Recentemente a fabricante Meizu anunciou seus novos aparelhos intermediários, o M1 Note e o M1 Mini. Os dispositivos foram motivos de ânimo por oferecerem um ótimo custo-benefício aos usuários.

O M1 Mini é uma versão mais básica e barata do M1 Note, mas não fica muito atrás nas vantagens oferecidas. Já foram exibidas diversas opções de cores que estarão disponíveis e informações sobre as especificações técnicas.

Uma das notícias mais interessantes, é que o M1 Mini poderá ser o primeiro aparelho disponível para ser usado com o sistema operacional Ubuntu OS. Isso porque os usuários poderão optar entre uma versão modificada do Android chamada Flyme OS, um novo sistema batizado de YunOS, e o Ubuntu.

Quanto ao hardware, o que podemos esperar do M1 Mini é um bom desempenho digno de aparelhos intermediários. A tela será de 5 polegadas, contrariando as especulações que informavam 4,7, e conta com a resolução é de 1280 x 720 pixels. A câmera traseira é de 13MP, com flash LED. Ainda não foram divulgadas informações sobre a câmera frontal. As especulações apontam para um chipset MediaTek octa-core, além da presença de 1BG de memória RAM.

As previsões indicavam uma apresentação da versão mini do M1 para breve, e recentemente um evento foi agendado pela Meizu para o dia 28 de janeiro. Portanto, é possível que vejamos o aparelho ainda este mês, exibindo seu design com acabamento feito em uma combinação de policarbonato e peças de baixo custo feitas em materiais alternativos.

O evento, chamado "Connected", promete trazer novidades que prometem sacudir o mercado de smartphones no mundo todo. Isso porque este promissor M1 Mini, com configurações que beiram o top de algumas concorrentes, deverá custar apenas 100 dólares.

Ainda não se pode prever como o mercado irá reagir com essa novidade, nem mesmo até onde esse produto irá chegar, mas é certo que a Meizu deverá protagonizar boas mudanças na indústria em 2015.

Por Daniel Cavalcante

Meizu M1 Note

Meizu M1 Mini

Fotos: Divulgação


A Meizu é uma fabricante que costuma surpreender o público no quesito custo-benefício, proporcionando aparelhos com bons hardwares a preços acessíveis. Um dos recentes lançamentos, o M1 Note, confirma essa afirmação.

Embora o nome com a terminologia "Note", não se trata de um concorrente do Galaxy Note, tampouco possui uma caneta. Seu objetivo, na verdade, é se confundir com o iPhone.

Apesar das óbvias semelhanças visuais que remetem ao iPhone 5c, que será descontinuado pela Apple, o M1 Note tem suas diferenças marcantes, começando pela tela de 5,5 polegadas em resolução Full HD (1080×1920 pixels). As dimensões desse smartphone grandão são de 150,7 x 75,2 x 8,9 mm, e ele pesa 145g.

O painel não é apenas maior. Ele conta com a tecnologia Panel Self Refresh (PSR), desenvolvida em parceria com a Sharp, consumo econômico de energia, densidade de pixels de 403 PPI, e 75% de redução de reflexos. Conta com proteção Gorilla Glass.

As outras especificações também sugerem um celular de melhor desempenho do que aquele que o inspirou no design. O sistema operacional é o Flyme OS 4, baseado no Android 4.4. O processador é um octa-core de 1,7 GHz e a memória RAM tem 2 GB e o armazenamento interno pode ser de 16 ou 32 GB.

A câmera principal panorâmica é fornecida pela Samsung e produz fotografias de 13 MP, tem 4x zoom, e é capaz de capturar 30 imagens por segundo. A frontal com 5 MP, conta com a tecnologia Face AE, para selfies. As câmeras também contam com flash LED.

A bateria possui 3.140mAh, e a empresa promete 12 horas de navegação em 4G, 15 horas de exibição de vídeos e 60 horas de execução de músicas!

O valor estimado desse smartphone grandão, e oferecido nas cores amarelho, verde, azul, brando e salmão, é de US$ 160 (16 GB) e US$ 190 (32 GB). Ainda não se sabe se a empresa pretende comercializar o produto nesde lado do mundo.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


Está ficando cada vez mais comum nos depararmos com aparelhos produzidos por empresas chinesas que apresentam uma excelente construção e preço acessível. No entanto, os consumidores brasileiros sempre ficam em dúvida com respeito à disponibilidade destes smartphones ou tablets no mercado nacional.

Empresas como a Meizu e Xiaomi apresentaram neste ano aparelhos bastante atraentes em relação ao preço, design, hardware e inovação.  

No mês de novembro, a chinesa Xiaomi ganhou destaque por causa do vazamento de algumas informações referentes ao Mi 5. Agora é a vez da Meizu, que deverá lançar seus aparelhos MX5 no mercado asiático nos próximos meses.  

Como diferencial, o Meizu MX5 deverá chegar ao mercado com hardware poderoso, incluindo uma câmera de alta performance. Uma tela secundária também deve ser outro atrativo em relação aos concorrentes. De acordo com os rumores do fórum Weibo – referência em informações relacionadas a aparelhos fabricados por empresas chinesas – o MX5 apresentará uma câmera com 41 megapixels. Espera-se que a câmera do aparelho seja de alta qualidade, mesmo sem obtermos informações sobre sensores e recursos.  

Já em relação à tela secundária, ela deverá ser inserida na parte traseira do aparelho com um visor monocromático de baixa resolução. O display seria limitado à exibição de informações que exijam pouca energia – o que será possível devido à utilização de processadores com cores independentes. A tela principal do aparelho deverá ter uma resolução de 2K.  

A Meizu ainda não confirmou nenhum rumor referente ao seu novo smartphone. Mesmo assim, ficamos na expectativa que as empresas chinesas continuem produzindo aparelhos de qualidade.

Em 2015, empresas asiáticas como a Xiaomi deverão chegar ao mercado brasileiro, disponibilizando aparelhos chineses com acabamento, hardware poderoso e preço competitivo. Ainda não há previsão de chegada da Meizu em mercados da América do Sul. Interessados em adquirir aparelhos da marca deverão fazer isso por meio de importação.

Por William Nascimento

Meizu MX5

Meizu MX5

Fotos: Divulgação


A empresa chinesa Meizu anunciou o lançamento de seu novo smartphone, o Meizu MX4 Pro. A fabricante já possui alguns aparelhos disponíveis no mercado internacional, porém esse modelo, no momento, está disponível apenas na China, mas é uma ótima opção para quem gosta de produtos do mercado chinês.

Baseando-se em suas especificações técnicas, o aparelho possui um ótimo custo-benefício, já que foi lançado por US$ 410 no seu país de origem.

Essa é uma versão, como o próprio nome diz, melhorada do Meizu MX4. Analisando sua ficha técnica, podemos perceber que é um aparelho de alto desempenho, dedicado a usuários que buscam hardwares potentes para executar jogos e aplicativos mais pesados.

Além disso, possui uma câmera com ótima resolução, tela grande e tecnologias mais recentes, como leitor de impressão digital para desbloqueio da tela.

O Meizu MX4 é um aparelho grande, medindo 150,1 mm de altura, 77 mm de largura e 9 mm de espessura, pesando 158 gramas. Seu tamanho é compensado pela excelente tela de 5,5 polegadas, com altíssima resolução de 1536 x 2560 pixels, densidade de 546 ppi, do tipo IPS LCD.

O aparelho conta com processadores Quad core 2.0 GHz + Quad core 1.5 GHz, chipset Samsung Exynos 5430 Cortex A15 / Cortex A7, 3 GB de memória RAM e 64 GB de espaço de armazenamento.

Um grande destaque é sua câmera principal, com 20,7 MP, resolução de 5248 x 3936 pixels, flash Dual LED e capaz de filmar em Ultra HD (4k ou resolução 2160p). A câmera frontal é de 5 MP, uma resolução excelente para registrar selfies e realizar videoconferências.

Dentre seus sensores, além do reconhecimento de impressões digitais, ainda possui um microfone com redução de ruído. O smartphone executa o sistema operacional Android 4.4.4 Flyme 4 KitKat.

Ainda não existem informações sobre quando ou se irá ser disponibilizado em outros países, nem mesmo preços, porém, já é possível comprar o smartphone nas lojas da China.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: