

As atualizações dos aplicativos do Google para o novo padrão de interface gráfica vão continuar em tudo que a empresa tenha dentro da sua considerável gama de softwares e aplicativos, assim como a parceria Mapas/Uber deve considerar a crescer, com o próximo passo sendo provavelmente a possibilidade de se reservar o carro de dentro do próprio aplicativo, como já ocorre com os restaurantes.

Por Felipe Foureaux Freitas

Novo Google Maps

Foto: Divulgação


A Disney e o Google se uniram em um projeto para disponibilizar os filmes daquela, da Pixar e Marvel em qualquer dispositivo com acesso à internet, através do Google Play.

Jonathan Zepp, um dos dirigentes do Google Play Movies, disse que a intenção é disponibilizar aos fãs de cinema tanto filmes antigos quanto lançamentos.

A mais famosa empresa de entretenimento, tanto no quesito parques temáticos quanto em filmes, infantis e musicais, já tem raízes fortes junto com a Pixar, e em fevereiro deste ano já tinha disponibilizado serviço semelhante para usuários dos aparelhos da Apple, com o “Disney Movies Anywhere”. A iniciativa permitiu que os usuários adquirissem e sincronizassem os filmes da Disney através do iTunes ou através de códigos contidos em DVD´s para exibi-los nos produtos da Apple. Agora, os fãs dos filmes da Disney, Pixar e Marvel poderão assistir 450 títulos já disponíveis (por enquanto) em qualquer dispositivo, independente do sistema operacional. Basta o usuário instalar o aplicativo do Disney Movies Anywhere e permitir a conexão com sua conta do Google, e os filmes adquiridos estarão disponíveis em todos os dispositivos com a mesma configuração.

A parceria é importante para a Disney uma vez que disponibiliza seu conteúdo para utilização em qualquer plataforma, Android ou iOS, em um mercado dividido igualmente entre usuários dos dois sistemas operacionais (nos Estados Unidos), de acordo com a última pesquisa do ComScore. A parceria também entra para história sendo a primeira vez que é possível ter conteúdos sincronizados entre diferentes sistemas operacionais, o que significa um grande passo no ramo de compra de filmes online.

A mudança também é significativa para a indústria de entretenimento. A ida aos cinemas se torna cada vez mais rara, e atualmente tem sido comum famílias terem cada membro com pelo menos um dispositivo próprio, o que fez a arrecadação com filmes aumentar no último ano, por causa do aumento no valor dos ingressos, mesmo com o público das telonas diminuindo.

O aplicativo está disponível na iTunes App Store e no Google Play, com a disponibilização gratuita do “Detona, Ralph” (por tempo limitado) para quem se inscrever.

Por Felipe Foureaux Freitas

Disney Movies Anywhere

Foto: Divulgação


No princípio da utilização do falecido Orkut, era necessário convite para aderir à rede social do momento e isso causava muita procura por quem poderia ser usuário da rede para enviar convites aos demais interessados.

Após o encerramento do Orkut, o Google chega com a novidade Inbox by Gmail, novo app de e-mail do Google. É um serviço inteligente de integração de e-mails e promete revolucionar a maneira de ler o correio eletrônico.

É uma mistura de Orkut, Gmail e Google Now com versões para Android ou IOS, assim, através dele é possível organizar mensagens, contatos e lembretes de maneira lógica e fluida. A novidade, porém, apesar da utilidade requer um convite para ser utilizado semelhante ao início do Orkut. Calma, descreverei como conseguir esse convite.

Convites para o “Inbox by Gmail”:

Se você quer ser o primeiro dos seus amigos a aderir ao novo app e enviar convites para toda a galera, siga os passos abaixo:

Baixe o app Inbox by Gmail e cadastre seu e-mail do Gmail no site do Google Play clicando aqui.

O Aplicativo só funciona em conexão com a conta do Gmail, portanto, se não tiver, crie uma conta, o serviço possui versões para a web e para smartphones e tablets.

Com o aplicativo pré-instalado, é preciso um convite do Google para usá-lo e para conseguir é preciso pedir um convite escrevendo para o seguinte endereço: inbox@google.com e aguardar pacientemente, pois o seu pedido é computado pelos servidores do Google, em seguida é enviada a confirmação de que seu contato está na lista de espera até o belo dia em que você recebe o link com o “Golden ticket” para o tão aguardado aplicativo. Por outro lado se seu amigo já for usuário do app ele pode rapidamente lhe enviar um convite.

Após receber o "golden ticket" para passar a usar o Inbox by Gmail, os convites ainda não estão disponíveis por isso não estranhe, afinal leva cerca de 2 a 3 dias para que você possa começar a distribuí-los entre os seus contatos e alegrar a vida de todos.

Para enviar um convite a um amigo, basta clicar no botão vermelho com o sinal de "mais" na parte inferior da tela e você terá três convites para compartilhar e se divertir juntamente com os amigos.

Por Erica Oliveira de Souza

Inbox by Gmail

Foto: Divulgação


O Apple Watch é a grande sensação do momento, apresentado pela empresa no último dia 9 o relógio inteligente da Apple é totalmente integrado ao iOS e por isto garante maior interatividade e usabilidade para os usuários. Mas o Apple Watch não é o único relógio inteligente do mercado, o Google já está tentando dominar esta área com o Android Wear, assim como a sul coreana Samsung que já comercializa o Samsung Gear e até a LG está disputando este mercado com o LG G Watch!

Mas os smartwatches são novidades no mercado e muita gente ainda não sabe exatamente para que eles servem, quais as funções oferece e principalmente, qual a vantagem de se ter um relógio inteligente.

Primeiramente o usuário deverá entender que, a grande vantagem de um relógio inteligente é que ele funciona como uma extensão do seu smartphone, sendo assim, podemos dizer que é quase uma obrigatoriedade ter um smartphone em mãos, quando estiver usando seu relógio inteligente.
Não que seja obrigatório, mas claro, vai ser muito mais interessante.

Esta integração entre o relógio inteligente e o smartphone se dá via Bluetooth, para que o usuário possa conferir seus e-mails, torpedos, etc. Tanto o relógio inteligente do Google quanto o da Apple, contam hoje com vários aplicativos que  disponibilizam para os usuários informações variadas, como o trânsito, localização, entre muitas outras. Também é possível ter acesso e controle a músicas, acionar comandos com a voz, consultar o calendário, verificar a previsão do tempo, entre muitas outras possibilidades.

O grande desafio das empresas é que estes relógios inteligentes possam ser cada vez mais independentes dos smartphones e finalmente conquistem sua liberdade, por exemplo, o Apple Watch já permite que o usuário possa atender uma chamada telefônica sem precisar pegar o iPhone, podendo mantê-lo no bolso ou na bolsa, enquanto atende a ligação. Já o Gear S da Samsung permite a realização de chamadas telefônicas.

O Moto 360 já deverá estar disponível no mercado nacional ainda este ano e será um importante passo para o crescimento deste mercado que é muito interessante, repleto de novas tecnologias e promessas, mas ainda não despertou o interesse dos consumidores.

Por Russel

Apple Watch

Apple Watch

Android Wear

Android Wear

Samsung Gear

Samsung Gear

LG G Watch

LG G Watch

Fotos: Divulgação


O Google está muito perto de anunciar a versão 5.0 do Android, que deve incluir uma quantidade grande de mudanças, principalmente no design dos apps da companhia. Por enquanto, a nova versão é conhecida apenas como “L” e ainda não temos detalhes de quando estará disponível para os primeiros dispositivos como o Nexus e Motorola.

O anúncio do novo sistema operacional veio algumas semanas após o lançamento da versão 4.4.3, que corrigiu alguns bugs e já está disponível para a maioria dos dispositivos mais recentes. Após ser liberada para a maioria dos smartphones da linha Nexus e Motorola, agora é a vez da Samsung atualizar os seus aparelhos da linha Galaxy S4 e S5. Com a mudança, espera-se que o sistema ganhe melhorias de estabilidade e correção de outros problemas menores e imperceptíveis aos usuários. Quem deseja mudanças significativas no visual terá de esperar o anúncio da versão 5.0 que deve chegar em breve.

De acordo com a Samsung, os modelos tops de linha da companhia devem ganhar a atualização 4.4.3 do KitKat já nas próximas semanas. A atualização está passando por leves ajustes da fabricante e deve chegar ao Galaxy S5 ainda neste mês. Por outro lado, os donos do S4 terão que aguardar um pouco mais para ter as novidades e correções da nova versão em seus aparelhos.

É importante salientar, no entanto, que a nova versão 4.4.3 não traz modificações visíveis de aparência e corrige apenas alguns bugs de instabilidade. Outro fator a ser destacado é que nem todos os donos dos modelos S4 e S5 receberão a atualização em breve. Isso porque após a liberação pela Samsung, as operadoras ainda precisam adicionar seus softwares exclusivos, algo que acaba atrasando o processo. Essa é uma das principais reclamações de usuários de dispositivos da Samsung, que costuma incluir uma série de modificações na versão original do Android, algo que o Google tenta mudar já há algum tempo.

Por Ebenezer Carvalho

Android L

Foto: Divulgação


A linha Nexus já faz parte dos modelos top de linha de smartphones da Google há algum tempo. Segundo algumas notícias vinculadas pela imprensa especializada, a companhia pretende substituir o Nexus e dar lugar ao Android Silver, uma categoria com diversos modelos certificados pela empresa.

Como já é de costume, a LG deve ser a montadora escolhida para representar a nova linha. A mudança chega num momento importante para a Google que acaba de vender a Motorola para a fabricante chinesa Lenovo.

Com a mudança, espera-se uma experiência mais unificada entre o hardware dos novos aparelhos e o Android puro, sem modificações da montadora e nem de operadoras.

Como já é de costume da Google com os aparelhos da Motorola e da linha Nexus, os clientes da nova plataforma terão tratamento diferenciado e receberão atualizações e novidades do sistema antecipadamente. O programa também inclui um sistema de atendimento prioritário aos novos clientes que necessitem de ajuda para utilizar o novo aparelho.

Um dos principais motivos alegados para a mudança é que com a nova plataforma, os aparelhos teriam uma qualidade maior em seu Sistema Operacional, sem aqueles aplicativos de terceiros que tanto irritam o usuário.

A Samsung, por exemplo, modifica exageradamente seus smartphones com o objetivo de “encher linguiça” e atrair os usuários para seus modelos. Por enquanto, apenas LG e Motorola estão cotadas para produzir os tais “Smartpones Premium”, mas como ainda não há uma data definida para o lançamento oficial da linha, diversas montadoras devem aderir à ideia como forma de combater a Samsung e seu monopólio na área.

Apesar dos rumores mais fortes, a linha Nexus ainda é o carro-chefe da Google e não deve ser abandonada tão cedo. O projeto Android Silver deve começar a funcionar apenas a partir do ano que vem e não tem uma data específica ainda definida.

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


Os assistentes virtuais ganharam um lugar de destaque na nova geração de smartphones. Como sempre, a Apple foi a grande pioneira com a criação da Siri, uma assistente simpática e com um senso de humor que é capaz de realizar ligações, agendar eventos e até bater um papinho com o usuário.

Seguindo essa tendência, o Google também não ficou por fora e tratou de melhorar o seu assistente que apesar de não ter tanta “personalidade” quanto a Siri, também é capaz de auxiliar o usuário nas mais diversas atividades do cotidiano.

O Google Now como é conhecido, é capaz de agendar compromissos, enviar e-mails, executar programas, realizar pesquisas na web, fazer chamadas e muito mais. Em alguns modelos como no Moto X da Motorola basta o usuário dizer “Ok Google” para que o assistente seja capaz de compreender qualquer comando seguinte, o que dispensa o uso das mãos em diversas situações como nos automóveis, por exemplo. Recentemente, o assistente do Google ganhou melhorias significativas que o colocam frente à frente com seus maiores concorrentes do setor.

Além de fazer todas as tarefas já citadas, o Google Now agora possui uma voz feminina que responde à algumas perguntas do usuário, como por exemplo “Quem é Dilma Rousseff?”, “Vai chover hoje?” entre outras. A falta desse recurso era um dos principais gargalos que impediam que o assistente pudesse lutar de frente com a concorrência. Outra grande melhoria é a capacidade do assistente em lembrar o usuário de suas contas a pagar, baseado em mensagens de cobrança que chegam ao Gmail. Caso o usuário permita, o assistente pode emitir lembretes periódicos de contas a serem pagas juntamente com seus valores, data de vencimento e até mesmo quais são as empresas que as emitiram.

Sem dúvida esse é um grande passo para o assistente da companhia que deve colocá-lo à frente na corrida dos assistentes pessoais em smartphones. Resta apenas saber quando a novidade estará presente nos aparelhos com a plataforma Android.

Por Ebenezer Carvalho

 


Um dos maiores Frissons do mundo da tecnologia atualmente gira em torno do que a nova versão do Android trará ao mercado. Desde abril muitas especulações giram na internet falando sobre testes que já estavam sendo realizados em aparelhos que atuam com o sistema operacional, porém mesmo com essas informações, o que seria realmente as novidades do browser ainda se mantém meio que nubladas e sem consistência.

Aos poucos cada vez mais evidências vão sendo apresentadas ao público, indicando o provável caminho que o navegador tomará até chegar de vez ao mercado.

O Google acaba de dar mais sinais sobre o que poderá ser a nova atualização do Android. São elas:

1 – Ciclo Natural do Sistema:

O KitKat, nome dado ao sistema quando foi lançado em outubro de 2013. Desde o lançamento ele já foi considerado como não sendo uma versão sólida do sistema de Jelly Bean.

O sistema está atualmente em sua quarta fase e desde de 2011 o público já espera o lançamento da fase 5 e há indícios de que ela surja ainda em 2015.

A versão Ice Cream Sandwich foi lançada em outubro de 2011, o 4.1 Jelly Bean em julho de 2012; o 4.2 Jelly Bean em novembro de 2012; o 4.3 Jelly Bean em julho de 2013; e o 4.4 KitKat em outubro de 2013, considerando esta estatística é provável que a nova versão apareça no mercado em julho ou mesmo antes, se considerarmos que o Google I/O ocorre em junho.

2 – Aparição de novos ícones:

Tanto o iOS, Google Chrome e o Windows 8 possuem interface plana e neste cenário consideramos que o Android já está meio “atrasadinho”.

Segundo imagens que circularam na internet mostram o sistema operacional com o visual reformulado, o que provavelmente será o novo layout do sistema, outro indício também são os ícones interativos que acompanham a tendência tecnológica do mercado.

Por Jaime Pargan

Android

Foto: Divulgação


Renovar é a palavra chave para se manter à frente de um mercado cada vez mais competitivo. Sabendo disso, a Google começou a desenvolver um projeto diferenciado que promete revolucionar a vida dos amantes de tecnologia.

Embora os aparelhos móveis atuais sejam bastante atraentes em termos de funcionalidade e design, eles possuem algumas limitações que ainda impedem que o usuário tenha total controle sobre aquilo que possuem. Os smartphones e tablets de hoje em dia não permitem a adição de outros componentes que possam incrementar a experiência do usuário.

Diferentemente dos computadores de mesa, onde é possível adicionar uma câmera de maior qualidade, modificar os sistemas de som e até mesmo torná-lo mais rápido através da adição de processadores, os smartphones atuais limitam-se apenas ao hardware já existente e, caso o usuário queira algo mais avançado, ele necessita trocar completamente de dispositivo. A Google pretende mudar isso com algo jamais explorado por nenhuma outra companhia do ramo.

O Projeto Ara pretende proporcionar ao usuário a capacidade de moldar seu aparelho conforme a sua necessidade, com a adição de módulos separados e personalizados. Com isso, será possível, por exemplo, adicionar mais um conjunto de baterias ao smartphone e aumentar o tempo de utilização durante o dia ou adicionar mais memória ao aparelho.

A troca desses componentes poderá ser feita pelo próprio usuário, através do simples encaixe dos módulos que podem ser comprados separadamente toda vez que o usuário julgar que precisa de um “upgrade”.

Sem dúvida, essa será uma das maiores renovações do setor desde o surgimento dos smartphones. Segundo a própria Google, diversas fabricantes poderão vender módulos separados para o aparelho e quem sai ganhando com isso é o consumidor, que não precisará adquirir um smartphone novo a cada lançamento, já que poderá montar seu smartphone de acordo com as suas necessidades.

O projeto Ara ainda está no início, mas a Google calcula que as primeiras edições estarão à venda já no início de 2015.

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


A guerra dos smartphones ocorre desde a criação do iPhone pela Apple. Há mais ou menos 8 anos, os aparelhos mais modernos tinham uma tela de capacidade bastante reduzida, uma quantidade enorme de botões físicos e uma interface simples demais se comparada com os aparelhos atuais.

O primeiro iPhone foi destaque no mundo inteiro exatamente pelo fato de possuir um Sistema Operacional próprio que fazia de tudo. A tela de toque, enorme aliada a um design limpo, sem excesso de botões destacava o aparelho dos demais celulares da época. Além disso, o iPhone era um minicomputador, que permitia a navegação na web, realizar videochamadas, ouvir músicas, assistir a vídeos e diversas outras experiências que até então eram impossíveis com outros aparelhos. Pouco tempo depois, o Google apresentou o seu próprio Sistema Operacional para smartphones, já que o iOS da Apple era exclusivo para os iPhones. Com isso, diversas companhias como a Samsung e a LG começaram a produzir e desenvolver novas tecnologias para a criação de seus modelos de smartphones. A partir daí todos nós conhecemos a história; a batalha entre as empresas e seus sistemas operacionais tomou forma e chegamos ao mercado que temos atualmente.

Ao ver o seu império ser tomado aos poucos pelo Android, a Apple tratou de tomar providências para garantir a sua liderança no mercado. Com isso, teve início uma guerra por patentes que a empresa da Maçã insiste em manter. Em mais um dos recentes julgamentos da Apple contra o Google, o vice-presidente da divisão Android, Hiroshi Lockheimer, afirmou que os engenheiros do Google nunca copiaram nenhum dos recursos do iPhone no Android. Ele afirmou ainda que, na verdade, eles tentaram se diferenciar o máximo possível do iOS da Apple.

Como forma de defesa, o Google afirmou que muitas das funcionalidades existentes no Android foram desenvolvidas antes da Apple. A maioria das testemunhas de defesa do Google são executivos da empresa que trabalharam nos projetos de criação do Sistema Operacional Android.

O fato é que nesse duelo de gigantes, quem sai ganhando é o consumidor, que terá a garantia de produtos inovadores e de qualidade, seja quem for o vencedor.

Por Ebenezer Carvalho

Android e iOS

Foto: Divulgação


Executivos da Samsung afirmam que a companhia não irá mais desenvolver seus próprios aplicativos e passará a dar destaque somente para os apps do Google. Após o buscador ter vendido para a Lenovo a sua fabricante de celulares Motorola, a parceria entre ele e a Samsung será ainda mais forte. Dessa forma, ela irá parar de desenvolver seus aplicativos genéricos para o Android, unindo suas patentes.

As negociações entre as empresas começaram ainda na feira Consumer Electronics Show (CES) 2014, que foi realizada em Las Vegas. O resultado foi como uma “grande mudança, uma alteração radical nas poucas e últimas semanas”, segundo a matéria feita por uma revista.

Provavelmente, a Samsung irá perder serviços de Media Solution Center e o app WatchON, oferecidos pelo Samsung Hub. Haverá uma alteração, ou um possível fim da Magazine UX, apresentada na mesma feira nos dispositivos TabPro e NotePro.

Nas negociações feitas entre as duas empresas, o Google parece ter ganhado. As duas irão compartilhar pelos próximos 10 anos as suas inovadores patentes. Ainda não se sabe o que a Samsung receberá em troca das concessões, mas está confirmado somente no caso das patentes. Segundo sites internacionais, a fabricante de smartphones deverá ser incluída no desenvolvimento dos futuros dispositivos móveis do modelo Nexus, um projeto que as tornavam rivais no mercado.

A Samsung e o Google, que no passado eram rivais em certos mercados de tecnologia, agora irão se unir. O maior buscador do mundo possui o sistema operacional Android, além da sua enorme lista de aplicativos usados nos aparelhos.

Já a fabricante sul-coreana é a responsável pela venda de 40% dos smartphones com esse sistema. A recente parceria promete unir as duas gigantes da tecnologia de dispositivos móveis por muitos anos, que irão criar futuramente ótimos aparelhos com a interface Android. Agora cabe aos consumidores esperarem para os seus futuros lançamentos.

Por Danilo Gonçalves

Foto: divulgação


O mercado de dispositivos móveis principalmente em relação aos smartphones anda cada vez mais surpreendente. A corrida por novas tecnologias que vão muito além de baterias dobráveis ou coisas do tipo está cada vez mais quente. Um exemplo disso é o caso da Motorola que agora faz parte do Google. A Motorola Mobility divulgou recentemente que está decidida a obter o registro de patente de uma tatuagem! Mas tudo bem, não é nada de vaidade. A tal tatuagem supostamente deverá servir como microfone para smartphones e outros dispositivos móveis.

A documentação referente ao pedido de registro de patente foi divulgada na quinta-feira dia 07 pelo órgão responsável pelas patentes nos Estados Unidos, o Escritório de Marcas e Patentes ou na sigla em inglês USPTO. Entretanto, a submissão do pedido não é tão recente. Ela data do mês de maio d e2012.

De acordo com as informações apresentadas no referido ,a tatuagem eletrônica funcionária da seguinte maneira: Ela basicamente captaria os sons ao realizar a identificação das “flutuações do tecido da garganta ou do músculo” e posteriormente enviaria dados específicos para smartphones ou algum outro tipo de dispositivo sem que para isso houvesse a necessidade de fios para serem conectados a ela.

Para entender melhor como a tatuagem eletrônica funcionária, imagine que toda vez que precisasse fazer uma ligação telefônica com seu smartphone não fosse necessário levar o aparelho até a boca. A tecnologia que envolve a tal tatuagem vai além. De acordo com algumas especificações técnicas ela poderia enviar dados por Bluetooth ou NFC.

O mistério em relação de como a tal tatuagem seria feita ainda permanece já que a Motorola não divulgou quaisquer informações de como a mesma seria feita ou se seria ou não permanente. Ainda de acordo com o documento citado acima ela poderia ser ou não ser recarregável.

A Motorola foi comprada pelo Google em 2012 e de lá pra cá já lançou dois smartphones produzidos integramente com a toda poderosa da internet.

Por Denisson Soares

Motorola e Google

Foto: Divulgação


A Google vem trabalhando nos últimos tempos em uma maneira de conseguir integrar mais facilmente o mundo real com o mundo virtual. A mega gigante da internet deu mais um passo nessa direção. O que ela pretende é encontrar uma maneira eficaz de ligar as ações no ambiente online feita pelos consumidores com suas ações no “mundo real”. Para que essa novidade seja implementada a empresa vem desenvolvendo atividades que englobam o monitoramento dos smartphones 24 horas por dia. Isso quer dizer que o monitoramento será feito mesmo quando a pessoa não estiver utilizando o dispositivo.

De acordo com as informações publicadas no portal DigiDay, o programa do Google ainda está em fase de testes. O que ele faz basicamente se resume a cruzar os dados de localização dos smartphones para determinar de forma mais precisa quantos e quais os tipos de consumidores a visitarem suas lojas físicas. Na seqüência, o Google deverá conectar todas as visitas feitas pelo usuários às suas lojas físicas com pesquisas feitas via smartphone por meio de seu buscador. Aí vem a pergunta: O que o Google pretende com tudo isso? Isso é mais fácil de explicar. A companhia quer provar de qualquer maneira que os anúncios feitos para celulares realmente funcionam e que são lucrativos para as lojas.

Um exemplo de como isso funcionaria seria mais ou menos da seguinte forma: Quando o usuário pesquisasse por determinado termo em seu smartphone uma loja que oferecesse o produto poderia aparecer na lista de busca. Conseqüentemente, o Google poderia analisar os dados de localização do usuários com o banco de dados de anúncio da loja em questão e se certificar se o mesmo visitou ou não a mesma.

Um detalhe muito importante a se levar em consideração é que o próprio usuário é quem dá a permissão ao Google para fazer esse tipo de rastreamento. Ou seja, o usuário decide se habilita ou não o serviço. Mas vale lembrar que isso nem sempre é fácil ou bastante perceptível o que acaba muitas vezes levando o usuário a habilitar os serviços mesmo sem estar ciente do fato. Ou ponto é que esses rastreamentos não estão apenas sendo feitos para o Android. A companhia também pode rastrear a localização de usuários do iPhone através dos aplicativos desenvolvidos pela empresa para o iOS.

Por Denisson Soares


Parece que a BlackBerry está empenhada em melhorar sua situação no mercado de ações após passar por algumas dificuldades. A marca que, até o momento, está com problemas para decolar no mercado de celulares corporativos, tem passado por mudanças visivelmente positivas desde a semana passada.

Já no início desta semana, empresas influentes como o Google demonstraram interesse pela companhia. Isso porque algumas notícias foram divulgadas sobre os possíveis compradores e suas estratégias, e fizeram com que as ações subissem mais de 4%.

Após a divulgação da Reuters sobre os valores das ações, por exemplo, a BlackBerry já estava com alguns investidores querendo saber mais sobre os acontecimentos. Além do Google, a Cisco Systems e a SAP estavam interessadas em comprá-la por inteiro ou partes da empresa. Mas, ainda não há confirmação.

Isso acontece devido à desvalorização recente desse mercado para a BlackBerry que, de acordo com o analista da Macquarie, Kevin Smithen, estão elevando a avaliação da marca para “neutro” ou ante “underperform”, que significaria algo como abaixo do desempenho do mercado.

A BlackBerry tem enfrentado negociações com grandes clientes nos últimos meses. Para aqueles que ainda investem na marca, o analista já sugeriu que mantivessem, pois ela contém patentes, uma rede segura e contratos de serviços que podem ser diferenciais entre os rivais.

Por Jaime Pargan


O Google teve uma surpresa de chamar a atenção nas últimas semanas. Mas, o que mais surpreendeu na notícia foram as informações de que um menino de apenas 13 anos de idade teria desenvolvido um aplicativo para bate papo. Daniel Singer é americano e já se reuniu com várias empresas, inclusive a gigante, para falar sobre o Backdoor, novo aplicativo criado por ele.

Backdoor é uma ferramenta que permite uma conversa de forma anônima. É como um jogo, só que com os contatos do usuário no Facebook ou Google +. O seu diferencial é que a pessoa deve pagar em dinheiro cada vez que desejar descobrir quem está enviando as mensagens. Isso porque o aplicativo cobra por cada pista até a descoberta final.

Daniel acredita que este é apenas um começo e o aplicativo pode crescer ainda mais. Por esse motivo, já negou ofertas de empresas interessadas. A sua idéia é que o desenvolvimento não seja interrompido e interfira em sua identidade.

Filho de uma brasileira, o jovem já até faz parcerias com algumas celebridades nacionais como Fernanda Paes Leme, Tatá Werneck, Bruno Gaglisso e Giovanna Lancelotti, que trocam mensagens com os fãs através de seus iPhones. 

Será esta mais uma novidade tecnologica incorporada às novidades que a Google lança constantemente?

Por Jaime Pargan


Uma notícia pode deixar os usuários do Android um pouco receosos. Isso porque veio a público que o Google tem acesso a todas as senhas armazenadas nos aparelhos com o Sistema Operacional do gigante. Ou seja, mais de 1 bilhão de pessoas que possuem um aparelho com o Android no mundo estão suscetíveis a espionagem. Basta ter se conectado apenas uma vez para correr o risco.

Não parece ser muito correto por parte da empresa, mas um sistema de Backup do Android guarda uma cópia do histórico de as senhas Wi – Fi nos servidores do Google e caso o governo dos Estados Unidos, por meio de suas agências de inteligência, solicitem os dados, a empresa pode cedê-los e gerar um desconforto ou demais problemas, como ocorreu esse ano, quando empresas brasileiras foram alvo de espionagem americana.

O esquema denunciado por Edward Snowden pode não ser o primeiro e nem o último. O Google afirma que não armazena as suas senhas, contudo pode ter acesso a elas. O recurso funciona juntamente com a sincronização dos contados e demais informações do sistema, que recupera os dados caso o smartphone seja formatado.

O fato do Google ter acesso as informações pessoais dos usuários pode ser um grande problema, principalmente se esses dados vazarem.

Por Robson Quirino de Moraes


Para tornar a plataforma mais segura para os usuários, o Google sempre atualiza suas políticas quanto aos aplicativos desenvolvidos para Android. Em uma decisão inédita, o gigante informou que irá mudar as diretrizes quanto a interferências dos aplicativos nos smartphones. A mudança é uma das mais significativas dos últimos tempos.

Na prática, as diretrizes proíbem que os aplicativos disponíveis na Play Store modifiquem quaisquer configurações dos aparelhos ou de outros aplicativos sem a permissão do usuário. Além disso, não será permitida a instalação “favoritos” ou ícones que acessem serviços de outras empresas.

Outra medida diz respeito às vendas feitas usando os aplicativos. De acordo com as novas regras, toda a compra feita por usuários deve passar pelo faturamento do sistema do Google. As regras já estão valendo para novos aplicativos e os que já existem, têm o prazo de 30 dias para serem modificados.

As medidas dão mais transparência e podem inibir a ação de malwares ou pelo menos ser mais fácil de identificá-los. Contudo, é válido ressaltar que a iniciativa do Google torna as coisas mais claras, principalmente contra ações que possam ser nocivas aos usuários do Android.

Por Robson Quirino de Moraes


Moto XO mais novo modelo de smartphone da Motorola, o Moto X, primeiro aparelho produzido pelo Google, depois que este adquiriu a Motorola, chegará ao Brasil no dia 3 de setembro, de acordo com anúncio enviado pelo Google a vários órgãos de imprensa do Brasil.

O aparelho vem com tela AMOLED de 4,7 polegadas, além de outras inúmeras novidades e especificações modernas que prometem trazer muita comodidade aos usuários. O design do aparelho é um dos pontos mais favoráveis do Moto X.

A espessura do Moto X varia entre 5,7 mm e 10,4 mm e tem o peso de 130 gramas, o que faz com que o smartphone seja esbelto e tenha uma leve curvatura. Nos Estados Unidos é possível que os clientes customizem o aparelho de várias maneiras, mas no Brasil ainda não foi informado se haverá tal possibilidade.

Uma das principais atrações do Moto X é a câmera digital traseira de 10 megapixels, que tem o poder de filmar em Full HD e em modo lento. Por ter zoom de até 4 vezes e flash de LED, os usuários do aparelho terão a possibilidade de tirar até mesmo fotos panorâmicas. Existe ainda uma câmera frontal, mas com apenas 2,2 MP.

Por Vinicius Cunha


O Nexus 4 foi lançado no final do ano passado e desde então vem sendo alvo de diversas críticas. O motivo é que o aparelho não possui slot para cartão de memória e nem é compatível com a rede 4G. Porém, de acordo com os rumores, o público irá ficar bem contente, pois a Google poderá lançar uma versão do aparelho em maio, que trará as duas coisas.

Alguns rumores antigos apontavam para o lançamento do sucessor do Nexus 4. Mas, tudo leva a crer que a Google fará novamente uma parceria com a LG com a pretensão de lançar uma atualização do modelo durante o Google I/0 que comerá dia 15 de maio.

O Brasil recebeu o Nexus 4 oficialmente durante um evento da fabricante que aconteceu no final de abril. Aqui o aparelho é vendido por R$ 1.699 e traz algumas configurações bem atraentes.

Segundo os boatos, a atualização trará um Nexus 4 totalmente melhorado e com especificações bem atuais. Sua entrada para cartão microSD suportará até 32 GB e ele promete agradar ao público.

Até o momento, a Google não confirmou nenhuma das informações e tudo deve permanecer um grande mistério até o dia 15 de maio.

Por Felipe Santos Bonfim


Desde que a Motorola foi comprada pelo Google em maio passado, muito tem se especulado sobre um possível "aparelho com Android puro". Hoje, um tempo depois de sua compra, este rumor volta com força total.

Segundo Jim Wicks, líder de design da Motorola, a empresa planeja lançar este ano aparelhos com "versões não-modificadas do Android".

No outono passado, a Motorola lançou sua conceituada linha de telefones Razr, mas o Google enfatizou que os telefones foram feitos sem sua participação e ainda disse que faltou um "uau".

Google e Motorola estão trabalhando juntos agora, disse Wicks, frustrado, que a citação "uau" foi dita faltando um contexto.

"Sai estranho para quem ouve pela primeira vez, mas já houve discussões e acompanhamentos e não há problemas com isso em um todo" disse, "temos passado os últimos oito meses nesta próxima geração de telefones, e todos nós já recebemos feedbacks positivos", complementa.

Os primeiros aparelhos Motorola sob influência do Google começarão a aparecer no segundo semestre de 2013.

Sobre o atual mercado de telas gigantes, Wicks comenta: "existem pessoas que gostam de uma tela grande, mas também existem pessoas que querem aparelhos que são 'do tamanho certo'".

Vale ressaltar, que antes de ser comprada pelo Google, a Motorola chegou a apresentar o tablet Xoom, com Android 3.0 Honeycomb, o aparelho se tornou referência por possuir um Android puro.

Por Atila Felipe


Saiu a atualização do Google Play – loja de conteúdo virtual, como jogos e aplicativos, do Google para aparelhos Android – nesta terça-feira (09/04). A novidade possivelmente já está disponível nos Estados Unidos, mas a empresa promete que nas próximas semanas ela já estará espalhada por todo o globo.

Além de um visual reformulado com imagens maiores, o novo modelo do GP trará um sistema de agrupamento de conteúdo similar. Ao acessar determinadas páginas, o programa também vai sugerir novos links que talvez sejam do seu interessasse, sem, é claro, incomodar o espaço de tela do usuário, utilizando para isso uma barra de rolagem infinita.  O Google também garante que o sistema de compras foi simplificado, possibilitando a obtenção de conteúdos de forma mais rápida e eficaz.

Também ocorreram mudanças na interface de cada cabeça de grupo. O site da Abril divulgou o exemplo da categoria “Aplicativos”, onde não existem mais as sugestões dos editores. Em troca o internauta poderá conferir apps que estão em destaque.

O novo design funciona em smarthphones e tablets com sistema operacional Android igual ou superior à versão Froyo 2.2.

Por Davi Pizelli              


O famoso serviço de anotações e organizador pessoal Evernote ganhou um concorrente desenvolvido pela Google. O Keep foi lançado nesta semana e promete brigar de igual para igual com o já consolidado Evernote. Com ele é possível criar notas e listas com texto, imagens e gravações de voz.

Programas de anotações, agenda e organizadores pessoais sempre existiram, o diferencial é que as plataformas Evernote e agora a Keep, permitem que esses dados sejam armazenados em uma conta e acessados de forma remota. Ainda há a sincronização com um aplicativo para Android, que amplia a acessibilidade das informações e dispara alarmes ao usuário quando programado. No caso do Keep, a Google não divulgou ainda se pretende criar uma versão para iOS da Apple, coisa que o Evernote já possui.

A Google parece estar renovando sua lista de produtos, com certeza o Keep terá em breve muitos usuários. No entanto a desconfiança gerada após a notícia de que o Reader será desativado, pode inibir a aderência a essa nova plataforma.

O aplicativo do Google Keep pode ser baixado gratuitamente na Google Play, e sincronizado com sua conta Google sem maiores dificuldades.

Por Bruno Hardt


Há pouco tempo começaram a ser divulgadas diversas reclamações sobre o smartphone Nexus 4  que foram enviadas ao site Google’s Android Project.

Pelo visto, o aparelho, fruto da parceria entre Google e LG, acabou trazendo mais algumas dores de cabeça para quem o comprou – após a falha que aconteceu em novembro do ano passado com relação à reprodução de áudio. O que vem acontecendo agora é um problema no aplicativo da câmera, que para de funcionar após um período prolongado de uso, ou então após a utilização do flash em locais que tenham pouca iluminação.

Além disso, de acordo com os relatos dos usuários o aplicativo para de funcionar e não é encerrado, mesmo clicando no botão “voltar”, além de que simplesmente não aparece nos programas em cache ou no menu de execução.

Ainda não foi detectada a causa do problema com o aplicativo por parte da LG nem da Google e, assim, alguns dos proprietários do Nexus 4 acabaram improvisando soluções, reiniciando o celular ou então mudar para o modo filmagem, gravar um vídeo e depois retornar à câmera.

Até o momento nem a Google, nem a LG se pronunciaram sobre o problema.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o site Baylog, que teve acesso a alguns documentos da Qualcomm, a data de lançamento do novo Android já foi praticamente marcada.

Os documentos são referentes ao planejamento da Qualcomm sobre periféricos e neles consta que o Android 5.0, cujo nome será Key Lime Pie, vai ser lançado no mês de maio deste ano. Porém, as informações que foram encontradas também apontam que será lançado um novo smartphone integrante da família Nexus.

Os documentos acabaram revelando a data de lançamento da nova plataforma do Google, pois neles estão dados sobre os gráficos do novo processador que a Qualcomm desenvolveu para o novo Android. O processador, que até então é chamado de APQ8084, será mais potente que o Snapdragon Krait de quatro núcleos que foi utilizado no Nexus 4, e vai permitir uma velocidade maior de até 2.3 GHz.

Já com relação ao novo smartphone Nexus, as especulações apontam que ele terá display com resolução Full HD e receberia o nome de Nexus 5 para dar sequência ao aparelho que a LG lançou no ano passado.

Mas parece que os documentos que o site conseguiu podem estar certos, porque o Google já marcou o Google I/O para o dia 15 de maio, porém nada foi revelado sobre os lançamentos no evento.

Por Guilherme Marcon


O Google disponibilizou nesta semana na internet cerca de 5 mil imagens dos antigos Manuscritos do Mar Morto.

Esta iniciativa feita em parceria com a Autoridade de Antiguidades de Israel permite a divulgação de manuscritos bíblicos feitos há mais de 2 mil anos atrás em materiais como pergaminho e papiro e que foram descobertos na costa oeste do Mar Morto no período de 1946 a 1956.

Fonte: Osabetudo.com.br

 

Dentre as raridades postadas estão cópias do Livro do Deuteronômio e parte do Livro de Gênesis.

Os documentos históricos estão com 1215 dpi de resolução permitindo ver as imagens com recursos infravermelhos e cores iguais às originais.

Fonte: IDG Now

Por Ana Camila Neves Morais


O Google continua as suas melhorias e o mais novo lançamento da empresa é a extensão Save to Google Drive presente no navegador Google Chrome.

Este aplicativo permite que os usuários salvem diretamente de sua conta Google Drive conteúdos de páginas presentes na internet como imagens, documentos, gráficos e outros.

Esta facilidade pode ser obtida na Chrome Web Store através do botão usar no Chrome e em seguida no link Adicionar para que o aplicativo seja instalado em seu computador.

Por Ana Camila Neves Morais


Com o lançamento do iOS 6, a Apple retirou o Google Maps como aplicativo padrão de mapas dos seus aparelhos. Entretanto, muita reclamação sobre o mau funcionamento do app surgiu. O aplicativo padrão de mapas é baseado nos dados da empresa TomTom, o que resultou em erros geográficos e em poucos recursos e poucas opções dentro dos mapas.

Assim, para a alegria dos usuários de iPhones, iPads e iPods, o Google relançou o seu aplicativo de mapas, que agora é compatível com o novo sistema operacional da Maçã. O novo app não foi incorporado à plataforma móvel, porém pode ser baixado gratuitamente.

De acordo com o Google, o aplicativo de mapas para iOS é compatível com qualquer aparelho que tenha iOS 5.1 ou superior, além disso, o funcionamento do novo app gira em torno do sistema de mapas da gigante de buscas, que é sempre atualizado com mais de 80 milhões de pontos de interesse e empresas.

Qualquer usuário que possua um aparelho com as versões do iOS compatíveis com o novo aplicativo já podem fazer o download dele via App Store. Além disso, o app está disponível  em 29 idiomas e para mais de 40 países.

Por Guilherme Marcon


O Google tinha planos de lançar o Nexus 7 no Brasil antes do Natal, mas o aparelho deverá chegar ao país oficialmente só no ano que vem.  

A fabricante vem se empenhando bastante para poder adaptar o modelo ao mercado brasileiro. De acordo com o vice-presidente global da divisão de Android da companhia, Hugo Barra, o próximo ano será marcado pelo grande aumento do Google Play. Hugo Barra afirma que o serviço será capaz de oferecer séries de TV, revistas e músicas para os consumidores do Brasil, porém o vice-presidente não passou nenhuma informação sobre quando isso irá acontecer.

O executivo ainda falou que o Google pretendia lançar o Nexus 7 antes do Natal, porém não será possível, pois primeiramente é necessário adaptá-lo ao mercado nacional e depois homologá-lo. 

Ainda não se sabe se aparelho será vendido diretamente pela fabricante, e nem quais serão os modelos que chegarão ao país.

Como sempre acontece com os produtos importados, o Nexus 7 deverá chegar ao Brasil com um preço bem diferente do que é praticado nos Estados Unidos, pois lá o modelo é vendido por apenas US$ 199.

Por Felipe Santos Bonfim


Há alguns meses, a Google anunciou que investiria em um projeto de criação de um celular inteligente (Sony Xperia S) com o AOS (Android Open Source), que é o mesmo sistema operacional Android conhecido, porém, com contribuição de diversos desenvolvedores que atuam de forma independente. 

Entretanto, recentemente a Sony divulgou oficialmente, por meio de seus executivos, que está retirando o seu smartphone do projeto. Conforme os executivos da fabricante, essa seria uma forma para que a gigante das buscas pudesse investir mais em seu hardware próprio, por mais confuso que pareça isso.

Mesmo assim, alguns arquivos já foram disponibilizados na rede colaborativa do AOS e, com isso, o Sony Xperia S pode efetuar ligações, acessar a internet via Wi-Fi, além de utilizar cartões SD. Porém, vários arquivos ainda não foram disponibilizados pela Sony pelo fato de a Google não ter autorizado ainda e, por isso, o smartphone acabaria não sendo tão open source como o esperado.

Para acessar os arquivos criados para o aparelho, basta acessar a página da Sony no GitHub e fazer o download gratuitamente. A Sony não deu mais detalhes sobre os arquivos que ainda não foram liberados.

Por Guilherme Marcon


Durante o I/O, a Google apresentou o Nexus Q, uma das grandes surpresas apresentadas pela companhia. O aparelho é uma central multimídia que possibilita reprodução de todo conteúdo que está no sistema de armazenamento em nuvem da Google. Além disso, com o uso da tecnologia NFC é possível transferir mídias para smartphones ou tablets Android.

O objetivo principal do dispositivo é que os usuários dos serviços da Google e de sua plataforma móvel consigam transportar conteúdos entre os aparelhos.

O Nexus Q funciona de maneira bem simples, através de conexão Wi-Fi o dispositivo faz streaming de vídeos, músicas e fotos entre televisores com entrada HDMI, tablets e smartphones, direto dos servidores de armazenamento na nuvem da Google. Segundo os desenvolvedores do dispositivo, ele é o primeiro reprodutor de mídia social de todo o mundo.

O Nexus Q vem com 16 GB de memória interna, memória RAM de 1 GB e conexões com Bluetooth, NFC e Wi-Fi. Essas são as mesmas especificações do Nexus 7, que também foi apresentado durante o evento, mas que conta com Android 4.1. Por não fazer uso de downloads, o dispositivo não possui risco de lotar o disco rígido, pois seu serviço é baseado em streaming.

O aparelho tem formato de uma pequena esfera preta e já começou a ser comercializado desde a última quarta-feira, 27 de junho, nos Estados Unidos, custando US$ 299, cerca de R$ 600.

Por Guilherme Marcon


De acordo com informações que circulam na internet, a Oracle está tentando ganhar uma participação financeira do Android alegando que possui direitos de propriedade intelectual, mesmo sem ter se envolvido em nenhum momento com a produção do sistema operacional para smartphones e tablets do Google. Na última terça-feira, as duas empresas voltaram ao Tribunal Federal para retomar o processo judicial.

Segundo a Oracle, o motivo por ter entrado com o processo contra o Google é que o Android passa por cima dos direitos de propriedade intelectual do Java, além de infringir as patentes de programação deste software, tendo em vista que a empresa adquiriu todos os direitos quando comprou a Sun Microsystems.

Enquanto isso, o Google alega não ter violado as patentes da Oracle no desenvolvimento da plataforma para os dispositivos móveis.

Robert Van Nest, o advogado do Google, rebateu as acusações reconhecendo que os executivos da empresa já tinham negociado no passado a possível parceria entre eles e a Sun Microsystems para que pudessem desenvolver o sistema operacional. Porém, as negociações falharam e a parceria não foi fechada. Sendo assim, os engenheiros do Google resolveram criar o Android sozinhos e não utilizaram nenhuma tecnologia da Sun.

Por Guilherme Marcon


No último mês de 2011, já na segunda década do século 21, é difícil passar uma única semana sem ouvir falar de alguma grande novidade tecnológica, ou pelo menos uma pequena que pode gerar alguma mudança na maneira como as pessoas usam as máquinas.

Segundo com o que Nick Bilton escreveu nesta quarta-feira (21/12) em sua coluna no tradicional jornal norte-americano “The New York Times”, o Google e a Apple estão bolando maneiras de revolucionar como ninguém esperava, talvez apenas em algum filme de ficção científica, o modo de usar smartphones, tablets e aparelhos computadorizados em geral.

O colunista afirma que as duas concorrentes estão pesquisando a melhor maneira de produzir um celular para vestir. O Google teria contratado pesquisadores da Nokia, da Apple e de importantes faculdades norte-americanas para trabalharem no projeto. Uma fonte ligada ao laboratório secreto da empresa de Bill Gates teria afirmado que já foi desenvolvida uma tecnologia que permite que periféricos ligados à roupa ou ao corpo de alguém transmitam informações a um aparelho Android.

Nick Bilton também afirmou que uma fonte da Apple diz que a companhia tem a mesma tecnologia do Google, mas transmite informações para o iPhone. A coluna também diz que a empresa fundada por Steve Jobs tem até um protótipo de aparelho cilíndrico que as pessoas usariam no pulso e se comunicariam através da mesma tecnologia utilizada no aplicativo Siri, assistente pessoal do iPhone 4S e do iPod Touch.

Por Mozart Artmann


O Google anunciou que também irá vender música para celulares e tablets com Android. Chamado de Google Music, o serviço online vai vender faixas individuais e álbuns completos que poderão ser baixados e compartilhados livremente entre os usuários do sistema.

As músicas serão vendidas através do Android Market, onde os usuários também podem comprar vídeos e e-books.

O serviço é uma expansão do Beta Music (lançado em maio) e irá armazenar músicas dos clientes em servidores remotos, o que permitirá que o consumidor possa ouvi-las em qualquer dispositivo ou computador.

“O Google Music terá 13 milhões de músicas à venda”, anunciaram os executivos da empresa.

A organização conseguiu reunir três das quatro grandes gravadoras, a EMI Records, a Universal Music Group, a Sony Entertainment e muitas outras independentes. Apesar disso, a Warner Music Group, detentora da licença de grandes nomes da musica como Green Day, Neil Young e Led Zeppelin, ainda não conseguiu se render aos pés do poderoso grupo. Há boatos que a gravadora recusou a oferta por achar que o Google lembrava a pirataria da música na internet.

O usuário poderá armazenar até 20 mil músicas totalmente grátis e comprar a um dólar as oferecidas no Google Music, compartilhando também gratuitamente.

Por Dorcas Rosicler


A Apple, a RIM e a Microsoft conquistaram uma importante vitória nesta quinta-feira (3 de novembro) contra o Google, forte concorrente no mercado de sistemas operacionais para smartphones e tablets. Um estudo divulgado pela WDS revelou que os aparelhos baratos equipados com o Android, sistema operacional do Google, tendem a estragar e a custar caro para as operadoras, devido aos gastos com consertos sob garantia.

Modelos como o iPhone (da Apple), o BlackBerry (da RIM) e os aparelhos equipados com Windows Phone (da Microsoft) também estragam, mas apresentam custos muito menores de conserto em comparação aos aparelhos com Android.

Os aparelhos que acabam custando mais caro na hora de ir para a “oficina” são os modelos que custam em torno de 100 dólares para serem produzidos. Esses aparelhos geralmente são mais baratos para o consumidor e são os principais responsáveis pela popularização do serviço e pela ascensão do Google nesse mercado.

A pesquisa revela ainda que o custo que as operadoras têm com cada aparelho que vai para conserto sob garantia é, em média, de 127 dólares.

Por Mozart Artmann


Os donos de smartphones Android agora tem um ótimo aplicativo para abrir, criar e editar planilhas e textos, é o Google Docs.

O aplicativo além de visualizar arquivos também possui uma funcionalidade interessante, a de possibilitar que o usuário possa tirar uma foto e transformar o texto presente nele em um arquivo de texto automaticamente (uma espécie de Scanner para Textos).

O Google Docs é gratuito e só roda em celulares com Android 2.1 ou superior.

Para realizar o download do aplicativo, clique aqui.


O Windows Phone 7, sistema operacional para celulares inteligentes da Microsoft, vendeu mais de 2 milhões de unidades somente no último trimestre de 2010. O programa foi lançado em outubro de 2010 e com poucos meses de mercado já alcançou todo este sucesso.

Porém o iPhone, Android e o Google ainda são os campeões de vendas. Por isso, a empresa está se empenhando para aprimorar a cada dia as ferramentas do sistema, que atualmente conta com uma plataforma com mais de 6.500 aplicativos disponíveis para download na loja on-line da Microsoft.

O caminho ainda é longo pois a Apple divulgou que 16,2 milhões de iPhones haviam sido vendidos no último trimestre e o Google, que optou por distribuir gratuitamente o sistema desenvolvido por eles para fabricantes de aparelhos, afirmou que 300 mil dispositivos Android são comercializados diariamente.

Por Vivian Fiorio


A empresa Google fez um aplicativo para os aparelhos que utilizam o sistema operacional  Android, chamado "Conversation Mode". Ele tem como utilidade traduzir frases digitadas ou faladas no aparelho de forma muito eficaz e rápida.

Apesar de ainda interpretar muitas frases de forma errada, ou até “entender” errado o que foi falado, parece ser um aplicativo ótimo. O Conversation Mode praticamente transforma seu smartphone em um tradutor, pois o aplicativo é muito simples e fácil de ser usado, porém é preciso atenção, pois pode causar uma certa confusão caso ocorra algum erro e seja pronunciado algo de diferente interpretação em uma conversa ou contexto.

A ferramenta ainda está na versão beta, ou seja, encontra-se em fase de testes. Talvez após corrigir os pequenos erros seja lançada a versão definitiva com mais idiomas. Por enquanto a beta conta apenas com o inglês e espanhol.

Por Oscar Ariel


Há poucos dias alguns sites de tecnologia começaram a especular em relação ao lançamento do sucessor do smartphone Google Nexus One. O teor dessas especulações apontavam para um aparelho fabricado pela Samsung e logo batizado de Nexus Two. Lembrando que o Nexus One era fabricado pela HTC.

Pois bem, parece que o tal Google Nexus Two existe mesmo. E se chama, na verdade, Nexus S. Quem é fã da Samsung já deve ter notado que o tal “S” no nome seria uma referência à família Galaxy S. A referência a esse nome apareceu no site Best Buy, mas logo desapareceu.

No entanto o site Engadget correu atrás e conseguiu mais informações e fotos sobre o tal smartphone. O aparelho rodaria o Android 2.3, teria uma tela de 4 polegadas e seu processador seria o Hummingbird.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Engadget


A Google liberou no Brasil, na última quinta-feira (28), os aplicativos de pesquisa de voz em idioma português e navegação através de GPS para os smartphones que possuam sistema operacional Android.

De acordo com a Google, o Brasil é o único país da América Latina a utilizar o programa, que pode ser instalado gratuitamente através do site do Google.

O aplicativo de pesquisa de voz também está disponível para os iPhones no Brasil. Para os proprietários do iPhone o aplicativo pode ser encontrado nas lojas da Apple.

O programa é fácil de usar, já que utiliza comando de voz, e cria rotas e dá dicas de caminhos por meio de áudio. De acordo com a Google, mais de 100 milhões de pessoas utilizam o Google Maps através do celular.

Por Luana Neves


Sem data para chegar ao mercado brasileiro, a empresa Google anunciou seu novo aplicativo com comando de voz para aparelhos com o sistema operacional Android.

Quem estava acostumado em encontrar nesses programas somente funções referentes ao telefone, irá se surpreender. Agora o Voice Actions também ofertará outras possibilidades para os usuários. Uma delas é o auxilio na direção para motoristas, por exemplo, pedindo direções para se encaminhar até um determinado local.

Obviamente existem as funcionalidades normais que o aplicativo da Google oferece para os telefones. Como ligar para seus contatos, enviar mensagens de texto, abrir arquivos de áudio no aparelho, além de pontuar textos que a pessoa ditar.

O programa roda somente em sistema operacional Android 2.2, e as palavras devem ser ditas na língua inglesa. O voice Action já esta no mercado americano, e esperamos que em breve pinte por aqui.  Um programa semelhante a este pode ser encontrado gratuitamente na internet, o Vlingo.  

Por Oscar Ariel


Assim como a Microsoft, o Google errou ao tentar entrar no mercado smartphones com o Nexus One fabricado pela HTC. No início o aparelho era vendido apenas pela internet. Mas depois de enfrentar problemas, o smartphone deixou de ser vendido pelo meio online e agora só pode ser encontrado em lojas físicas.

Ao contrário da Microsoft, o Google não admite o fracasso. No entanto, a empresa não pretende seguir em frente nesse mercado, que já é concorrido o suficiente. Ou seja, a empresa de Moutain View não investirá numa segunda versão do seu smartphone. Os rumores a respeito de um Nexus Two são infundadas.

Segundo o Google, o sucesso do Nexus One foi tão grande que não há necessidade de lançar um sucessor para ele.

Será que a Apple, que está na quarta versão do iPhone, concorda com isso?

Por Maximiliano da Rosa


Nesta semana foi lançado uma nova versão do aplicativo Google Goggles para smartphones com sistema operacional Android. E o recurso mais interessante é a capacidade de efetuar traduções direto de imagens através do bem conhecido Google Translate, que está disponível nos idiomas inglês, francês, italiano, alemão e espanhol.

O funcionamento é simples. Para efetuar a tradução, só é preciso ter um smartphone com câmera, e apontá-la para a imagem que se quer traduzir como uma placa, por exemplo. Uma pequena caixa surgirá na imagem, então é preciso ajustá-la conforme a necessidade. Depois de capturada, o software analisa a imagem, converte para caracteres, e abre a caixa de tradução do Google Translate como na versão para PC.

O aplicativo é uma mão na roda para turistas estrangeiros.

Mas por enquanto não sabemos quando sairá o suporte ao idioma português.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: G1


Muita gente estranhou o lançamento do Buscador Bing da Microsoft para iPhone tempos atrás. A questão é: não é de hoje que a Microsoft lança versões de aplicativos para plataformas da Apple. Poucos sabem que o Internet Explorer tem versão para Mac, e que o Word foi lançado também no MacOs antes mesmo do que no Windows.

Se é assim, então o que fez a Microsoft retirar o Bing do site da Apple? Alguma estratégia de marketing? Possivelmente.

Um porta-voz da Microsoft esclareceu a situação afirmando que a medida foi tomada porque a empresa pretende lançar versões distintas para cada país. Portanto, só a versão americana continuará disponível no site.

Outras fontes comentam que o Google estaria pronto para substituir o motor de busca da Microsoft em breve.

Por Maximiliano da Rosa


Não há nada de excepcional no Nexus One, o primeiro celular do Google (na verdade é da HTC). E muito menos se justifica todo o barulho produzido em torno dele. O sistema operacional é o Android, e ao que tudo indica, faz um bom casamento com o hardware do aparelho.

O design é simples e eficiente. Dotado de um processador veloz, o Snapdragon de 1Ghz, e câmera de 5MP, o Nexus faz o estilo da turma que prefere usar apenas a tela (com suas 3,7 polegadas e resolução de 800×480) para realizar operações, sem necessidade de teclado. O ponto favorável, nesse caso, é a possibilidade de trabalhar com comandos de voz de maneira simples e eficaz. Embora não se saiba se isso funcionará em outras línguas que não seja o inglês.

Seu lançamento está previsto para terras brasileiras apenas no segundo semestre. E quando acontecer, há possibilidade de vir com menos recursos, pois a HTC pretende lançar um modelo mais simples para os mercados emergentes. Ou seja, ele poderá chegar em mãos tupiniquins com tela menor e sem a câmera.

Por Maximiliano da Rosa



Google fará uma atualização de software para o seu smartphone, o Nexus One. O pacote de atualização inclui a habilitação do multitouch para busca e galeria e a ativação de busca com imagens pelo Google Goggles.

Os usuários devem receber uma mensagem de notificação para efetuarem a atualização deste software no site do aparelho.

O Nexus One é fabricado pela HTC e foi lançado nos Estados Unidos no dia 05 de janeiro deste ano e custa cerca de US$ 529. Ainda não há previsão para a comercialização do smartphone da Google aqui no Brasil.

O celular da Google utiliza o sistema operacional Android 2.1, possui tela touchscreen de 3,7”, processador de 1GHz, 512 MB de RAM, cartão de 4GB de memória, GPS, Câmera de 5 megapixels com LED, 3G e Wi-Fi.

A novidade é que ele consegue transcrever voz para texto e possui microfones com capacidade de reduzir ruídos e direciona a voz quando o usuário estiver dirigindo.





CONTINUE NAVEGANDO: