A tecnologia muda rápido, a maneira de usá-la muda ainda mais rapidamente e o mercado tem que correr para se adaptar a essas mudanças constantes.

A nova geração de celulares e smartphones que chega às lojas em 2015 traz mudanças sensíveis nas prioridades das interfaces e designs dos lançamentos, estimuladas pelas novas demandas dos consumidores e que têm potencial para trazer novas tendências na produção de telefones. É o caso do modelo One M9, da taiwanesa High Tech Computer Corporation, empresa que se lançou na guerra dos smartphones contra gigantes como Apple e Samsung e que está ganhando terreno rapidamente.

O HTC ONE M9 tem previsão de lançamento para o fim do primeiro trimestre de 2015, e traz uma bateria de lítio-enxofre, novidade que tem muito potencial para substituir as clássicas baterias de lítio já presentes no mercado e que já demonstraram não ser suficientes para aguentar a alta demanda de energia dos novos produtos. Além da nova fonte de energia, a câmera frontal de 5 megapixels, com mais resolução do que a câmera principal de muitos modelos relativamente recentes, foi feita para o crescente número de amantes de selfies.

Já para quem gosta de ouvir música alta ou quer um efeito de cinema em seus vídeos e filmes, o sistema BoomSound é uma inovação muito bem-vinda. O posicionamento das caixas de som na parte frontal do aparelho parece uma coisa simples, mas traz uma grande diferença quando se assiste a um vídeo na tela de 5.5 polegadas do ONE M9. Apesar de não ter uma qualidade excepcional para músicas, o BoomSound traz uma grande diferença em diálogos e efeitos sonoros de filmes e jogos, relativamente mais alto que seus concorrentes.

No que toca à capacidade de processamento, o lançamento da HTC será muito mais poderoso que seu predecessor: o Snapdragon 810 Octa-Core 64-bit tem uma maior velocidade de rederização 3D, além de consumir menos energia. Mesmo sem previsão de lançamento no Brasil, o HTC ONE M9 já está conquistando os corações daqueles que estão sempre ligados nos mais recentes queridinhos do mercado de smartphones.

Por Cássio Coutinho Bogdan

HTC One M9

HTC One M9

HTC One M9

Fotos: Divulgação


Os rumores sobre o aparelho estavam certos e a HTC lançou o HTC One mini 2, uma versão menor e com configurações mais modestas do que o aparelho top da fabricante, o HTC One M8. A versão mini da fabricante taiwanesa destina-se aos usuários que gostaram do design do aparelho e quer uma versão menor e mais compacta, que serve bem nas atividades do cotidiano. O design é bem elegante, com traseira curva futurista.

O modelo vem equipado com um processador Snapdragon 400 de quatro núcleos, com clock de 1,2 GHz, além de 1 GB de RAM, 16 GB de armazenamento interno e entrada para cartão de memória MicroSD (não foi informada a capacidade aceita pelo aparelho).

A câmera é de 13 pixels comuns, diferente do Ultra Pixel do M8, ainda há uma câmera frontal é de 5 MP, que permite fazer selfies com alta definição e videoconferências. A empresa ainda disponibiliza uma gama de aplicativos específicos, entre eles o touch Up, um editor de fotos, que permite eliminar olhos vermelhos, ajustar o contorno do rosto e demais tratamentos.

A HTC parece ter aprendido e lançou uma versão mini com características intermediárias , que podem concorrer na sua faixa de smartphones.  No primeiro mini, o modelo tinha uma configuração muito semelhante que o One Max, contudo somente a tela era menor e isso encareceu o produto. Com as novas configurações, ele passou a ser mais competitivo, sobretudo no preço, que deve ser menor, dessa forma, a empresa atinge um novo público-alvo.

O aparelho ainda vem com alto – falantes estéreo BoomSound que proporcionam uma ótima qualidade de som. A bateria é de 2.100 mAh, que permite usar o aparelho por até 16 horas de conversação.

O HTC One mini 2 será lançado no mercado europeu, asiático e norte americano no mês de junho e não há previsão para chegar aqui. O valor ainda não foi divulgado pela fabricante taiwanesa. 

Por Robson Quirino de Moraes

Foto: divulgação


É célebre o ditado que diz que “quem não dá assistência abre espaço para a concorrência”. No atual momento da HTC isso é mais do que verdade, olhando pelo lado positivo. Assim como em qualquer outra área comercial as empresas fabricantes de celulares além de objetivarem um alto número nas vendas de seus dispositivos também querem a todo custo conquistar a fidelidade de seus usuários. E é exatamente nesse ponto que a HTC tem se dado bem. A empresa não marca presença entre as que são líderes desse mercado. Mas isso não impediu que seus usuários continuassem fiéis à marca. De acordo com informações divulgadas através do site GSM Arena, no mínimo 46% dos compradores do recém-lançado smartphone HTC One M8 já possuíam um dispositivo da companhia.

De acordo com dados levantados pelo CompareMyMobile, um site especializado no que concerne a troca de aparelhos e que também analisa e divulga dados em relação a receptividade de novos modelos em comparação a opções anteriores, do número apontado acima, cerca de 13% já eram possuidores do dispositivo topo de linha da marca, o HTC One. Essa parcela trocou a versão 2013 pela versão 2014 do aparelho sem pestanejar.

Agora uma informação que realmente preocupa alguns – menos a HTC – diz respeito às análises gerais e aos números que foram apresentados pelas mesmas. Para se ter ideia do que acontece nessa fase boa da companhia basta citar o fato de que os índices de troca de smartphones da Apple e também da Samsung pelo novíssimo HTC One M8 se revelaram bastante altos.

Segundo as informações divulgadas uma parcela total de 23,7% dos novos clientes da marca são oriundos de outras empresas, mas em especial das duas citadas acima. O fato é comprovado quando os detentores dos maiores índices de abandono são o iPhone 5 e o Galaxy S4. No caso do Galaxy o percentual de abandono é de 8% enquanto que para o iPhone é de 7%.

Por Denisson Soares

HTC One M8

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: