Ghosting é uma expressão inglesa que indica o fim de relacionamentos na era digital.

Desaparecer e deixar o parceiro sem notícias sempre aconteceu, contudo, na era digital esse tipo de comportamento intensificou-se tornando o processo muito mais banal.

A expressão inglesa Ghosting deriva da palavra Ghost, que em português significa fantasma. O termo não requer tantas explicações, afinal, é uma espécie de tradução óbvia utilizada para expressar a maneira que muitos homens e mulheres escolhem para terminar um relacionamento.

Especialistas afirmam que as novas tecnologias contribuem muito para esse tipo de decisão, não há necessidade de discutir o relacionamento, quem não quer mais, simplesmente some. Não responder mensagens, ignorar ligações e até mesmo recorrer aos bloqueios é uma estratégia utilizada para dar um basta na relação.

Para psicólogos, o ghosting tem consequências bastante negativas para as pessoas que sofreram com a prática. A autoestima fica muito comprometida e a busca por respostas chega a ser exaustiva. Já alguns daqueles que se utilizaram disso para dar fim em um relacionamento afirmam que preferem evitar o enfrentamento e o conflito, pois não se sentem confortáveis em dizer que estão insatisfeitos.

Com a popularização dos aplicativos de encontros, todos os dias novos casais se formam. Muitos desses casais buscam objetivos diferentes e não há uma conversa no início a respeito de perspectivas, esse fator acaba contribuindo para o ghosting. A facilidade com que as coisas acontecem por meio da tecnologia pode caminhar no mesmo passo pelo qual as coisas terminam.

Em 2014, o Instituto YouGov realizou uma pesquisa em que 11% relataram ter praticado o Ghosting e 13% sofrido com essa prática. Em outro estudo semelhante, a revista Elle apontou que 26% das mulheres e 33% dos homens, ambos seus leitores, afirmaram já terem praticado ou sofrido o ghosting.

O crescimento da prática é preocupante. Apesar das facilidades que as novas tecnologias proporcionam, elas não dão o direito de agirmos sem pensar no próximo. É preciso rever nossos comportamentos e evitar machucar aqueles que acreditam e confiam em nós.

Por Beatriz 

Ghosting


Serão colocadas novas duas camadas de materiais diferentes para evitar o problema

Todos já conhecem os problemas que o iPhone 6 Plus, lançado no ano passado, causou. Uma das maiores reclamações dos clientes que adquiriram o produto era que o celular dobrava em seus bolsos. A empresa demorou um certo tempo para comentar sobre os casos, era um problema que ninguém esperava e chegou como uma surpresa para os fabricantes do celular.

Depois de muitas discussões, principalmente na internet, a Apple, desenvolvedora e fabricante do produto, não só apresentou as soluções como também já a patenteou, um novo processo de fabricar de produto com maior resistência dos equipamentos e peças chamado de Encapsulation Of A Stiffener Layer In Aluminum.

O processo consiste na utilização de duas camadas diferentes de material. A primeira, e mais rígida, será colocada na estrutura principal da parte de dentro do celular, feita provavelmente de fibra de carbono. Já a segunda camada, que será de alumínio, será usada como um reforço para a rigidez estrutural do celular, evitando, assim, o problema que afeta diversos usuários.

Uma segunda novidade também é trazida com essa nova patente: uma das camadas contará com o que estão chamando de “estrutura de bolsas”, com formas triangulares ou circulares que diminuirão nitidamente o peso do Iphone 6 Plus.

O curioso caso de dobramento de celular não é um problema só da Apple, smartphones de outras marcas também já apresentaram problemas semelhantes.

Depois do seu lançamento, em setembro do ano passado, o mais recente e inovador smartphone da americana Apple, apresentou o problema de dobramento e muitas reclamações correram pela internet, inclusive casos de queimadura na perna de usuários foram registrados. Diversas notícias foram divulgadas e muitos boatos em torno da verdadeira causa do problema correram nas redes sociais.

Com o problema resolvido, a empresa pode agora concentrar-se no futuro e trazer novos celulares com mais tecnologia sem apresentar defeitos como o de dobramento, por exemplo.

Por Tom Vitor de Freitas

Foto: divulgação


Painel AMOLED vem com tecnologia IGZO de 5,5 polegadas com suporte para reproduzir conteúdos 4K

O mundo tecnológico está mudando de forma constante, principalmente, quando o assunto é smartphone. A Sharp, por exemplo, anunciou a sua novidade: o primeiro painel AMOLED com a tecnologia IGZO de 5,5 polegadas e com suporte a reprodução de conteúdo 4K. O novo display que foi lançado pela Companhia japonesa tem resolução de 3480X2160, que também é denominada de Ultra-HD, tem a habilidade de propiciar densidade de pixel que alcança 806 ppi.

A expectativa é que essas novas telas entrem no mercado ainda em 2016, para permitir que outras Companhias possam usar  a novidade no painel dos smartphones. Uma preocupação constante em relação às novas telas de resoluções altas é o consumo de energia. Por exemplo, será que a bateria do smartphone vai conseguir exibir a alta quantidade de pixel e ainda manter o celular em um bom estado de vida útil, por muito tempo?

Mas, os novos painéis também apresentam vantagens como o suporte ao conteúdo, além da melhor qualidade para a imagem. Agora, é esperar até que a novidade chegue ao mercado e seja produzida nos smartphones.

A Sharp também apresentou novos aparelhos da linha Aquos, que se destacam pelo design, que quase não tem bordas. A nova série mini, é uma versão do top de linha, e com boas especificações. O novo smartphone tem uma tela de 4,5 polegadas, resolução Full HD, câmera traseira de 13 MP e bateria que tem 2.120 mAh. Além disso, tem conectividade por meio de Wi-Fi, Bluetooth, 3G e 4G.

Outro modelo lançado pela Sharp é o Aquos K, que foi inspirado em uma releitura dos designs da década de 2000, devido à presença do corpo flip. O smartphone tem o sistema operacional Android – a versão ainda não foi especificada, 1 GB de memória RAM, tela de 3,4 polegadas, câmera traseira de 13 MP e processador Snapdragon 400 quad-core de 1,2 GHZ.

Gostou da novidade? 

Por Babi

Tela da Sharp

Foto: Divulgação


A Apple, empresa de tecnologia sediada nos Estados Unidos, fechou o ano bem com os consumidores, ocupando 50% das vendas de smartphone no mercado norte-americano no último trimestre. Para 2015, as expectativas são muito grandes, já que incluem o novo relógio inteligente da marca, além de um possível novo iPhone.

Programado ainda para o primeiro semestre do ano, o Apple Watch é uma aposta da marca como seu primeiro relógio inteligente. O dispositivo funcionará integrado ao iPhone, permitindo um rápido acesso às notificações do smartphone, além de informações de diversos sensores e todos os recursos que um relógio pode oferecer.

O tablet da marca, iPad, também pode ganhar uma nova versão este ano. Contando com o modelo mais convencional de 9,7 polegadas e o Mini de 7,9 polegadas, é possível que uma versão maior chegue para os consumidores, com tela de 12,9 polegadas. Especula-se os nomes iPad Air Plus ou iPad Pro para o produto e ainda que uma caneta Stylus acompanhe o tablet, assim como a Samsung faz com sua linha Note.

O notebook da Apple, o MacBook Air, pode ter uma nova versão em 2015 com tela de retina. Por ser o único aparelho da marca que ainda não possui essa tecnologia na tela, especula-se que não passará desse ano essa modificação. Outra grande novidade que pode chegar é uma maior disponibilidade de cores para o produto, fugindo do tradicional cinza que é atualmente vendido.

A central de multimídia da marca, o Apple TV, pode ganhar novos recursos este ano ou então pelo menos terá uma versão atualizada chegando ao mercado, já que o aparelho é o mesmo desde quando foi distribuído em 2013.

Seguindo a numeração da Apple até então, é possível que o sistema operacional que chegue com os novos dispositivos móveis neste ano seja o iOS 9. Vale lembrar que o iPhone 6 introduziu a versão 8.

Não podendo ficar para trás, a grande atração da marca, seu smartphone iPhone, também terá uma nova versão esse ano. Especula-se que seja um iPhone 6C, 6S, 6S Plus ou até mesmo o 7.

Por Rannier Ferreira Mendes

Apple Watch

iPhones

Fotos: Divulgação


A Microsoft inovou o ramo da tecnologia recentemente através de um protótipo de visor holográfico que terá a possibilidade de oferecer ao consumidor videogames, chamadas online e inclusive imagens da superfície de Marte em três dimensões.

A empresa informou que o aparelho sem fio HoloLens estará presente de forma simultânea à disponibilização do Windows 10 em 2015. Analistas do ramo ficaram otimistas a respeito do objetivo, entretanto, estavam em dúvida se o aparelho poderá gerar um dispositivo com valor aberto para o mercado de massa em pouco tempo.

Mike Silver, analista da companhia de pesquisa de tecnologia Gartner, informou que foi como um momento fantástico e surpreendente. Ele testou o aparelho recentemente e afirmou que as pessoas precisarão aguardar para verificarem um valor bem alto em 2015 ou em 2016, e desta forma, pode ser que irá passar mais alguns anos para que tenha um valor menor.

A Microsoft está desenvolvendo a teoria sigilosa há alguns anos e apresentou uma lista de cenários: manipulação de objetos virtuais que tem a possibilidade de serem enviados para uma impressora 3D, formação de um ambiente similar ao jogo Minecraft em uma sala e possibilitar que os consumidores indiquem para objetos no outro lado de uma chamada de vídeo por Skype.

Outros procedimentos informados pela companhia estão um panorama da superfície de Marte de acordo com imagens realizadas pelo robô Curiosity, da Nasa. A agência espacial norte-americana está em desenvolvimento com o Microsoft para a produção de um software denominado “OnSight”, que irá possibilitar que os cientistas na Terra descubram virtualmente e esboçam testes em Marte.

O analista Al Hilwa, da empresa de pesquisa do mercado de tecnologia IDC, afirmou que é fantástico e uma inovação a amplitude que o estado da arte cresceu a respeito de hologramas. Ele fica esperando a Princesa Leia surgir, informando isto com base na personagem da saga Star Wars.

Por Felipe Couto de Oliveira

Microsoft HoloLens

Foto: Divulgação


Acaba de chegar ao mercado um dos serviços mais inusitados disponíveis através da internet. Trata-se do Picatto, um serviço que disponibiliza aos usuários da rede social Instagram tatuagens das postagens realizadas no aplicativo.

Isso mesmo, quem gostou tanto de sua postagem na rede social e não se conforma de exibir a imagem apenas no Instagram, agora tem a chance de trazer sua foto para a realidade e, diferentemente da forma mais convencional que utiliza papel fotográfico, a base para a impressão é a própria pele.

Trata-se de uma tatuagem temporária, que ficará na pele do usuário apenas por uma semana. Ela é removível com água e uma boa opção para quem não quer se comprometer com uma tatuagem de verdade, que não sai facilmente da pele.

Para utilizar o serviço, basta ter uma conta ativa no Instagram, que é gratuita, e conectá-la à conta do Picatto. Dessa forma, o serviço acessará as suas postagens na rede, dando a opção de transformá-las em tatuagens.

O Picatto é dos Estados Unidos, porém ele oferece seus serviços em todo o mundo. A aplicação da tatuagem é feita pelo próprio usuário após receber a imagem em sua casa através do correio. O Brasil é um dos países contidos na lista de disponibilidade do serviço.

Assim como no Instagram, as imagens que virão na forma de tatuagem também terão uma proporção quadrada.

Não é possível comprar apenas uma imagem como tatuagem para testar, já que o site vende as tatuagens em pacotes com 12 unidades. O preço atual deste pacote é de U$ 14,99, o que corresponde a aproximadamente R$ 40 na cotação atual do dólar.

Os desenvolvedores do serviço apostaram em uma forma muito original de interagir fisicamente com a rede social. Aliás, são as inovações que estão fazendo sucesso no mundo pós-internet, já que a disponibilidade de serviços através de dispositivos portáteis tornou a vida muito mais acessível, porém, dá aos cidadãos acesso a infinitas maneiras de gastar seu dinheiro, sendo que apenas quem chamar mais atenção terá lucro em seus negócios.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


A Tommy Hilfiger encontrou uma nova solução para o clássico problema com a carga da bateria de smartphones, tablets e outros dispositivos móveis. São jaquetas projetadas para captar a energia solar e assim recarregar os gadgets enquanto andamos pela rua ou nos encontramos em viagem.

Disponíveis em versões masculina e feminina, a roupa possui painéis solares destacáveis nas costas, o que facilita a captação da luz do sol, e cabos USB pelo lado de dentro.

O produto é fabricado em parceria com a Pvillion, uma empresa especializada na produção de painéis de energia solar.

Foto: divulgação

A roupa-carregador é bem versátil. Além de ser destacável e resistente à água, a jaqueta também recarrega baterias com energia elétrica. Caso você não tenha condições de esperar a carga através da luz do sol, ou o clima não esteja favorável a isso, você ainda pode ligá-la na tomada com um adaptador USB e sair vestindo seu carregador sem maiores problemas.

Além disso, a jaqueta é capaz de recarregar até dois dispositivos ao mesmo tempo. Para isso, ela possui em seus bolsos duas saídas USB, por onde você conecta para recarga.

Quanto à capacidade, a Tommy Hilfiger garante o armazenamento de energia com capacidade de recarregar até quatro aparelhos com bateria de 1.500 mAh. Isso é bem superior a muitos caregadores portáteis que já encontramos por aí e, dependendo do clima, essa quantidade pode ser amplamente aumentada durante o dia. No entanto, não há informações quanto ao tempo de recarga.

Foto: divulgação

O único inconveniente é que os casacos podem se tornar um problema térmico em dias de calor, tornando-se assim inviáveis de se vestir. Já imaginou usar casacos na praia? Deve no mínimo causar olhares curiosos. Nossa expectativa é que a tecnologia alcançe níveis em que os painéis se tornem mínimos e discretos.

Os casacos estão à venda pelo site da Tommy Hilfiger e em lojas dos EUA pelo valor sugerido de US$ 599 (cerca de R$ 1.500).

Por Daniel Cavalcante


A chinesa Xiaomi, que vem ganhando cada vez mais destaque também aqui no Brasil com seus recentes anúncios, já é conhecida lá fora por suas baterias externas de excelente qualidade. Um de seus produtos mais recentes é a bateria de 10.400 mAh. Dessa vez, a fabricante foi muito além, lançando uma bateria externa de 16.000 mAh.

Essa notícia correu pelos sites de notícia no mês de novembro, antes do lançamento. Mas, agora que o produto foi lançado, podemos conhece-lo melhor.

Sabemos que a bateria é um dos grandes vilões dos dispositivos mobile. Este parece ser um mercado em que as empresas começam a disputar cada vez mais para oferecer soluções eficazes e inovadoras.

A presença da Xiaomi nesse segmento pode ser sinal de que haverá uma concorrência lançando produtos com preço acessível, afinal, essa é uma das marcas desta fabricante que já é a terceira maior na fabricação de smartphones no mundo.

A bateria externa é simples e vem em uma embalagem branca minimalista, acompanhada de um cabo USB para recarga. Possui duas saídas USB, ou seja, é possível recarregar até dois dispositivos ao mesmo tempo. Nas laterais há led indicando a carga disponível.

Com acabamento em alumínio, o aparelho inclui um chip de proteção de circuitos fabricado pela Texas Instruments, além de um controlador inteligente de carga e descarga para previnir de curto-circuitos e picos de energia.

Especificações:

– Capacidade: 16000 mAh

– Interface: Micro USB (entrada), 2x USB (saída)

– Input: DC 5V, 2.0A

– Output: DC 5.1V, 2.1A

– Tempo de carga: 7,5 horas aproximadamente com um cargador de 5V/2A

Detecção automática de conexão e desconexão de dispositivos

Controle de temperatura

O valor da bateria é de 129 Yuan (R$ 50). Já está à venda em lojas virtuais no hemisfério norte, mas ainda não há informações sobre lançamento no Brasil.

No entando, a Xiaomi tem bastante interesse em iniciar suas atividades por aqui, então podemos aguardar por notícias em 2015.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


Caso você esteja planejando trocar de smartphone ou tablet por um top de linha, talvez seja uma uma boa ideia aguardar um pouco mais pelos próximos lançamentos. A Samsung começou a produzir massivamente módulos de 4 GB de memória RAM para notebooks, smartphones e tablets. Isso significa que, além da maior memória, novos recursos podem aparecer nos próximos produtos.

Em seu recente anúncio a fabricante disse que obteve sucesso no desenvolvimento do primeiro chip de memória com capacidade de 8 gigabits. Atualmente, a maioria dos dispositivos mobile top de linha vem com 3 GB de memória RAM.

Agora, com os novos módulos LPDDR4, o mercado dará um salto em um dos quesitos de hardware mais importantes no desempenho de um aparelho e, claro, isso irá favorecer a melhoria de muitos recursos, o desenvolvimento de novas funções que exigem mais memória e qualquer evolução que dependia de mais memória RAM.

A nova memória de 8 gigabits terá 40% de economia no consumo de energia em relação ao padrão atual, o LPDDR3. E, mesmo assim, seu desempenho será 50% maior. Ou seja, com maior economia de bateria, talvez aparelhos mais finos e telas maiores e mais poderosas possam surgir.

A arquitetura combina quatro chips de 8 gigabits e de 20nm, que permite uma taxa de troca de dados a 3.200 Mbps. A nova tecnologia oferecerá compatibilidade à gravação e exibição de vídeos em 4K e, claro, tornará possível o uso de mais aplicativos ao mesmo tempo, melhorando o tempo de resposta na troca de janelas, e favorecerá recursos como de imagens contínuas em alta definição.

Segundo a Samsung, o foco para sua nova tecnologia será aplicado em notebooks ultra-finos também. Afinal, com um chip com maior capacidade de memória e menor consumo de bateria, irá favorecer o espaço físico desse tipo de aparelho.

Tablets e smartphones agora poderão investir mais em telas grandes com resolução 4K. Portanto, os próximos lançamentos top de linha podem incluir todas essas características.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


A Samsung anunciou na terça-feira, dia 12 de novembro de 2014, o lançamento do óculos de realidade virtual desenvolvido para aparelhos portáteis. Esse é o Gear VR Innovator Edition, equipamento de alta tecnologia que pode ser usado com o Galaxy Note 4, um phablet da Samsung.

A ideia do óculos é dar ao usuário uma ambientação de 360 graus enquanto ele o utiliza ligado ao dispositivo móvel. A função é bem aproveitada na execução de games ou de filmes. Outro ponto é a facilidade de comandos que possui, funcionando através da combinação de botões touch com movimentos da cabeça.

O Gear VR Innovator Edition possui um objetiva ótica, com campo de visão de 96º w, ajuste focal para indivíduos com problemas de visão, latência de movimento menor que 20 ms, utiliza alguns sensores que permitem sua experiência de funcionamento, como sensores de proximidade, magnético, acelerômetro e giroscópio.

Suas dimensões são de 198 mm de largura, 116 mm de comprimento e 90 mm de altura. Além da área de comandos sensível ao toque, também possui um botões para ajustar o volume e um botão de retroceder. Para conectar seu Gear VR ao Samsung Galaxy Note 4, é preciso utilizar um cabo microUSB 1.1.

O Samsung Galaxy Note 4 é o aparelho que foi base para o aperfeiçoamento do óculos. Dentre suas especificações técnicas, ele possui uma tela de 5,7 polegadas (o que lhe classifica com phablet), com resolução de 1440 x 2560 pixels, densidade de pixels de 515 ppi e protegida pelo Gorilla Glass 3, perfeita para ser ligada ao óculos.

Para abrigar uma tela desse tamanho, o aparelho é bem grande, medindo 153,5 x 78,6 x 8,5 mm e pesando 176 gramas.

Em relação às suas configurações de desempenho, o aparelho não deixa a desejar, pois possui Processador Quad Core de 2,7 GHz, 3 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento interno (expansível com MicroSD de até 128GB). O Note 4 executa o sistema operacional Android 4.4 (KitKat).

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


Um novo aplicativo baseado em inteligência artificial, para usuários de Android, chamado “Less.Mail” quer tornar mais fácil a organização e atualização da caixa de entrada dos usuários, se incumbindo de responder automaticamente e-mails rotineiros através da interpretação do contexto de cada tipo de mensagem. Tudo que o usuário precisa fazer é decidir, quando necessário, se aceita ou não algum convite que venha incluído na mensagem.

Um vídeo de demonstração divulgado pelos desenvolvedores do software mostra um usuário dizendo “Por favor, confirme e aceite” ou “Não, obrigado. Mas, por favor, responda educadamente”. Um terceiro exemplo mostra outro usuário respondendo a um questionamento do que seria o chefe questionando o funcionário sobre um relatório, dizendo “Apenas diga a ele que estou trabalhando nisso”.

O Less.Mail é a última criação da empresa Robin Labs, focada na construção de uma plataforma móvel assistente chamada Robin.AI, que é como uma versão mais aberta do Siri, da Apple. A tecnologia de inteligência artificial criada pela empresa já é utilizada por outro aplicativo de nome Robin: uma plataforma de assistência móvel mais abrangente, disponível no Google Play (loja de aplicativos para Android), e já conta com mais de 1 milhão de downloads. O nome, em inglês, significa “menos e-mail”, e foi escolhido na intenção de diminuir o tempo que os usuários precisam para verificar a caixa de entrada, acessar as mensagens, responder, arquivar ou apagá-las.

Os desenvolvedores descobriram que 80% dos nossos e-mails são pura rotina, e que os usuários de e-mail na maioria das vezes respondem com mensagens curtas, aceitando ou rejeitando convites, remanejando reuniões e organizando o calendário sincronizado com a conta de e-mail.

A ideia do aplicativo é cobrir uma funcionalidade ainda não explorada envolvendo acessar e-mails por comandos de voz, e mostra uma nova face da inteligência artificial, aproveitando para testar como o mercado responderá a um aplicativo operado por voz.

Se o aplicativo vingar e a resposta dos usuários à novidade for positiva, os desenvolvedores já pensam em disponibilizar o Less.Mail para outras plataformas no futuro, como o iOS, mas por enquanto dizem que é só um experimento.

Por Felipe Foureaux Freitas

Less.Mail

Foto: Divulgação


Uma coisa ninguém pode negar: os celulares, de uns tempos para cá, evoluíram, e muito. São tantos recursos que o celular, hoje chamado de smartphone, é considerado praticamente como uma parte do corpo humano. Exageros a parte, o celular é sim uma grande ferramenta e que possui recursos muito úteis para a vida das pessoas. Porém, tais recursos exigiram de seus aparelhos uma bateria muito melhor do que as de antigamente.

Além disso, com o uso constante, a bateria de um celular dura muito menos que antigamente, mesmo com as poderosas baterias já desenvolvidas.

Se você sofre com isso, lá vem um alívio. Pesquisadores da Universidade de  Nanyang, em Singapura, estão desenvolvendo uma bateria que é capaz de recarregar seu celular de 0% a 70% em apenas dois minutos. E para quem pensa que isso é papo futurista e que está bem distante da nossa realidade, esse sonho de consumo pode virar realidade ainda em 2016.

A tecnologia já foi patenteada pelos pesquisadores e a fórmula consiste de baterias de lítio com ânodos de dióxido de titânio em forma de nanotubos 100 vezes mais finos que um fio de cabelo humano. Graças a essas especificações, a superfície de contato dos ânodos aumenta drasticamente, justificando essa recarga tão rápida do dispositivo.

Vida útil prolongada:

Em média, as baterias convencionais têm uma vida útil de 500 recargas até começarem a apresentar defeitos. Já com essa nova tecnologia, a vida útil seria prolongada para até 10 mil recargas, o que contabilizado em tempo daria mais ou menos uns 20 anos.

Inevitavelmente, qualquer pessoa que possui um smartphone reclama por conta da curta duração da bateria. Logo, esse tipo de tecnologia veio para finalizar de vez esse tipo de problema.

Além de útil, esse sistema também é muito simples de ser construído e de fácil adaptação por conta da indústria. Sendo assim, é uma tecnologia superviável.

Vale lembrar que esse tipo de recurso pode ser aplicado a outros setores como o automobilístico. Deixando assim, os carros elétricos, por exemplo, muito mais viáveis. Resta esperar e torcer para que essa ideia dê muito certo.

Por Felipe Henrique de Souza

Bateria inovadora ser? lan?ada at? 2016

Foto: Divulgação


O Apple Watch é a grande sensação do momento, apresentado pela empresa no último dia 9 o relógio inteligente da Apple é totalmente integrado ao iOS e por isto garante maior interatividade e usabilidade para os usuários. Mas o Apple Watch não é o único relógio inteligente do mercado, o Google já está tentando dominar esta área com o Android Wear, assim como a sul coreana Samsung que já comercializa o Samsung Gear e até a LG está disputando este mercado com o LG G Watch!

Mas os smartwatches são novidades no mercado e muita gente ainda não sabe exatamente para que eles servem, quais as funções oferece e principalmente, qual a vantagem de se ter um relógio inteligente.

Primeiramente o usuário deverá entender que, a grande vantagem de um relógio inteligente é que ele funciona como uma extensão do seu smartphone, sendo assim, podemos dizer que é quase uma obrigatoriedade ter um smartphone em mãos, quando estiver usando seu relógio inteligente.
Não que seja obrigatório, mas claro, vai ser muito mais interessante.

Esta integração entre o relógio inteligente e o smartphone se dá via Bluetooth, para que o usuário possa conferir seus e-mails, torpedos, etc. Tanto o relógio inteligente do Google quanto o da Apple, contam hoje com vários aplicativos que  disponibilizam para os usuários informações variadas, como o trânsito, localização, entre muitas outras. Também é possível ter acesso e controle a músicas, acionar comandos com a voz, consultar o calendário, verificar a previsão do tempo, entre muitas outras possibilidades.

O grande desafio das empresas é que estes relógios inteligentes possam ser cada vez mais independentes dos smartphones e finalmente conquistem sua liberdade, por exemplo, o Apple Watch já permite que o usuário possa atender uma chamada telefônica sem precisar pegar o iPhone, podendo mantê-lo no bolso ou na bolsa, enquanto atende a ligação. Já o Gear S da Samsung permite a realização de chamadas telefônicas.

O Moto 360 já deverá estar disponível no mercado nacional ainda este ano e será um importante passo para o crescimento deste mercado que é muito interessante, repleto de novas tecnologias e promessas, mas ainda não despertou o interesse dos consumidores.

Por Russel

Apple Watch

Apple Watch

Android Wear

Android Wear

Samsung Gear

Samsung Gear

LG G Watch

LG G Watch

Fotos: Divulgação


Não são apenas os usuários que têm dificuldade em escolher o melhor smartphone. As empresas também enfrentam grande dificuldades para terem os seus aparelhos escolhidos como os favoritos dos usuários.

E as empresas sabem que, para que o smartphone seja o melhor do mercado, não basta apenas ser o melhor, é preciso ter um preço acessível, para que os usuários possam comprá-los.

Sendo assim, podemos constatar que o melhor smartphone do mercado, o modelo top de linha, não é o mais potente e sim aquele que tem uma boa configuração e que consegue manter um preço que esteja ao alcance do consumidor.

O iPhone 5S, assim como o Galaxy S5 são bons exemplos, pois são considerados modelos top de linha, porém, não contam com a melhor de todas as configurações.

Podemos ver o iPhone 5S, que oferece apenas 1GB de RAM e espaço para armazenamento de 16GB, 32GB ou 64GB, podendo expandir com cartão microSD, conseguindo assim, um espaço maior. E tem o detalhe da bateria, que não é tão potente, sendo de apenas 1560 mAh. Já o processador A7 de 64 bits garante rapidez até mesmo nos aplicativos mais pesados.

Foto: divulgação

A Samsung, para conseguir parte do mercado já conquistado pela Apple, caprichou no Galaxy S5, dando ao aparelho um processador quad-core 2,5GHz, mais 2GB de RAM e espaço interno de 16GB podendo ser expansível para até 128GB com cartão de memória. A bateria é de 2800 mAh e se compararmos levando em consideração estes itens, podemos ver que o Galaxy S5 é superior ao iPhone 5S.

Mas tem outros fatores que precisam ser levados em conta na hora de compararmos os modelos, por exemplo, as dimensões:

– O iPhone 5S tem 123.8 x 58.6 x 7.6 mm e pesa 112 gramas;

– O Galaxy S5 tem 142.0 x 72.5 x 8,1 mm e pesa 145 gramas.

Como vemos, o Galaxy S5 é um pouco maior que o iPhone 5S e pesa um pouco mais. Para algumas pessoas, isto é uma desvantagem, mas para outras é uma grande vantagem, ou seja, vai depender do perfil de cada pessoa.

Nesse quesito, não há melhor ou pior, são modelos com tamanhos e peso diferentes e cada pessoa tem preferência por um ou outro modelo.

Foto: divulgação

O iPhone 5S é um modelo mais caro que o Galaxy S5 e perde em muitos quesitos em relação ao hardware, mas há quem leve em consideração o sistema operacional, os aplicativos disponíveis, então, a dica é pesquisar bem antes de tomar a sua decisão, para que você compre o smartphone que melhor atenda as suas necessidades.

Por Russel


A mais famosa feira de tecnologia da Europa terá início oficial apenas no dia 5 de setembro de 2014, sexta-feira, mas já começaram a aparecer novidades de diversas marcas de celulares, computadores, televisões e outros gadgets tecnológicos.

A IFA Berlim ocorre desde 2010 e atrai todos os anos diversos visitantes interessados e curiosos sobre o assunto, além de milhares de jornalistas do ramo e empresários e representantes da área eletroeletrônica.

Organizada pela Associação Alemã de Eletrônica e Comunicações, a IFA Berlim 2014 ocorrerá entre os dias 5 e 10 de setembro de 2014, em Berlim, na Alemanha.

No dia 3 de setembro de 2014, quarta-feira, a Samsung e a Sony, duas das maiores marcas asiáticas de tecnologia, já anunciaram alguns de seus produtos, como o Galaxy Note 4, da Samsung, e o Xperia Z3, da Sony.

Entre o dia 3 de setembro e o dia 4 de setembro diversas marcas apresentaram seus novos produtos. A Asus, Acer, Samsung e Sony anunciaram lançamentos logo na manhã do dia 3, a partir das 5h30 (horário de Brasília).

A Asus apresentou seu Zenwatch, o modelo de smartwach da empresa e provavelmente deverá trazer também um novo modelo de seu aparelho celular, o PadFone.

A Acer é uma empresa que conseguiu manter em sigilo os diversos aparelhos que deverá apresentar na feira, mas seguindo as tendências tecnológicas, apresentou um híbrido de tablet com notebook (Aspire R13 e R14), o V Nitro, um notebook com a novidade de disponibilizar telas maiores, de 15 e 17 polegadas. Além disso, a empresa trouxe novidades no ramo dos tablets e smartwatchs.

Também a sul-coreana Samsung seguiu as tendências mercadológicas e apresenta seu novo tablet, além de smartwacht e óculos de realidade virtual. A Samsung é uma das marcas mais esperadas do evento e promete surpreender os aficionados por tecnologia com lançamentos de peso.

A Sony apresentou, além do Xperia Z3, que traz uma câmera de nada mais, nada menos do que 20.7MP, novos modelos de tablets e seu novo smartwacht.

Por Joana Junqueira Borges

Sony Xperia Z3

Sony Xperia Z3

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Fotos: Divulgação


O mundo tecnológico é realmente surpreendente. A cada dia nos deparamos com uma nova descoberta científica, ou com um imprevisível lançamento. A tecnologia não se restringe apenas ao mundo dos eletrônicos, mas a várias outras áreas como a medicina, por exemplo.

Uma recente descoberta dos pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego, conhecida por tornar a cidade um centro de pesquisas em biotecnologia, é um biosensor em forma de tatuagem não definitiva que pode converter suor em eletricidade e vir a alimentar bateria de dispositivos móveis.

A tatuagem é semelhante àquelas que encontramos em chicletes, que saem com o tempo. Essa, estritamente, é feita apenas de tinta, sem mediações radicais no corpo. O desenho que é colocado no corpo contém eletrodos entre dois e três milímetros de tamanho (invisível a olho nu). Esses eletrodos são capazes de produzir quatro microwatts, que equivale à metade da carga gerada em um relógio de pulso.

A energia que deve ser gerada pela tatuagem temporária, depende exclusivamente do suor da pessoa que estiver usando. A eletricidade é conduzida pelo ácido lático gerado em atividades físicas, presente na transpiração liberada pelos poros.

Quinze voluntários passaram pelo teste dessa nova invenção, uma delas conseguiu produzir 70 microwatts por centímetro quadrado de pele. Foi o que mais suou durante os experimentos realizados.
Mas essa tecnologia não foi criada pensando nisso. A tatuagem foi feita para um diagnóstico médico de pessoas com altos níveis de ácido lático e que careciam de tratamento. Daí constataram que uma enzima puxa os elétrons do ácido, tornando-os úteis para baterias de smartphones e gadgets vestíveis.

O objetivo é que futuramente esse tipo de tecnologia possa incentivar, estimular, pessoas a se exercitarem enquanto recarregam seu celular e outros aparelhos ao mesmo tempo. Essa possibilidade traz meios benéficos, como uma vida saudável e menos poluente na viabilização de energia.

O experimento foi apresentado na Sociedade Americana de Química (American Chemical Society) recentemente. A pesquisa foi guiada por Joseph Wang, doutor em Nanoengenharia da universidade norte-americana.

Por Michelle de Oliveira

Tatuagem com biosensor

Foto: Divulgação


A tecnologia móvel tem evoluído significativamente nos últimos anos. Atualmente, os smartphones são capazes de ir muito além das simples ligações e oferecem uma vasta quantidade de opções ao usuário, que vão desde o acesso livre à internet até o controle de contas bancárias ou realização de compras e pagamentos online. Além disso, os smartphones mais potentes contam com uma série de recursos, sensores e câmeras que transformaram completamente o modo como o usuário interage com o aparelho.

Uma das maiores novidades da atualidade, entretanto, não ficou por conta das grandes fabricantes como Apple e Samsung. Recentemente, foi anunciado o Fire, o mais novo smartphone da Amazon que promete revolucionar a interface de usuário em dispositivos móveis, com efeitos 3D gerados por sensores e pelas câmeras frontais disponíveis no aparelho.

Ao todo, o Amazon Fire conta com quatro câmeras frontais que trabalham em conjunto com o acelerômetro e o giroscópio para proporcionar uma experiência diferenciada na utilização do smartphone.

O aparelho possui uma tecnologia desenvolvida que permite a identificação do rosto do usuário pelas câmeras frontais do aparelho. Cada câmera possui um sensor infravermelho que é capaz de reconhecer o rosto até mesmo na ausência total de luz. Segundo a própria Amazon, o sistema foi desenvolvido de forma que seja tão preciso ao ponto reconhecer a diferença entre uma fotografia da cabeça do usuário e seu verdadeiro rosto.

Segundo a companhia, os efeitos 3D serão usados em conjunto com uma série de aplicativos específicos, além de incorporá-los ao próprio sistema, o que irá oferecer uma experiência bastante diferenciada ao usuário.

Outro detalhe que deve ser modificado pelos efeitos “especiais” é a navegação entre páginas da web, que poderá ser feita através de movimentos no próprio smartphone. Já existe um kit exclusivo para empresas que queiram desenvolver novas aplicações para o Fire. Agora resta apenas aguardar o lançamento, que deve ocorrer até o final deste ano ou início do ano que vem.

Por Ebenezer Carvalho

Amazon Fire

Foto: Divulgação


Com o passar dos anos, a tecnologia na construção de dispositivos eletrônicos avançou consideravelmente e permitiu a criação de aparelhos cada vez menores e mais portáteis. Isso não ocorreu apenas com os celulares, mas também com os computadores e notebooks, que agora possuem componentes de hardware menores e muito mais potentes que a sua geração anterior. Um bom exemplo disso pode ser observado no modelo Ultra Slim 13Z940 da LG, que é considerado o notebook mais leve do Brasil e pesa apenas 980 gramas.

O modelo é a melhor opção para quem trabalha e necessita de um equipamento com hardware poderoso e que possa ser carregado com facilidade entre uma viagem e outra. Além da leveza, o aparelho possui uma tela FullHD de 13,3 polegadas com resolução de 1920×1080p e possui apenas 13,6 mm de espessura. Com mais de 8 horas de duração, a bateria também agrada bastante os usuários que necessitam do notebook para trabalhar e não têm tempo para recargas constantes.

Já no interior do notebook, a LG não poupou esforços para deixá-lo com as mesmas configurações de alguns dos maiores tops de linha da atualidade. O processador é um Intel Core I7 de quarta geração que garante um ótimo desempenho. A memória RAM de 4GB também garante a velocidade na execução de praticamente quaisquer programas e jogos. Por outro lado, o armazenamento interno é de apenas 128 GB via SSD, com entrada para cartões SD. Esse tipo de armazenamento tem se tornado cada vez mais comum em dispositivos Ultra Slim, como é o caso do 13Z940, justamente por ocupar pouco espaço e garantir a leveza do conjunto. Além disso, o notebook ainda conta com conexão Bluetooth 4.0, USB 3.0 e uma webcam modesta de apenas 1,3 MP.

Em relação ao preço, o modelo deve ser vendido no Brasil por cerca de R$ 3.300, bastante salgado em comparação com o mesmo modelo vendido no exterior. 

Por Ebenezer Carvalho


De acordo com Steve Wozniak, um dos fundadores da Apple e foi um dos pioneiros na iniciativa de colocar máquinas tecnológicas como computadores disponíveis para o consumidor comum, a próxima tecnologia em que está empenhado é o “smartphone no pulso”.

Em uma palestra realizada na última quarta-feira em um evento de tecnologia da Federação Brasileira de Bancos ele ressaltou a importância das inovações tecnológicas para a melhoria da vida em sociedade e para a continuidade do processo de Globalização, e ressaltou que a próxima grande tecnologia deverá sem dúvidas ser o “smartphone de pulso” que revolucionará o mercado de smartphones e ditará os rumos do mercado tecnológicos.

Na palestra ele foi indagado se a próxima grande tecnologia poderia ser as impressoras 3D. Apresentando-se cético quanto ao 3D, ele disse que é uma tecnologia que não se proliferará até o consumidor final, pois ainda é uma tecnologia cara e que se não houver alterações drásticas na formação dessa tecnologia com o objetivo de barateamento no mercado ela não terá futuro, pelo menos não chegará ao grande público como os smartphones de pulso poderão chegar.

Ressaltou em sua palestra que a ideia dos computadores pessoais surgiu quando Jobs procurava um computador que todas as pessoas queriam, que trariam  uma interface simples que até uma criança de 12 anos poderia mexer.

O smartphone promete ter as funções básicas que qualquer aparelho convencional oferece, como: câmera fotográfica, acesso à internet, GPS, reconhecimento de fala e facial entre outras funções que, em um passado não muito distante seriam impossíveis ou inimagináveis para qualquer pessoa.

Algumas empresas já fazem testes em smatphones de pulso com uma tecnologia de holograma onde as informações são postas acima de sua superfície, com efeitos em holograma que prometem trazer bastante realidade nas funções de um smartphone no nosso dia a dia.

Por enquanto  ainda não há previsões de lançamentos, mas a expectativa é grande para todos os amantes de tecnologia.

Por Paulo Victor Bragança

Smartphone no pulso

Foto: Divulgação


A Apple e a Samsung mal acabaram de sair de uma acirrada briga judicial é já estão com planos (supostamente) de começarem outra. A volta aos tribunais pode nem demorar tanto, de acordo com uma reportagem realizada pelo site estrangeiro Bloomberg, a briga entre essas duas gigantes do setor de tecnologia pode surgir exatamente a partir do mercado de smartphones e passando também pelos laboratórios de ciências.

O motivo da possível briga é que as duas companhias andam trabalhando e se interessando demais no desenvolvimento de novas tecnologias que envolvem o grafeno.

Só para se ter ideia do valor que se tem dado a esse material, nos últimos dez anos diversas empresas além de aumentarem suas pesquisas com o material passaram também a registrar as mais variadas patentes ligadas ao produto.

É de se perguntar o motivo disso tudo. O que é facilmente explicado quando consideramos que o grafeno é algo mais ou menos como uma versão de alta tecnologia do plástico filme. O material além de ser mais fino, também é mais forte e mais flexível do que os utilizados nas tecnologias atuais.

Outro ponto importante em relação ao material é que ele também pode conduzir eletricidade e ser transparente. Isso quer dizer que o componente pode perfeitamente ser usado em tablets e smartphones com o objetivo de transformar essas superfícies em telas sensíveis.

A bem da verdade é muita coisa que um componente pode possibilitar. Isso se ainda não acrescentarmos o fato de que a aplicação do material também pode ser usada em dispositivos flexíveis, este último por sua vez representa um mercado que tem crescido cerca de 14 vezes a mais do que o atual em apenas cinco anos.

A previsão é de que até o ano de 2016, as empresas que produzirem aparelhos desse tipo deverão ter um lucro que poderá atingir a cifra de US$ 847 bilhões. Isso segundo informações do Yankee Group.

Com tudo isso em questão fica fácil de perceber o porque de não apenas a Samsung e Apple, mas diversas outras empresas, entrarem com recursos judiciais devido a patentes relacionadas ao material. O que fica fora de qualquer dúvida é de que o material poderá provocar uma revolução na indústria de uma maneira geral.

Do jeito que as pesquisas andam a todo vapor, pode não demorar muito para que os primeiros dispositivos que além de flexíveis sejam altamente resistentes cheguem ao mercado.

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


Você procura um celular moderno e com as principais tecnologias do mercado? Então conheça o LG L70 Dual. Ele chama a atenção pelo design sofisticado, fino e extremamente leve. O aparelho tem um encaixe perfeito para as mãos, que além de facilitar o manuseio, proporciona mais segurança e evita possíveis quedas.

Por meio da tela de 4,5 polegadas, que conta com cores vivas e reais, você vai poder acessar aos aplicativos e aproveitar todos os recursos deste celular. Além disso, a tela não tem excesso de saturação e com isso fornece um excelente brilho, inclusive debaixo do sol. Assim, você vai poder mexer no seu celular com mais conforto a qualquer hora do dia.

Que tal tirar fotos nítidas e com qualidades através do celular? O LG L70 Dual conta com câmera 7 MP e flash LED. Desta forma, vai ficar fácil fotografar os melhores momentos, não acha? Além disso, se você gosta de fazer vídeos-chamadas, este smartphone da LG acompanha câmera frontal que tem resolução de 640X480. Logo, fica fácil conversar com os seus amigos e saber das novidades.

Já pensou em ter um celular com tela inteligente? O LG L70 Dual tem! Sabe quando você está olhando para a tela e ela, simplesmente, apaga? Isso não acontece neste aparelho, porque a tela vai apagar quando você desviar o olhar.

Para aproveitar todas as funcionalidades do LG L70 Dual e curtir os aplicativos, o sistema operacional é o Android 4.4 KitKat, que foi planejado para oferecer facilidade, praticidade e eficiência para você. Esse sistema da nova geração é mais leve e por isso otimiza o consumo da memória.

A navegação em alta velocidade neste aparelho da LG é garantida pela presença do processador core 1.2 GHZ. Além de acessar as redes sociais você vai poder jogar seus games favoritos. Entre outros destaques, você vai poder ter dois números diferentes em um único aparelho, porque ele comporta 2 chips. Assim, o LG L70 Dual oferece praticidade e os melhores recursos.

Por Babi

LG L70 Dual

Foto: Divulgação


A tela é outra área que permanece firmemente inalterada com o Nokia Lumia 525. Ainda estamos a par do mesmo visor altamente sensível de 4 polegadas, resolução de 480×800 painel LCD IPS . Esta configuração funciona a uma muito baixa densidade de pixels, sendo 235 por polegada. Também é importante ressaltar que o vidro resistente a riscos em cima, infelizmente, parece carecer de um tratamento oleophobic, resultando em uma chuva de manchas gordurosas. Mas veja pelo lado bom, pelo menos você pode usá-lo com luvas!

A reprodução de cores com tela da Nokia de escolha não é perfeita, mas não deixa muito a desejar. Claro, as cores são menos saturadas do que os melhores aparelhos  lá fora, e há um tom rosado perceptível para os brancos, mas é aos trancos e barrancos à frente em comparação com o painel de média nesta classe. Mas uma área – o brilho de pico – o visor admite até mesmo soluções inferiores lá fora, e isso é apenas infeliz. Nossa unidade amarelo brilhante, ironicamente, não é de todo adequado para jogar no sol.

Processador e memória

Essa configuração de hardware começa o trabalho feito, sem perguntas.

Nada extravagante está acontecendo sob a carcaça compacta do Lumia 525. O dispositivo conta com um 1GHz, dual-core Qualcomm Snapdragon de 400 para fazer o trabalho pesado, que faz uso de dois Krait 300 núcleos e uma GPU Adreno 305, por sua vez. Graças à natureza leve do Windows Phone 8, esta combinação de outro modo inexpressivo acaba bem – lag é inexistente durante a operação da interface do usuário, e funciona tão bem quanto deveria. Além disso, a relativamente baixa contagem de pixels na tela permite a configuração rodar até mesmo jogos títulos como exigente como Asphalt 8 sem muito barulho.

Multitarefa foi melhorado com o Lumia 525, como a quantidade de RAM foi colidido até 1GB a partir do 512 do Lumia 520. Esta é praticamente a única mudança notável entre os dois aparelhos. Armazenamento embutido, em 8GB, é típico para esta classe, mas é uma grande vantagem que você pode expandi-lo através de um cartão microSD com até 64 GB mais.

Por Jaime Pargan

Nokia Lumia 525

Foto: Divulgação


A maioria dos brasileiros não vai lembrar-se do celular russo YotaPhone. O aparelho nunca foi lançado no Brasil, mas faz sucesso em seu país de origem. E, por isso, a marca que produz o equipamento acaba de anunciar sua segunda geração.Isso porque o celular tem uma peculiaridade que inexiste nos aparelhos mais vendidos no mercado brasileiro: um produto que possui duas telas. E nesta nova versão, a marca fez questão de aprimorá-los.

A tela do YotaPhone é de tamanho comum, medindo cinco polegadas com resolução de 1080p. É um dispositivo de alto desempenho, que conta também com um display e-ink, bem parecido com os integrados nos equipamentos do modelo Kindle da marca Amazon, na traseira, com 4,7 polegadas, com resolução de 960×540.

O diferencial do aparelho, em comparação com outros, é que o display traseiro tem um consumo muito baixo de bateria, o sonho de muitos adoradores de smartphone. Assemelha-se, novamente, com os Kindles, que conseguem funcionar por várias semanas sem recarga.

E, vale lembrar de novo, o celular possui duas telas, colocando por terra a teoria de alguns de que isso poderia levar um consumo extremo de bateria. Justamente por isso o aparelho possui o display de e-ink, que aumenta o tempo entre uma recarga e outra.

O usuário então pode usar a tela traseira sem precisar desativar a tela principal. A segunda tela, sensível ao toque, pode ser usada para verificar notificações e realizar ações, como completar chamadas e digitar textos. O display da frente é aconselhado para o uso de redes sociais, jogos e entretenimento em geral, o que a segunda tela não realiza com qualidade.

Além desse interessante uso mútuo das duas telas, o YotaPhone é capaz de competir com outros modelos de alto desempenho, como é o caso do Galaxy Note 3, LG G2 e o Xperia Z2. O aparelho russo tem 32 GB de armazenamento e 2 GB de memória RAM, além de um chip Snapdragon 800 no clock de 2,3 GHz.

A baixa do celular é a câmera fraca, de sensor de 8 megapixels, flash de LED na traseira e um sensor frontal de 2MP.

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação


Tratando-se de inovações, tecnologias móveis e facilidades, a conceituada feira Mobile World Congress (Barcelona-Itália: 24 a 27 de fevereiro) traz inovações e novidades que deixaria qualquer nerd boquiaberto com o deslumbre dos produtos. Certamente um dos pontos altos deste evento foi o anúncio do smartphone e tablet da nova geração Xperia apresentada pela Sony.

Nada modesto, leve, poderoso e resistente, o modelo tablet Z2 veio para abalar as estruturas da concorrente líder Apple. Com processador Qualcomm Snapdragon 801 de 2.3 GHz, memória RAM de 3 GB, tela de 10.1 polegadas com painel IPS fabricado com LEDs que tornam as cores mais naturais e cristalinas, e espessura de 6,4 mm (o mais fino da categoria). Será disponibilizado modelos com acesso Wi-Fi e outra versão com acesso 4G LTE.

Não bastando a configuração poderosa, o tablet Z2 Xperia ainda conta com 2 câmeras, sendo uma traseira de 8.1 megapixels e uma frontal de 2.2 Megapixels para os apaixonados por “selfies” e videoconferências. Para quem conheceu, agora, um pouquinho deste incrível brinquedinho, as novidades não param por aí. Além de ser o tablet mais fino e leve do mundo, ele também é o único e verdadeiro à prova d’água que existe!

Para quem ficou curioso com sua data de lançamento, a Sony disponibilizará a partir de meados do mês março a novidade, entretanto, não se tem ideia de quanto custará o Z2. O consumidor já pode se preparar para o susto em termos de valores, pois assim como o PlayStation 4 foi anunciado com valor exorbitante, certamente esta nova leva de produtos Sony não passará despercebida pelos nossos impostos.

Enquanto nada é definido, o consumidor estará esperando ansiosamente para conhecer a novidade que nada mais é do que uma das grandes obras da tecnologia nipônica previstas para o decorrer de 2014. Vale a pena conferir e, quem puder, adquirir.

Por Jaime Pargan

Sony Xperia Z2 Tablet

Foto: Divulgação


O anel indiano mais comentado do momento é o tecnológico Fin. Este não é um simples anel, Fin é capaz de controlar TVs Smart, óculos de realidade aumentada, smartphones e apresentações. O anel inteligente ainda está na fase de arrecadação de verba para que ele possa virar realidade para os muitos consumidores que esperam ansiosos pelo seu lançamento.

O modelo foi fabricado com a intenção de que ele fosse capaz de se conectar via Bluetooth com vários gadgets comuns no mercado como tablets, TVs inteligentes, smartphones, entre outros. A forma com que ele atua está determinada pelos movimentos naturais das mãos, sendo assim é possível realizar uma variedade de comandos, por exemplo, se a pessoa desejar controlar as funções de outros aparelhos remotamente deverá movimentar o polegar a frente dos demais dedos, caso precise atender uma ligação, somente pressione a ponta do indicador com o polegar. Se precisar acessar o seu e-mail, toque a parte central do indicador com o polegar.

É possível realizar outros comandos como deixar o celular em modo silencioso, tudo depende da ativação de outros dedos e dos seus movimentos.

Como o anel inteligente também pode ser conectado a uma central multimídia dos carros, é possível diminuir a tendência do motorista em se distrair com facilidade, também é eficaz quando o usuário deseja conectar o anel com outros dispositivos de forma instantânea.

Fin seria efetivo até para deficientes visuais, pois poderiam controlar e fazer uso de smartphones com mais facilidade. Outra das vantagens do inovador dispositivo é a capacidade de controlar slides durante uma apresentação.

O anel inteligente pode captar até três comandos por dedo.

Como foi dito anteriormente neste texto, ainda o anel não está sendo fabricado para chegar no público final, entretanto está procurando patrocinadores no site do projeto wearfin.com. Caso queira possuir um anel Fin em primeira mão precisará desembolsar R$ 230 aproximadamente.

Por Melina Menezes

Fin

Foto: Divulgação


O mercado de Smartphones está indo de vento em popa. Porém, de acordo com pesquisas e fontes de especilaistas, o fato é que, para esse ano de 2014, a tendência é dobrar o número de vendas desses aparelhos no brasil e no mundo.

Um exemplo que ilustra muito bem essa ambição é o da fabricante chinesa de Smartphones, a Xiomi. Essa empresa vem crescendo cada vez mais nos últimos anos e sabe que, se tiver mais funções diferenciadas, certamente mais smartphones serão vendidos. 

O detalhe interessante de tudo isso, com efeito, é que essa empresa da China quer superar, em número de vendas, marcas poderosas como a Apple e a Samsung Electronics. Seja lá como for, vale dizer que outras marcas também estão investindo em mudanças para que, por assim dizer, a venda desses dispositivos móveis possa aumentar ainda mais em todo o mundo.

Essa é uma tendência  muito forte para a temporada de 2014, ao menos é o que afirma o especialista em tecnologia, o profissional Evandro Filho do Nascimento. Só para termos uma noção de tudo isso, o fato é que, na China, a marca Xiomi já é uma das mais vendidas e que, por conta disso, pretende ampliar suas vendas para outros cantos de importante comércio. O Brasil, por sua vez, parece ser o cenário ideal para o que a empresa chinesa quer conquistar.

Um ponto super a favor é que  os aparelhos da Xiaomi são vendidos entre US$ 130 e US$ 410, ou seja, preços muito mais baratos do que o das suas principais rivais no mercado global. A Apple, por sua vez, cobra o valor de US$ 740 para seu smartphone mais barato.

A grande questão é que o ano começou agora e, por conta disso, ainda precisamos esperar para ver se essa previsão de dobrar o número de vendas de smartphones será ou não concretizada.

Por Juan Wihelm


O Keecker é um projetor considerado estranho, pois não possui um design parecido com os disponíveis atualmente. Ele foi apresentado na Consumer Electronics Show (CES) 2014. Além da função de projetar imagens, ele atua como uma webcam, reproduzindo imagens em 360º com ótima qualidade. O robô, projetado por Pierre Lebeau, é equipado também com diversas rodinhas em sua parte inferior, a fim de facilitar a sua movimentação.

Ele possui várias funções, podendo ser considerado uma central multimídia. No seu sistema operacional Android 4.2.2, ele permitirá a reprodução de músicas e vídeos diretamente na parede de sua casa, além de diversos apps como games que podem ser baixados e instalados.

Um aplicativo foi desenvolvido para o usuário controlar o Keecker diretamente do seu smartphone Android, mesmo estando a longas distâncias. Há sensores incorporados ao aparelho, monitorando a umidade do ambiente, o nível de CO2, a qualidade do ar e a sua temperatura.

É disponibilizado em sua interface diversos tipos de projeção, com opções para a melhoria da imagem. Há uma câmera panorâmica com resolução de 1280×800, conectividade Wi-Fi, bateria com duração acima de 24 horas, sistema de áudio 3D Surround, memória de 1 terabyte com capacidade de armazenar até 1000 filmes e uma Webcam. Ele tem capacidade de mapear ambientes, determinando o nome de cada espaço da residência. Ele pode ser controlado também pelo comando de voz, seguindo precisamente as instruções do seu usuário.

O aparelho, que possui ótimas especificações, terá um custo bastante elevado. Seu preço inicial é de US$ 4.000 ou R$ 9.700. A data de lançamento e o início das vendas do novo produto ainda não foram confirmados pela empresa.

Para os interessados em adquirir o Keecker, devem fazer uma inscrição na lista de espera no site oficial da companhia. Rumores indicam que ele já estará disponível para compra no quarto trimestre de 2014, somente nos EUA.

Por Danilo Gonçalves

Foto: divulgação


Para os admiradores do universo estelar, viver a experiência de uma odisséia no espaço nunca esteve tão perto como agora. A novidade foi apresentada no começo de janeiro em Las Vegas, na CES 2014 (Consumer Eletronic Show). Estamos falando do Telescópio Cosmos 90GT Wi–Fi, fabricado pela Celestron especialmente para smartphones e tablets.

Com altíssima tecnologia óptica, ele é um telescópio refrator com abertura de 90mm, lentes revestidas e capacidade de ampliar qualquer objeto em até 213 vezes, o que vai garantir, segundo seus desenvolvedores, uma deslumbrante vista dos anéis de saturno, crateras da lua e até mesmo da grande mancha vermelha de Júpiter .

A Celestron promete também disponibilizar gratuitamente aplicativos que vão controlar o telescópio, como o app Cosmos Celestron Navigator para ipad, iphone e android, que possui um banco de dados com informações de mais de 120 mil objetos celestes. Basta sincronizar e apontar a câmera do smartphone ou tablet para o céu e tocar na tela assim que encontrar um objeto de interesse, então o Cosmos poderá calcular sua posição e exibir informações sobre ele, ao mesmo tempo em que se navega pelas imagens.

Uma grande vantagem do telescópio, é que mesmo em locais onde a rede Wi-Fi e celulares não estão disponíveis, ele é capaz de criar sua própria conexão sem fio, para não perder em nenhum momento a comunicação com o dispositivo móvel.

O Cosmos 90GT chega ao mercado em março e deve custar U$ 430. Enquanto isso, canais como a Fox e National Geographic, já estão preparando programas onde a novidade será testada e poderá ser conferida pelos telespectadores.

Esta inovação tecnológica parece, a princípio, ter sido criada para atender aos astrônomos amadores ou até mesmo os estudiosos profissionais, mas, sem dúvida nenhuma, atrai a todos, principalmente pela ideia mágica de viajar pelo universo brilhante que nos cerca.

Por Isis Utsch


A cada semana, praticamente um gadget é lançado, seja para reprodução de imagens ou sons, seja como aplicativos que potencializam e oferecem uma maior utilização aos smartphones. Mesmo em meio a tanta movimentação das empresas de tecnologia, certa expectativa é gerada em torno de alguns aparelhos, como o Google Glass da gigante Google, e o Samsung Galaxy Gear, possível nome do relógio inteligente da empresa coreana.

Tanto o óculos do Google quanto o relógio da Samsung podem permitir a realização de chamadas, visualização de imagens e reprodução de músicas, localização via GPS e outros recursos encontrados nos atuais smartphones. O que fica no ar é em que ponto vestir a tecnologia implica na vida das pessoas?

Partindo do conceito tecnológico, significa um avanço visto até então apenas no cinema, onde a integração homem  – máquina é cada vez mais entrelaçada. Desse modo, os primeiros óculos de realidade virtual, popularizados entre os anos de 1995 e 2000, hoje são considerados peças de museu. O mesmo cabe a rádios comunicadores, com frequência/distância limitada, já que os atuais smartphones contam com recursos de rádio-transmissão. A certeza que fica é de que com a transmissão de internet sem fio, os gadgets passaram a ser vistos como obras de arte, aliando design, conceito e praticidade em forma de tecnologia. Tudo será monitorado, o tempo todo. A informação até então restrita aos smartphones poderão ser compartilhadas na tela da TV, computador, do console do carro e outros.

No âmbito social, depende do ponto de vista do usuário. Primeiramente, é preciso levar em conta que nem todos terão poder aquisitivo suficiente para comprar os gadgets, principalmente na atual conjuntura socioeconômica do país, mesmo sendo uma das economias que mais crescem no mundo.

Com o passar do tempo, a exemplo do que ocorreu com os primeiros telefones celulares, os preços podem se equiparar em uma faixa acessível, ainda mais com as facilidades de crédito e pagamento que o mercado oferece.

Vestir a tecnologia permite a divagação do pensamento sobre quais passos serão adotados após os lançamentos do Google e Samsung.

Projeção de imagens e virtualização de ambientes já são quase uma realidade por conta do IlumiRoom, possivelmente produzido para o console Xbox One. Trata-se de um sistema de reconhecimento do ambiente, como os móveis e dimensões da sala, aliado ao Kinect, projetando imagens dos jogos para além da tela da TV.

A certeza que fica é que em pouco tempo, ambientes semelhantes ao laboratório de Tony Stark (Robert Downey Jr.) da trilogia “Homem de Ferro” poderão ser reais.

Por Junior Almeida


Hoje é muito falado sobre a famosa rede 4G, que é a substituta da já conhecida 3G. Aqui no Brasil em algumas cidades, como São Paulo e alguns pontos do Rio de Janeiro, já é possível acessar uma rede 4G, porém, você sabe quais as diferenças? Veja agora algumas melhorias que essa nova tecnologia pode trazer para o nosso país.

Aqui no Brasil, a rede 4G que irá ser implantada será a do padrão LTE que é o mais usado nos aparelhos que a ANATEL disponibilizou para a venda em nosso mercado. Porém, apesar de uma tecnologia já aprovada, sua implantação irá ocorrer inicialmente apenas nas cidades que irão sediar a Copa das Confederações.

Mas o que isso muda? Praticamente a rede 4G é um upgrade de velocidade, ou seja, com ela é possível transferir e baixar dados em uma velocidade muito superior a 3G, que foi implantada no Brasil em meados de 2005 e até hoje vem sofrendo vários ajustes para cobrir uma área maior.

Uma comparação simples em questão de velocidade que podemos fazer é que a 4G consegue uma velocidade de quatro até cem vezes mais do que a 3G, o que pode significar um padrão muito mais alto de tecnologia.

Aqui no Brasil o padrão aprovado pela ANATEL é o de LTE, como já foi dito, porém, sua frequência é de 2,5Ghz o que significa que em alguns aparelhos ele não irá funcionar.

Por Henrique Nicolau


Se antes os grandes eventos de tecnologia voltada para telefonia móvel davam foco total para a evolução da tecnologia, encarecendo cada vez mais os aparelhos, na Mobile World Congress, em Barcelona, as empresas têm apresentado um foco diferenciado.

Grandes empresas de smartphones, como Nokia, LG e Samsung têm tentado, cada vez mais, associar a evolução com um baixo custo de consumo, de modo que os celulares cheguem a um preço mais barato ao mercado. Esta mudança de perspectiva teve como “culpada” a Samsung, que é líder de vendas em todo o mundo graças ao seu portfólio variado.

Com efeito, a Samsung é a empresa que oferece mais opções para todas as classes sociais, sempre procurando associar o melhor que sua tecnologia pode oferecer a um preço acessível. Atentas a esta tendência, outras empresas têm tentado apostar no bom e barato para voltar a concorrer com a multinacional sul-coreana.

Para tanto, Nokia e LG oferecem em seus novos celulares serviços de qualidade, como câmera de 5 MP, processadores de 1 GhZ e a última versão de seus sistemas operacionais (Windows Phone e Android, respectivamente) a preços que deverão rondar os R$ 600,00.

Portanto, se você estiver esperando a oportunidade certa para comprar seu smartphone sem precisar gastar muito, o momento está chegando: as grandes empresas estão olhando para você.

Por Euclides Cesar Junior


Nesta semana, o Facebook divulgou o teste de mais uma novidade para seus usuários. Desta vez a inovação consiste na oferta do envio de mensagens mesmo que não seja do rol de amigos na rede social.

Para garantir este envio será cobrado o valor de 1 dólar por mensagem enviada, sendo que este e-mail será inserido nas pastas de mensagens úteis evitando que as mesmas caiam em spam, por exemplo.

No momento, estes testes estão acontecendo apenas nos Estados Unidos e se surtirem os efeitos desejados pelo Facebook poderá ser estendido aos usuários da rede social espalhados em todo o mundo.

Por Ana Camila Neves Morais


A busca de melhorias em seus produtos é o grande objetivo da empresa de eletrônicos Samsung.

Por isso, a empresa divulgou neste último mês alguns projetos de novos lançamentos para o ano de 2013.

O primeiro, e talvez o mais importante, é o lançamento do Samsung Galaxy S4 que é esperado com tela de Super Amoled Full HD com 4,99 polegadas e o processador Exynos quad-core. A expectativa é de que a Samsung lance este modelo até abril de 2013.

Outra novidade para 2013 desta organização seria um tablet semelhante ao Asus Transformer com tela de 13,3 polegadas e um aspecto semelhante ao Google Nexus 10.

Por último vem a esperança de ver um novo tablet da família Samsung Galaxy Note voltado para o mercado europeu com preços reduzidos e com isso sem dispositivos típicos destes dispositivos como a S-Pen e tela de Super Amoled HD.

Para confirmar os lançamentos e suas datas oficiais, mais informações são aguardadas nos eventos de tecnologia MWC e CES que irão acontecer no início de 2013.

Por Ana Camila Neves Morais


A atuação do Facebook no mercado tecnológico está se tornando cada vez maior e a novidade do momento é o lançamento da empresa de um aplicativo com vídeos publicitários.

Estes vídeos estarão disponíveis nas versões clássica e para aparelhos móveis com duração de no máximo 15 segundos.

A previsão é de que este novo aplicativo esteja no feed de notícias para os usuários do Facebook já no primeiro semestre de 2013.

Por Ana Camila Neves Morais


O que seria a obsolescência programada

Antes de entrar em detalhes sobre o que essa "maldição das nossas carteiras" nos faz, primeiramente precisamos saber o que significa essa expressão. Basicamente, obsolescência programada, em termos simples, é a diminuição da vida útil de nossos aparelhos eletrônicos, com a finalidade de trocá-los antes mesmo que haja uma necessidade maior por nossa parte.

Ultimamente, é raro encontrar alguém que tenha trocado seu aparelho por defeito causado pelo excesso de uso. Geralmente os aparelhos são trocados por outros mais novos enquanto ainda estão em perfeito estado, com todas as funções em funcionamento satisfatório. Pelo que tudo indica sobre essa "maldição", é que simplesmente a tecnologia vem evoluindo depressa demais. Mas, ao contrário do que pensamos, logo que foi lançado um novo aparelho, as fabricantes já têm outra carta na manga, justamente com a intenção de aposentar esse que acaba de sair do forno.

Há uma maneira muito simples de evitar gastos com esse tipo de obsolescência: fuja das atualizações! Parece piada, mas é muito sério. Todos queremos o celular  mais completo, aquele que tem Bluetooth, Wi-Fi, TV Digital. E isso realmente é importante! Se você quer utilizar todos os ganhos que a tecnologia pode te oferecer, compre mesmo! Mas por que trocar um celular que tenha essas funções por um que tenha as mesmas funções, mas só é um modelo mais novo, inclusive da mesma marca? Pensando assim, não faz o menor sentido, certo? Mas, geralmente, não pensamos duas vezes antes de colocar o carnê – se é que ainda usam isso – à disposição da vendedora e nos rendemos às compras. Esse tem sido um problema meu, seu e de todos nós.

Pense muito antes de entrar em mais uma conta. Verifique se realmente essa é uma necessidade. Se colocar em mente que ficará com o mesmo aparelho até que ele pare de funcionar, certamente, quando precisar trocar por motivo de impossibilidade de uso, já terá um novinho, cheio de aplicativos e funções. E, o melhor, nesse tempo todo de uso do “velhinho”, você economizou uma grana preta ou pelo menos manteve seu nome fora das ligações perturbadoras das empresas de cobrança.   

Fuja da obsolescência programada! 

Por Danillo dos Santos


Mais uma promoção interessante está sendo oferecida para os usuários de telefones móveis, pois a Claro estará oferecendo descontos para clientes que usarem o serviço de roaming internacional.

Este desconto será de 30% para usuários de planos pós-pagos que usarem este tipo de serviço até o dia 28 de fevereiro de 2013.

O pacote de roaming pode ser obtido por meio de inscrições no programa para o envio de torpedos para números fora do país.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Desde o lançamento da Retina Display, a Apple conseguiu revolucionar as telas LCD do mercado por causa da sua exemplar resolução de 326 ppi (pixels por polegada). Porém, recentemente, a Toshiba anunciou que está se direcionando para desbancar essa tecnologia, pois revelou que irá lançar uma nova tela para dispositivos móveis com 498 ppi.

A tela da Toshiba possui tamanho de 6.1 polegadas, com resolução de 2560 x 1600 pixels e oferece 16.7 milhões de cores com uma taxa de contraste muito superior (1.000:1) que cobre mais de 60% da quantidade de cores do NTSC.

Ainda, a tela revolucionária permite que as imagens sejam vistas em um ângulo de até 176 graus, independente se for na vertical ou na horizontal, sendo a tecnologia ideal para os tablets, pois eles podem ser utilizados tanto em modo paisagem como em modo retrato, para a mesma atividade.

A Toshiba ainda não anunciou quando será a data oficial de lançamento da tecnologia e nem em quais aparelhos ela será estreada, mas tudo indica que a nova criação logo terá sua produção iniciada, sendo assim a data para lançamento ainda pode demorar um pouco.

Por Guilherme Marcon


No último mês de 2011, já na segunda década do século 21, é difícil passar uma única semana sem ouvir falar de alguma grande novidade tecnológica, ou pelo menos uma pequena que pode gerar alguma mudança na maneira como as pessoas usam as máquinas.

Segundo com o que Nick Bilton escreveu nesta quarta-feira (21/12) em sua coluna no tradicional jornal norte-americano “The New York Times”, o Google e a Apple estão bolando maneiras de revolucionar como ninguém esperava, talvez apenas em algum filme de ficção científica, o modo de usar smartphones, tablets e aparelhos computadorizados em geral.

O colunista afirma que as duas concorrentes estão pesquisando a melhor maneira de produzir um celular para vestir. O Google teria contratado pesquisadores da Nokia, da Apple e de importantes faculdades norte-americanas para trabalharem no projeto. Uma fonte ligada ao laboratório secreto da empresa de Bill Gates teria afirmado que já foi desenvolvida uma tecnologia que permite que periféricos ligados à roupa ou ao corpo de alguém transmitam informações a um aparelho Android.

Nick Bilton também afirmou que uma fonte da Apple diz que a companhia tem a mesma tecnologia do Google, mas transmite informações para o iPhone. A coluna também diz que a empresa fundada por Steve Jobs tem até um protótipo de aparelho cilíndrico que as pessoas usariam no pulso e se comunicariam através da mesma tecnologia utilizada no aplicativo Siri, assistente pessoal do iPhone 4S e do iPod Touch.

Por Mozart Artmann


Certamente, os paises do oriente distante como o Japão, Coreia do Sul e China ainda contribuem com grande parcela do desenvolvimento tecnológico do mundo. Esse é o caso do designer taiwanes Hank Chen que desenvolveu um celular que pode mudar de tamanho conforme a necessidade do usuário.

Com o sugestivo nome de Flex Display Phone, o aparelho feito por Chen pode se transformar, de um dispositivo touchscreen de 3 polegadas para um com tela de 5 polegadas, a qual fica mais funcional para o envio de mensagens grandes, por exemplo.

O aparelho também tem as funções para internet, vídeos e GPS.

Por Jéferson Vainer. 


É notável como a maioria das novidades tecnológicas vem acompanhada de muito recurso e praticidade. Um exemplo disso é a facilidade para se dominar o celular apenas com um sensível toque na tela utilizando o dedo ou uma caneta touchscreen.

A informação é processada em questão de segundos como nos filmes futuristas, mas está bem presente na nossa realidade. E, com certeza ficou muito mais rápido de se enviar um torpedo SMS e de fazer ligações, diferente do teclado numérico dos celulares mais comuns.

E os recursos são apenas um mero detalhe, além disso, os celulares Touchscreen têm um design arrojado, peso e tamanho que facilitam o manuseio e são atrativos.





CONTINUE NAVEGANDO: