Recentemente a fabricante Meizu anunciou seus novos aparelhos intermediários, o M1 Note e o M1 Mini. Os dispositivos foram motivos de ânimo por oferecerem um ótimo custo-benefício aos usuários.

O M1 Mini é uma versão mais básica e barata do M1 Note, mas não fica muito atrás nas vantagens oferecidas. Já foram exibidas diversas opções de cores que estarão disponíveis e informações sobre as especificações técnicas.

Uma das notícias mais interessantes, é que o M1 Mini poderá ser o primeiro aparelho disponível para ser usado com o sistema operacional Ubuntu OS. Isso porque os usuários poderão optar entre uma versão modificada do Android chamada Flyme OS, um novo sistema batizado de YunOS, e o Ubuntu.

Quanto ao hardware, o que podemos esperar do M1 Mini é um bom desempenho digno de aparelhos intermediários. A tela será de 5 polegadas, contrariando as especulações que informavam 4,7, e conta com a resolução é de 1280 x 720 pixels. A câmera traseira é de 13MP, com flash LED. Ainda não foram divulgadas informações sobre a câmera frontal. As especulações apontam para um chipset MediaTek octa-core, além da presença de 1BG de memória RAM.

As previsões indicavam uma apresentação da versão mini do M1 para breve, e recentemente um evento foi agendado pela Meizu para o dia 28 de janeiro. Portanto, é possível que vejamos o aparelho ainda este mês, exibindo seu design com acabamento feito em uma combinação de policarbonato e peças de baixo custo feitas em materiais alternativos.

O evento, chamado "Connected", promete trazer novidades que prometem sacudir o mercado de smartphones no mundo todo. Isso porque este promissor M1 Mini, com configurações que beiram o top de algumas concorrentes, deverá custar apenas 100 dólares.

Ainda não se pode prever como o mercado irá reagir com essa novidade, nem mesmo até onde esse produto irá chegar, mas é certo que a Meizu deverá protagonizar boas mudanças na indústria em 2015.

Por Daniel Cavalcante

Meizu M1 Note

Meizu M1 Mini

Fotos: Divulgação


A Meizu é uma fabricante que costuma surpreender o público no quesito custo-benefício, proporcionando aparelhos com bons hardwares a preços acessíveis. Um dos recentes lançamentos, o M1 Note, confirma essa afirmação.

Embora o nome com a terminologia "Note", não se trata de um concorrente do Galaxy Note, tampouco possui uma caneta. Seu objetivo, na verdade, é se confundir com o iPhone.

Apesar das óbvias semelhanças visuais que remetem ao iPhone 5c, que será descontinuado pela Apple, o M1 Note tem suas diferenças marcantes, começando pela tela de 5,5 polegadas em resolução Full HD (1080×1920 pixels). As dimensões desse smartphone grandão são de 150,7 x 75,2 x 8,9 mm, e ele pesa 145g.

O painel não é apenas maior. Ele conta com a tecnologia Panel Self Refresh (PSR), desenvolvida em parceria com a Sharp, consumo econômico de energia, densidade de pixels de 403 PPI, e 75% de redução de reflexos. Conta com proteção Gorilla Glass.

As outras especificações também sugerem um celular de melhor desempenho do que aquele que o inspirou no design. O sistema operacional é o Flyme OS 4, baseado no Android 4.4. O processador é um octa-core de 1,7 GHz e a memória RAM tem 2 GB e o armazenamento interno pode ser de 16 ou 32 GB.

A câmera principal panorâmica é fornecida pela Samsung e produz fotografias de 13 MP, tem 4x zoom, e é capaz de capturar 30 imagens por segundo. A frontal com 5 MP, conta com a tecnologia Face AE, para selfies. As câmeras também contam com flash LED.

A bateria possui 3.140mAh, e a empresa promete 12 horas de navegação em 4G, 15 horas de exibição de vídeos e 60 horas de execução de músicas!

O valor estimado desse smartphone grandão, e oferecido nas cores amarelho, verde, azul, brando e salmão, é de US$ 160 (16 GB) e US$ 190 (32 GB). Ainda não se sabe se a empresa pretende comercializar o produto nesde lado do mundo.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: