Logo depois da derrocada do Newton, o avô do iPad, surgiram os primeiros PDAs, ou assistentes digitais pessoais. Ao contrário do fracassado tablet da Apple eles não tinham a intenção de substituir os computadores e não passavam mesmo de agendas sofisticadas. Não demorou, então, para caírem no gosto do público. Principalmente nas empresas.

Então nasceu o Palm, um PDA muito mais poderoso e robusto, que inaugurou a possibilidade de desenvolver e instalar aplicativos de terceiros. Pequeno, fácil de manusear e com uma variedade de programas à disposição, o Palmtop virou uma verdadeira febre. E durante quase duas décadas reinou absoluto no mercado.

Tanto que a palavra “PDA” sumiu do vocabulário, e em seu lugar entrou outra. Qualquer dispositivo que se parecesse com um PDA, passou a ser chamado de palmtop. Mais tarde a própria Palm teve a ideia de juntar celular e palmtop para criar o que hoje conhecemos como smartphone.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Baixaki


A Palm foi pioneira no segmento de PDAs, equipamentos que foram os precursores dos smartphones atuais, e durante muito tempo liderou o mercado. Mas de uns tempos para cá a empresa parece que se estagnou e parou no tempo, e foi perdendo terreno cada vez mais para seus concorrentes.

Isso levou especialistas a especularem sobre uma possível venda da companhia. Tanto que as ações da empresa voltaram a subir. Rumores davam conta recentemente que uma das possíveis compradoras poderia ser a Lenovo, mas a empresa negou qualquer tipo de negócio com a Palm.

Nesta semana, porém, novas notícias surgiram e há quem garanta que a empresa foi mesmo posta à venda. Os novos rumores apontam a HTC como candidata mais provável a adquirir a Palm, e indicam que as duas empresas já teriam iniciado as negociações, estando perto de fechar o negócio.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Reuters





CONTINUE NAVEGANDO: