O sucesso do app de mensagens não para de crescer e agora pesquisa diz que o WhatsApp é o mais popular do mundo

A notícia chegou para a imprensa em geral por meio da SimilarWeb, uma empresa de pesquisas com atuação no mercado digital. De acordo com os dados levantados pela empresa em questão o famoso WhatsApp se tornou oficialmente o app de mensagens mais popular do mundo. A informação foi divulgada na última terça-feira dia 24. O resultado só foi obtido porque foi feito um levantamento sobre o uso desse tipo de apps entre os usuários do sistema Android. A pesquisa foi feita em 187 países.

No decorrer da pesquisa o Whatsapp foi mais do que popular chegando a ser citado por nada mais nada menos do que usuários de 109 países. Dentre eles estamos nós, os brasileiros, os mexicanos, russos, indianos além de outros países da Europa, América do Sul, Oceania, Ásia e África.

Já o Facebook Messenger acabou por ocupar a segunda posição no ranking geral da pesquisa. A menção ao app foi feita em apenas 49 países de acordo com a pesquisa. Entre eles temos os Estados Unidos, Canadá e a Austrália.

Nesse meio termo convém destacar que a empresa de Zuckerberg também é detentora do WhatsApp desde o ano de 2014.

E ainda temos o Viber que em escala mundial ficou na terceira posição. A citação do mesmo foi feita em mais de 10 países. Ele marca uma boa presença em nações da Europa Oriental como na Ucrânia e na Moldávia por exemplo.

O Line, o WeChat e o Telegram acabaram tomando posse da quarta, quinta e sexta posição respectivamente. Já esses aplicativos aparecem sendo citados em locais como a China, o Irã e também no Japão. A média de uso desses apps por lá é de 40 minutos.

Mas para quem pensa que são apenas esses aplicativos que contam com representatividade no mercado de tecnologia está enganado. Em países como Cuba, Coreia do Sul, Viatnã, Eritreia e Indonésia alguns com nomes poucos conhecidos também possuem representatividade tais como o BBM, ChatOn, Zalo, Imo e Kakao Talk.

Por Denisson Soares


Pesquisa revela que apenas 21% dos órgãos públicos possuem aplicativos para Dispositivos Móveis.

Entre os aplicativos lançados recentemente, temos um número cada vez maior de apps que acabam por facilitar e muito a vida dos usuários, principalmente quando o assunto é livrá-los de burocracia e facilitar o atendimento e pagamento de pendências financeiras. Entretanto, ao que tudo indica, os órgãos públicos nacionais ainda não perceberam essa tendência e simplesmente não investem em aplicativos que poderiam facilitar a vida de seus contribuintes, segundo o que indica uma pesquisa realizada pelo CGI (Comitê Gestor da Internet).

A pesquisa foi divulgada na quinta-feira, 28 de Abril, e ouviu diversas prefeituras e órgãos públicos num geral, apontando um resultando esperado, porém, decepcionante: O poder público não investe em aplicativos, sendo que atualmente apenas míseros 21% dos órgãos públicos federais e estaduais possuem aplicativos para dispositivos móveis, enquanto no caso das prefeituras o número é de apenas 4%.

A pesquisa recebeu o nome da CGI de ''TIC Governo Eletrônico 2015'', tendo sido feita por meio do, prepara-se para um nome extremamente extenso, Centro Regional de Estudos para Desenvolvimento da Sociedade da Informação, ou simplesmente cetic.br. A pesquisa engloba 620 órgãos de todos os poderes, bem como 996 prefeituras do Brasil em todas as regiões do país.

Para se ter uma ideia de como não é apenas no caso de aplicativos que poderiam facilitar a vida dos usuários que o poder público está extremamente atrasado, apenas 24% dos ouvidos declarou que o órgãos em questão possui versão mobile de seu site. Quanto ao pagamento de pendência por meio de smartphones, o número é ainda menor, apenas 8%, envio de SMS, algo extremamente simples, apenas 7%, enquanto os aplicativos com dados da prefeitura como balancetes, 6% declararam que possuem.

Para o gerente da Cetic.br, Alexandre Barbosa, o setor público deveria investir mais fortemente em relação aos aplicativos para dispositivos móveis, visto que os mesmos podem facilitar e muito a vida dos usuários, além de transmitir informações necessários como informações a respeito dos serviços públicos.

O atraso em relação a tecnologia no Brasil não é novidade. Alguns podem se lembrar, dos diversos ataques hackers feitos a sites do governo em 2011 e nos dois anos seguintes, que acabaram se tornando até mesmo tema de reportagem na televisão, tamanho o número de sites governamentais afetados.

Maria Luiza Mazzo


Nova bateria teria capacidade de garantir até uma semana de uso nos smartphones.

A bateria dos smartphones e o seu tempo de duração sem um novo carregamento é hoje um dos fatores mais importantes em um smartphone, garantindo maior autonomia ao usuário, ao permitir que o mesmo passe cada vez mais horas e horas na frente do seu dispositivo, navegando na internet, conversando com amigos, jogando, etc. Porém, a duração atual ainda se restringe a horas, em caso de uso contínuo, mas você já pensou em comprar um smartphone e passar 7 dias usando o aparelho, sem ter de recarregá-lo?

É nisso que uma empresa fabricante de smartphones decidiu investir, um investimento em torno de US$ 7 milhões de dólares para que a Holding de Energia Inteligente, empresa que trabalha com o setor de energia há mais de 25 anos, desenvolva uma bateria extremamente potente e que seja capaz de garantir 7 dias de uso aos usuários.

É fato que a evolução das baterias presentes nos smartphones não vem acompanhando o desenvolvimento dos aparelhos como um todo, como em questões como memória RAM, processadores, etc. Agora, segundo a empresa que diz ter sido contratada por uma fabricante de smartphones, a nova bateria utilizará uma célula de combustível pequena e converterá hidrogênio em eletricidade, o que faria com que a energia tivesse sua capacidade de geração aumentada, mas com menos emissões de poluentes.

Com isso, as baterias se tornariam mais "amigas" do meio ambiente, visto que com esse novo modelo de bateria, o vapor de água será apenas um subproduto, diminuindo os impactos ao meio ambiente.

Ainda não há nenhuma previsão sobre quando poderemos ver a tal tecnologia chegar de fato aos smartphones, porém, como o investimento foi alto e esse é um mercado, como dito, estagnado nos últimos tempos, não condizendo com o uso cada vez maior desses dispositivos, é provável que em breve tenhamos ao menos novas notícias sobre o caso.

Podemos ter esperanças de que o lançamento das tais baterias não demore muito, afinal de contas, a empresa responsável pelo desenvolvimento possui mais de mil patentes registradas e o investimento feito na falada bateria não é baixo, aumentando certamente e muito as chances do projeto dar certo.

Por Isis Genari.


Você já parou para pensar que seu smartphone pode guardar alguns segredos de sua personalidade ou algumas características do seu estilo de vida?

Pode parecer estranho, mas em uma pesquisa realizada recentemente pela Talk Talk Mobile e divulgada por meio do DailyMail diz que sim. A pesquisa vai além, e ainda revela que o usuário de cada plataforma possui características peculiares. Pelo bem da verdade é claro que a pesquisa feita não tem nenhum fundo científico, mas não deixa de ser interessante.

Para que a pesquisa fosse feita foram realizadas entrevistas com 2 mil usuários das três principais plataformas de sistemas operacionais. Entre os pontos fundamentais da pesquisa os entrevistados deviam dizer qual o aparelho que usavam bem com descrever os traços de sua personalidade, profissão e hábitos. Confira alguns dos resultados obtidos:

BlackBerry: Os usuários dessa plataforma geralmente ganham os melhores salários e trabalham em setores como os de saúde e finanças. Também são os que mais fazem ligações e enviam mensagens de texto. Os relacionamentos dessa classe também são os mais longos. Entre as principais características está o fato de serem altos e animados;

Android: Estes são os mais criativos, mais educados e os melhores cozinheiros. Também são os que mais gastam tempo assistindo TV. Esporte, cultura e arte são as áreas onde mais trabalham. São também os que mais gostam de beber bebidas alcoólicas. Além da criatividade outras características desse grupo são a timidez e a calma;

iPhone: Esse é o pessoal que se julga mais atraente e geralmente tem profissões ligadas a áreas de mídia. São os mais ambiciosos e gostam de viajar muito. Um detalhe desse grupo é que a cada ano costumam gastar cada vez mais em roupas e cuidados pessoais. Entre as principais características estão a ousadia, a ambição, a sedução e a confiança.

E você, em qual grupo se encaixa?

Por Denisson Soares


A cada dia que passa, mais popoular fica o sistema operacional Android, tornado-se uma preocupação a mais para os concorrentes; segundo a última pesquisa da IDC, o citado software da Google alcançou a façanha de estar presente em quatro de cada cinco "gadgets".

A pesquisa da IDC afirma que praticamente 80% dos smartphones usam o sistema operacional Android, marca 10% superior ao ano de 2012; um dos principais motivos da liderança é sua presença em aparelhos de diversas marcas, principalmente na Samsung e na LG.

Se por um lado o Android vem conquistando cada vez mais espaço, por outro o iOS, sistema operacional da Apple, vem perdendo mercado, já que em 2012 estava presente em praticamente 17% dos aparelhos, e em 2013 caiu para 13,3%.

Como é a empresa de tecnologia com mais lucro nos últimos anos, a Apple não estava tão preocupada com a queda, mas começa a se incomodar com a situação, já que a Samsung vem numa grande crescente e estaria na iminência de alcançar o topo da área, e para deixar a Apple ainda mais receosa, a Google Play já é líder no quesito quantidade de aplicativos e downloads.

Por Vinicius Cunha


Uma pesquisa feita pela empresa Conecta em conjunto com a WIN (Worldwide Independent Network of Market Research) mostrou que o brasileiro cada vez mais pega gosto pelo uso de smartphones e tablets.

A pesquisa foi realizada em 54 países, entre novembro e dezembro de 2012, e entrevistou um total de 1.000 internautas acima de 16 anos apenas no Brasil, e a nível mundial foram realizadas 54.121 entrevistas.

Os resultados do estudo mostraram que o internauta brasileiro mexe no smartphone em média 84 minutos por dia, enquanto a media mundial é de 74 minutos.

Um fator interessante apontado pela pesquisa, é que mesmo com o advento dos tablets, que possuem telas maiores, os usuários ainda passam mais tempo interagindo com os smartphones. Segundo o estudo os brasileiros passam 79 minutos utilizando o tablet, já a média mundial é de 71 minutos.

E quem ficou por último no gosto dos usuários foram os e-readers, que no Brasil conseguem a atenção diária de seus usuários por uma média de 79 minutos, contra a média mundial de 54 minutos. Os e-readers, ainda não têm uma presença muito grande no Brasil, de acordo com o estudo apenas 1% dos brasileiros possuem e-readers, contra a média nacional de 12%.

Por Francine Cardoso de Araujo


De acordo com dados da ABR Telecom, Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações, no ano passado foram realizados mais de 5 milhões de pedidos de portabilidade numérica no Brasil, o que representa um aumento de 18,37% se comparado a 2010.

Do total de pedidos, 37% são para a telefonia fixa, já os outros 63% são para a telefonia móvel. Em 2010, mais de 4 milhões de mudanças de operadoras foram feitas.

Segundo a entidade, esses números foram superiores ao registrado na marca histórica do serviço desde que ele passou a ser disponibilizado em 2008, sendo que só no primeiro ano mais de 3 milhões de brasileiros optaram por fazer a migração de operadora e manter o mesmo número.

Em 2011, o terceiro semestre foi o que apresentou maior volume de migrações, com 1,51 milhão de consumidores solicitando o serviço. Já no quarto semestre, foram registrados 1,27 milhão de solicitações.

Quando contabilizado todo o período no qual o serviço foi disponibilizado para os brasileiros, ou seja, de 2008 a 2011, 13,31 milhões de pessoas já optaram por trocar de empresas de telefonia e manter o mesmo número.

Por Joyce Silva


A Apple, a RIM e a Microsoft conquistaram uma importante vitória nesta quinta-feira (3 de novembro) contra o Google, forte concorrente no mercado de sistemas operacionais para smartphones e tablets. Um estudo divulgado pela WDS revelou que os aparelhos baratos equipados com o Android, sistema operacional do Google, tendem a estragar e a custar caro para as operadoras, devido aos gastos com consertos sob garantia.

Modelos como o iPhone (da Apple), o BlackBerry (da RIM) e os aparelhos equipados com Windows Phone (da Microsoft) também estragam, mas apresentam custos muito menores de conserto em comparação aos aparelhos com Android.

Os aparelhos que acabam custando mais caro na hora de ir para a “oficina” são os modelos que custam em torno de 100 dólares para serem produzidos. Esses aparelhos geralmente são mais baratos para o consumidor e são os principais responsáveis pela popularização do serviço e pela ascensão do Google nesse mercado.

A pesquisa revela ainda que o custo que as operadoras têm com cada aparelho que vai para conserto sob garantia é, em média, de 127 dólares.

Por Mozart Artmann


Uma pesquisa realizada pela ChangeWave Research revelou que 77% dos usuários do iPhone estão bastante satisfeitos com o aparelho.

O levantamento foi efetuado através de entrevista com 1.212 consumidores que adquiriram smartphones nos últimos seis meses.

Após a Apple,  a segunda empresa com melhor avaliação positiva foi a Motorola, com 71% de satisfação entre os usuários de produtos da marca.

O terceiro lugar ficou com a empresa HTC, com 63% de satisfação dos usuários.

Dentre os modelos de smartphones, o iPhone 4 de 32 GB foi o que obteve a melhor avaliação positiva, com 84% de satisfação. O modelo de maior aprovação da Motorola foi o Droid 2, com 74% de satisfação entre os consumidores. Já na HTC, destacou-se o modelo Evo 4G, com 74% de aprovação.

Por Elizabeth Preático





CONTINUE NAVEGANDO: