Intel iniciará produção de chips ARM para tecnologia móvel.

Não se pode negar que a grande Intel veio perdendo uma grande parcela no mercado de tecnologia móvel. A companhia, que possui praticamente um domínio absoluto no segmento de computadores pessoais, não teve força suficiente para manter a hegemonia assim que os vetores principais da indústria tecnológica se tornaram os tablets e smartphones. A ARM foi quem ficou com a liderança com a arquitetura que bateu a plataforma x86.

Dessa forma, a Intel acertou um acordo com a ARM, como uma tentativa de se sustentar de uma outra maneira no mercado. A companhia poderá produzir chips utilizando arquitetura da sua antiga rival e atual parceira, abrindo assim uma grande gama de possibilidades para a parceria.

Antes de qualquer coisa, é necessário explicar que a organização não irá produzir chips usando a arquitetura ARM, porém poderá fabricar para outras empresas fazendo uso de suas linhas de montagem, pelo fato de dominar os processos em 10 nanômetros.

Isso quer dizer que um nova porta será aberta no segmento de tecnologia móvel, a qual não estava quando se trabalhava com os chips de arquitetura x86, tanto é que foi descontinuada a linha de processadores Atom utilizados em celulares. A Intel poderia também fechar acordo com empresas como a gigante Apple para que montasse o processador de um próximo iPhone, ou então com a Qualcomm, para dar um apoio na produção dos chips Snapdragon, os quais estão presente na maior parte dos smartphones Android presentes no mercado mundial.

A novidade se dá pelo fato da Intel admitir uma certa derrota, mas nada tão surpreendente. Já que faz tempo que havia uma especulação sobre a Apple fechar um acordo com a fabricante de chips para fornecer elementos para o celular iPhone. Entretanto, para que o caso se concretizasse, primeiramente era necessário que o smartphone fosse adaptado à uma arquitetura ARM, o que foi confirmado agora.

A parceria principal já está fechada. Será a LG Eletronics, que sempre fez uso dos chips Qualcomm em seus dispositivos. A empresa da Coreia pretende crescer para fabricar seus chips ARM próprios fazendo uso das instalações da Intel.

FILIPE R SILVA


A LG, cada vez mais adotando a estratégia de fabricar seus próprios componentes de hardware, anunciou o lançamento de um potente chip de processamento de fabricação própria. Trata-se do Nuclum, um octa-core otimizado para aparelhos smartphone top de linha. Antes, a companhia coreana usava chips fornecidos por outras fabricantes, tais como a Qualcomm, dona do Snapdragon.

O processador utiliza a tecnologia big.LITLE da ARM para multitarefas. Essa tecnologia se baseia em utilizar dois grupos, cada um com quatro núcleos. O primeiro grupo de núcleos vem com ARM Cortex-A15 de 1,5 GHz e o segundo grupo com ARM Cortex-A7 de 1,2 GHz, sendo o primeiro para tarefas mais pesadas e o segundo para os processos mais simples do device.

Essa arquitetura é inteligente, pois economiza energia da bateria sem prejudicar o desempenho do dispositivo.

Outra característica é que o processador foi desenhado visando suportar a nova geração de redes 4G, LTE-A Cat.6, com capacidade de velocidade de até 225 Mbps de download. Esse novo padrão ainda está longe de ter previsões de chegar no Brasil. Mas, sem problemas, o Nuclum ainda oferece compatibilidade com os padrões atuais.

A estreia do chip será no novo modelo de smartphone da marca, o G3 Screen. Esse aparelho tem o mesmo design visual do LG G3, sendo a principal diferença o novo chip octa-core. A tela é de 5,9 polegadas Full HD IPS. Nas conectividades, oferece o já referido uso do novo padrão de 4G.

As outras configurações do G3 Screen são parecidas com do LG G3, trazendo o Androide 4.4 (Kit Kat) e contando com 2 GB de memória RAM e 32 GB de espaço interno. Possui duas câmeras, uma de 13 megapixels, traseira com OIS+, e outra frontal de 2,1 megapixels. A bateria integrada é de 3,000 mAh. O LG G3 Screen não tem preço estipulado nem previsão de venda.

A LG, que vai lançar o G3 Screen na Coréia do Sul, ainda não anunciou quando a novidade estará disponível para outros países.

Por Alexandre S.T.

LG Nuclum

Foto: Divulgação


Outra novidade recém-lançada no mercado chinês levanta ânimos e questões relevantes sobre o uso do processador Octa-Core apresentado no novo smartphone Umi X2S

O processador ultra polêmico é capaz de ativar oito núcleos responsável pelo esquema de cores e ainda não tem previsão de exportação para outros países (por enquanto). No momento o assunto já gera polêmicas, já que o processador pode ser desnecessário para este fim.

Umi X2S

Foto: Divulgação

Segundo o Vice Presidente da concorrente Qualcomm, Anand Chandrasekher, os usuários teriam uma configuração além da necessidade e isso pode de certa forma "confundir" os consumidores menos antenados sobre o assunto. Anand ainda satiriza o uso deste processador em alusão a uma "Ferrari imaginária", em poucas palavras, ele quis dizer que os consumidores também podem se equivocar completamente na questão da velocidade executada.

Para a fabricante Media Tek, os usuários terão facilidade superior  ao executar várias tarefas ao mesmo tempo já que esta versão tende a simplificar e dar melhor aproveitamento aos aplicativos instalados. O detalhe é que a Qualcomm é responsável por parte dos chips usados no smatphone Samsung Galaxy S4 e os consumidores já começaram as comparações entre os dois modelos. Entre outras comparações, o que chama atenção é o modelo que é visivelmente muito parecido com o Galaxy o que pode ser inclusive um ponto a mais para a chinesa UMI.

Por Luciana Ávila


Anand Chandrasekher, o vice-presidente sênior e também diretor de Marketing da Qualcomm, não está de maneira nenhuma convencido da “capacidade” do processador A7 de 64-bit que está presente no iPhone 5S da Apple. De acordo com  a opinião do sujeito, o que a Apple faz muito mais um golpe de marketing do que um relativo aprimoramento técnico do dispositivo.

O executivo da Qualcomm afirmou que está ciente de todo o barulho que foi e ainda está sendo feito em volta do lançamento da Apple, mas que isso não muda em nada o fato – em sua opinião- de que a empresa estaria mais fazendo uma jogada de marketing e que quem seria prejudicado com isso seria o consumidor que teria um benefício “zero”.

Em uma entrevista concedida ao site TechHive Chandrasekher  disse que a vantagem apresentada pelo processador de 64 –bit referente ao aumento do endereçamento de memória não seria de grande importância para os atuais modelos de tablets e smartphones.

Ainda segundo Chandrasekher há um probleminha básico que vem sendo omitido: O iPhone 5S conta apenas com 1 GB de RAM enquanto que seriam necessários mais de 4GB para que fosse possível um aumento potencial da memória.

Chandrasekher até que tem “moral” pra falar sobre o assunto. A Qualcomm é uma das principais fabricantes de chips para o mercado de dispositivos móveis no mundo. São dela os processadores Snapdragon utilizados nos smartphones Android e Windows Phone. A  Qualcomm também está trabalhando em um processador de 64-bit ainda sem data prevista para lançamento.

Por Denisson Soares


Enquanto a Intel não lança sua linha de processadores que trazem a arquitetura 14nm, que estão com previsão para chegar ao mercado apenas em 2014, ela aproveitou para divulgar que irá trazer lançar dois novos processadores exclusivos, com o nome de Merrifield e 6331, para celulares inteligentes.

De acordo com o site SemiAccurate, os dois chips, que terão arquitetura de 22 nm, não possuirão somente mais potência que seus modelos atuais, mas também uma excelente economia de energia, pelo fato de consumirem muito menos.

Apesar de ainda não se saber quais serão as configurações técnicas do aparelho oficialmente, a única informação que a Intel confirmou foi que o Merrifield irá substituir o processador Z2580, que possui tecnologia dual-core  e arquitetura 32 nm, além de ser o sucessor do Z2000.

Infelizmente a fabricante não divulgou nenhuma informação sobre a data de lançamento e nem sobre o valor dos novos processadores, mas tendo em vista que os modelos com arquitetura 14 nm só chegarão ao mercado em 2014, a estimativa é que o Merrifield e o 6331 estejam disponíveis nas lojas em pouco tempo.

Por Guilherme Marcon


Nesta quinta-feira, dia 26 de abril, a Samsung revelou o novo processador que estará presente no tão esperado Galaxy SIII. O “coração” do novo smartphone será composto de um processador de quatro núcleos com 1.4 GHz, chamado Exynos 4 Quad.

A promessa do novo processador é de superar a potência do seu antecessor, para que de fato seja superior ao seu principal concorrente, o iPhone 4S. Ainda, a característica mais relevante do novo Exynos é a tecnologia High-K Metal Gate, pois ela possibilita um menor consumo de energia mesmo com uma capacidade de processamento maior. Isso, porque a promessa é de gastar 20% a menos enquanto dobra a capacidade de processamento.

A intenção da Samsung é de equiparar a experiência do uso de um smartphone com o uso de um computador pessoal. Isso, porque de acordo com o vice-presidente de marketing da Samsung, Taehoo Kim, um processador quad-core possui habilidades multitarefas muito superiores a qualquer outro processador, além de aumentar a vida útil da bateria gastando 20% a menos de energia.

Ainda, conforme a Samsung, o Exynos 4 Quad é perfeito para rodar aplicativos pesados como games em 3D, pois possui em seu hardware uma ferramenta poderosa para as tecnologias Full HD e conectividade HDMI.

Sendo assim, se os benchmarks divulgados na internet do Galaxy SIII forem verdadeiros, o novo processador do aparelho será o motivo que já é dado a ele o título de Android mais poderoso do mercado. 

Por Guilherme Marcon





CONTINUE NAVEGANDO: